1. Spirit Fanfics >
  2. King Of The Sea >
  3. Passado e Discussão -

História King Of The Sea - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


Olaaaaaaa
Gentxx saiu a 2a temp de Umbrella Academy hoje e eu não assisti ainda aaaa
E o RPG do cellbit... dansa gatilho dansa
Eu não vou comentar porque ainda não superei os fatos
Enfim... fiquem com o cap

BOA LEITURA

Capítulo 24 - Passado e Discussão -


King Of The Sea ~ Capítulo 24 -

Passado e Discussão 

 

Fico deitado com Kuroo durante um bom tempo conversando sobre várias coisas aleatórias, até que a curiosidade enfim vence e eu pergunto o que a muito tempo eu queria perguntar: 

- Kuroo... por que deixou a guarda? - Levanto o rosto levemente e olho para Kuroo. 

Ele fica em silêncio por um momento, tirando o sorriso que havia em seu rosto e ficando sério, olhando para o “além”. Ele respira fundo e abraça meu corpo levemente, me deixando cada vez mais confuso. 

- Quando eu era criança, bem pequeno mesmo, meus pais não tinham lá muitas opções. Eles passavam fome para eu ter o que comer. Depois de treinar muito com os bandidos da área, sim meu pai era amigo deles, ele conseguiu entrar no exército. - Ele começa a falar, mas para por um momento. 

- Seu pai foi atrás dos homens que ajudaram vocês? - Pergunto assustado. 

- Não, claro que não. Meu pai entrou para o exército e com muito esforço conseguiu subir de patente, rápido demais para um camponês. Eu e minha mãe conseguimos viver confortavelmente, sem muito esforço. Meu pai era meu ídolo, eu queria ser igual a ele. - Ele diz com um sorriso no rosto, com seus olhos nublados de nostalgia. 

- E aí? - Pergunto entretido. 

- Aí eu cresci, treinando com meu pai e os meus amigos todos os dias, para entrar para o exército igual ele. No meu primeiro teste eu passei, fui um dos melhores. E então entrei para a guarda do castelo. Aos poucos fui evoluindo, até que me tornei o capitão da guarda real, ficando abaixo dos majores, coronéis e generais. - Ele dizia orgulhoso, mas logo sua expressão fecha novamente. - Eu via o rei fazendo cada vez mais merda e sendo pior, e era cada vez mais difícil ficar com a boca fechada. - Ele para de falar e fica ainda mais sério, encarando o teto. - Um dia, o rei ordenou que fizessem um tipo de arrastão na área leste do reino... eu morava na área leste. No fim das contas, enquanto eu e meu pai estávamos “presos” no castelo, o rei ordenava que os guardas invadissem a área e matassem quem quer que fosse, levando todos os bens. Ele deu a desculpa de que a área leste não estava pagando os impostos devidamente. Mentiroso.

Ele fecha os olhos e volta a respirar fundo, me apertando no abraço. Como que alguém pode fazer algo assim? Matar à toa? Roubar apenas para... sei lá, fazer um quadro de ouro! É incrível que mesmo morto meu pai ainda consegue me fazer odiá-lo mais. Dou um beijo na bochecha de Kuroo, lhe dando forças para continuar, se ele quisesse. 

- Sabe que não precisa continuar se não quiser. - Digo calmo e ele me olha com carinho. 

- Não... Você me contou tudo, acho justo que eu conte também. - Ele beija minha cabeça, fazendo carinho em minhas costas. - Enquanto eles faziam a “cobrança”, como o rei dizia, eu, meu pai e os outros guardas estávamos no castelo, organizando alguns pergaminhos de recrutas e outras coisas. Não ficamos sabendo de nada, até que os guardas voltaram cheios de coisas e sujos de sangue. Depois que nos explicaram o que aconteceu eu enlouqueci, assim como meu pai. Ele já estava acostumado a esses tipos de ordens do rei, mas eu não. Comecei a gritar e xingar meus superiores, até mesmo o rei.  

- Eles te prenderam? - Pergunto angustiado. 

- Pode apostar. Foram preciso quatro alfas de patente acima da minha para me segurar. – Ele fala com um sorriso no rosto. 

- Que orgulho do meu alfa. – Digo sorrindo bobo, imaginando meu alfa descendo a porrada em vários guardas com facilidade. Ele me sorri e me dá um beijo na ponta do nariz. Fofo. 

- Eu fiquei por muito tempo na cela, até que um guarda veio me buscar. Eu estava esperando a data da minha forca, e quando o cara foi me buscar eu já tinha me conformado, mas... ele simplesmente me soltou. 

- Como assim? - Pergunto confuso. 

- Quando eu fui guiado para fora do castelo, a praça estava cheia e a forca estava lá. Mas não era para mim... - Ele para de falar e acaba por “trocar” de lugar, se deitando sobre meu torço e se aconchegando em mim. - Meu pai foi no meu lugar. De acordo com os guardas ele convenceu os superiores a me poupar, afinal, ele já estava velho e eu ainda tinha “um futuro promissor no exército”. 

Ele fica passando a mão em um carinho na minha barriga, o que me faz sorrir levemente. Passo minha mão em seu cabelo, acariciando os fios macios do mais alto.  

- Eu vi meu pai ser enforcado na minha frente e eu não podia fazer nada. Eu não poderia desperdiçar a chance que ele me deu de viver. Um tempo se passou e eu conheci a Misaki. - Minha expressão fecha na hora, e afasto minha mão do seu cabelo, mas acho que ele não nota isso! - Ela era uma pessoa legal. Era bem bonita, na verdade. Ela tinha olhos lindos, exóticos devo dizer. Eram roxos, quase lilás. O cabelo dela era tão ruivo quanto fogo. Nossa ela beijava bem... - Nessa hora já não aguentava mais e o empurrei com tudo, fazendo ele cair da cama. Detalhe, a cama era bem grande, agora imaginem a força que eu usei. - Ei! O que foi isso? - Ele pergunta se levantando. 

- Não sei! Pergunta para a Misaki. – Viro de lado, ficando de costas para ele. 

- Kenma... está com ciúmes? - Ele engatinha até perto de mim. 

- Não Tetsuro. Eu não estou. - Me levanto, em pura cena, e vou até a porta. 

- Onde vai? - Ele diz confuso. 

- Vou atrás do Shigeo. – Me aproximo cada vez mais da porta. 

- Quem é Shigeo? - Ele pergunta e vejo que sua voz está um tom mais grave. 

- Um alfa que eu conheci antes de fugir, ele deve estar bem bonito atualmente. - O caralho, não conheço nenhum Shigeo. Só quero que ele prove do próprio veneno. 

- Vai o cacete! - Ele corre e me impede de abrir a porta. – Como assim você vai atrás de um alfa? E ainda fala na minha cara! - Ele está possesso. É bom né, filho da puta? 

- Você fica falando da sua ex aí como se tivesse fodido com ela ontem! Como quer que eu não tenha vontade de ir atrás de outro alfa? - Que desculpa esfarrapada Kenma, meu Deus... 

- É diferente! Eu estou apresentando fatos, não significa que eu queira foder com ela. – Ele fala ainda me impedindo de abrir a porta. 

- Eu não falei nada que queria foder com ele. – Digo na defensiva. 

- E você quer?  

- Depende... você foderia com a sua ex se eu mandasse trazerem ela aqui? Agora? - OLHA BEM O QUE VOCÊ VAI FALAR TETSURO! 

- Que tipo de pergunta é essa? - Ele diz na defensiva. 

- Do tipo de “sim” ou “não”. Eu vou perguntar outra vez. Você foderia com ela agora se eu ordenasse que trouxessem ela aqui? - Se olhar matasse, meu Deus, eu teria o corpo de um alfa agora. 

- Se você fosse atrás desse tal de Shigeo, sim! - Ele diz raivoso, mas logo nota a merda que fez. - Kenma... 

- Sai.  


Notas Finais


Não me matem por favor heheheh
desculpa amo vocês <3
Como esta a quarentena de vocês? estão bem? tudo certin? Usando máscara né? E álcool em gel? To de olho, viu?
Vou parar k
Até o próx cap, anjos <3

~~Kissus da tia Kat~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...