1. Spirit Fanfics >
  2. Kim Namjoon, SN e o Destino >
  3. Capítulo 55

História Kim Namjoon, SN e o Destino - Capítulo 57


Escrita por:


Notas do Autor


Oii gente, tudo bem com vocês? Trouxe mais um capítulo. Espero que gostem e boa leitura!

Capítulo 57 - Capítulo 55


(S/N ON)

 

Eram 07:00h quando o despertador tocou me fazendo acordar. Eu estava cansada e não queria acordar, mas minha consulta seriam as 08:00h e eu não podia me atrasar. Levanto e vou tomar banho para me arrumar e sair. Namjoon ainda dorme e somente quando eu estava de saída que lhe chamo para avisar que já estava indo.

Eu: Amor? Acorda.

Namjoon: Hum?

Eu: Bom dia. – Vejo Namjoon abrir somente um dos olhos.

Namjoon: Bom dia.

Eu: Estou de saída, tá? Assim que minha consulta acabar, eu te ligo.

Namjoon: Tá. Liga sim, por favor. Vai dar tudo certo.

Eu: Eu te amo. – Falo já na porta do quarto.

Namjoon: Eu te amo.

Enquanto espero pelo táxi sirvo um copo de suco, mas sinto minha barriga revirar e desisto, acabo saindo sem comer. Depois de pegar o táxi, poco tempo depois chego ao grande prédio. Pago ao motorista e olho a entrada por algum tempo. Eu estava nervosa e temia que algo de ruim estivesse acontecendo comigo. Vamos S/N, não será nada demais – Digo mentalmente para mim mesma, reúno toda a minha coragem e entro no local, indo até a recepção.

Eu: Bom dia, eu tenho uma consulta marcada para hoje.

Recepcionista: Bom dia. Qual o seu nome, por favor?

Eu: S/N. – Vejo a moça digitar meu nome e em seguida imprimir alguns papéis.

Recepcionista: A consulta já está paga, mas a senhora poderia assinar aqui, por favor?

Eu: Claro. – Assino e lhe devolvo o papel junto a caneta.

Recepcionista: Pronto. A senhora pode subir até o 3° andar e aguardar chamar seu nome.

Eu: OK. Muito obrigada.

Recepcionista: Obrigada a senhora.

 Entro no elevador e clico no número três, minutos depois a porta se abre e eu saio. Me sento em uma das cadeiras e aguardo meu nome ser chamado. Enquanto esperava mando mensagem para a Nari perguntando se ela havia recebido a mesma mensagem que eu, mas não obtenho resposta. Ouço um homem coreano alto chamar meu nome.

Médico: S/N?

Eu: Sim. Aqui. – Caminho até o tal homem e ele indica com os braços que eu entre na sala.

Médico: Bom dia, por favor sente-se e sinta-se à vontade.

Eu: Obrigada.

Médico: Bom, como posso ajuda-la?

Eu: Então, nas últimas semanas eu não venho me sentindo bem.

Médico: Quais são os sintomas incomuns que você vem sentindo?

Eu: Eu fico enjoada, tonta e me sinto fraca.

Médico: Tem algum horário especifico para isso ocorrer?

Eu: Geralmente pela manhã, mas não tem uma hora especifica. As vezes vem pela manhã, outras pela noite.

Médico: Entendo. A senhorita chegou a fazer algum exame?

Eu: Não.

Médico: A quanto tempo vem sentindo isso?

Eu: Tem umas 3 ou 4 semanas por aí.

Médico: A senhora tem uma vida sexual ativa?

Eu: Bom... Sim.

Médico: Usa algum tipo de método contraceptivo?

Eu: Eu faço uso de pílula, mas viajei recentemente e devido a mudança de fuso horário houve uma pequena confusão nos horários.

Médico: Entendo. Mas ficou sem tomar algum dia?

Eu: Que eu me lembre não. Mas não tenho certeza, acho que somente um dia ou dois.

 Médico: Entendo, tem mais alguma queixa?

Eu: Não.

Médico: A senhora comeu algo pela manhã?

Eu: Não.

Médico: Já reparou se tem algum tipo de comida que faz a senhora se sentir assim?

Eu: Não. As vezes estou sem comer e me sinto enjoada mesmo assim.

Médico: Eu gostaria de fazer alguns exames, pode ser?

Eu: Claro.

Médico: Vou pedir que uma enfermeira lhe acompanhe e será retirado um pouco de sangue da senhora. Tudo bem?

Eu: Sim.

Médico: Ok.

Vejo o médico chamar uma das enfermeiras e junto a ela vou a uma sala de coleta. Algumas ml de sangue são retiradas de mim e pedem que eu faça xixi em um vasinho de exame. Quando finalizo, volto a sala de espera e fico aguardando pelos resultados. Enquanto espero ligo para o Namjoon para dar notícias.

 

(Ligação ON)

 

Namjoon: Oi amor. Iai?

Eu: Estava dormindo ainda?

Namjoon: Não, mas estou deitado desde que você saiu.

Eu: Ainda não comeu?

Namjoon: Não. Mas me conte, o que o médico disse?

Eu: Estou esperando os resultados dos exames.

Namjoon: Mas ele não disse nada?

Eu: Não. Só depois do resultado que ele poderá me dar algum diagnóstico.

Namjoon: Não fique com medo, vai dar tudo certo.

Eu: Estava um pouco nervosa, mas depois de ouvir sua voz me sinto bem melhor.

Namjoon: Se precisar de mim, ligue.

Eu: Eu ligo. Tenho que desligar agora.

Namjoon: Tudo bem. Vai dar tudo certo.

Eu: Bj, se eu não ligar é porque me atrasei para a faculdade.

Namjoon: Mande uma mensagem pelo menos.

Eu: Certo.

Uma hora depois, o médico me chama até a sua sala novamente.

 

Médico: Olha nós de novo. Já tenho os resultados.

Eu: Então vamos lá.

Médico: Aparentemente, você é muito saudável. Sem diabetes, sem colesterol... – Vejo ele folhear as páginas e sorrir para mim.

Eu: E?

Médico: Você é casada?

Eu: Não. Apenas namoro.

Médico: Então acho que se casará em breve.

Eu: Por que?

Médico: Antes de tudo meus parabéns senhorita S/N, minhas suspeitas estavam certas. Você será mamãe.

Eu: Eu o que? M-mamãe?

Médico: Isso mesmo. Você está grávida.

Eu: O senhor tem certeza?

Médico: Sim. Aqui está. – Ele me mostra a folha com o exame e logo em cima havia o nome positivo em negrito.

Abro minha boca algumas vezes para tentar dizer algo, mas eu não sabia o que dizer. Eu realmente estava chocada demais para proferir qualquer frase. Eu estava grávida? Sinto o mundo ao meu redor parar quando me pergunto mentalmente e penso que desaprendi a falar.

Médico: S/N? Quer ligar para seu namorado ou algum familiar?

Eu: Não. – É apenas o que sai da minha boca.

Médico: Você tem certeza?

Eu: Eu posso ir embora agora?

Médico: Poder, pode. Mas você precisa se consultar com um obstetra para dar início ao seu pré-natal.

Eu: Verei isso em breve.

Médico: Você precisa, para uma gravidez saudável. Aqui está uma relação com ótimos especialista que pode te acompanhar por toda a gravidez.  – Ele me entrega meus exames junto a alguns panfletos sobre gravidez e uma lista com vários nomes e contatos.

Eu: Obrigada.

Médico: Eu sei que você foi pega de surpresa, mas não tenha medo.

Eu: Obrigada mais uma vez.

Saiu da clínica ainda atordoada com a notícia e pensando se era somente um sonho. Eu não poderia estar grávida, eu garanti ao Namjoon que estava tomando cuidado com isso e agora chegaria pra ele e simplesmente diria “Olá, estou grávida?” Ele nem pensava em casar da última vez que tocamos no assunto, quem dirá um filho, principalmente com a vida corrida que ele levava. Eu estava toda errada e a culpa era minha, mas como eu ia adivinhar isso? E primeiro de tudo, eu queria ser mãe agora? Eu nem tinha chegado na metade da minha pós graduação. Ser mãe não estava nos meus planos e agora tinha um bebê dentro de mim.

 Fico olhando para o nada por um longo tempo e quando minha ficha cai que eu realmente estava grávida eu caio em prantos no meio da rua, as pessoas me olhavam feio, mas eu não ligava. Me sento em uma pracinha e deixo que todas as lágrimas que tinham em meu corpo saiam. Quando não há mais nada para chorar eu respiro fundo e tento organizar meus pensamentos, aquela altura eu não tinha cabeça para ver ninguém, muito menos ir trabalhar e estudar. Mando uma mensagem para Nari avisando que não me sentia bem e minto para Namjoon dizendo que estava tudo bem e que iria me ocupar na universidade. Eu precisava de um tempo sozinha para organizar e assimilar tudo.

Chamo por um táxi e procuro em minha bolsa pelas chaves do meu antigo apartamento que por sorte eu ainda não tinha me desfeito dele. Falo o endereço ao motorista e algum tempo depois estou em frente a porta passando as chaves pela fechadura.

Aparentemente o local era o mesmo, entretanto, eu não era mais a mesma de antes. Agora eu era mãe de alguém, o que me leva a pensar se eu seria uma boa mãe. Olho todos os cômodos e tudo está como eu deixei apesar da poeira. Meus pensamentos me leva as lembranças dos bons momentos em que passei aqui, inclusive com o Namjoon. A primeira vez que ele esteve em meu apartamento e como nós estávamos nervosos, ou quando ele quebrava as coisas sem querer e eu ficava chateada, tais lembranças me fazem sorrir e a lembrar no quanto nós nos amávamos. Mas, mesmo nos amando tanto nós dois estaríamos prontos para criar um filho?  


Notas Finais


Perdoem qualquer erro ortográfico.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...