1. Spirit Fanfics >
  2. Kirishima, o ômega lendário >
  3. Toque sangrento pt 3

História Kirishima, o ômega lendário - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


aviso:

Cuidado! Daqui pra frente, haverá conteúdo pesado.
Se você for sensível lendo qualquer coisa envolvendo mortes ou órgãos sendo estraçalhados. Recomendo ler com cuidado.

Espero que gostem!

Capítulo 23 - Toque sangrento pt 3


- Eijirou… 

O braço de Kirishima tremia, ele sentia a viscosidade do sangue e dos órgãos que haviam sido perfurados. O odor de sangue já havia infestado todo o recinto.

Crimsom olhava para o chão com o olhar inexpressivo, seus lábios se moveram, porém, não faziam nenhum mísero som. De sua boca, escorrendo pelo seu queixo, um fio de sangue carmesim se derramava pelo braço de Kirishima, logo depois caindo ao chão.

Para a surpresa de todos, e do próprio Kirishima. Crimsom deu leves e pesados passos. Chegou mais perto do filho, sendo perfurado ainda mais pelo braço endurecido do mesmo. O som de carne e órgãos se rasgando era grotesco e estranho. Kirishima tremia a cada passo. Em seus olhos, lágrimas escorriam sem pressa.

Um poça de sangue se formava em baixo do corpo de Crimsom Riot. Seu rosto se contorcia de mais pura dor. Ele ergueu a mão ensanguentada, tocando no rosto do filho, no mesmo lugar onde Naomi havia tocado. Beijando a testa de Kirishima com amor, ele deixou algumas lágrimas caírem. De repente, de maneira violenta, ele se arrastou rapidamente para trás, tirando o braço do filho de seu corpo. O barulho era nojento e molhado, sangue escorria sem parar pelo buraco que havia se formado no estômago do homem. Seus órgãos pareciam estar desintegrados, caindo na frente do corpo do homem.

O braço ensanguentado de Kirishima, voltou automaticamente para encostar no peito do mesmo, sendo apertado com força pela outra mão livre do ômega, sujando ainda mais o orbe do ruivo.

Crimsom não conseguia se manter em pé, caindo sobre seus joelhos. Com um sorriso, ele proferiu sua últimas palavras.

- Eu te amo meu filho… você é… meu orgulho… tenha certeza de que… eu e sua mãe… estaremos sempre com você...

Com um engasgo, ele tossiu um bocado de sangue, sujando o chão e o seu orbe. Finalmente, com os olhos opacos e sem vida, a expressão vazia e pálida. Ela caiu no chão, o baque foi barulhento, fazendo que respingasse sangue por todos os lados, sujando as botas pretas de Kirishima.

Com boca entreaberta, Kirishima nao conseguia proferir uma única palavra. Seus dedos ainda respingavam sangue. Ele estava estático, não conseguia acreditar no que estava acontecendo. Sua mãe havia morrido para lhe salvar, e ele mesmo matou o próprio pai. Aqueles que o amaram e acreditaram nele, que o deram a vida, estavam mortos na sua frente.

As pernas do ômega cederam, caindo no chão encharcado de sangue. Colocando as mãos ao redor da cabeça, ele chorava. Sua feições delicadas eram substituídas por expressões distorcidas pelo choro e pela dor. E com uma recusa de si mesmo, ele gritou alto e em bom som.

O grito era doloroso de se ouvir, as lágrimas desciam sem previsão de término.

Enquanto ainda se lamentava, Kirishima ouviu um estalo. Em seguida, ele ouviu o que parecia um batida de mãos. E olhando para a direção do som, ele viu All For One batendo as palmas das mãos, uma contra a outra, com um sorriso macabro no rosto.

Olhando para o lado, Kirishima percebeu que sua avó estava do lado dele. De frente a Shigaraki, ela tinha um expressão calma, mas seus olhos expressavam um grande pavor. A mão do Shigaraki estava segurando o pescoço da mesma, com apenas quatro dedos. Enquanto ameaçava colocar o quinto a cada momento, Shigaraki sorria psicótico, com um pequeno ferimento feito em sua bochecha, causado pela onda de choque que o lançou numa parede.

- Vovó… Por favor não…

Kirishima tentou se levantar. All For One levantou a mão, impedindo-o de se levantar, ao mesmo tempo que Shigaraki ameaçou tocar o quinto dedo na vó de Kirishima. Eijirou parou de repente, se abaixando novamente, com lágrimas nos olhos.

Ao mesmo tempo, uma pessoa entrou, com uma expressão fria e alheia a tudo que estava acontecendo, ele se colocou ao lado de All For One.

- O que está acontecendo aqui? Eri não consegue dormir com todo esse barulho.- disse para o grande alfa, olhando para Kirishima com o canto dos olhos dourados.

- Meu caro Ovehaul, este é Kirishima Eijirou, o Red Riot, aquele desgraçado que destruiu meu exército.- o Huno ergueu as duas grandes mãos para Kirishima.

- Então é ele.- Chizaki arregalou os olhos de leve, logo vendo a grande quantidade de sangue no recinto, e os dois corpos jogados no chão ao lado do ruivo.- Que bagunça é essa? Quem são essas pessoas.

- Os pais dele. Ele mesmo os matou, hahahahah!- Toga respondeu, dando uma gargalhada alta.- Foi tão divertido! Devia ter visto. Hahaha!

- Uhn…

Com um resmungo, Ovehaul caminhou calmamente até Kirishima, suas vertes longas e chiques se arrastavam no chão a cada passo. Com delicadeza, ele levantou as bordas do orbe de cor preta, caminhando pela poça de sangue. Chegando perto do ômega, ele enrolou a manga do orbe, tocando nos cabelos ruivos do ômega com delicadeza.

- Pobre criança. Um ômega tão belo e frágil como você não deveria estar passando por todo esse sofrimento.

Kirishima ergueu a cabeça com o toque delicado do alfa. Ódio invadiu os olhos do ômega. Com os olhos sérios, o rosto do alfa se aproximou do rosto do ômega. As juntas de Kirishima estalaram, ele não podia reagir, sua avó ainda estava sendo refém.

De repente, um estrondo foi ouvido. A porta havia sido explodida. Todos tamparam os olhos por conta da grande fumaça. Os olhos vermelhos de Kirishima brilharam.

- Você aí! Se afasta do meu Ômega!

Bakugou veio andando pela porta, com um sorriso sádico em seu rosto. Apontando um dedo para Ovehaul. Andando com passos pesados e rápidos, ele abriu a mão, revelando a porção de suor nela. Se ele quisesse poderia explodir a todos ali.

Com a explosão da porta, Shigaraki e a avó de Kirishima haviam sido arremessados pro outro lado do recinto. Felizmente, Lida pegou a frágil senhora antes que ela caíssem no chão. 

- Kirishima! Sai de perto dele, seu verme!- Mina gritou

Ovehaul se afastou de Kirishima com cuidado. Com certa demora, ele ameaçou tirar uma de suas luvas. Como se prevesse a ameaça, Bakugou ergueu a mão na altura do rosto, jogando-a na direção de Chizaki, causando uma grande explosão. Chizaki foi lançado longe, de encontro a uma parede. 

Todos os outros ficaram alertas para com os hunos, formando um tipo de círculo, protegendo uns aos outros. Kirishima se levantou com dificuldade. Bakugou o ajudou, o segurando com seus fortes braços. Mesmo estando feliz em ver Bakugou, seus olhos ainda estavam vazios. Ele olhou para os corpos de seus pais, e percebeu algo que quebrou seu coração em mil pedaços. 

A mão esquerda de seu pai segurava fortemente a mão direita de sua mãe. Quando Kirishima estava sob o controle de Chizaki, Crimsom Riot se arrastou com uma força quase inexistente até Naomi. Eles se amavam muito, e a prova desse amor era o lindo filho que tiveram. Eles viveram a maior parte de suas vidas juntos, e sem dúvidas, iriam morrer juntos.

Quando não havia mais lágrimas para derramar. Kirishima apertou seus punhos. Em seu rosto e em seu orbe, nenhum pingo de sangue era seu.

Bakugou percebeu a dor nos olhos do seu ômega. Olhando para os corpos no chão, ele não conseguiu não perguntar.

- Quem eram?

- Meus pais…

Em sua voz, nenhuma emoção podia ser sentida. Kirishima os olhava com dificuldade, de vez em quando, olhava para o chão ensanguentado. Bakugou recuou dois passos, eram seus futuros sogros, e ele não teve nem a chance de conhecê-los. 

Ao perceber que a dor de Kirishima era por causa de seus pais, ele tentou se aproximar, querendo pegar na mão do ruivo pra apoiá-lo. Mina tampava a boca com as mangas do orbe avermelhado, com lágrimas de escorrendo por seu rosto delicado. Tetsu segurou a mão de Monoma com força, enquanto olhava com o canto dos olhos para Kirishima, sentindo uma grande tristeza. Os outros ainda estavam em posição de defesa, mas seus corações estavam sensibilizados pela dor de seu amigo.

Quando Bakugou estava quase pegando a mão de Eijirou, as juntas do ômega estalaram, assim como um rosnado saiu da sua boca. Com uma virada brusca, Kirishima bateu na mão do alfa explosivo. Sentido uma forte ardência, a mão de Katsuki recuou.

Kirishima andou pra fora do círculo, olhando diretamente pra All For One, e com um sorriso sádico, Kirishima levou as mãos para o rosto. De alguma forma, ele massageava o rosto, fazendo uma careta macabra enquanto sorria.

- Eu nunca odiei ninguém como te odeio agora! Hahaha! A minha vontade era de partir você ao meio, puxar todos os seus órgãos pra fora. Vê você se contorcer de dor, arrancar seu coração e o esmagar. Assim, você saberia como me sinto. Hahahahaha! Sabe o que é engraçado? Hahaha! O engraçado é que eu posso fazer isso! Hihehahaaha!!

O sangue de suas mãos havia secado, assim como o sangue de seu rosto. Ele andava lentamente até All For One.

Porém, os subordinados dele estavam na sua frente, dispostos a proteger seu mestre a qualquer custo. Momo estava junto a Uraraka, com a mesma desmaiada num canto.

Bakugou, Mina, Tetsu e ou outros estavam estáticos, nunca haviam visto Kirishima tão psicótico e sem controle.

- Bakugou! Você tem que ajudá-lo! Podem matá-lo!- Mina gritou, com medo de algo acontecer com seu protegido.

Kirishima saltou, acertando Twice na barriga, o lançando numa parede. Sem nenhum sorriso, Toga se lançou contra ele com um punhal. Kirishima agarrou o pulso dela sem dificuldade, mas Himiko não deixou barato, dando um chute bem no meio da barriga do ruivo, fazendo com que ele a soltasse. Dando um salto pra trás, ela fez com que Kirishima olhasse para ela, não prestando atenção em quem chegaria por debaixo dela. Assim que Kirishima olhou pra baixo, foi atingindo por uma rajada de fogo. Protegendo seu corpo com o endurecimento, Kirishima parecia poder "segurar" o fogo, assim, com a mão na frente do rosto, ele redirecionou o fogo para uma parede. Correndo até o alfa, Kirishima deu um soco em seu rosto, fazendo com que girasse pelo ar, caindo no chão.

- Ajudar? Ajudar quem?- Bakugou o olhava com admiração, e até com o pouco de medo.

Com a queda de Dabi ao chão, o alfa bicolor se mexeu, ele queria poder protegê-lo, mais se segurou.

Enquanto isso, Kirishima lutava contra Shigaraki, desviando dos ataques do ômega de cabelos brancos. Com as duas mãos, Kirishima segurou firmemente no pulso de Shigaraki, rodando-o com força, o lançando para o outro lado do salão. Com dificuldade, Shigaraki pousou, fazendo um rastro de destruição no chão do salão. 

Enquanto andava lentamente até Shigaraki, ele sentiu uma sensação estranha em seu coração, virando-se e olhando em direção a sua avó. A senhora de rosto enrrugado e bom, olhava diretamente pra ele com seus olhos castanhos, mas tinha um detalhe. Os seus olhos estavam arregalados e um filete de sangue cruzava a boca rachada de sua avó, escorrendo pelo queixo enrrugado, pingando no chão. Em seu peito, havia uma ponta de espada, coberta de sangue. Os olhos da senhora se tornaram opacos rapidamente, enquanto deu um belo sorriso, dizendo as últimas palavras para seu único e querido neto.

- Sempre estarei… protegendo você…

O vento balançou seus longos cabelos grisalhos, fechando os olhos com delicadeza e dando um último suspiro, ela caiu ao chão. Atrás dela, All For One retirou sua espada das costas do cadáver. Vendo o sangue na espada, como se fosse uma criança com um chocolate na mão, ele lambeu o sangue da espada, dando um sorriso para Kirishima.

- Você teve uma boa vida, Senhora. Vá descansar com seus ancestrais.

Kirishima ainda olhava sem acreditar. Bakugou e os outros não conseguiam fazer nada. Nenhum deles haviam visto All For One se aproximar, ele só tinham visto quando viram Kirishima parar e olhar para a direção dele. Com o coração cheio de culpa, Tetsu soltou a mão de Monoma, correndo até All For One.

- Tetsu!!!- Monoma gritou 

Tetsu saltou para atacar o grande inimigo, mais foi parado por Toga, que tentou feri-lo, mas não contava que, a individualidade de Tetsu era muito parecida com a de Kirishima. Com os olhos fixos na ômega loira. Tetsu não só transformou seu braço em aço, e sim, todo o seu corpo.

- Você é tão bonito! Gostei de você!- Toga corou levemente, enquanto apontava o punhal para ele.

- Seu estilo de gostar é bem diferente do normal.- Com um sorriso sarcástico, Tetsu falou.- Mas infelizmente pra você, esse alfa lindo aqui já tem dono.- Disse olhando para Monoma, que corou.- E mais! Não vai ser você que vai nos impedir de acabar com aquele desgraçado.- E partiu pra cima dela.

Com Kirishima, ele não estava nada bem, ele havia perdido toda a sua família. Todos os que ele amava, estavam mortos. Ele havia caído no chão, sem forças. Seus olhos não conseguiam derramar lágrimas. Ele só queria morrer. Nada mais importava pra ele. Ele não conseguia "enxergar" Bakugou e seus amigos em meio daquela escuridão em que seu coração se encontrava. Porém, ele sentiu um brilho ofuscando seus olhos, quando olhou para os lados, tudo havia sumido, tudo que havia era uma imensidão branca. Seu orbe estava branco como neve, suas mãos estavam limpas, sem qualquer rastro de sangue. Seus cabelos estavam soltos e em seus pés, botas brancas com detalhes dourados.

Quando olhou para frente, ele quase sentiu a sua alma sair do seu corpo. Havia um dragão vermelho gigante na sua a frente, o olhando com os olhos escarlartes. Com o grande pavor, Kirishima se ajoelhou e se inclinou ao chão em forma de respeito.

Ele pensou estar sonhando. Mas ao se beliscar de leve, ele percebeu que não. Ele achou que estava louco, mas ouviu uma risada grossa e dominante. Levantando a cabeça com cuidado, ele viu que o dragão estava na frente dele, porém com uma forma humana. Olhando com um pouco de dificuldade por conta da luz, ele percebeu que ele não estava vendo uma pessoa diferente e sim, o próprio reflexo. O "dragão" com um sorriso largo e pontiagudo, colocou a mão no peito de Kirishima, bem no coração.

Assim, Kirishima abriu os olhos, ele estava de volta para o salão. Ele sentiu uma grande força em si. Ele já sabia o que deveria fazer.

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...