1. Spirit Fanfics >
  2. Kingdoms >
  3. Prólogo ao Sul

História Kingdoms - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Bom dia, boa tarde e boa noite. Queria dar pequenas informações sobre a fic aqui:


*O plano era eu fazer quatro capítulos, um pra cada reino, como prólogo, apresentando os personagens e o que se passa em cada reino...
*Com esse cap só faltam mais dois capítulos e aí a estória começa pra valer.
* Os prólogos vão ser mais curtinhos, o plano é fazer o resto dos capítulos um pouquinho mais longos, com mais infos, detalhes, etc.

Capítulo 2 - Prólogo ao Sul


Era uma vez o Reino do Sul... Diferente do Norte, não eram conhecidos por flora alguma ou por seu povo, na verdade o que chamava a atenção de externos eram os vinhos de boa qualidade que lá eram fabricados e os tecidos, belos e tão bons quanto os vinhos. Há dezoito anos atrás os sulistas foram acusados de ter sequestrado um herdeiro do reino do Norte. O que era um absurdo, já que na mesma época em que houve o roubo da criança o Sul, o rei alfa estava preocupado com seu ômega que se recuperava de um parto, sim, não fizeram bem as contas, mas o ômega do Norte e do Sul deram a luz no mesmo dia.

Os governantes do Sul não aceitaram as calúnias que os outros estavam fazendo, sobre si e seu povo. E ao verem que o Norte romperá qualquer contato consigo, fizeram o mesmo. Não aceitavam esse tipo de coisa, estarem dizendo que eram sequestradores de bebês quando na verdade eram um pouco mais que pacífico. Não gostavam de aglomerações ou confusões, preferiam ficar na sua.

Para Kim Seokjin, as mentiras do Norte o atingiram como uma espada, já que considerava Junmyeon um grande amigo, em tempos antigos. O ômega ainda estava frágil pelo parto quando recebeu a notícia do sequestro, e quase jogou tudo para os ares, isso se não fosse seu alfa, Namjoon, para lhe acalmar e garantir que cuidaria de tudo. Desde então o Sul se tornou mais frio e sombrio do que o normal, se fechando em seu reino e mantendo o considerável de contato com o Leste e Oeste.

 

 

[...]

 

 

Era a última noite antes do inverno para os outros reinos, mas para o Sul, era a segunda, o inverno era sempre apressado e rigoroso na área sulista. Porém, já estavam acostumados, com o frio e sua impiedade diante dos lobos.

Nos estábulos do castelo o príncipe primogênito do Sul alimentava sua égua e penteava seu pelo com a escova adequada. Yoongi, já estava alí um bom tempo, a égua havia sido um presente do pai alfa, havia a ganhado com quinze anos e agora, com quase vinte e um, via a puro sangue crescer saudável junto consigo. A cada escovada a calda do animal era balançada com agilidade, mostrando que admirava o cuidado. Após ver que ela havia terminado de comer, Yoongi decidiu verificar se o local estava quentinho e aconchegante, não só para sua égua, mas também para os outros cavalos alí descansando.

Tudo estava em seu devido lugar, após ver que ninguém estava próximo de si, abaixou a cabeça do animal e beijou entre os olhos do mesmo. Ela, já acostumada com o carinho, apenas virou-se de costas e deitou, indicando que agora ia descansar também, assim como os outros.

Yoongi correu para dentro do castelo e viu todos na sala de jantar, conversando normalmente. Seus pais na ponta da mesa, seu irmão do meio ao lado do pai ômega e o mais novo ao lado do alfa, decidiu se sentar ao lado do irmão do meio. E então começar a se servir. A mesa farta, com carne, pães, frutos, e bebidas, enchia os olhos de Yoongi.

— Você estava lá fora novamente?

— Sim, fui alimentar a Chuva. — Após dizer o nome da égua começou a comer.

— Eles estão bem, digo, os cavalos? — Foi a vez de Namjoon perguntar. Chamando a atenção de todos alí.

— Sim senhor, e também o estábulo está bem trancado.

— Amanhã, quero que você e Taehyung me mostrem como estão na esgrima, tudo bem? — O alfa perguntou apontando para o filho do meio e para seu mais velho. Yoongi então acenou sendo acompanhado pelo seu irmão, os dois eram alfas lúpus, os únicos ômegas alí eram Seokjin e o irmão mais novo, Jeongguk, que mesmo sendo o que eram não se rebaixavam para nenhum alfa ou beta, também praticavam artes marciais e outras técnicas de luta, o próprio Seokjin era um ótimo atirador de arco e flecha, enquanto Jeongguk era ótimo em usar apenas os braços; na defesa pessoal.

Ao terminarem de jantar cada um foi fazer o que tinha vontade, Namjoon e o marido foram jogar xadrez no escritório do alfa, enquanto Yoongi avisou que iria dar uma volta na matilha, para ver se tudo estava bem. Taehyung e Jeongguk, enquanto isso, foram para o salão onde treinavam esportes, o ômega estava desde cedo o importunando, dizendo que conseguiria derrubá-lo sem muito esforço enquanto o outro dizia o contrário, agora tirariam a prova real.

Taehyung e Jeongguk sempre foram muito próximos e mesmo que fossem de classes diferentes agiam como iguais, o que não acontecia muito com Yoongi, o mais velho sempre tratava o irmão caçula como se ele fosse feito de porcelana. E não é que Jeongguk não gostasse de ser mimado, não gostava era de saber que era tratado daquele modo por ser ômega.

— Vamos nessa, estou pronto para ver você me derrubar. — Sorriu desafiando o mais novo. Esse que em troca o encarou e entrou numa posição de combate, Jeongguk tinha uma vantagem, já tinha visto o irmão lutar pra valer várias vezes, sabia como eram seus movimentos e todos os seus golpes, fossem de ataque ou defesa. Porém, Taehyung nunca tinha visto o garoto lutar mesmo, apenas acompanhava um treinamento ou outro, mas as lutas nunca eram a sério.

— Quando você menos esperar vai estar no chão.

Após a frase do mais novo, Taehyung rosnou e partiu para cima do irmão, esse que bloqueou o ataque, passou por trás do alfa e prendeu as mãos do mesmo em suas costas, numa espécie de imobilização.

Taehyung reagiu se soltando da defesa do garoto e voltando a sua posição de ataque. A luta mano a mano era a praia de Jeongguk, pois nela podia mostrar sua força mesmo sendo um ômega. O mais velho alí esperou o ataque do outro e sem saber como, Jeongguk foi preso dessa vez, os dois tinham caído pelo choque de seus corpos e agora Jeongguk se encontrava com a barriga no chão e seu irmão sentado em suas costas, pressionando a cabeça do ômega contra o chão.

— O que disse sobre eu estar no chão? — Debochou vendo o mais novo ficar vermelho de raiva.

— Idiota, tudo bem, ganhou esse round, mas no próximo você vai estar no meu lugar. — Levantaram.

Recomeçaram tudo de novo, entretanto agora era diferente, Jeongguk não atacaria antes de Taehyung, esperaria para ver qual tática o alfa iria usar e só então retribuiria o golpe.

Num piscar o mais velho estava no chão, mas não havia se dado por vencido, Jeongguk, em cima de si, tentava lhe imobilizar e ele por sua vez tentava derrubar o ômega. Permaneceram naquilo por alguns minutos até se cansar e dar a vitória ao mais novo. O caçula sorria convencido com um olhar de “eu avisei” e Taehyung apenas revirava seus orbes castanho-claro. Antes que saíssem do salão o alfa até tentou atacar o irmão de surpresa, porém os sentidos apurados do último citado o fizeram ir ao chão novamente.

— Não é nada justo você atacar alguém pelas costas, é um ato de pura covardia.

— Tudo bem, vamos logo, me solta. — Jeongguk o prendia na parede. O ômega soltou o mais alto e então saíram definitivamente dalí.

A essa altura, Yoongi também já tinha voltado de seu passeio e agora descansava em seu quarto, lia um livro, tentando fazer o sono chegar. Taehyung foi para o banho e Jeongguk fez o mesmo. Os filhotes tinham ido dormir e agora somente Namjoon e Seokjin se encontravam acordados, tinham se cansado do xadrez e agora conversavam coisas banais enquanto bebiam um pouco de vinho tinto.

As risadas do ômega vez ou outra invadiam o cômodo, fazendo o alfa acompanhá-lo. Era a segunda garrafa de vinho, e já estava pela metade, contudo, não estavam alcoolizados, já estavam mais que acostumados com aquele tipo de teor alcoólico, era o que casualmente serviam nos jantares, ou seja, era quase normal virarem duas e até três garrafas.

— Soube que o Leste quer fazer um acordo com o Norte... — Kim soltou vendo o semblante do ômega ficar sério de repente.

— O quê?

— Sim, um dos nossos sentinelas, que ficam entre as fronteiras, me disseram que escutaram um boato sobre o herdeiro único do Leste se casar com o herdeiro mais velho do Norte. — Deixou a taça de lado e focou sua atenção no marido. Seokjin parecia não ter entendido bem.

— Mas, se eles fizerem isso... O herdeiro do Norte também será líder do Leste e vice-versa.

— Exatamente. — Limpou a garganta. — Os territórios do Norte e Leste serão apenas um, praticamente. Comentei isso com você porque, você sabe, nossa briga com o Norte...

— Conversaremos com os líderes do Leste e eles nos dirão se isso é mesmo verdade, e se sim, dirão o que pretendem fazer com o acordo que temos... — Interrompeu o marido, não deixando que ele o lembrasse do ocorrido. — Eles sabem da nossa implicância com os nortistas.

— Eu não consigo entender o que eles desejam se unindo ao Norte. — Namjoon comentou pensativo, pedindo para que seu ômega não esquentasse a cabeça. Sabia que a junção dos dois reinos seria um problema, visto que não mantinham negócios e sequer contato com um deles.

Jin vendo a tensão do marido tentou distraí-lo um pouco.

— Não quero me preocupar com isso agora. O que acha de nós irmos para o quarto e relaxarmos um pouquinho, já está tarde, as crianças devem estar dormindo... — Insinuou levantando da poltrona em que estava e andou até a porta do escritório, chamando a atenção do alfa. Namjoon sentiu seu lobo revirar dentro de si, Seokjin sabia como enlouquecê-lo. Sorriu vendo os olhos cinza-azulados do ômega brilharem, não ficaria surpreso se os seus estivessem da mesma forma.

— É melhor você correr. — O sorriso de ambos alargou. A voz de Namjoon havia saído mais grossa que o normal, indicando que seu lobo tomava conta de si a cada segundo. — Corre ômega.

 

 

[...]

 

 

Era quase uma da manhã. O alfa primogênito do Sul ainda não dormia, sua ansiedade não lhe deixava pregar os olhos. Havia terminado o livro, que lia até segundos atrás, mas agora não sabia o que fazer e sabia que só poderia dormir depois de receber o que queria.

Pedrinhas foram atiradas contra sua janela, num pulo o garoto correu até a mesma, seus cabelos loiros claros, que iam até o ombro e flutuavam graciosamente conforme a movimentação. Uma figura de capa estava lá fora, confirmou quem era quando o capuz fora abaixado, era Hoseok um amigo de infância, um ômega e um pouco mais alto que si, foram criados juntos, praticamente, e agora, já adultos, arrumavam uma forma de se ver e botar o papo em dia. Nesse caso, Hoseok não estava alí para conversar, estava fazendo um favor ao príncipe.

— Conseguiu? — O ômega acenou e subiu até a sacada de Yoongi, não era bom com escaladas por isso contava com o auxílio das ramificações na parede do castelo. — E aí?

— Eu acho bom eu ser recompensado depois, eu quase fui pego pelos sentinelas e ainda por cima tive que driblar os guardas antes de chegar aqui. — Resmungou deitando na cama do amigo. — Ele mandou entregar uma carta para você.

O papel meio amarelado e com detalhes foi entregue ao alfa, Yoongi abriu o envelope sem demora e logo começou a ler. A letra charmosa e cursiva preenchia metade do papel, não era nada muito importante apenas um pedido.

 

“Yoongi, sou eu, desculpe por não ter mandado notícias, meus pais andaram me cercando esses dias. Enfim, meus pais estarão viajando a negócios para o Oeste, vou ficar em casa sozinho durante três dias, o que acha de me encontrar?

Com amor,

P. J.

 

— E aí, o que ele diz?

— Quer que nos encontremos, no casa dele...

— No norte? Você não vai né?! — Jung se exaltou fazendo sua fala sair mais alta que o esperado. O alfa então o repreendeu. — Você não vai! — Insistiu agora, mas dessa vez um pouco baixo.

Yoongi, revirou os olhos. Estava meses sem ver o namorado e sem ter contato algum com ele, não era Hoseok que ia impedi-lo de ver o outro ômega. Era arriscado, ele sabia, mas a sensação de estar fazendo o proibido era boa.

— Eu vou. — Hoseok imediatamente levou a mão até a testa, dando um tapa na mesma. Tentou até convencê-lo de que ir era uma má opção, porém o alfa parecia mais ocupado em reler a carta mandada pelo amante nortista.

Zangado, o ômega bufou bagunçando seus cabelos, que ao contrário dos do alfa, eram curtos.

Ele e Yoongi eram amigos desde pequenos, e para Hoseok ver o alfa se arriscando dessa forma era terrível, ainda mais sendo por um ômega do Norte. Sua preocupação podia ser comparada à de um pai que quer seu filho bem, ou a de um irmão. Não era algo como paixonite nem nada, era algo fraternal.

— Você ainda vai quebrar a cara com esse ômega.

— Eu prometo que vou seguro e volto mais ainda. — Puxou o pulso do outro e deu um abraço mesmo com a relutância do mesmo. — Hoseok, confia em mim, vai ficar tudo bem, já fiz isso outras vezes.

— Sim, mas sempre nas fronteiras, nunca cem por cento no território alheio.

Chateado Jung deu de ombros e foi em direção à janela, sentando no batente e se segurando novamente nas ramificações da parede. Pronto para descer, sentiu uma mão segurar suas roupas.

— Obrigado por se preocupar, Seok.

— Só vá e volte bem. — Desceu após de desvencilhar do outro rapaz.

Já no chão botou novamente o capuz e tomou fôlego. Yoongi ainda de cima da sacada acenou para o ômega, esse que mesmo chateado soltou um sorriso e retribuiu o aceno, minutos depois saiu correndo e se esgueirando de qualquer guarda que pudesse o ver. Já o alfa voltou para dentro do quarto, fechando a janela e as cortinas, apagou as luminárias e deitou ainda com a carta do amante em mãos. Seu sorriso gengival era capaz de iluminar todo o quarto. Sentindo a textura do papel ele deixou o sono lhe domar, agora ele finalmente podia dormir tranquilo.


Notas Finais


É isso xuxus até a próxima atualização e obrigada pela leitura. Tenham um bom final de semana e beijos, e cuidem da saúde de vocês.
♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...