1. Spirit Fanfics >
  2. Klay e os oito mundos >
  3. Quem acreditaria?

História Klay e os oito mundos - Capítulo 25


Escrita por:


Capítulo 25 - Quem acreditaria?


Fanfic / Fanfiction Klay e os oito mundos - Capítulo 25 - Quem acreditaria?

-Primeiramente, eu sou do futuro e fui enviado pelo meu criador para proteger o mundo de vocês-Declarou sério, fazendo todas se entreolharem

-Ah meU dEus-Diz Sabrina caindo na gargalhada junto com Lanne, Carla, Gabriella e até Susie que estava com a mão na boca segurando o riso enquanto algumas lágrimas escapavam dos seus olhos

-É verdade-Esbraveja indo até o meio da roda, enquanto olhava envolta confuso

Vejo ele dar um suspiro longo e pegar uma bolinha de gude de seu bolso, oque a princípio me deixou confuso, logo a coloca no chão, pisando nela em seguida, a quebrando
Estranhamente um tipo de líquido preto saiu da onde ele havia pisado, depois disso começou a se espalhar pelo chão, como se fosse água

-O-Oque é isso!?-Se desesperou Sabrina apontando para a poça gosmenta que naquele momento estava passando por baixo das garotas que tinham olhares assustados e rapidamente se estendeu por trás de todos para cima, formando um tipo de cubula a nossa volta

-C-Como..?-Perguntava Klay que tocava a parede preta estranha, ela estava séria esse tempo todo, mas agora o rosto mostrava-se bastante confuso

-Oque é isso?-Perguntei curioso e um pouco assustado, sem coragem para toca-lo igual Klay

-É uma cubula holográfica, vai nos "esconder" das pessoas-Disse fazendo aspas com a mão-Mas então, sendo sincero, eu não posso dizer tanto o quanto vocês iriam querer, mas tentarei ser o mais detalhista possível sobre oque posso-Disse dando um outro suspiro, vendo que todas iriam levar a sério dessa vez-Meu criador foi obrigado a construir androids para o comandante, mas quando soube que ele queria mudar o rumo da história de outros universos para governar, me reconstruiu com armas e equipamentos, mandando-me para cá para evitar uma coisa-Dizia pegando um pequeno cabinho de seu bolso, logo apertando-o, fazendo ele se expandir e se transformar em um cabo enorme, ficando-o no chão e derrepente fazendo várias fotos holográficas aparecerem, como em um computador, mas estas flutuavam no meio da roda

-Quem são?-Pergunta Gabriella apontando para uma das fotos que tinha várias pessoas

-Os soldados fiéis do comandante-Diz ampliando a foto e mostrando para todas

-Esse...é você?-Pergunto vendo ele ao lado de mais alguns garotos em uma foto, mas estava diferente, tinha um uniforme estranho e uma cara sem nenhuma emoção, oque me causou calafrios-Sam?-Me surpreendo percebendo-o ao lado de Matheus

-Sim-Diz suspirando-Eu era um dos fiéis, mas meu pai me deu um órgão muscular oco dos vertebrados...

-Você quer dizer, um coração?-Responde Susie que se encontrava com uma das sobrancelhas arqueadas

-É-Dizia enquanto coçava a nuca invergonhado-Além de me ensinar um pouco sobre os humanos e sentimentos-Falava sorrindo para mim, oque me faz corar e olhar para o lado invergonhado

-Aaahhh, você é um ciborgue-Diz Sabrina balançando a cabeça positivamente como se tivesse entendido tudo

-Mais ou menos...-Responde um pouco confuso-Mas voltando ao assunto, Sam era, e na verdade continua sendo, um dos fiéis, éramos muito próximos quando eu ainda era um...

-Muito próximos, interessante 'Mat'-Respondo cruzando os braços irritado

-Que isso Rafinha, não se preocupe que você é único para mim-Fala sorrindo e piscando para mim

-Beleza, deixemos a melosidade para depois, voltando ao assunto...-Diz Klay olhando para mim e Matheus-Oque aconteceu lá na floresta?-Pergunta séria

-Que floresta?-Pergunta Sabrina confusa

-B-Bem...-Comecei a gaguejar nervoso

-Sam veio levar Rafael-Responde Matheus sério fazendo todos se assustarem e voltarem a atenção para mim

-Como assim?!-Pergunta Gabriella ficando irritada e se levantando, mas sendo segurada por Klay

-Calma, eu lutei contra ele-

-E quase morreu-Respondo o interrompendo e vendo todos virando os olhares assustados para Matheus

-É, mas era porque já estou por aqui a bastante tempo, faz um meses que não treino, além de que você me salvou-Diz olhando para mim sorrindo novamente, me fazendo sorrir devolta

-Como?-Pergunta Carla confusa

-Eu não sei...-Falo passando a mão por meu braço-Eu meio que...curei ele, Fechei a ferida que a espada de Sam fez em seu ombro no meio da batalha

-Uau-Diz Lanne boquiaberta

-Eu não sei exatamente oque fiz, nem como eu fiz, só sei que dei um soco bem dado no tal Sam, dúvido voltar tão cedo-Falo cruzando os braços de forma convencida-Falando nisso, porque ele queria me levar?E que papo era aquele de 'veio muito cedo?'-Pergunto olhando para ele

-Eu não posso dizer, desculpe-Responde me desanimando um pouco-Como meio que vim de um dos futuros possíveis, mesmo de outro mundo, não posso interferir em nada, o máximo que posso fazer é dizer isso, você terá de descobrir sozinho sobre oque tem, mas eu estarei te apoiando da melhor forma possível e protegendo-o também, prometo-Diz vindo em minha direção e colocando as mãos em meus ombros-Mas respondendo a segunda pergunta, eu também fiquei surpreso, pois isso que você tem deveria se desbloquear daqui dois anos, como em todas as outras linhas do tempo...-Dizia pensativo-Talvez a minha apareção no meio da história tenha feito com que eles viessem muito cedo, meu criador viu milhares de possibilidades do futuro não ser do jeito que acaba, e em nenhum deles nada muda, mas eu sinto como se esse caminho esteja sendo diferente de todos os outros que já vi...

Matheus faz as fotos sumirem e logo a cubula se esvai e volta a formar a bolinha, acho que ele tinha usado para mostrar as fotos, já que a cubula nos deixava meio invisíveis aos olhos dos outros de fora que passavam aos lados mas pareciam não enchergar a loucura que acontecia de dentro

-Nossa, muita informação para processar-Dizia Carla com a cabeça no ombro de Sabrina que concordou

-Na verdade, eu ainda não estou acreditando direito-Falava Lanne de braços cruzados e uma mão no queixo, pensativa-Tipo, você tá meio que afirmando que pode criar asas a qualquer momento e sair voando!

-Na verdade meu criador fez botas que podem me fazer flutuar até dez metros do chão, são tipos tênis a jato, mas usando um tipo de mecanismo um pouco complicado...-Explicava fazendo Lanne levantar os braços em rendimento-Eu sei que pode ser muita informação para digerir e que talvez não sejam o suficientes para entenderem tudo, só peço para não contarem a ninguém e que se contetem com isso, as outras respostas podem vir com o tempo...-Dizia olhando para todos-Eu contei isso em primeiro lugar pois eu vi que algo mudou, pode ser bom, mas nunca se sabe-Falou enquanto nós nos entreolhavamos

Depois disso Gabriella veio até mim e me abraçou, só para depois me dar um tapa na cabeça e me repreender por ter me arriscado tanto na luta citada na conversa de antes
Todos pareciam cansados, decidimos matar o resto das aulas e irmos para os nossos quartos, eu estava mesmo precisando respirar um pouco, ainda tentava entender oque tinha acontecido comigo

-Ei-Chamo a atenção de Matheus enquanto andávamos em direção ao prédio, vendo-o me olhar curioso-Eu não sei por que, mas não consigo me lembrar direito do que eu fiz, alguns fleches passam pela minha cabeça, como o soco invisível que dei em Sam...-Dizia um pensativo sobre o acontecimento, além de um pouco confuso

-Não é bem invisível...-Dizia com uma das mãos no queixo pensativo, provavelmente pelo que falava-Eu realmente não posso dar as respostas, acho que a maioria delas não vou ter de qualquer maneira, mas vou te ajudar a se descobrir mais sobre isso, que tal?-Falou dando um sorriso, me fazendo sorrir devolta

-Obrigada-Agradeço, logo começamos a andar novamente em direção aos prédios-Isso é muito complicado, eu meio que virei um protagonista de anime agora, descobrindo poderes e esse tipo de coisa-Falava rindo-Insano...

-Anime?Aquele desenho que você me mostrou semana passada?-Perguntou me olhando confuso

-Sim-Respondo sorrindo pelo seu olhar desentendido-Pelo menos agora sei que você não viveu em uma caverna, mas sim numa época sombria sem animes-Falo fazendo nós dois rirmos-Vamos tomar um banho, aí assistimos um muito legal que encontrei esses dias, não se preocupe que te ajudo a entender...-Dizia enquanto o via sorrir para mim novamente

Eu sabia que aquilo não era normal, ainda confuso sobre tudo oque aconteceu e sobre oque havíamos conversado, mas saber que Matheus estava comigo me fazia sentir-me melhor, considerando tudo oque havia acabado de acontecer, e sabia que ele iria me manter em segurança, assim como havia prometido

•Rafael Off•


Notas Finais


Revelaçõessss
Incrível em?Kkk
Como sempre, aceitando sugestões e opiniões construtivas, sou muito mente aberta e é de grande ajuda, já que prezo muito por esse hobby e dou muito de mim nele, vivo para pesquisar as coisas e sempre treinar
Mas enfim, espero que tenham gostado deste capítulo, pq eu mesma gostei muito de escrever, dou valor a verdade e ver que Matheus fala as coisas, com cuidado pois falar a coisa errada e dar [email protected] no mundo deles, mas mesmo assim abre o jogo sobre oque pode, é...como a palavra?Acho que seria 'um alívio' digamos assim kkk
(Deixando claro que qualquer confusão, é só perguntar :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...