História Kissing Booth; (Miho) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Oh My Girl
Personagens Arin, Binnie, HyoJung, JiHo, JinE, Mimi, SeungHee, YooA
Tags Arin, Bae Yoobin, Binnie, Binrin, Choi Hyojung, Choi Yewon, Hyejin, Hyohee, Hyojung, Hyun Seunghee, Jiho, Jine, Kim Jiho, Kim Mihyun, Miho, Mihyun, Mimi, Mimi X Jiho, Oh My Girl, Seunghee, Shin Hyejin, Yewon, Yoo Shiah, Yooa, Yoobin
Visualizações 48
Palavras 2.728
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, FemmeSlash, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Literatura Feminina, Shoujo-Ai
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


finalmente consegui trazer oh my girl pro meu perfil;;;;; to tentando virar miracle, então deu nisso (mesmo que já tivesse tentando fazer ela antes disso)
eu especialmente gostei de escrever e gostei do tema <3 dei mt duro nela e eu espero que vcs gostem tanto quanto eu gostei sz


/lembro de ter falado pro meu professor de ingles q nunca usaria neither-nor ou either-or na vida. nunca vou admitir que precisei tão cedo/

Capítulo 1 - Neither Casual nor Serious Relationship


— Você só pode estar brincando comigo!

Mihyun quase gritou, e por estarmos em um local com muitas pessoas eu poderia estar com raiva dela por isso — bem, poderia, se eu não estivesse errada nessa história, de certa forma.

— Não, não estou. — Falo baixo, esperando que Mihyun acompanhe meu tom. — Eu estava precisando do dinheiro, sabia? Fora que eles estavam precisando de alguém, eu apenas uni o útil ao agradável-

— Agradável para quem, Kim Jiho, porque sinceramente, eu não estou vendo nada de agradável nessa situação.

Ela tinha os braços cruzados e só de olha-la eu sabia que tentava se manter neutra, porém não conseguia. Ela estava claramente irritada, e mesmo sem querer, eu achava isso muito fofo. Sim, eu sou problemática. 

— Eu precisava de dinheiro, eles precisavam de alguém para o trabalho, e eu estou aqui. Útil ao agradável. Pare de fingir que nunca viu essa expressão.

Cruzo os braços também ao falar a frase decorada, e uau, eu estava realmente testando a raiva de Mihyun.

— Dinheiro, Jiho? Se precisasse de dinheiro, era só falar comigo, você sabe que eu-

— Ah, claro, você sabe que eu odeio pedir coisas para você!

— Eu sei, mas... — Ela suspirou, parecendo mais desapontada que brava agora. Isso me machucou um pouco. — Chegar nesse ponto. 

— Mihyun, não é para tanto. É só uma barraca do beijo.

Okay, eu vou recapitular. Depois de meses na organização do festival de verão da escola, tinha sido decidido que teria uma barraca do beijo para arrecadar grana — e as garotas da barraca ganhariam uma pequena porcentagem. 

— Eu sei. E quantas pessoas eu vou ter que ver beijar você?

— Você não precisa ficar pra ver. — Ela semicerrou os olhos, e eu ri. Tudo parecia estar dando certo, mas agora seria o ponto chave. — Pare com isso, Mimi-ah, não vai ser beijo, beijo. Vão ser apenas selinhos. E eu nem sei porque você está tão irritada...

A verdade era que, por mais que parecesse, não, Mihyun não era minha namorada. Ela age como se fosse, mas nunca oficializou isso, coisa que sempre me deixou incomodada pois notava como as garotas da sala — cof cof, Yoo Shiah — adoravam se atirar em cima dela por esse motivo. 

Da mesma forma que Mihyun agia como se namorassemos, ela também agia como se fosse solteira, deixando-se passar por situações em que me deixavam morrendo de ciúmes — como vê-la não-negando os flertes que recebia, e sim correspondendo-os de certa forma; mesmo que ela diga que nunca corresponde —, sem poder fazer nada. Nesses momentos, ela sempre me relembrava que não tínhamos nada sério, mas eu achava incrível que em momentos como o de agora com a barraca, ela jurava que o que tínhamos era sério o suficiente para ficar irritada. Conveniente.

—Sério que você não sabe? 

Ela respirou fundo, visivelmente brava. Claro que eu sabia. Queria ouvir de seus lábios.

— Não faço idéia. Afinal, você disse para "deixarmos rolar", disse que não tinhamos nada sério...

— Jiho...

— Estou mentindo?

Mihyun suspirou, levando as mãos ao rosto. Ela tentava se manter controlada enquanto eu cravava uma luta interna em minha mente.

Desiste dessa idéia, Jiho, não está vendo o quanto sua futura namorada está irritada?

Não posso desistir! Se eu arregar agora, tudo vai continuar igual. E eu não quero que continue a mesma coisa; eu quero um relacionamento sério, e não casual

Desse jeito você só vai conseguir ficar sem nenhum dos dois: nem relacionamento sério e nem casual.

— Você prefere assim, então? 

Não, eu não prefiro. Essa é a hora que você repara que também quer algo sério e luta por mim, Mihyun!

— Uhum. — Murmuro, sentindo meu coração disparar. Meu plano estava dando errado, não era pra ser assim. Tento controlar minha respiração que ficava pesada, vendo a expressão facial de Mihyun ficando cada vez menos tensa. Nesse mesmo momento, ouviu-se o som de testes de som do microfone pelo galpão. Nisso, a voz do diretor do colégio, quase deixando os alunos surdos de tão alto que o som estava: Todos os alunos que vão participar das barracas, apresentem-se no centro do pátio. Olho para Mihyun imediatamente.

— Boa sorte com isso, então. 

Sinto um suspiro escapar de meus lábios ao vê-la dar meia volta assim que solta a frase e ir para o lado oposto do que o diretor chamara, já que ela não participaria de nada. Então é isso, ecoou em minha mente; sem relacionamento sério e nem casual. Por que estava tão surpresa? Respiro fundo, percebendo que meus olhos estavam prestes a marejar. Que tolice a minha, cogitar entrar em prantos por ser negada por alguém. Idiota.

Do ponto que estava, quase não conseguia ver Mihyun no meio das atrações que ali tinha, mas não fiquei tanto tempo procurando, pois precisava ir para o centro do pátio. Caminho até o local, chutando algumas pedras para longe e cumprimentando algumas pessoas da escola que falavam comigo. É assim mesmo, Kim Jiho. Nem sempre tudo dá certo. Nem sempre você pode ser o suficiente para alguém. As vezes, certas coisas simplesmente não eram para ser. Levo as palmas de minhas mãos ao rosto, com medo de sentir-las molharem. Eu não iria chorar. 

Nem sempre as pessoas vão gostar de você o suficiente para quererem você só para elas; para ficarem com você para sempre.

— Oi, Jiho! Está tudo bem com você? — Escuto Seunghee, uma garota de minha classe chamar. Mesmo visivelmente preocupada, ela parecia animada com a barraca de bolinhos que tanto tinha demorado pra preparar com Choi Hyojung. Sorrio para ela, mesmo com toda aquela aflição e agonia que estava sentindo mesmo sem querer estar sentindo. 

— Nada demais! Obrigado por se preocupar, Hee. Boa sorte com a barraca, eu logo passo lá para comprar uns!

— Obrigado! Nós vamos te esperar. — Disse ela, sorrindo, falando de sua namorada atrás da barraca, que acenou em seguida. 

 Nem sempre você vai ser o ponto alto de alguém como outras pessoas são para outras. E mesmo que pareça ser duro no início, temos que lembrar que tudo tem um motivo, tudo tem um propósito.

Jiho! Onde você estava? Você demorou. As filas da barraca já estão enorme, e tem mais gente na fila da Yooa já que ela esteve lá o tempo todo. — Hyejin chegou dizendo, puxando-me pelo braço. Por mais que eu estivesse fazendo aquilo para conquistar Mihyun, Jine tinha ajudado a organizar, e eu não podia deixar minha melhor amiga na mão. Quando chegamos na área da nossa barraca, não consegui conter uma careta. A fila de Shiah realmente estava maior que a minha.

Tá' bem. 

Digo simplista, fazendo Hyejin me olhar curiosa. Ultimamente, pensar em Yooa me deixava estressada, pelo simples fato de ela sempre ficar descaradamente dando em cima de Mihyun, mesmo sabendo da possibilidade de termos algo. Mas agora, tanto me fazia Yoo Shiah. O caminho dela estava livre agora.

— Babo, te aconteceu alguma coisa? — Jine provavelmente estava com os pensamentos cheios, porque ela nunca demorou tanto para perceber quando algo acontecia comigo, e bem, ela tinha demorado agora. Sorrio fraco. 

— Kim Mihyun. 

— Ah, claro, esse é o problema. — Hyejin revirou os olhos, nunca tinha gostado de Mihyun. Era mais difícil gostar de pessoas que fazem as amigas ficarem tristes, e entendo isso por experiência própria, já que Jine não sabe escolher muito bem, também. — Ela é uma idiota, saeng. Olhe ali — Ela aponta discretamente. — Yewon é a primeira da sua fila.

Lembre-se, você sempre será o ponto alto de si mesma, Jiho. E é por isso que você não deve mendigar por amor. 

Tinha cerca de 10 pessoas naquela fila. Para alguém que não saía e namorava com tantas pessoas, parecia muito estranho fazer aquilo. Tentei lembrar do que eu mesma tinha dito a Mihyun: eram só selinhos. 

— Mas eu sinto muito que o plano não tenha dado certo. — Jine acrescenta assim que não escuta resposta minha. — Eu tinha planejado que Yoobin ficaria no seu lugar se a Mihyun te impedisse... Você tem certeza que quer continuar com isso? Não acho que a Yewon ficaria incomodada de beijar Yoobinnie.

Assim que ela fala, noto Yoobin no canto do local, sentada em uma cadeira. Ela estava tão distanciada que parecia dispersa, mas ela não tirava o olhar de Choi Yewon, sua crush desde que o primeiro ano. Estava prestes a responder Jine quando escuto a voz desesperada  como sempre — de Shiah atrás de nós.

—Mimi-ah! Você aqui! Não é por nada, mas se você quiser eu te deixo em primeiro lugar na minha fila, Byulie não vai se importar, né? 

Ela pergunta, fazendo-me lembrar que Moonbyul seria a primeira de Yooa. Meu coração acelerou novamente, Mihyun estava aqui. E Mihyun ia para a fila de Yoo Shiah. Não dou meia volta para olhar, e Jine levanta as sobrancelhas. Ela tinha a visão de tudo que estava acontecendo e tinha sorte; pois eu não iria virar. Pareceria uma desesperada, assim como Yooa. Jine agora tinha os olhos semicerrados, e eu quase conseguia ouvi-la com sua voz debochada dizendo "Ah, mas é muita pouca vergonha mesmo, né..."

Eu queria fazer minha mente fugir, escapar. Na verdade, eu queria virar um avestruz, assim eu poderia enfiar minha cabeça na terra e ficar lá escondida até que tudo aquilo passasse. Como não podia, apenas fecho os olhos. 

Não, eu... — Escuto a voz de Mihyun finalmente. Ela parecia mais doce que o normal, e meu coração conseguiu ficar ainda mais acelerado e apaixonado. Sua voz ficou em silêncio, como se procurasse algo. Jine estava silenciosa também, e eu só abro os olhos ao sentir a mão que conhecia tão bem em meu ombro. Podia ser loucura, mas também senti minhas pernas vacilarem só com o pequeno toque dela. Como deixei que um ser humano me dominasse dessa forma? — Jiho? 

Hyejin tinha os olhos arregalados em minha frente, tentando me dizer com o olhar para que virasse logo. Assim que o faço, vejo Mihyun. Diferentemente de quando nos vimos a mais de meia hora atrás, ela estava com um rabo de cavalo e tinha um buquê de flores nas mãos. Tento não me adiantar, sem sucesso.

—  Eu tinha dito que não precisava ficar pra ver. — Digo, relembrando o que falara anteriormente sobre ela não precisar ver quantas pessoas eu beijaria. Ela sorri ladino, fazendo meu coração acelerar ainda mais forte. Que desgraçada.

Jiho— Ela dá ênfase, fazendo-me sorrir. — Eu não quero isso para nós. Eu... Não quero apenas algo casual com você. Não quero a possibilidade de ficar com outras pessoas, e, bem, também não quero que você fique. — Mihyun suspira ao admitir, colocando uma mecha de sua franja cabelo para trás da orelha. — Tudo que passava pela minha mente era; "Jiho está sendo tão hipócrita! Se fosse ao contrário ela não gostaria, eu tenho certeza" e nisso eu percebi o quanto eu era quem estava sendo hipócrita. Pensei na forma que eu ajo normalmente e percebi que, mesmo que eu não chegue a beijar ninguém como você faria agora, ainda sim, eu ficaria muito chateada se fosse você. Me desculpe. Não quero te chatear mais, Jiho.

Para Mihyun, eu sabia que aquilo era muito. Mesmo que não ligasse muito para o que os outros diziam, Mihyun nunca foi de expor seus sentimentos, pelo menos para mim, e muito menos em público. Ela também era do tipo teimosa, então, sinceramente, se o plano deu certo, claramente tinha dedo de Deus no meio. 

Era a cara dela também, jogar na minha cara que eu beijaria outra pessoa e ela não. Essa é mesmo a minha Mihyun.

— O que eu quero realmente é nós, Jiho. Porque eu amo você. 

Você deve apenas aceitar o amor. O amor que lhe oferecem, o amor que é recíproco.

Podia jurar que tinha escutado um grunhido de Shiah em meio de tantos suspiros românticos que as pessoas das filas deram. Coisa que me surpreendeu na verdade, jurei que todos me bateriam por visivelmente estarem na fila para nada.

As batidas do meu coração já estavam tão fortes e aceleradas que eu sabia que não conseguiria imita-las se tentasse, sentia meu rosto quente e um calor enorme por todo aquele nervoso que sentia. E como se não bastasse, Kim Mihyun ficou de joelhos em minha frente, erguendo as flores.

—Não me deixe no vácuo desse jeito, eu imploro! — Ela riu de nervoso, fazendo-me apaixonar-me mais uma vez. — Kim Jiho — Começa, ficando finalmente vermelha. Sorrio adiantadamente, sentindo meus olhos lacrimejarem pela segunda vez nessa última uma hora, porém, dessa vez por uma coisa boa. — Você aceita namorar comigo?

Se for pra ser, vai ser. E você vai saber, Jiho.

— Que pergunta mais boba, é óbvio que eu aceito! Eu te amo! Eu amo! — Digo, passando uma das mãos em meu rosto rapidamente para limpar as lagrimas e logo pego o buquê de flores, praticamente pulando em Mihyun ao abraça-la. Ela tinha o mesmo cheiro gostoso de talco que tinha sempre, fazendo-me sentir mais tranquila e protegida no mesmo instante. Era o efeito de Kim Mihyun sobre mim. — Eu não acredito que deu tudo certo! Yoobin, Yoobin! Vem aqui!

Chamo a mais baixa, ainda abraçando Mihyun. Vejo-a se levantar e caminhar até mim, com o rosto corado; percebeu que finalmente teria a chance de ter seus lábios nos de Yewon-ssi. 

—Galera, me desculpem desapontar vocês, mas era tudo um plano.  — Anuncio para as pessoas da fila, colocando o braço em volta da cintura de Mihyun com minha mão livre. O pessoal solta muxoxos, e Yewon parecia pouco surpresa. Não ousei em olhar a reação de Mihyun ao revelar o tal "plano". — Mas a minha amiga aqui, Bae Yoobin, vai ficar no meu lugar. Divirtam-se, mas não muito.

Dou uma risada nasalar, vendo todos clamarem, e uma Yoobinnie envergonhada ir atrás da barraca. Finalmente olho para Kim Mihyun, minha mais nova namorada. Ela parecia estar tão feliz quanto eu. Resisto a vontade de beijá-la e a puxo até sairmos do local das barracas, estando numa parte mais afastada. Sorrio imediatamente e beijo a mais velha, com as mãos em sua nuca e toda a felicidade do mundo me dominando, ainda mais quando sinto suas mãos em volta de minha cintura, a abraçando com força.

—Jurei que tinha te perdido. — Admito, segurando toda aquela emoção que queria explodir de dentro de mim. — E eu não queria isso, o que eu menos queria era que...

—Calma, Jiho! Está tudo bem, okay? Você nunca me perderia. — Ela diz, acariciando meu rosto e arrumando os fios do meu cabelo que insistiam em cobri-lo. Concordo com a cabeça, permitindo-me ser invadida pela paz que era estar junto a Mihyun.

A ouço sussurrar um "eu te amo", que eu retribui na mesma hora, vendo-a dar aquele sorriso tão lindo e que eu gosto tanto, segundos antes de trazer meus lábios para os seus facilmente, já que suas mãos ainda pousavam nos lados de meu rosto. O beijo foi mais calmo do que normalmente eram, e eu pude aprecia-lo melhor sabendo que não ficaria com o pensamento de "quando será que vou ter a oportunidade de fazer isso novamente?" me azucrinando, pois agora, Kim Mihyun era a minha namorada. Os lábios de Mihyun ainda eram tão macios e doces como sempre foram, e eu esperava que aquilo nunca mudasse.

— Mas me explique uma coisa — Mihyun pediu, assim que nossos lábios foram separados. A olhei curiosa, tentando conter as expressões de apaixonada um pouquinho  —; que história era aquela de plano que você citou, lá?

Nesse momento, lembrei de minha própria consciência falando que eu acabaria sem relacionamento sério e sem o aberto.

Me lembro também do quanto eu conhecia Mihyun suficiente para saber que ela nunca esteve com tanta raiva como hoje, há uma hora atrás.

Por mais que a minha consciência estivesse certa antes, naquele momento ela nunca me pareceu ser tão óbvia. 

— Oh, então, Mimi-ah — Chamei-a pelo apelido, usando um tantinho de aegyo. Passo o braço em volta de seus ombros, a levando para dar uma volta pelo festival da escola.  — É uma longa história. Vamos ficar na frente de pessoas por favor?

— Por quê?

Ela pergunta, um tanto confusa. Rio, beijando a bochecha da mais baixa. Seria uma longa tarde.

— Pra' ter testemunhas por perto para o caso de você querer me matar.


Notas Finais


EU DIGO OTP E VCS DIZEM MIHO
obrigado por lerem ate aqui <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...