História Knock my door - Imagine G-dragon - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias G-Dragon
Personagens G-Dragon
Tags Bigbang, Desespero, Gdragon, Goodboy, Jiyong, Kwon, Kwonjiyong
Visualizações 82
Palavras 1.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gracinhas!!!
Perdão pela demora, fiquei sem internet por uns dias e muitas coisas complicaram, maaasss eu escrevi muito e foi bom eu particularmente amo kpop amooooo demais nosso amado Jiyong <3 então vamos complicar a vida da S/n. que venha então os proximos capitulos vão ser quentesssssssssssssssssssssssssssssssssssss. leiam escondidas em . rsrs

Capítulo 16 - Onde está você?


Fanfic / Fanfiction Knock my door - Imagine G-dragon - Capítulo 16 - Onde está você?

 

 

-GD vai te explicar tudo.

Olhei com sangue nos olhos.

-Ele vai te ligar.

-Seja lá o que for não quero Seungri na minha porta novamente.

T.O.P se aproximou me encarando e segurou meus ombros e falou calmamente.

-Vai ficar tudo bem.

Por um momento senti o cheiro de Kwon meu coração acelerou. E quase encostei o nariz em seu pescoço

-O que foi?

Ele disse baixo arfando em meu rosto. Se aproximou de minha boca...

Você tem o cheiro de Kwon, Choi fechou a cara e sentou no sofá.

Fiquei sem graça com o olhar dele, mexi no celular freneticamente esperando pela tal ligação e nada. O silêncio tomou conta, já estava estourando 18:35 então era melhor eu ir.

-Me dá uma carona?

T.O.P revirou os olhos. E se levantou.

-Tá

Fiquei tão feliz que o abracei com força.

-Vou pegar minhas coisas só um minuto.

Porém um minuto se tornaram 15, eu realmente não achava meu crachá e isso começou a me estressar, T.O.P olhava em seu relógio de pulso já estressada.

-ANDA LOGO NÃO TENHO O DIA TODO.

Ele falou tão bravo que me assustou então resolvi ir sem crachá mesmo.

Credo que bicho mordeu ele.

Descemos pelas escadas do prédio no completo silencio.

Chegamos ao carro e ele ligou aquela máquina e acelerou ao máximo sem olhar na minha cara.

Não sei se não abotoei o cinto adequadamente porque assim que ele fez uma curva em alta velocidade, voei completamente em cima dele e o fez brecar de uma vez .

-VOCE PERDEU O JUIZO!

O QUE VOCE? ARSHH... SE FOSSE UMA COLISÃO PODIA TER MATADO NOS DOIS.

Ele estava tão bravo que enchi os olhos de água e comecei a gaguejar de vergonha.

-M-e-e de-esc-culp-e

Ele me deu um soquinho de leve na testa o que me deixou ainda mais envergonhada.

-NÃO FAÇA MAIS ISSO

Meus olhos começaram a escorrer lágrimas .

-GAROTA VOCE.

Tentei descolar dele mas só piorava.

-DESCE DO CARRO.

Meu coração doeu, pra que tudo isso?

-DESCE AGOOOORA!!!

Era humilhante demais, enfim me soltei e fiquei livre.

-TÁ

-DESCE OU NÃO RESPONDO POR MINHAS AÇÕES!

Desci do carro, tão envergonhada andei até o ponto de ônibus mais próximo chorando.

Onde está você Kwon?

Por que esses caras ficam me tratando mal?

O que eu fiz para merecer isso?

Cheguei no trabalho megaaaaa atrasada e achei que o que estava péssimo não podia piorar e es que surgi o demônio do inferno.

-Voce está atrasada S/n

Disse Suzy a fiscal.

-Desculpe.

-Voce sabe que vai acabar perdendo esse emprego não é mesmo.

Olhei para a mesma com olhar de piedade para ver se amolecia o coração de pedra, mas lembrei essa espécie de cobra não tem coração.

-Vai ficar com os jeans novamente hoje... E olha... imigrantes tem aos montes querendo emprego, então faça tudo certinho. Ok? Não disperdice sua vaga.

-Sim senhora.

Suzy saiu toda feliz por me rebaixar, mas nessa altura do campeonato me rebaixar mais, não ia mudar meu humor que já estava depre. Ouvi os cochichos das costureiras a meu respeito, me enchi de ódio trabalhei tão tensa.

 Jeans é um material duro e requer extrema atenção comecei por um instante viajar na maionese e costurei o canto do meu dedão.

Ao contrario dos filmes de terror costurar o dedo não sai tanto sangue e nem te mata, mas dói muuuuuito fiz um curativo na salinha dos funcionários e por sorte Suzy tinha ido embora já.

Um fiscal mais legal me chamou um táxi, era só uma pena que ele não estava lá no meu período mas, hoje tive essa sorte.

-Descanse S/n

O mesmo abriu um sorriso lindo para mim.

-Obrigada Sr. Mark prometo que amanhã virei mais cedo ainda.

-Não se preocupe.

Ele tocou minha testa.

-Vou trocar sua folga então trate de descansar, que não estarei aqui o tempo todo em.

Me despedi e entrei no táxi olhei minhas mãos e senti uma solidão tão grande. Não tinha com quem conversar meus planos, meus sonhos e toda minha energia tudo por água abaixo.

Hoje fazia um ano que eu estava a mercê da sorte. Um ano que terminei aquele curso, um ano que sou uma miserável.

Passei de carro pelas principais avenidas de NY, que quase não via pois só andava pelos tuneis sujos nos metros. De estação a estação. Luxo não era algo que eu podia almejar e agora nem o amor. Jiyong não me ligou, eu não sei se ia me ligar.

Meus pais... Oh Deus estou sozinha é isso?

Cheguei em meu apartamento escuro e frio, olhei no celular nem meus pais me mandaram um “um boa noite filha, sentimos sua falta” afinal porque ligariam?

Um ano que ela virou as costas e partiu, temos outros filhos para cuidar.

Sentei no sofá e abri a boca chorar. “Eu odeio tudo isso,” “Eu odeio”

Já eram 4:55 e ouvi um esmurrar em minha porta, pulei do sofá e enxuguei o rosto fui devagar e apaguei as luzes com medo.

E sabia que não era boa coisa aquele horário. O esmurrar persistiu e me aproximei do olho mágico mas, escuridão não deixou eu ver direito até que...

-S/N...

Sua voz estava um pouco melancólica e abri a porta, meu cérebro não agiu só o movimento involuntário do meu corpo, seu cheiro assim que me aproximei fez acelerar meu coração e sua voz me fez colocar em dúvida meu amor por Kwon.

Me aproximei e dei um selinho melancólico como pedido de desculpas. E antes que me afastasse T.O.P segurou minha cintura e me voltou um beijo apaixonado e me empurrando para dentro do apartamento. Tentei bater a mão no interruptor para acender a luz e sem sucesso por um instante ele parou de me beijar.

-Finge que sou o Ji-Yong hoje.

A porta se fechou e só a sensações ficaram.

Culpa... desejo... arrependimento

Me perdoe Kwon... Choi Pare... Continue... Kwon... Continue... Pare ...

Esses eram pensamentos persistentes.

-S/n eu te quero a muito tempo...


Notas Finais


E se eu disser que vou postar mais 4 capitulos emmmm?
Voces indicariam para as amigas, as primas e ate grupos do zap zap. tá ai uma ideia. Como judiei e fiz esperarem até.
se divirtam pq hoje temmmmmm.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...