História Kiwi - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Styles, Louis Tomlinson
Personagens Harry Styles, Louis Tomlinson
Visualizações 24
Palavras 2.946
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii, capítulo fresquinho pra vocês sz

Capítulo 2 - What you became


Eu não precisava ir num encontro com um gostoso pra eu ter certeza de que aquele ser na minha frente realmente era gostoso, mas as suas intenções ainda estavam um pouco nebulosas pra mim, eu não tinha certeza se ele estava mesmo se oferecendo pra ser o pai do meu filho ou algo do tipo. Eu queria muito ter falado alguma coisa e não apenas ter ficado encarando meu obstetra igual um retardado, mas infelizmente não foi possível.

- Quero… Quero dizer, se tiver tudo bem pra você, é claro. Eu entendo que nesse momento você deve estar passando por coisas difíceis, tendo que lidar com a fama e gravidez, eu não consigo imaginar o quão complicado está sendo pra você. Não que me importe, mas eu sei que você não vai poder ter a ajuda da sua mãe e suas irmãs não tem filhos então…

- Tudo bem.

Eu falei sorrindo e Dr. Montgomery me olhou assustado.

- Tudo bem?

- Sim, sabe, eu também acho que seria bom pra todo mundo.

Passei a mão pela barriga e ele sorriu.

- Ta bem, então você pode me passar seu telefone, Louis?

Ele disse enquanto pegava seu celular, digitando algo nele e depois me entregando o aparelho.

- Claro, mas você pode salvar com outro nome que não seja o meu? Pra não correr o risco de vazar na mídia.

- Ah, sim, sim. Como você quer?

Eu o devolvi.

- Como preferir...

- Posso colocar "docinho"?

Eu ri, gostava daquele apelido, apesar de me fazer sentir como uma enorme torta de maçã, era fofo.

- Não vai me confundir com os outros pacientes?

- Não, eu só chamo você assim.

Ele disse calmamente, mas quando percebeu o que suas palavras poderiam significar ele me encarou com os olhos arregalados, como se eu quem tivesse o assustado.

- Quer dizer, eu… eu…

Ele tentou reparar, mas eu neguei e levantei minha palma como um gesto para que ele soubesse que estava tudo bem.

- Eu entendo, Dr. Montgomery, muito obrigado pela consulta.

Falei me levantando com dificuldade e ele andou até a porta.

- Pode me chamar de Josh.

- Oh… ok. Obrigado, Josh.

Disse enquanto passava pela porta e Chalotte me olhou como se fosse me comer com os olhos.

- Para com isso…

Eu disse entre os dentes enquanto segurava minha irmã pelo braço e a levava até o carro.

- Que história é essa de conversinhas em particular e "Obrigado, Josh."?

Ela disse assim que se sentou ao meu lado, no banco do motorista, fazendo uma voz muito escrota pra me representar.

- Cala a boca, Lottie, eu já to fazendo muito deixando você dirigir meu carro.

- Pode assumir que só deixou porque o Josh falou que não era bom que voce dirigisse.

Eu revirei os olhos e me segurei pra não dar um tapa naquela menina, pelo menos enquanto estava dentro de mim meu filho teria uma mãe comportada.

- Ele é meu obstetra, ok? É comum que se preocupe comigo e agora chega dessa conversinha besta.

Eu falei pegando meu celular e vendo o nome "Ex loira" aparecer na tela.

"Hey, Lou! Tá em Londres??"

"Eu tenho um ser dentro de mim que quase me impede de sair de casa, onde mais eu poderia estar, Niall?"

"Você é realmente uma lady."

"E ninguém realmente te perguntou nada."

"Eu posso passar alguns dias com você?"

Eu estava prestes a perguntar se sua mãe tinha o expulsado de casa quando Lottie falou.

- Sim, diga que sim, Louis. Fizzy não aguenta mais ficar em casa com os gêmeos.

- Você tá lendo minhas conversas, Lottie?!

- Como se você não fizesse isso sempre comigo!

Ela revirou os olhos e eu cheguei mais pro lado, onde ela não poderia ver o que eu digitava.

"Pode."

Foi só o que eu respondi.

"Chego aí a noite."

"A noite, Niall. Não de madrugada, sabe que eu durmo cedo."

"😒"

Guardei o celular no bolso novamente e depois de um tempo nós finalmente chegamos em casa. Meus pés estavam me matando e eu sentia tanto sono, subi até meu quarto e me deitei na cama, passei a mão pela barriga e cantarolei baixinho.

Just a little bit of you heart

Just a little bit of you heart

Just a little bit of you heart is all I want

Just a little bit of you heart

Just a little bit of you heart

Just a little bit of you heart is all I'm asking for

- Então agora as musicas dele são permitidas nessa casa?

Olhei na porta e vi minha irmã andando em minha direção, ela se deitou do meu lado e tocou minha barriga.

- Não é dele, é da Ariana.

- Mas ele que escreveu...

- Ah! Charlotte, tá bom!

Falei desistindo daquela briga, sabia que não adiantava nada, ela era fã dele e isso não ia mudar nem tão cedo.

Suspirei me lembrando de quando ele cantou isso pra mim pela primeira vez. Eu me senti a pessoa mais importante do mundo, mas ao mesmo tempo, a mais impotente, mesmo que fossemos alfa e ômega eu ainda tinha que esconder isso e "namorar" com uma beta qualquer. Nessa época eu estava com Eleanor e eu o escutava chorando baixinho no ônibus na turne todas as vezes que éramos informados de que eu precisaria sair com ela. Eu odiava ter essas lembranças de quando ele ainda era, ou aparentava ser, uma pessoa descente porque quando eu me lembrava desses momentos, tudo o que ele fez pra mim, até mesmo duvidar da paternidade do meu bebê, se tornava algo banal.

Eu senti meus olhos pesando e naquele momento e bebê parecia bem calmo, sem chutes na minha bexiga, então eu apenas fechei os olhos e dormi antes mesmo de pensar em fazer isso.

- Lou… Lou… Lou…

Acordei com alguém me chamando e cutucando meu rosto e devagar aquela voz irritante ganhou um rosto na minha mente, Niall.

- Oi, Niall.

Disse ainda com os olhos fechados e eu tinha certeza de que isso havia o assustado.

- Eu tentei chegar o mais cedo que eu pude, Lou, desculpa.

Eu peguei meu celular ao meu lado e finalmente abri meus olhos e pude ver que já eram quase onze da noite.

- Meu Deus…

Falei me assustando com a minha cochilada que virou uma hibernação.

- Louis, eu estou indo!

Escutei minha irmã falar enquanto provavelmente procurava suas coisas pela casa.

- Vai de carro?

Perguntei me levantando e Niall quase me pegou no colo pra me ajudar a fazer isso. Era engraçado como as pessoas me tratavam como se eu fosse uma bonequinha de porcelana.

- Sim.

Ela falou entrando no meu quarto. Charlotte estava vestida pra matar, como sempre e eu percebi a olhada que Niall deu nela.

- Cuidado na estrada.

Disse abrindo os braços e ela me abraçou.

- Tudo bem, maninho. Não precisa ficar com saudade da titia, meu amor, logo logo eu volto, tá bem?

Ela disse pra minha barriga e logo depois a beijou.

- Sabe que quem sente o beijou sou eu, certo?

Falei quando ela finalmente voltou para sua posição normal e ela revirou os olhos.

- Tchau, Niall, cuida bem do meu irmãozinho.

Eu sorri sem mostrar os lábios e levantei as sobrancelhas surpreso com a sua preocupação.

- Eu vou, pode deixar.

E depois de muita enrolação Niall a acompanhou até a porta.

- Como está meu campeão?

Ele disse voltando até mim, ou melhor, até minha barriga.

- Não fala assim, Niall, não sabemos se é uma menina.

Eu passei a mão pela barriga e senti o bebê chutar.

- Tudo bem, vai ser campeão de qualquer jeito.

Eu ri e fui até meu closet pegar meu pijama.

- Por que veio pra cá? Esqueceu de fazer a reserva no hotel?

- Por incrível que pareça, eu achei que seria legal passar um tempo com o meu melhor amigo e seu bebê.

Peguei meu pijama e fechei a gaveta, me virei para a porta e vi Niall parado ali, encostado no batente da porta e me encarando. Eu sabia bem o que eles estavam fazendo. Depois dos três meses Lottie e Fizzy estavam sempre se revezando pra ficar comigo, eu realmente não ficava sozinho nem pra fazer xixi e quando Niall ou Liam estavam pela cidade, elas tinham uma folguinha de mim. Aquilo não me deixava feliz, não gostava de ter toda essa companhia, mas se tinha uma coisa que eu não podia fazer era reclamar, porque eu estaria realmente sozinho se não fosse por eles e ninguém gostava de deixar um ômega grávido sozinho.

- Obrigado.

Disse baixinho e escutei uma risada do meu amigo, por sorte ele não me fez repetir isso. Eu fui pro banheiro da minha suíte e tirei minhas roupas devagar.

- Não tranque a porta, Lou.

Niall pediu e eu revirei os olhos, sempre me esquecia dessa regra idiota de não trancar a porta, a destranquei antes de entrar no meu box. Essa era um dos meus momentos favoritos, o bebê mexia muito durante o banho e mesmo que eu fosse um reclamão de galocha, eu gostava de saber que ele estava bem, se movimentando e chutando meus órgãos.

- Você viu o que o seu médico falou comigo hoje, nenê?

Falei enquanto enxaguava meu cabelo do shampoo. Esse era um outro segredo nosso, nós costumávamos conversar bastante quando estávamos sozinhos.

- Eu acho que ele se importa com a gente. O que você acha? O Josh parece ter jeito com crianças, você gosta dele, nenê?

Ele chutou com força e eu ri.

- Vou encarar isso como um sim, você gosta.

Eu terminei o banho e me vesti, abri a porta do banheiro e escutei Niall falando.

- É, eu to aqui, ele tá bem…

Olhei pelo quarto e percebi que ele estava na sacada, não tinha me visto sair do banheiro.

- Sério? Claro que eu vou, com certeza. Eu fiquei sabendo que seus shows tão muito bons, cara.

Eu caminhei devagar até ele.

- É, ele não vai ligar, tudo bem, não tem problema.

- Niall?

Disse baixinho, mas isso já foi o suficiente pra ele quase deixar seu celular cair do prédio.

- Puta merda, Louis! Não, não, é que o Louis me assustou.

Ele disse me olhando por cima do ombro.

- É, é melhor eu ir. Tchau, te vejo lá.

E então ele finalmente desligou. Eu sabia quem era, sabia exatamente, mas algo em mim era mais forte do que meu orgulho.

- Quem era?

Perguntei como quem não queria nada e Niall ficou apenas parado na minha frente, encarando.

- Ok, já entendi… Vocês vão se encontrar?

Me virei e fui até minha cama.

- Sim, ele… ele... nos chamou pro show. Ele tá na Europa agora e ligou perguntando se não queríamos ir.

Pra mim aquilo era tão real quanto o papel Noel. Harry Styles tinha me convidado pro seu show?

- Nós… dois?

Eu não podia acreditar nisso, era uma coisa realmente muito estranha. Depois que eu engravidei eu não saí muito, na verdade, eu só saía para me encontrar com Josh, não queria que ficassem tirando fotos da minha barriga e fazendo comentários então eu preferi me isolar o máximo possível e um show para milhares de pessoas não me parecia exatamente seguro.

- Sim…

Niall falou um pouco evasivo.

- Diga pra ele que não.

Foi o que eu disse antes de sacudir as cobertas da minha cama. Olhei para meu amigo que me encarava com a boca aberta e as sobrancelhas erguidas.

- Que foi?

Ele negou com a cabeça.

- Eu só fico um pouco assustado quando eu vejo o que você se tornou, Louis.

O que aquele idiota estava tentando dizer?

- O que?

Foi tudo o que eu pude dizer.

- Sabe, quando nos conhecemos, quando você conheceu ele eu nunca esperaria que algum dia você seria capaz de simplesmente recusar isso assim.

- É mesmo, Niall? E o que você sabe sobre ser um ômega gravido e solteiro?

Cruzei os braços em cima da minha barriga e levantei as sobrancelhas esperando por sua resposta.

- Eu… eu não sei nada, Louis. Me desculpe.

Ele falou colocando as mãos no bolso e negando com a cabeça.

- Escuta, Niall, eu sei que por você ter acompanhado isso tão de perto e ter torcido tanto pra gente ainda pode ser complicado entender que acabou. Eu e o Harry não existe mais, nunca mais.

Ele assentiu e ficou em silêncio. O clima tinha ficado bem ruim e mesmo que ele fosse um enxerido eu ainda o amava.

- Vai assistir Stranger Things comigo?

Disse colocando meu travesseiro numa altura boa pra apoiar minhas costas.

- Vou.

Niall falou sorrindo e ameaçando a subir na minha cama, mas eu o impedi.

- Não, não, não. Só depois que tomar um banho e tirar essa roupa de avião. Sabe quantas doenças você pode pegar num aeroporto?

- E desde quando você liga pra isso?

- Desde que eu engravidei, seu porco, agora sai.

Depois de um tempo Niall voltou de banho tomado e se deitou comigo, assistimos quase a temporada inteira, pelo menos eu assisti, Niall dormiu no segundo episódio.

- Depois falam que o grávido é quem é dorminhoco.

Eu resmunguei enquanto desligava a TV mais ou menos às quatro da manhã, mas aquele convite totalmente inexperado de Harry para o show ainda tomava meus pensamentos, eu não conseguia entender aquilo. Nós transamos, passamos três meses sem nos falar, depois eu contei que estava grávido, mais três meses como se nunca tivéssemos nos visto e agora ele me convida pra um show. Eu peguei meu celular para tentar deixar esses pensamentos de lado e como o bebê estava chutando como um louco, eu sabia que não ira rolar de dormir. Fiquei vendo aquele monte de merda que as pessoas ficavam falando sobre por um bom tempo, até que pulou na minha timeline um vídeo da banda, aquilo já fazia muito tempo e eu não era o maior fãs de assistir esse tipo de coisa, mas eu cliquei ali, era uma entrevista. Eu me lembrava bem daquele dia, era uma entrevista com a Barbara Walers, eu tinha apenas vinte anos, um pequeno ômega feliz.

"Todos vocês querem se casar e ter filhos?"

Todos nós assentimos e como um bom babaca apaixonado olhei imediatamente para o alfa ao meu lado.

"Sim? Mesmo tão jovens?"

Então nós assentimos novamente e Harry me olhou de volta, fazendo com que eu desviasse os olhos logo depois, era muito arriscado que alguém visse e então a câmera corta para minhas costas, mostrando o rosto de Barbara e eu não podia deixar de lembrar que eu sorri como um idiota e esse sorriso me custou tão caro…

Eu suspirei e bloqueei o celular, esfreguei o rosto e fechei os olhos.

- O que você acha de… ir num show, nenê?

Eu falei passando a mão pela barriga e ele chutou, infelizmente.

- Você quer conhece-lo, não é?

Eu senti meu rosto esquentar e meu nariz arder. Eu sabia que Harry tinha jeito com crianças e isso era o pior de tudo, como ele escolheu simplesmente sumir quando ele finalmente poderia ter a sua própria criança, como ele me deixou acreditar, naquela entrevista, que ele também queria um filho.

Uma lágrima escorreu pelo canto dos meus olhos, chegando até perto da minha orelha.

- Talvez ele ainda queira você… Nós podemos tentar, o que acha?

Fiquei acariciando de leve minha barriga até que o sono me pegou, finalmente me libertando aquele vendaval de pensamentos, culpas e ideias.

Eu acordei com cheiro de almoço dançando pelo quarto e quando abri os olhos e não vi Niall ao meu lado meu coração quase saiu pela boca ao imaginar ele na minha cozinha. Eu me levantei o mais rápido que uma barriga de 24 semanas me permitia e andei até a cozinha.

- Niall?

Eu chamei bravo quando vi a geladeira aberta e alguém com a cabeça escondida atrás da porta.

- Ah, Louis, bom dia!

Graças a Deus era a minha empregada.

- Olivia, graças à Deus…

- Sim, é muito bom acordarmos agradecendo à Ele.

Eu revirei os olhos e disse enquanto pegava um pedaço de champignon que estava na panela junto com outras coisas.

- Onde está Niall?

- Ele disse que ia sair pra jogar golf.

Aquele irlandês de merda me deixando sozinho… Meu celular começou a tocar no meu bolso e eu tive certeza de que era ele ligando pra se desculpa.

- Nem adianta pedir desculpas, Niall, você está proibido de colocar seus pés nessa casa, entendeu? QUEM ABANDONA UM ÔMEGA GRÁVIDO PRA JOGAR GOLF?

- Louis?

Aquela voz com certeza não era de Niall.

- J-Josh?

Merda! Eu odiava gaguejar.

- Ah… sim, sou eu, mas parece que eu liguei num momento ruim, não é? Me desculpe, me ligue quando as coisas estiverem bem com o seu namorado por favor.

- O QUE? NÃO! Quer dizer… eu… ele… O Niall não é meu namorado, meu Deus! Ele é só um beta.

E então eu percebi como eu estava apenas espalhando a coisa que já tava toda cagada. Josh também era um beta.

- Não que isso seja um problema! Não é! Tudo bem, Josh? Não é um problema, realmente não, você entende?

- Ah… Louis, você tá bem?

Eu me apoiei na bancada da cozinha e disse.

- To, eu… Na verdade, não, eu tô um pouco irritado, sabe? Acho que são os hormônios.

- Sim, docinho, são mesmo, mas não se preocupe com isso, eu tenho algo que vai te deixar animado.

Sorri com a notícia.

- O que?

- Eu pensei que já que eu vou poder acompanhar sua gravidez mais de perto, talvez nós pudéssemos, sabe, nos encontrar pra conversar com isso, então eu fiz uma reserva pra nós três num restaurante japonês aqui perto.

- Nós três?

Eu não estava acreditando que ele tinha convidado Niall também.

- Sim, eu, você e o bebê

- Ah… Ah, sim, claro!

Falei rindo da minha burrice.

- Então você topa?

- O que?

- O jantar.

- Topo, eu topo, sim!

Que merda era essa? Eu tinha desaprendido a flertar ou o que?

- Então eu posso te buscar hoje as oito?

- Tudo bem, estarei esperando.

Eu desliguei o celular e sorri.

- Era o Harry?

Aquela frase da Olivia veio como um tapa na minha cara, me fazendo lembrar que a vida não era flertar com médicos gatos, mas aguentar todos em sua volta te lembrando do seu ex escroto.

- O que? Claro que não, Olivia! Não repita esse nome dentro dessa casa!

Ela encolheu os ombros e eu marchei pro meu quarto.


Notas Finais


Deixem seus comentários ❣🍇
Obrigada pela leitura


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...