1. Spirit Fanfics >
  2. Kisses and Blood >
  3. Algo deixado para trás

História Kisses and Blood - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Quando eu postei o primeiro capítulo, eu disse "não vão ser muitos capítulos, mas os capítulos serão longos".

Quando eu comecei a escrever, estava pensando em uns 12 capítulos.
Mds

Mas enfim, espero que gostem!

Capítulo 10 - Algo deixado para trás


Fanfic / Fanfiction Kisses and Blood - Capítulo 10 - Algo deixado para trás

Dá tempo, sim...

Mas eu não tenho para onde fugir agora.


Na verdade, tem um lugar onde eu posso ir. Mas quando eu já estiver lá, eu não saberei o que fazer.

Mas eu preciso tentar.
Antes que seja tarde demais.

Antes que pudéssemos colocar as alianças, eu suspendi o meu vestido, para não atrapalhar meus passos e corri. Corri muito. Corri até o cemitério, na esperança de encontrar o Ewan novamente. Mesmo sabendo que seria impossível, pois neste momento, eu sabia que ele estava longe.

Obviamente, quando cheguei ao cemitério ele não estava lá. Então, esperei anoitecer; talvez eu pudesse pedir ajuda para algum ghoul que passasse.

Algumas horas se passaram, ninguém veio me procurar no cemitério. Então eu ainda estava lá, sentada, esperando que algum ghoul chegasse.

ーNão era você, que estava com o Ewan naquele dia?

Disse alguém, se aproximando. Era uma voz feminina. Eu conhecia aquela voz de algum lugar, mas não conseguia me lembrar de quem era.

Olhei para trás e era Ella.

ーSim, sou eu.

ーE por que você está aqui? Está tarde. É perigoso. ーDisse Ella, sorrindo estranhamente.ーE por que está vestida assim?

ーAh...Eu só estava fugindo do meu casamento. Eu vim aqui para ver se encontro ----

ーO Ewan?

Me interrompeu.

ーSim...

ーO que você tem com ele?

ーHm? Nada. Só achei que ele pudesse me ajudar...Mas é bobeira minha, eu já sabia que ele não estaria aqui.

ーNa verdade, eu o vi passando por aqui hoje.

Ela disse, pensativa.

ーSério?

ーSim. Mas por que não está com ele?

ーAh, é que...

Eu não pude terminar minha fala, pois ouvi o portão se abrir repentinamente.

Olhei para o mesmo, que já estava fechado. Não havia ninguém.

Um forte vento passou, fazendo Ella cair à alguns metros de distância, como se tivesse sido empurrada.

Mas não havia ninguém.

Por algum motivo, Ella me olhou raivosa. Como se EU a tivesse empurrado.

Ela correu, e logo eu a perdi de vista.

"Isto foi realmente estranho, talvez eu devesse sair daqui e enfrentar meus problemas."

Eu estava prestes a me levantar, quando o portão abriu mais uma vez. Era meu pai, que estava acompanhado de mais alguns homens, incluindo Adelart.

Eu não sabia o que fazer e nem para onde ir. Mas sabia que seria punida se eles me vissem. O que eu poderia fazer agora?

O olhar de meu pai se direcionou à mim. Meu rosto pálido e confuso mostrava medo. Logo eu ouço um "Ali está ela!" Vindo de meu pai. Eu estava perdida.

...

De repente, senti meus pés saindo do chão, alguém estava me carregando.
Foi tudo muito rápido, por conta da velocidade, senti uma leve tontura, mas quando abri meus olhos, eu não estava mais naquele cemitério.
Eu não entendia nada do que acabara de acontecer, mas quando olhei para cima, vi o rosto da minha salvação. Ewan. Ele havia chegado na hora certa. Mas como ele sabia que eu estaria lá? Como ele soube que haviam pessoas me procurando? E por que ele empurrou a Ella daquele jeito?
Como sempre, ele me deixou com várias perguntas em mente. Mas eu teria de me segurar, pois eu estava sem forças para dizer mesmo que uma só palavra.

Passado alguns minutos, Ewan parou na entrada de uma casa simples e pequena, que ficava isolada da cidade. Não havia nada além de árvores ao redor.

ーOnde estamos?

Perguntei. Ainda em seus braços.

ーMinha intenção era te levar de volta para a casa do Daisuke, mas acho que nós temos muito o que conversar.

Ele tinha razão. Haviam muitas coisas que deveriam ser esclarecidas, e na casa do Daisuke não teríamos a privacidade que precisávamos.

Pedi para que ele me soltasse. Entramos na casa e nos sentamos na cozinha, onde haviam cadeiras. A casa estava com poucos móveis, parecia ser abandonada. A julgar pela quantidade de poeira e teias, ninguém vinha aqui há bastante tempo.
Parecia ser um bom lugar para conversar.

ーAntes de dizer qualquer coisa...eu queria me...desculpar, por não ter te dito nada sobre os riscos da ressurreição.

Ele disse, envergonhado. Parece que ele se sente constrangido em pedir desculpas.
É fofo. Mas apenas pedir desculpas não vai mudar nada.

ーEu não disse nada, porque...Como ela foi morta por assassinato, ela viria como Espírito vingativo. Então depois que ela matasse quem matou ela, sua irmã seria humana de novo. Por isso eu achei que não tivesse necessidade de te contar.

Ele completou.

ーEssa é uma boa desculpa, mas não é o suficiente.

Ele abaixou a cabeça.

ーEntão, acho que você não terá mais motivos para me ajudar, já que descobriu sobre os riscos.

ーEu não desisti da minha irmã.ーEle me olhou fixamente.ーNão importa como ela vier, seja como Espírito vingativo ou como qualquer outra coisa. Eu quero ela de volta, não importa como!

Ewan sorriu.

ーEntão...Ainda vai me ajudar?

ーVou. E sobre aquela coisa de virar vampiro, eu descobri uma coisa.

ーO que?

Ele perguntou, interessado.

ーÉ algo sobre "o despertar das habilidades", "ativação espontânea", algo assim.

ーOnde você viu isso?

ーEm um livro que a Azumi me deu...

Acabei de perceber que eu cometi o pior erro da minha vida! O Livro que a Azumi me deu...Está em cima da minha cama.

ーEwan, eu preciso voltar agora!

ーO quê?! Por quê?!

ーEu esqueci o livro!

ーEsse livro é sobre o que?!

ーEle fala sobre todos os tipos de criaturas, formas de matá-las, onde habitam...Literalmente tudo! Se alguém achar o livro, nós estaremos ferrados! Tenho que voltar o mais rápido possível.

Levantei da cadeira e fui correndo até a porta, Ewan foi atrás de mim.

ーEu vou com você, não sabemos o que te espera quando chegar lá.

Ele se ofereceu, obviamente eu aceitei. Seria praticamente impossível conseguir sozinha.

Ele me carregou novamente, mas desta vez em suas costas. Vampiros correm bem mais rápido que humanos, então essa foi a melhor opção (mesmo sendo muito constrangedor).

Em torno de cinco minutos, chegamos na cidade, mas ainda estávamos longe da minha casa, antes que alguém nos visse, desci das costas dele e começamos a caminhar, não vimos nenhum conhecido pelo caminho, então foi fácil chegar.

Fácil demais...




Continua...


Notas Finais


Upa upa pocotó


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...