História Kiss it Better - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bleach
Personagens Aizen Sousuke, Personagens Originais, Rangiku Matsumoto, Retsu Unohana, Shihouin Yoruichi, Toushirou Hitsugaya, Urahara Kisuke
Tags Bleach, Novela, Romance, Urahara, Yoruichi
Visualizações 64
Palavras 4.385
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá leitores ❤ desta vez o capítulo saiu maior do que eu esperava, então tive que dividi - lo em duas partes! Boa leitrura 😘

Capítulo 15 - Voltando ao início de tudo!


Fanfic / Fanfiction Kiss it Better - Capítulo 15 - Voltando ao início de tudo!

O que está em seu colo será Satoshi e esse aqui – Ela olha para o pequeno com ternura em seu colo.– Ele vai se chamar Kazuki . – Sorri suspirando orgulhosa e emocionada.

- São belos nomes, ótima escolha princesa. – Ele diz se sentando na beira da cama ao seu lado, acaricia o rostinho de Kazuki que devolve no mesmo momento um risinho fofo para ele que se encanta com tanta fofura.

- Olha! ele sorriu pra você meu filho. – A mais velha se aproximou mais do homem e acariciou a face do bebê.

- Ah não! eu também quero segurar, mamãe! Só vocês que podem segurar, poxa? – Rangiku fala manhosa e cruzando os braços um pouco indignada.

- Mas é claro que pode, aliás ruiva você deve segurar, né?! São seus futuros afilhados. – Ela fala sarcástica e ri depois – Venha se aproxime mais! – E assim a ruiva se aproxima e se senta na cama também pegando primeiro Satoshi que fica em seu braço direito e depois Kazuki é colocado em seu braço esquerdo com muito cuidado.

- Nossa, que Kawaiis eles são! – Fala olhando para eles em seu colo – Eles tem os cabelos tão dourados, olha só essas bochechinhas tão coradinhas dá vontade de apertar elas!!! E esses olhos são tão iguais aos seus amiga! – Fala quase que babando de tão maravilhada com os dois.

- Pelo jeito você vai ser uma madrinha coruja mesmo, ein? Mal nasceram e já está assim imagina quando eles começarem falar então. – Ri baixinho.

- Não tem como não ser, eles são tão fofos. – Ela sorri para um menino em seu colo e este pega nas pontas dos fios ruivos da ruiva segurando um pouco forte – Nossa o Satoshi é tão pequeno ainda mas já tem uma força. – ambos riem enquanto Kazuki está mexendo no colar que a bela mulher carrega no pescoço e quando ele nota que esta pousa novamente seus olhos nele, a criança dá um sorriso banguelinha para a mesma.

- Pelo visto este aqui vai ser curioso quando crescer – Não pode evitar um riso baixo novamente, de repente ambos começam a esfregar os olhinhos e bocejar.

- Acho que eles já estão ficando cansados de tanto mimo gente. – Fala o loiro de modo divertido e de repente ambos começam a chorar por sentir falta do calor da mãe.

- Acho que eles estão sentindo sua falta já Yoruichi, tome pegue – os de volta. – A ruiva devolve os bebês com delicadeza a olhos dourados e estes começam a procurar algo em seu colo.

- Eles ainda estão agitados acho que além do seu calor Yoruichi eles estão querendo alimento também, olha como eles estão anciosos. – Ruiva.

- Tem razão.

- Já que é isso, todos nós agora vamos ter que sair pra deixar eles serem amamentados tranquilamente sem interrupções, isso porque a amamentação é o principal momento para que a mãe consiga estabelecer uma exata conexão com seu filho após ele sair de seu ventre, por isso sua grande importância. – Fala o loiro cuidadosamente.

- Ele está certo gente, vamos por favor. – Diz a médica obstetra da família. – Vão indo que daqui a pouco iremos também só vamos ajudar ela aqui com os bebês.

Após os habitantes da casa saírem a doutora pedi licença para a morena para abaixar as alças de sua camisola está fica corada de momento, mas cede então os gêmeos são colocados mais próximos de seus seios e assim eles os encontram e começam a sugar lentamente a região do mamilo iniciando o processo de amamentação.

- Meus seios estão doendo um pouco, isso é normal doutora? Acho que deve ser né? Deve ser por conta deles estarem usando um pouco de força pra sugar.

- Sim é normal, bom, a maioria dos bebês fazem um pouco mais de esforço na primeira mamada.

- Ufa, acho que agora eles estão um pouco mais calmos. – Sorri sentindo – se aliviada pois a dor esta começando a ser amenizada.

- Está vendo é desse jeito senhorita Yoruichi, basta ter um pouco de paciência que eles logo vão se acostumando aos poucos com a amamentação. – Fala pacientemente.

Depois de alguns minutos a mais finalmente os bebês pararam de se alimentar pois ambos já estavam satisfeitos e enfim esses adormeceram nos braços da mãe que com ajuda da enfermeira os colocou para dormirem nos berços que haviam dentro do quarto da morena, em seguida a médica indica alguns cuidados que Yoruichi deve ter com ela e seus gêmeos não idênticos e depois se despedem se retirando do local deixando apenas seus pacientes ali.

- Nossa como são tão lindos, tão pequeninos, ambos tem meus olhos, entretanto se parecem tanto com o pai de vocês – Pensa ela dando um suspiro triste lembrando do dia em que a mesma e Kisuke pensaram futuramente em se casarem e formarem uma família, nisso sem ela perceber uma lágrima brota de seus olhos e escorre pela sua face e seu coração dói com tal lembrança, esta em que ela imaginava que passaria com o loiro, ela idealizava um sonho, um sonho que parece que chegou ao fim devido as circunstâncias.

- Vocês são meu bem mais precioso e farei de tudo para que ninguém tire vocês de mim, vou protege – los sempre, durmam bem meus amores. – Fala carinhosamente acariciando a cabecinha de ambos e depois resolve tomar um banho e descansar um pouco depois de tanto esforço realizado.

...

Já era o horário do almoço e nossa princesa estava um pouco melhor depois de algumas horas de sono repostas ela acordou e foi até o berços percebendo que seus filhos não choraram nenhum pouco enquanto ela estava dormindo, e de certa forma isso foi um alívio, pois ela estava exausta e precisava de um bom descanso.

- Oii Satoshi, já está acordado também meu pequeno?! – Fala tão gentil ao olhar para ele que estava com os olhos arregalados olhando para ela curioso e dá um risinho frouxo para a mesma estendendo os bracinhos para ter colo, enquanto Kazuki ainda dormia tranquilamente.

- Ok, você venceu meu amor, vem cá. – A morena já com ele em seu colo o coloca para mamar mas desta vez este se recusa e resolve brincar com os cabelos da mãe puxando – os levemente e com um sorriso sapeca.

- Filho! – Ri – Assim você vai deixar sua mãe careca de tanto você puxar meus fios. – No momento ele olha para a morena e percebe que ela estava um pouco desconfortável e para de puxar os fios e sua atenção é voltada para um certo loiro que havia batido na porta e ouviu barulho vindo em sua direção.

- Boa tarde Yoruichi! Você já se sente melhor? Vim trazer seu almoço – Olha cuidadoso para a moça tendo em suas mãos uma bandeja contendo um prato com uma boa quantidade de arroz, frango grelhado, salada de legumes e feijão e como bebida um suco de abacaxi e põe tudo isso ao lado da cama sob o criado mudo.

- Nossa é muito gentil você vir me trazer um almoço, você é um anjo! – Da um beijo em sua bochecha como forma de agradecimento e ri baixinho.

- Faço isso porque te amo e quero muito cuidar de você e deles. – Diz docemente e dá um beijo em sua face e depois faz o mesmo no menino em seu colo para depois se afastar um pouco.

- Stefan ... eu ainda não tenho uma reposta para te dar, mas estou pensando com muito carinho sobre isso. – Ela fala um tanto rubra e sorri de canto.

- Ta eu entendo, eu jurei não te pressionar mas sabe é que ficar perto de você te amando sem poder te tocar, sentir seu aroma em minha pele, isso é um pouco difícil pra mim, mas tenha certeza que jamais lhe faltaria com respeito, entende? – O loiro olhava ela com uma expressão calma e dizia as palavras de forma tão doce.

- Entendo. – Olha para ele um pouco mais calma.

- Espere um pouco eu vou ali e já volto. – Diz misterioso dando um sorriso sacana.

- Ué? Onde você vai? – Fala curiosa sem receber uma resposta do loiro.

Minutos depois ele voltou com uma caixa de bombons na mão e um grande buquê lindo de rosas brancas e vermelhas enroladas com uma fita vermelha e nele um bilhete branco com bordas douradas.

- Uau eu juro que não esperava esse presente, não precisava disso Stefan, agora estou mais sem jeito com você. – Ri.

- Você merece isso e muito mais! E tem mais este presente aqui – Ele retira do bolso da calça um caixinha estendo para que ela a abri – se.

- O que é?

- Só vai saber se abrir – Sorri maroto.

- Que lindo, loiro. Obrigada pelas medalhinhas, são tão bonitas! – Ela olha grata as duas medalhas de ouro reparando que ambas tinham desenhos de uma estrela e dentro delas tinha o nome de cada gêmeo.

- Não há de que, e eu sabia que você iria gostar por isso as comprei com todo carinho que tenho por eles.

- Obrigada. – Grata e dá um abraço nele que fica surpreso com tal atitude e feliz retribui.

- Agora por favor coma seu almoço para repor suas energias princesa, pode deixar que eu seguro esse campeão aqui. – Fala todo bobo fazendo Yoruichi admira – lo.

- Tá bom. – Suspira levemente.

Meses depois

A cada dia a Shihouin se sentia mais feliz e realizada por ter seus filhos consigo, eles eram sua alegria, davam força para ela seguir em frente, e de quebra ela conheceu o Stefan que no início era um completo estranho pra ela, mas este aos poucos ia se tornando confiável e com o decorrer do tempo cada vez mais confiável, ela estava se sentindo tão sozinha no início depois da humilhação que o shinigami fez a ela, mas depois que esse outro cara entrou em sua vida tudo mudou também e pra melhor, ele é tão gentil, tão atencioso e ainda diz que gosta dela e de seus filhos, ela então decide dar uma resposta definitiva ao loiro.

Estava o “ casal “ em uma praça passeando em um dia de primavera com os meninos que já estavam com 1 ano de idade, ambos tomando sorvete de casquinha, até que a babá que estava com eles resolveu pegar as crianças com a permissão da morena e levou para um local mais distante deles indo até um parquinho que tinha ali perto, nisso ficando somente os dois para que Yoruichi pude – se ter mais privacidade com o loiro.

- Stefan – Chamou a atenção deste que estava sentado ao seu lado mas não tão próximo dela, num banco da praça.

- Oi – Ele olhou prestativo e esta ficou um pouco sem jeito ficando sem palavras por um momento. – Está tudo bem com você? – Ele diz preocupado ao notar esta corada e mordendo os lábios levemente e pensativa.

- Sim, estou. – Suspira tomando coragem e diz tudo de uma vez – Eu aceito. – Fala sorrindo olhando – o com certo brilho nos olhos.

Ele olha pra ela confuso inicialmente, mas depois sua expressão muda assim que ele entende o que ela quis dizer.

- Jura mesmo, Yoruichi? Tem certeza de que é isso que você quer mesmo? Eu não quero fazer você tomar uma atitude precipitada se quiser eu posso te dar mais tempo, por você eu poderia esperar uma eternidade. – Fala carinhoso colocando sua mão em cima da dela.

- Não quero fazer você esperar mais, você tem se mostrado desde o início um cara tão legal comigo, e com o tempo tem sido mais ainda, cuidou de mim todo esse tempo e do meus filhos também, eu tenho certeza que você merece todo minha consideração, todo meu carinho. – Ela chega mais perto dele segurando mais forte sua mão e entrelaçando – a à dele.

- Yoruichi nesse momento eu quero que você saiba que está me fazendo o homem mais feliz e sortudo do mundo por ter uma mulher tão perfeita como você em minha vida.

- Ah pode parar, loiro. Eu não sou perfeita. – Ri baixinho e rubra com o rosto abaixado.

- Acredite, pra mim você é. – Ele levanta seu queixo fazendo – encara – lo por um instante e resolve dar inciativa, selando seus lábios ao dela de forma gentil e esta de início fica surpresa mas depois se deixa levar pelos lábios doces e quentes do loiro, seu hálito de hortelã, logo ele aprofunda mais o beijo pedindo passagem com sua língua e a olhos dourados cede com tanto calor que ela estava sentindo percorrer em seu corpo todo, depois ambos param o beijo devido a falta de ar e ficam com as testas coladas uma na outra ofegantes.

- Eu te amo Yoruichi, sei que ainda não me ama tanto como eu quero pois sei que ele ainda deve estar em seu coração e pensamentos.

- Stefan por favor... eu não ... – Ela é interrompida.

- Não se desespere, ta? O que importa agora é que você resolveu me dar a chance que eu tanto queria, eu sei que com paciência e amor eu vou fazer você me amar como eu te amo. – Sorri pra ela maroto e dá um beijo confortante em sua testa.

- Você é tão lindo. – Diz carinhosa.

- Agora acho que podemos oficializar nosso compromisso. – Fala brincalhão e se ajoelha perante a morena que fica boquiaberta com tal atitude ele pega sua mão e faz o pedido.

- Quer ser minha namorada senhorita, Yoruichi Shihouin?

- Ai que vergonha, mas claro que aceito seu bobo. – E assim ele se levanta e pega esta em seu colo todos da praça olham curiosos para o atual casal.

- Estão vendo essa mulher aqui? Ela aceitou meu pedido de namoro! – Todos então ficam felizes e batem palmas e assobiam quando o casal novamente se beija mas dessa vez de forma bem mais suave.

- Hun hun . – A babá pigarreia, ela estava parada com as crianças ao lado dela e olhavam um pouco rubros com tal situação e ambos param o beijo e encaram – na, logo o loiro percebe que Yoruichi queria estar de volta no chão então este o faz.

- Desculpe incomoda – los senhores, mas é que já está quase na hora dos meninos tomarem a vitamina deles e dormirem pra festa da senhora Harris mais tarde.

- Nossa a hora passou tão rápido Stefan, nem percebemos, né? Temos que descansar pra festa ainda. – Ri

- Hum. Também acho. Cindy quero lhe informar que Yoruichi e eu agora estamos namorando. – Sorri de canto e de mãos dadas com ela.

- Que bom senhor, meus parabéns ao casal. – Fala gentilmente.

- Viu meus amores, agora eu sou o namorado da mãe de vocês. – Ele disse soltando a mão dela e vai pegando ambos no colo e dando um beijo na bochecha de cada um que batiam palminhas com um sorriso tão alegre que contagiavam a qualquer pessoa que os observavam.

- Acho que eles gostaram de saber disso amor. – Fala animado para a morena.

- Estou vendo. – Sorri de canto.

Seis meses se passaram e o casal estava mais próximo do que nunca, era de manhã e ambos finalmente acordaram no quarto do loiro, isso depois de uma noite de paixão, onde trocaram carícias leves e quentes ao mesmo tempo, olhares desejosos, beijos leves e fervorosos. A morena acordou e ficou pensativa se aquilo que ela fez mesmo foi certo, ela sentia um certo peso na consciência depois de tudo que esta deixou rolar noite passada, mas lembrou – se por um instante das palavras duras de Urahara e pensou que de uma vez por todas essa seria uma última vez em que ele estaria em seus pensamentos, porque ela estava determinada a esquece – lo e quando esta olhou para o espelho em que estava se penteando um certo loiro aparece e lhe dá um beijo em seu pescoço fazendo – a arfar levemente.

- Bom dia amor, dormiu bem? – Ele diz com uma certa malícia nos lábios coisa que ele nunca tinha demonstrado antes.

- Stefan! – Diz rubra

- O que tem demais? O que eu quero dizer com isso é que ontem foi maravilhoso, gostei muito e eu te amo.– Ele dá um selinho em seus lábios e esta ri baixinho alisando o abdômen perfeito do homem parecido que foi esculpido no mármore de tão durinho que é. (N/A : Pensem em um abdômen trincado aiai XD , tá parei ).

“ Nossa que perfeição '' – Pensou ela mordendo um pouco os lábios de forma discreta para que Stefan divo não percebe – se pois quando eles dormiram juntos o lugar estava um pouco escuro, onde só havia um abajur aceso.

- Vamos tomar café? – Indagou animado.

- Vamos. – Sorri suspirando.

Em Sereitey

- Oi Aizen o que foi que você está com essa cara? – Questionou Urahara vendo que o amigo estava entediado e parece chateado com alguma coisa.

- Eu sinto falta da Rangiku ela tem feito muitas viagens pro mundo dos humanos, eu sei que temos muitas missões por aí, mas, sei lá, eu às vezes fico pensando que ela possa estar me escondendo alguma coisa. – Bufa chateado olhando para o amigo de longa data.

- Cara eu nem sei o que te falar direito, mas confesso que essas idas ao mundo dos vivos possa ser que ela esteja interessada em outra pessoa.

- Não! É claro que não! Pare de dizer besteiras Kisuke, tenho certeza que ela me ama! – Ele bateu com as mãos em cima da mesa alterado.

- Só digo por experiência própria pois você sabe muito bem o que me aconteceu quando eu... – Ele é imediatamente interrompido pelo moreno alto que se segurava pra não dar na cara do loiro que cuspia tais palavras sem se importar com o que ele sentia

- Cale logo essa boca, Kisuke! Eu confio em minha Rangiku e tenho certeza que ela não me trairia com algum outro cara, ela deve estar agindo alguma outra coisa que eu ainda não sei o que é, mas sei que logo vou acabar descobrindo, e outra, até hoje ainda não engulo essa de você achar que a Yoruichi te traiu com o Kazami, ela pra mim sempre foi fiel a você. – Diz sério.

- Eu vou pedir que por respeito a nossa amizade, nunca mais diga esse nome na minha frente, se você ainda quiser ser meu amigo nunca mais fale dela pra mim, entendeu?! – Ele falou com olhar frio mas bem no fundo seu coração ainda batia por ela. – E além de que, eu estou comprometido com a Kagura agora. - Sorri forçado.

- Tudo bem. Espero que você seja feliz com essa nova Tenente pois ao que me parece ela gosta mesmo de você. – Fala certo no que dizia.

- Sim, essa ao menos me valoriza do jeito que sou. Eu sei que ela nunca me trocaria por qualquer um. – Diz cuspindo as palavras de tal forma pra Aizen entender o recado.

- Se você diz, então tá. – Fala vencido.

Mundo dos vivos

- Parece que minha amiga está bem feliz hoje, Não vai me contar o motivo desse sorriso bobo, mulher? – Fala cutucando a olhos dourados no ombro com um olhar questionador.

- Eu vou contar sim, ontem depois que voltamos do jantar no restaurante voltamos pra casa, me deixei levar e ele também e você sabe o resto... – Cora

- Uau, não acredito que vocês transaram! – Ela disse alto.

- Xiuuuu, Rangiku! Por favor não grite isso aos quatro ventos, por favor, fale mais baixo, os meninos estão dormindo! – Ela repudia a ruiva que colocou a mão na boca abafando o riso.

- Ok ok. – Ela suspira e se recompõe – Mas eaí, foi bom? Ele foi gentil? – Indagou curiosa.

- Simm foi bom demais Ran. Ele foi gentil mas ao mesmo tempo tão intenso. – Suspira se sentindo nas nuvens.

- Óoo que ótimo, né?! Eu torço pra que você consiga amar ele e esquecer de uma vez por todas o Kis... – Ela interrompe a amiga.

- Desse daí não quero mais saber, estou decidida mesmo em seguir em frente e esquecer esse cara de vez! Nunca mais quero saber dele! E meus filhos jamais vão saber que esse sujeito é pai deles.

- Bom quanto à isso Yoruichi eu temo que um dia ele possa acabar descobrindo. – Diz preocupada.

- Por que diz isso? O que você sabe, Ran? Ele já sabe de tudo? – Diz preocupada.

- Calma amiga! Ele não sabe de nada, o único problema é que o Aizen ultimamente tem me perguntado o que estou fazendo tanto aqui no mundo humano que quase tenho ficado mais aqui do que lá em Sereitey ultimamente. – Diz mordendo os lábios levemente aflita.

- E o que você tem dito, já que essa missão de achar uma planta medicinal com alto poder milagroso não funciona mais?

- Bem eu falo que venho pra exterminar uns Hollows tão perigosos que tem invadido a terra e outras coisas aí. – Suspira cansada.

- Entendi, mas sabe o que acho de verdade? Acho que você deveria parar de vir pra cá de tempos em tempos ruiva.

- Você está me expulsando? – Diz ofendida com os olhos tristes e fazendo bico com os lábios.

- Haha, é claro que não sua boba. – Ri baixinho – É que eu não quero que você e Aizen acabem brigando por minha causa! E outra coisa, eu não quero que ele acabe juntando as peças desse quebra cabeça e descobrindo sobre meus filhos que são seus afilhados, ele com toda certeza acabaria dando com a língua nos dentes e de jeito nenhum quero o amigo dele na vida dos meus filhos. – Fala séria dessa vez.

- Está bem irmã. Depois que eu partir eu não voltarei mais aqui, mas olha cumpra com o que prometeu ao rei e a mim também, você disse que ia ficar só dois anos aqui, lembra? – Fala apontado um dedo intimidando a amiga a voltar.

- Lembro sim, tenha calma, não precisa me intimidar assim. – Ri – Assim que tudo estiver certo aqui eu volto daqui a seis meses,ok?

- Ta ok. – E ambas se abraçam.

Enquanto isso no escritório da família...

- Filho, posso entrar? – A mais velha indaga batendo na porta que estava aberta.

- Olá, claro mãe, o que quer?

- Eu preciso contar uma coisa pra você meu filho. – Fala séria.

- Pelo visto é algo muito sério, suponho?

- Sim.

- Diga.

- Stefan você sabe que eu sou uma grande amiga do Senhor Yamato, ele como você sabe é um shinigami assim como Yoruichi, certo?

- Sei disso, mas o que isso tem haver?

- Sou uma shinigami.

O loiro mal acredita no que ouviu, sua mente parece ter entrado em transe fazendo ele ficar estatístico boquiaberto sem dizer uma palavra se quer.

- Stefan? Filho você está bem? – Toca no ombro do rapaz o encarando preocupada.

- Mãe. Eu nunca pensei que a senhora fosse...

- Sim eu sou uma shinigami.

- E meu pai?

- Ele também era, nós víamos espíritos de todo tipo inclusive Hollows – Declara euforica.

- Sendo assim tudo faz sentido agora... – Ele fica pensativo.

- Como assim, Stefan?

- Desde pequeno eu vejo coisas estranhas, eu achava que isso era somente coisa da minha imaginação, até achei que eu poderia estar surtando ou algo assim, fiquei com medo de te contar por todo esse tempo, porque eu não queria te preocupar com isso. – Suspira. – Sendo assim eu sou um shinigami, sem sombra de dúvida. – Fala surpreso.

- Você está certo, meu herdeiro. – Sorri.

- Só que agora você precisa contar tudo pra Yoruichi, por mais que eu não queira que você oficialize isso.

- Ué, porque?

- Eu não quero que você se machuque, meu filho! Ser um shinigami lá em Sereitey é muito mais perigoso do que aqui. – Diz com lágrimas nos olhos.

- Mãe me responda... como o meu pai morreu?

A mais velha hesita por um momento mas toma coragem pra contar a verdade.

- Quando você era pequeno eu disse que seu pai morreu em um acidente de avião, mas ele na verdade morreu em batalha com um Hollow com poderes muito fortes. - Lamenta

- Sinto muito mãe por eu ter lhe trago lembranças ruins. – Ele abraça a mulher e esta retribui.

- Tudo bem meu filho, está tudo bem. – Ela o encara em seguida.

- Vou contar tudo pra sua nora, eu imagino que ela vai tomar um susto. – Ri.

...

- O quê??? Você um Shinigami???

- Sim Yoruichi, é isso mesmo que você ouviu. – Fala simplesmente

- Por essa eu não esperava loiro, mas se você é um shinigami... porque eu nunca percebi isso? – Fala pasma.

- Eu posso te dizer o por quê. – Fala a senhora chegando na porta do quarto do filho que estava aberta.

- Eu fiz um selo de proteção para que a energia espiritual dele se iguala – se a de um humano.

- Então é por isso que eu nunca percebi algo diferente nele.

- Então se é assim, o seu filho não teve nenhum treino pra controlar sua energia espiritual, né? – Curiosa fala.

- Não, eu temo que agora que ele está adulto sua energia voltará aos poucos se tornando mais perceptível e esse selo só pode ser feito uma vez, e me disseram que se eu fizesse esse selo novamente isso poderia ser muito perigoso – Bufa angustiada.

- Então não vejo outra alternativa a não ser que ele vá comigo para o Sereitey para treina – lo pois agora é a única opção. – Fala preocupada

- Mas eu tenho muito medo de que algo de ruim aconteça com ele e se...

- Mãe eu preciso fazer isso! Eu tenho uma vida aqui, mas na verdade quero muito conhecer minhas origens, agora eu estou com a Yoruichi e já que ela vai reinar por lá eu quero estar onde ela estiver.

- Filho. – Acaricia a face dele e segura sua mão. – Já que você quer ir lá... eu também vou! – Fala determinada.

- Mas mãe e a nossa casa? Nossa empresa quem vai administrar pelo tempo em que a senhora estiver fora?

- Quanto à isso não se preocupe, pedirei pra minha melhor amiga Elyz cuidar de tudo por aqui.


Notas Finais


Nomes : Satoshi = Inteligente; Kazuki = esperança harmoniosa. Pesquisei vários nomes e me decidi por estes que na minha opinião são lindos!😍❤ Curtiram? Kkkk até mais e bjos 😘👌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...