História Kim is a Karma - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jackson, Jeon Jungkook (Jungkook), Ji Yoon, Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Comedia, Cumboy, Kookv, Taekook, Texting, Vkook, Yaoi
Visualizações 55
Palavras 2.249
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Aristóteles e a teoria dos acidentes


 

A CAMPANHIA TOCOU

 

Imprevisivelmente às duas e meia da madrugada daquela sexta-feira, e bem... Foi assim que o meu fim do mundo começou.

 

 

[...]

 

 

 

Algumas horas antes

 


As vezes eu penso que recebecemos parte de nossa história escrita assim que nascemos e perdemos  a oportunidade de cria-la do nosso próprio jeito. Eu por exemplo cresci ouvindo o que deveria fazer com minha vida e desperdicei grande parte dela obedecendo padrões e tentando ser alguém que orgulhasse a família. Até o dia que cansei. Faz três meses que comecei a mentir para meus pais. Eles acham que estudo advocacia, tenho um emprego comum, e o pior porém mais  engraçado: uma namorada fêmea. (Infelizmente não me restavam muitas escolhas, não podia beijar machos na frente de meu pai). Você entenderia se estivesse no meu lugar, mas se te alivia saber,  estou a poucos passos de conquistar minha independência.

Bem, talvez um pouco. Não deveria assumir tamanha responsabilidade justo quando estou chegando na faculdade às 10:30. Pleno e cheirando a pasta de dente. Se eu ganhasse um soco sempre que me sujasse com pasta de dente, adivinha só quem seria o novo deadpool.

Como se já não bastasse a manhã turbulenta  (os quais apenas envolviam eu e um atraso idiota) o porteiro deu uma de QR CODE examinando cada linha de mim para enfim me deixar passar. 

Assim que pisei o pé no corredor senti um dedo fino proferir um peteleco na minha nuca. E logo eu sabia quem era a dona do golpe mortal,  ninguém mais costumava fazer aquele tipo de carícia.

  — Jungkook! Onde estava ontem ? Te liguei inúmeras vezes. — Lauren bagunçou meu cabelo encostando-se na parede ao meu lado.

  — Não fazia nada de muito importante, porquê?  — Fiz o desentendido, fingindo que os cinco dias que passei ignorando mensagens e faltando na faculdade nunca existiram. Enfim,  a responsabilidade e minha independência nunca estiveram tão próximas.

  — Eu sei que você me entendeu muito bem.

  — Desculpa Lau... Estava ocupado, juro que não vi as ligações! Tinha algo importante pra me dizer?

  — Eu só precisava avisar sobre o membro novo do nosso grupo, um garoto foi transferido e como eu sou a buceta de ouro, me ofereci em ajuda-lo a acompanhar a turma.

— Por que não me consultou antes?  - Soei mais irritado do que esperava.

  — Você não encosta nesse celular e não pisou o pé aqui por uma semana, o que queria? 

— Você nem o conhecia! Onde estava com a cabeça?

— Fica frio, ele é muito talentoso e vai ser muito útil, eu sei o que faço. Aliás, ele é muito divertido, você vai adorar.

  — Se for tão divertido quanto aquele jogador de futebol português que você me fez sair uma vez,  eu juro que te dou um chute. Lembra? Passei duas horas sendo ignorado e ouvindo ele dizer que é lindo.

  — Poc isso faz três meses. Rancorosa.

  — Aliás, um membro novo estava fora de cojitação, apenas os quatro membros já estava perfeito. Os meninos gostaram dele?
  
— Não é como se o mundo fosse acabar ok? Não precisa sentir ciúmes.

  — Tsc! DO QUE eu sentiria ciúmes?

  — Eu te conheço. Odiaria saber que ele é  adorável e já conquistou todo o grupo. Etc, etc.

  — Vai ser foder,  obrigado. – Dei as costas andando em direção  a biblioteca da faculdade.

  — A reunião vai ser hoje a noite em sua casa. Descola uns lanches. — Gritou a arara albina.

  — Senhorita Jauregui  – Voltei os passos puxando-a pelo braço. — Certo, teremos uma reunião, mas não hoje. Nos vemos amanhã,  okay?
 

 

[...]

 

 

 

Alguns minutos antes.

 


Era sexta feira, certamente eu estava folgando de meu trabalho totalmente autônomo, e nada comum. Mantia-o em segredo, porque talvez não seja algo bem visto ou no mínimo aceito. Confesso que na verdade tinha um pouco de vergonha, acho que deve ser normal no início. Ainda assim é o tipo de emprego que eu anseio a hora de "trabalhar".

Por finalmente ter meu curto e falso tempo livre, permiti-me pegar meu celular, ignorei o que havia recebido nos últimos quatro dias, e como sempre apareceria como se nada houvesse acontecido.

 

 

Hoje |

 

Lauren: O jungkook furou o ensaio na casa dele, mas ao menos vamo sair pra comer?

 

Hoseok: TU SÓ PENSA EM COMER POC

 

Jimin: da última vez q o ensaio foi aqui não sobrou nada em minha geladeira ._. 

 

Lauren: KKKKKKKKKKK MENTIRA 

 

None: querida so hj de manhã eu me ofereci pra te pagar UM LANCHINHO e você acabou me falindo

 

Jimin: ATÉ VC TAEHYOING KKKLL

 

Nome:  quem? Omo une precisa de aulas p se alfabetizar ?

 

Jimin: AMAS A CULPA É TUA DE NASCER COM ESSE NOME DOIDO 

 

Hoseok: KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

 

None: fecha os dente demonho 

 

Jimin: berro gnt o jungkook tá online 

 

None: em todos esses anos nessa indústria vital essa é a primeira vez que isso me acontece.

 

Lauren:  JESUS ESTÁ DE VOLTA A PROFECIA É REAL

 

 

 

                                                          me: Ok 

 

None:  JESUUUS SALVA MINHA ALMA E MEU NUMERO TAMBÉM  GATO ��

 

 

 

                                                      me: who?

 

 

 

Abri seu perfil imediatamente, talvez eu tenha a síndrome do stalker. O garoto era de boa aparência, e seu histórico de fotos era uma obra de arte. Certamente a Lauren não estava interessada apenas no talento do rapaz.

 

Lauren: ehisto Jungkook, não vai falar com a gnt direito?

 

MeOlá, meus anjos expulsos do paraíso. 

 

Hoseok: isso da uma música licença q vo escrever 

 

Me: A idéia foi minha lembre-se, meu caro.

 

Lauren: da p parar de falar igual estudante de letras

 

Me: Jamais o farei. 

 

Jimin: tá mas o bonitinho aí  não vai explicar oq tá fazendo de tão importante pra ter cancelado a reunião?

 

Me: nao

 

 

 

Hoseok: Não.*

 

None: Não.*

 

Jimin: Não.*

 

Lauren: Não. 

 

Lauren: porra o asterisco 

         Lauren: ESTRAGUEI A CORRENTE PODEM ME CRUCIFICAR EU MEREÇO 

 

 

 

 

Jimin: DRAMA QUEEN 

 

 

 

me: Ok gnt, não estava fazendo nada demais. Inclusive já acabei. Nos vemos amanhã, Ok? Tenho abates a fazer.

 

 

 

Jimin: ala o doido do free fire

 

None: fortnite >>>>>>>>

 

HoseokTaehyung é claramente um burguês safado

 

None: a parte do safado eu concordo 

novas mensagens role para atualizar.

 

 

 

Depois de criar aquela desculpa  qualquer, tornei a desligar o telefone, mesmo ouvindo mais quatros novas notificações ininterruptas, o que era curioso já que sempre deixava o grupo e meus amigos silenciados. Mesmo assim, tinha coisas mais importantes a fazer. Meu novo trabalho era uma delas. Independente de estar de folga, resolvi fazer uma surpresa aos meus supostos chefes.

 

[...]

 

Ontem  |

 

None: hey, eu sou o Taehyung.

 

None a Lauren me aceitou no grupo se vocês. Pode apostar que nosso projeto vai ser o melhor da faculdade esse ano <3

16:57 pm | entregue

Hoje  |

 

None: acho que vi você entrando no elevador, somos do mesmo prédio

 

20:03 pm | entregue

None: você disse que ia jogar que tal se eu der uma passadinha aí? 
                                                      
01:58  am| pendente

None: a Lauren disse que tu eh de boa então eu vou.

02:23 am| pendente

[. . .]

O comodo estava iluminado apenas por uma pequena  lâmpada azulada, eu exibia as curvas de meu corpo semidesnudo e sensualmente minhas mãos iam e viam pela superfície da pele sensível e lumbrificada. As únicas peças que escondiam um pouco de pele era minha boxer preta, a gargantilha em meu pescoço e uma de minhas máscaras favoritas, que deixava apenas meus lábios desprotegidos.

  — Estou no comando hoje... – Sussurrei erótico olhando fixamente para a tela  luminosa a minha frente enquanto massageava o volume que marcava presença. — Essa boxer está me machucando. – Logo mudei de posição, com as pernas formando o famoso  "M" e  arrancando de vez a peça que  incomodava meu membro, ao elevar as pernas revelava o Plug que forçava minha  entrada e meu pau totalmente desperto implorando por toques.

Apenas sorri de canto e comecei a massagear meu pênis sedento. Não contia os gemidos, não tinha porque conter. Tentava acompanhar cada comentário em tempo real  e gemer todos nomes possíveis que apareciam ali.

— S-se batermos nosso record de 50 mil viewers eu deixo vocês me verem brincar com o Kim II...  — Me divertia lendo os inúmeros  comentários em tempo real, a fúria de alguns fãs possessivos  já não me assustava.  - Gosh… Não apresentei o Kim II a vocês?

Assim dei ênfase ao objeto cilíndrico em minha mão, tinha uma estampa de coala azul cafona, que eu mesmo havia personalizado e sinceramente, o melhor foi de onde veio a inspiração, no entanto eu havia adorado.

— É Edição limitada.... Aproveitem enquanto está na minha loja. — Propaganda nunca era demais.

Não demorou muito para que chegasse a marca de visualizações desejada, logo me preparava ficando numa posição agradável para os olhos de quem assistia, no entanto a campanhia tocou, e assim meu corpo inteiro se extremesseu e tudo que podia sentir era desespero.

Como diria Aristóteles, o cú trancou. 
E por ali nem o verdadeiro Kim II conseguiria passar.

Encerrei a live numa velocidade questionável para um ser humano, por morar num apartamento Flat, quem entrasse no cômodo poderia ter visão de todos os comodos imaginariamente  divididos, eu me  sentia um idiota  e nunca havia se arrependido tanto dessa escolha de imóvel. Eu corria por toda aquela extensão, e para ser mais rápido joguei todos objetos eróticos e bebidas (falando nisso, eu estava levemente tonto) em um lençol, embrulhei em forma de saco e tudo foi jogado no armário.

— Não vai abrir? Eu sei que você tá aí Jeon Jungkook. — Quase me virei do avesso ao ouvir aquela voz, não a reconhecia, era apenas um timbre maravilhoso. Duvidoso, corri até porta e ao olhar pelo olho mágico preferia não ter o reconhecido das fotos, o desespero foi tão maior que quase abri a porta e recebi Kim Taehyung prontissimo, pelado e ereto.

Percebendo meu próprio nervosismo  respirei fundo, hoje eu podia ganhar o Nobel da Vergonha.  Fui até o guarda-roupa e vesti as primeiras coisas que encontrei. Uma blusa branca, e uma calça listrada se tecido fino que parecia um pijama de idoso. Foi uma péssima escolha.

Já possuía uma desculpa na ponta da língua sobre a demora, nem sabia porque a criara, sendo que supostamente não nos conhecemos e muito menos devo satisfações. 

Destranquei a porta sem pressa, sem uma só palavra. Conseguia ouvir o batuque dos pés impacientes de outrem.

  — Sim? – Abri a porta por completo.

  — Oi Jeon! Leu minhas mensagens? — Ele era da minha altura, a pele bronzeada, os cabelos castanhos assim como os olhos e a boca tão rubra quanto suas bochechas naquele momento. Ele soava entusiasmado.

  — Você é...? – Fiz o desentendido.
  
  — Kim Taehyung. Eu estava no grupo... Eu. Eu só achei que seria uma boa ideia.– Ele desviou o olhar e coçou o pescoço claramente desconfortável.

Vendo a repente mudança em seu semblante  não pensei duas vezes a convida-lo para entrar.

Ignorando o fato de que ele havia atrapalhado minha cunheta e que minha mão cheirava a pinto, estava tudo bem.

  — Desculpa, eu não vi suas mensagens.  Entre, Kim... Taehang?

  — Kim Taehyung. – Corrigiu-me

  — Ah!  Kim Taehyeongg?

  — Porra. Você e o Jimin combinaram isso?

  — Talvez um pouco. – Ri de soslaio, indo pegar bebida no frigobar.

  — Vou me sentir em casa mesmo que não tenha dito isto. – Disse jogando-se na minha cama/sofá/motel. Resumindo: ele se jogou no meu Transformer.

Voltei com uma garrafa de refrigerante, e o atrevido simplesmente tomou da minha mão e a virou goela abaixo.

Que otário. Nem imagina que está com a boca na garrafa que peguei com a mão que esfreguei no meu pinto.

  — Então. O que te trouxe aqui? – Indaguei.

  — A Lauren havia me dado o endereço de seu prédio. Quando percebi que éramos quase vizinhos achei que seria legal te conhecer logo.  Seremos parceiros.

"Otimo, ás duas e meia da manhã. Horário muito conveniente." Ironizei mentalmente .

  — Claro, parceiro.

  — Achei que estava jogando, conseguia ouvir alguns barulhos lá de cima. Estou atrapalhando?

  — Na verdade não muito. Você é meu vizinho de cima? — Sentia que uma gota de suor frio descia por meu pescoço quente.

— Sim, algum problema?

"Muito, muito problema". Pensei secretamente.

— Jamais, Tahyeum-ssi.

  — Para com isso!  – O garoto me olhou sério,  diretamente dos olhos. — Vou começar a me apresentar apenas como Tae.

  — Muita gente zoa seu nome?

  — Digamos que diariamente.

  — Sabe porque? – Perguntei num tom retórico.

  — Por que ele é diferente?

  — Não. Aposto que apenas gostam de sua voz quando irritado.

  — Qual o sentido nisso??

  — Sei lá, é apenas... autoritária, de um jeito sexy. 

 

Atenção, atenção!

Uma nota de esclarecimento.

Dado o momento em que Jeon Jungkook escorrega na própria merda.

 

 

 

 

 

 

— Autoritária? Hm... Acho que gosto disso.

Ele sorriu de canto, e eu fingia que não havia pintado clima algum. Mudei ligeiramente a posição das pernas, fazendo a pose do índio. Esquecendo-me que mal fazia 20 minutos que meu filhinho havia despertado sedento por carinho.

Sim, eu estou falando do meu famigerado pau.

O Taehyung tagarelava enquanto eu o fitava distraído, ele era do tipo que fazia contato visual enquanto falava, mas  por alguns segundos seus olhos pareceram  encontrar meu filhão. Áquela hora ele ainda estava de pé acordado e o sem vergonha nem pensou em se esconder!

É, eu continuo vergonhosamente referindo-me ao meu pau.

  — Puxa! Esqueci o miojo no fogo. Nos vemos amanhã não é?  – Taehyung pareceu ter se teletransportado para a porta.

  — Espera. Eu. – Travei na metade, não havia o que falar. O garoto já havia ido embora -  Coma bem?! Se hidrate?! — Gritei para as paredes.

Fechei a porta e sentei no chão,  derrotado. Naquele momento uma única frase vinha a minha cabeça: Kim is a karma.

 

E aquele era apenas  o  novo começo.


Notas Finais


Hmm sera q jungkook fará um Kim III??

Quem são Kim I e Kim II?

Para mais detalhes acessem o sex shop do jk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...