História Kingdom Academy:..INTERATIVA - Capítulo 2


Escrita por:

Visualizações 41
Palavras 2.464
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Magia, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


✿ Olá! Seja bem vindo a segunda parte da intro. Gente eu demorei para escrever esse capítulo mas mesmo assim não fiquei 100% satisfeita, eu tentei passar uma vibe Simba conversando com a Nala (Rei Leão 2) mas acho que não rolou, enfim, saibam que a intenção foi essa e espero que gostem S2

Gif do melhor reizinho dessa geração, Harry, levanta a cabeça se não a coroa cai princeso hsjsj

Capítulo 2 - Intro; part 0.2


Fanfic / Fanfiction Kingdom Academy:..INTERATIVA - Capítulo 2 - Intro; part 0.2

 

A volta para casa foi um completo silêncio, dei uma mordida na maçã que estava em minhas mãos, ela foi dada para mim por um dos guardas, talvez ele sentiu pena de mim ou algo assim. Fiquei observando a ilha Lost que se afastava na medida que o navio navegava, minha atenção foi levada ao meu pai que conversava com alguns marinheiros, desde que saímos da ilha não trocamos nenhuma palavra, sei que ele está bastante decepcionado comigo por eu ter desobedecido ele.

    Desencostei meu corpo da borda em seguida andei em direção às escadas que daria para fora do convés. 

— Harry.. — parei de andar assim que ouvir meu pai me chamar — Precisamos conversar. 

   Virei em sua direção logo mostrando um sorriso forçado, a bronca que irei levar provável que seja bastante grande, talvez se eu desse meu melhor sorriso poderia aliviar o peso. Ele segurou em meu ombro, sua expressão parecia tão rígida mais nenhuma expressão iria dá mais medo do que a cara da Malévola fez ao me ver. 

— Papai… eu posso explicar o que aconteceu — comecei a falar, mas o mesmo segurou em meu ombro e começou a andar em direção a proa — Eu admito que não deveria ter saído… mas fica preso lá dentro enquanto existia um mundo para conhecer...

— Você se colocou em perigo. 

— Eles não pareciam ser tão maus como as histórias diziam, eles me ajudaram a fugir… a escapar. 

— Você nunca deve confiar em nenhum deles, eles poderiam estar fingindo… Como um futuro rei deve reconhecer os lugares deles e o seu lugar, o seu lugar é reinando em Delly Bell.

— Se for desse jeito… eu me recuso a ser rei!

   Ele parou de andar por um segundo, encarei seus olhos enquanto pensava que talvez aquelas palavras tenha sido um poucos pesadas, mas era a verdade, era o que eu sentia. 

— Como posso ser rei em um lugar onde ignoramos a situação dos nossos vizinhos — respirei fundo enquanto andava mais a frente — E o senhor ainda pede que eu apenas aceite isso, aquelas crianças passam por situações horríveis… enquanto nós… enquanto eu! Vive sobre abundância e glória. 

— Você é tão novo e tão sábio, não sei se herdou isso da sua mãe ou de mim…  — ele se aproximou — Você deve compreender que nenhum tudo vai ser só diversão, pois um dia a tristeza e a dor também virão. Mas vamos ficar juntos em apenas todo lugar quando não há caminho algum. Você vai conseguir então vamos entender que somos mais que mil somos um. 

   Enquanto ele falava o mesmo andava pela proa, seguir seus passos até ele chegar na ponta da mesma, não tão distante conseguia ver Delly Bell, tudo que meu pai me dizia se ligava em Delly Bell, mas ainda sim me sinto tão inseguro sobre o que ser. 

— Você é o futuro rei de Delly Bell, ainda tem muito que aprender, Harry… irá entender que não é um simples reino, é a sua família. 

— Se a tanto para aprender só queria viver, como eu sou…  

— Enquanto viver aqui você é o que é — ele envolveu seu braço em meu ombro me levando a um abraço confortável — Vai entender um dia. 

    Sorrir para ele que também retribuiu, eu não podia estar mais feliz em ter um pai como ele, sei que quando for necessário meu pai estará sempre ao meu lado, disposto a me ajudar no necessário. Até mesmo quando subir ao trono, poderei ter ele ao meu lado, deixando Delly Bell cada vez mais unida. 

|| 4 anos depois… ||

   Os flashes das câmeras estavam tão forte ao ponto de fazerem meus olhos arderem. 

— Príncipe Harry como se sente ao saber que hoje é seu primeiro dia de treinamento real? — alguém perguntou.

— Não poderia me sentir mais fel- 

— É verdade que você fala com ratos?

   Olhei surpreso para o repórter após a sua pergunta, já estava prestes a responder quando Amora se aproximou expulsando os repórteres.

— Ok,  já chega, seus pombos sujos! A única pessoa que o príncipe Harry dar depoimentos é a mim! Então saiam daqui antes que eu bata em cada um de vocês!

   Observei a garota de cabelo alaranjados expulsando cada um da entrada do grande salão real, esse era o limite para a mídia, estava completamente proibida a entrada de mídias no salão real até o final da cerimônia que iria começar em alguns minutos. Assim que todos foram embora decidimos entrar junto no salão que estava cheio de pessoas da realeza.

— Voltou quando para Delly Bell? — perguntei enquanto desviava meu olhar de algumas pessoas que eu tenho certeza que na primeira chance viria em minha direção me encher de bajulação — Não ouse me abandonar, Amora — sussurrei. 

— Hoje, príncipe Harry — ela disse enquanto segurava o riso — Você terá que se acostumar com muitos em sua volta, ainda mais que ainda nem arrumou uma noiva, muitas garotas vão vir para cima tentando ser a futura rainha de Delly Bell… apesar de que conhecemos o seu segredinho — olhei para ela após dizer aquelas e fiquei sem entender quando a mesma piscou para mim — Você acredita que a fada madrinha me obrigou a passar minhas férias com aquelas velhas… — ela mudou de assunto — Flora, Fauna e Primavera! Se eu passasse mais um tempo com aquelas loucas bem provável que eu me matasse. 

   Comecei a rir após ouvir ela, eu estava com saudades desse humor da Amora, demorou um tempo para que eu me acostumasse com ela mais depois que ela se aproximou da minha irmã, ficaram tão juntas que tive que aguentar as festas de pijamas que as duas sempre dava.

— Ouvir dizer que você ficou com a Fada Madrinha e seu pai nos recantos da magia… — olhei para ela surpreso, essa informação é secreta. 

— Como soube? — perguntei surpreso — Como você sabe tão bem das coisas Amora? Está sempre atualizada, minha mãe divulgou dizendo que eu estava tendo meus treinamentos em casa. 

— Eu sou uma fada, Harry… mesmo que sem asas, continuo sendo uma fada. Afinal, sou uma aprendiz da fada madrinha e enquanto arrumava os documentos dela vi que os futuros reis vão para os recantos de magia, um local totalmente proibido para os cidadãos. 

— Por causa da magia… — ela concordou — A Fada Madrinha já falou quando irá dar suas asas?

— Provável que nunca, eu preciso desenvolver magia dentro de mim e não posso em Delly Bell. 

   Suspirei em frustração, mas isso era uma lei e não podemos desobedecer às leis.

— Se ao menos eu pudesse, ao menos um pouco Harry! — ela parou na minha frente — Se eu pudesse usar pelo menos um pouco do meu poder… 

— É proibido Amora, o que aconteceu com a última fada que usou seus poderes?

— Foi mandada para Lost. — concordei com a cabeça após ouvir ela. 

— Lembre-se que Malévola também foi uma fada — olhei para minha irmã que aproximava, não acredito que ela estava ouvindo nossa conversa — e hoje é apenas um monstro. — contínuo — Amora, você disse que ia tirar minhas fotos, eu já estou belíssima…  devo lhe mandar um convite para que você possa tirar minhas fotos ou desenhar?

— Linda.. — já ia reclamar com ela pela sua ignorância mas Amora me interrompeu. 

— Esta certamente lindíssima, princesa Charmed! Não se preocupe, estou indo agora — a mesma seguiu minha irmã — Até mas príncipe Harry!

   Ela se curvou e logo em seguida me abandonou. Agora eu estava sozinho diante dessas pessoas, olhei em volta a procura dos meus pais e os mesmos estavam sentados no trono, como eu estava cansado poderia ficar um tempo sentado.

   Na medida em que o tempo se passava eu ficava cada vez mais nervoso, como eu posso ter me preparado minha vida toda para isso e agora eu estava a ponto de não conseguir andar, na verdade admito que eu estava mais nervoso pelo meu grande anúncio, tentei conversar com meu pai nos últimos meses sobre meu declaramento que irei fazer no primeiro dia de treinamento, porém nunca conseguir concluir. E em todos os momentos sempre me pergunto se isso realmente é o certo. 

   Não demorou muito para que a hora de cerimônia finalmente começasse, assim como os costumes a família real foi para a varanda real onde muitos cidadãos do reino pudesse ver, e outras famílias reais foram para as varandas reais que podemos considerar como lugares “vips”. Finalmente meu treinamento oficial para herdar o trono, iria passar seis meses comandando o reino no lugar do meu pai, e na próxima vez que essa coroa tivesse em minha cabeça seria em meu aniversário de 19 anos e só iria tirar ela quando morresse. 

   Como toda comemoração real começou os discursos reais, desde pequeno nunca gostei de esperar,  minhas mãos já estavam começando a suar de nervosismo, olhei para meus amigos para ver se vinha alguma coragem, minha irmã e minha mãe segurava minha mão para me dar algum tipo de apoio. 

— Você irá se sair bem, Harry — minha irmã sussurrou em meu ouvido antes que eu pudesse ser chamado pela Fada Madrinha para o pronunciamento e enfim finalizar a cerimônia com meu primeiro decreto. 

    Uma certa vez eu fui na biblioteca ver pronunciamentos que antigos rei fizeram, claro que Delly Bell nem sempre foi comandado pela minha família, até mesmo a família da Fera já veio ao trono mais foi retirado, e agora minha família está no trono, inclusive foi eles que criaram a lei que é proibido usar poderes, ainda mais quando é uma grande quantidade dela,  os únicos que são "permitidos" são alguns da família real, contanto que ninguém veja e mesmo que saiba, fingimos que não vemos. Esse foi o primeiro tratado do meu pai, afinal ele queria evitar que qualquer um liberasse a barreira ou até mesmo uma brecha dela, e agora o meu primeiro tratado é trazer pessoas que foram motivos dessa brecha para Delly Bell. 

    Enquanto falava do meu objetivos em nenhum momento eu deixava de enfatizar as palavras que meu pai disse a mim alguns anos atrás sobre a união. Eu não esperava que eles aceitasse de primeira mais isso seria feito. 

—… Eu declaro que será permitida a entrada de sete descendentes da ilha Lost, o tratado "Descendentes" irá começar. 

    Toda a excitação que existia antes quando subir a frente sumiu, todos estavam calados e eu conseguir ouvir os sussurros se perguntando o que era aquilo, fechei meus olhos por breves segundos afinal me recusava ver suas expressões. 

— Anos se passaram desde da barreira ser feita, anos se passaram e existem jovens como eu lá dentro! Eles não foram responsáveis pelo erros dos pais, eles nem sequer existiam quando a guerra acabou. E agora, são obrigados a viver diante daquela situação… — respirei fundo enquanto tentava olhar no olho de cada um — Eu já estive lá… sim,  foi assustador, mas foi mais assustador foi ver crianças passando fome e nós, nós de Delly Bell em cima deles, comendo e deixando apenas o resto. No meu reinado eu digo, BASTA! Basta de tanta indiferença. Nós somos um ou não? 

    Após dito aquilo algumas palmas surgiram, mais junto vieram algumas vaias, algo que eu já esperava, ate que a Fada Madrinha apareceu e junto com sua presença forte calou-se o povo. 

— Um decreto de um rei deve ser seguido e obedecido, eu como Fada Madrinha e diretora da Kingdom Academy declaro que os sete escolhidos serão bem vindos na minha academia — sorrir após ouvir ela — E qualquer um que vá contra isso será como traidor a coroa. 

   Ela realmente não precisava ter usado essas palavras mas isso fez todos se acalmarem, e enfim chegou o fim. Andei em direção ao salão principal quando minha família veio atrás de mim, mesmo sendo rei ainda sou filho deles e provável que eu não consiga escapar tanto tempo de um sermão. Assim que cheguei no salão principal me surpreendir a ver Freya, uma grande amiga. 

— Então você veio — disse enquanto me aproximava,  a mesma levantou-se para se curvar mais antes que pudesse concluir impedir ela — Você é a minha melhor amiga Freya, não precisa disso.  

— Nem parece que a última vez que eu vi você, você estava tentando matar sua irmã por ter quebrado seu carrinho de brinquedo favorito. 

— E você estava morrendo de timidez… — comentei enquanto ria. 

    Freya é minha amiga desde dos meus 14 anos, apesar dela ter sido abrigada pela minha família apenas por dois anos ela se tornou quase uma irmã, afinal temos gostos comuns. E logo depois passou três longos anos fora, ninguém sabe o porquê dela ter ido embora, mas ela apenas foi…  admito que aquilo me magoou profundamente mais já superei. Alguns pensam que ela está aqui apenas para afastar conflitos de Arendelle com Delly Bell, mas para mim ela é bem mais que uma simples princesa, é quase uma irmã. 

— Pelo visto as coisas não foram nada agradáveis — ela disse enquanto levava um bombom que estava na mesa de doces a boca, agora que tinha percebido que ela estava sentada perto da mesa de doces e já tinha assaltado vários — Lembro que quando éramos mais novos você falava secretamente sobre liberdade… não imaginei que fosse isso. 

— Agora já está feito, e eu não irei revidar.  — disse confiante. 

— Eu sei que não. 

   Ela se levantou novamente em seguida colocou as luvas, aquilo era novo para mim. — Já vai? Mal chegou… aposto que minha mãe está ansiosa para te ver… 

— Quero dar uma passada em Atlanta, eles ficam na superfície apenas em sete e sete meses, e esse é o último mês… não quero ter que comprar minhas coisas de baixo d'água. 

— Promete que irá voltar?

    Encarei seus olhos azuis, os mesmo olhos azuis de uma criança que antes estava com medo agora parecia tão seguros de si, os anos fora fez bem a Freya, não só fisicamente mais espero que emocionalmente. 

— Sim,  rei Harry. 

   Ela se curvou em seguida se retirou do salão, andei até a cadeira que estava sentada em seguida roubei um doce que estava na mesa ao lado, quando ouvir a porta ser aberta novamente levantei imediatamente, era apenas a Fada Madrinha acompanhada de Amora e meu pai. 

— Fada Madrinha, prepare as matrículas e a carta de boas vindas — ordenei — E Amora, prepare o comitê de boas vindas.  

    E por fim, sorrir,  afinal uma nova era irá começar. 

 

|| End

 


Notas Finais


✿ Espero que tenha gostado. Estou recebendo as fichas aos poucos, eu ia ate mostrar o pessoal (que eu já me mandaram a ficha) mas não tinha o suficiente!

|| Lembra que eu falei no capítulo anterior que iria mostrar uma personagem que apesar de ter sido criada por mim estaria livre para quem quisesse fazer uma ficha? Pós então, no capítulo anterior foi a Mary (que ainda está livre) e nesse é a Linda (Irmã do Harry), apesar dela ter uma personalidade criada lá no MENU, ela ainda pode ser alterada em algumas coisas. Enfim, quem quiser fique a vontade é só me mandar um MP.

Carta da Fada Madrinha; https://docs.google.com/document/d/1o819RcBbzzqxUc9hPYEonVDVFVRGFTu3UhI1RW-dHzU/edit?usp=drivesdk
MENU; https://docs.google.com/document/d/1HsxvqjV_mxEXbxscL9nBMad_tIQs-7J8uDihYiJHIcA/edit?usp=drivesdk

᭄⃟۫❃۫۫ RESERVE SEU USER E OS PAIS DO SEU PERSONAGEM NOS COMENTÁRIOS DO PRIMEIRO CAPÍTULO (após a reserva a ficha deve ser entregue em pelo menos até 04 dias depois!)

kiss, iffy S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...