História Kocchi Muite Baby! - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Jennie, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Abo, Baekhyun!omega, Chanbaek, Chanyeol!alfa, Colegial, Comedia, Hoseok!alfa, Jennie!omega, Jimin!alfa, Jin!alfa, Jisoo!beta, Jongin!alfa, Jungkook!alfa, Kaisoo, Kyungsoo!omega, Namjoon!alfa, Romance, Sugamon, Taegi, Taehyung!alfa, Yoongi!bottom, Yoongi!centric, Yoongi!corrimão, Yoongi!omega, Yoongi!uke, Yoonjin, Yoonkook, Yoonmin, Yoonseok
Visualizações 644
Palavras 4.721
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Comédia, Crossover, FemmeSlash, Ficção, Ficção Adolescente, Harem, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Quem é vivo sempre brota, né? Iae?

Capítulo 20 - O Novato


Fanfic / Fanfiction Kocchi Muite Baby! - Capítulo 20 - O Novato

Eu estava dormindo tranquilamente. Estava quentinho, mas não ao ponto de eu morrer de calor. Só fui me tocar que o que me aquecia era o corpo de Hoseok quando acordei.

— Olha só, a Bela Adormecida acordou! — Comentou JungKook, com um sorrisinho sarcástico.

— Vá se catar... — Murmurei, me ajeitando na cama com Hoseok.

— Como foi que vocês foram acabar ficando assim? — Perguntou TaeHyung com uma sobrancelha arqueada.

— HoSeok teve um pesadelo, então eu meio que fiquei com ele até dormir, mas acabei dormindo junto.

— Se eu ter um pesadelo, você também fica comigo, Yoonie? — Perguntou JiMin fazendo uma carinha pidona.

— Você não!

— Por queê? — Prolongou o "e" de maneira manhosa.

— Porque você é um safado!

O Park sorriu malicioso.

— Devo contar o que realmente aconteceu ontem, então?

Eu corei, arregalandos os olhos e engolindo em seco.

— Você não ousaria!

— Quer duvidar? — Sorriu ainda mais safado.

— Ei, ei, eu não estou entendendo nada! — Falou NamJoon.

— Ah, é que ontem, YoonGi...

Antes que ele pronunciasse alguma coisa, eu dei um pulo da cama e corri até JiMin, segurando sua boca com as mãos.

— Nada! Não é nada! Vamos embora! Já está na hora de voltarmos, não é?!

— Que coisa suspeita, YoonGi. — JungKook cantarolou.

— VOCÊ, CALE A BOCA!! — Me virei para JiMin, agora falando o mais baixo que pude. — Você não contou, né...?

O maior negou, tirou minhas mãos de sua boca, as segurando com carinho e as beijou delicadamente.

— Claro que não. — Beijou minha testa, me deixando com um pouco de vergonha por todos estarem nos olhando.

— Ei, eu estou ficando com ciúmes! — Senti alguém me abraçar por trás e pela voz e cheiro, descobri que era JungKook. — Me dê carinho, por favor, Yoonie!

— Me solta, seu idiota! — Me debati.

— Assim você acorda o Júnior.

— PERVERTIDO!!

— Só com você! — Riu.

— Ok, ok! Acho que já estamos atrasados para pegar o ônibus! Vamos logo, se não é bem capaz deles esquecerem da gente aqui! — Falou TaeHyung.

— Você está tão chato hoje, Tae! — O Jeon me soltou. — Tudo bem! Vamos organizar nossas coisas e ir, sim?

"Ih, TaeHyung tá com ciúmes que eu percebi rs"

Acho que você está cega.

Como dito, arrumamos nossas coisas e eu troquei de roupa antes de sairmos. As chaves dos quartos foram devolvidas para a recepção e ficamos esperando o ônibus chegar para irmos para casa e quando chegou, me sentei ao lado de JiSoo e BaekHyun.

A viagem enfim havia terminado.


...


Tudo bem, tudo bem. Eu sabia que uma hora ou outra as férias iriam acabar e as aulas voltariam. Certo, havia sido maravilhoso o tempo que eu só fiquei vendo série, curtindo minha mãe e dormindo.

"Ah, vai mentir que não sente saudade dos alfas?"

Lógico que não sinto! Por que iria sentir?

"E o YoonGi com o cu diabético está de volta."

PAU NO TEU CU!

— JonGiiin! — Chamei o mais velho. — Por que eu tenho que ir pra escola no primeiro dia de volta às aula? Não vai ter nada de interessante pra fazer!

— Talvez por que sua mãe me fez prometer que iria garantir que você não ia faltar aulas enquanto eu estivesse aqui?

— É só não contar pra ela que eu faltei, é tão simples!

— Vai estar no seu boletim quando ela verificar e tenho certeza de que a bronca iria cair sobre mim por ceder!

— Tonto... — Murmurei.

A campainha da casa tocou.

— BaekHyun deve ter chegado para vocês irem.

— Jura? Não percebi. — Revirei os olhos.

Me levantei da mesa assim que terminei de comer, colocando a mochila nos ombros e fui para a porta. BaekHyun e Taehyung estavam alí me esperando.

— Cadê a JiSoo? — Foi a primeira coisa que perguntei.

— Doente, ou então ela só está fingindo pra poder matar aula. — BaekHyun deu de ombros.

Eu olhei para TaeHyung, então me toquei que a cor de seus cabelos tinham sido tingidos.

— Você está loiro. — Falei, mais comigo mesmo do que com ele.

— É, resolvi inovar... Ficou ruim?

— N-Não! Você está lindo!

"Como sempre"

O – agora – loiro sorriu.

— Obrigado. — Começamos a andar, a caminho da escola. — Você ainda está com cabelo preto.

— Estou com preguiça de pintar.

— Entendi.

— ... Baek, você não vai falar nada? — Perguntei.

— Eu? Não quero atrapalhar o casal, continuem conversando e ignorem a minha existência.

— Não somos um casal. — TaeHyung respondeu rápido.

"Quem responde rápido demais mente"

Como pode ter certeza?

"Porque é óbvio!"

Quando chegamos na escola, fomos rápidos em organizar os armários e pegar tudo o que precisávamos. Sentamos nos mesmos lugares habituais de sempre, eu fiquei conversando com BaekHyun e TaeHyung apenas deixou a mochila no seu lugar e saiu.

JiMin nem JungKook estavam na sala, então eu me perguntava se eles resolveram faltar assim como a JiSoo.

Eu não devo ter notado o tempo voar, mas todos os alunos estavam em sala. Tinha apenas um rosto novo, o resto era tudo os alunos que estavam desde o início do ano.

— Bem, nós temos aqui um aluno novo, como devem ter notado! — O professor fez um gesto, pedindo para o menor vir que suspirou pesado antes de obedecer. — Por favor, pode dizer seu nome?

O moreninho concordou. Ele era pequeno, do mesmo tamanho que BaekHyun, mas diferente de mim e do Byun ele não aparentava ter um físico afeminado. Digo, ele era sim, magro e não tinha um porte super másculo, mas não parecia ter uma cintura acentuada.

Quanto ao cheiro, era certeza de que era um ômega. Os alfas ficaram olhando abobalhados para o novato.

Sinto tanta pena do coitado, ele teria que lidar com alfas babacas no pé dele até o fim do ano.

— Me chamo Do KyungSoo. — Falou com uma faceta de tédio. — Prazer em conhecê-los.

KyungSoo disse a última frase com descaso, como se não quisesse falar aquilo.

Ele olhou para o professor.

— Posso me sentar agora, por favor?

O mais velho concordou e rapidamente o Do estava sentado em sua cadeira.

A aula começou. Quando terminei os exercícios acabei caindo no sono.

Provável que eu seria acordado com um pescotapa.


...


Eu disse que eu levaria um pescotapa, não disse? E foi o que aconteceu.

"Min YoonGi vidente"

Na próxima vez, eu vou gastar meus dons de adivinhação na loteria.

Eu acordei meio assustado por causa do maldito tapa, mas então me toquei de que havia um rosto novo me olhando.

— Do KyungSoo, né? — Perguntei, bocejando. — O que eu perdi?

— Digamos que a explicação de um trabalho que o professor passou.

— Ah, legal... Posso voltar a dormir?

Levei outro tapa.

— Não, sua vadia tonta! a gente tem que decidir quando fazer a desgraça! — Disse BaekHyun.

— A QUEM EXATAMENTE VOCÊ ESTÁ CHAMANDO DE VADIA TONTA?! SEU RODADO!!

— ISSO NEM É XINGAMENTO!! ALIÁS, O ÚNICO RODADO AQUI É VOCÊ!!

— Vocês sempre brigam? — KyungSoo perguntou.

— Nunca ouviu o ditado de "quem muito briga é porque muito ama"? — Baek deu de ombros.

— Esse ditado existe? — Perguntei.

— Sei lá, acho que sim.

— Hm... Podemos fazer o trabalho ainda hoje? — Perguntou Do.

— Claro, vamos fazer na casa do YoonGi!

— Ei, por que você está se auto-convidando e chamando os outros pra minha casa sendo que ela não é sua?

— Ah, pare de drama! Até parece que você vai fazer alguma coisa! Além do mais, só tem você e seu primo na casa!

— Tsc... Tudo bem. — Resmunguei.

— Ótimo, depois da aula então! — Disse JiSoo, que até o momento estava quieta em seu canto, apenas ouvindo a conversa.

— Que aula é agora? — Perguntei.

— Aula? YoonGi, estamos no intervalo!

— Já?! Eu dormi tanto assim?!

— Pois é, Bela Adormecida.

— Tsc... Por que todos me chamam assim?

— Ah, por que será? — JiSoo falou com sarcasmo.

Saímos da sala para ir comer um pouco. Não havia tantos alfas por perto já que a maioria já deveria estar no refeitório, mas os alfas encaravam KyungSoo descaradamente. Sempre que algum alfa tentava se aproximar, Do lhe lançava um olhar matador e o outro se afastava.

Qualquer dia desses, eu iria perguntar para Kyung me ensinar esse olhar.

Uma coisa que notei, foi que todos os alfas perderam o interesse em mim e passaram a encarar mais KyungSoo. Nunca me senti tão feliz e aliviado com isso, mas um pensamento doloroso surgiu em minha cabeça.

E se agora, com a chegada do ômega, Hoseok, JungKook, Jin... E todos os outros, iriam perder o interesse em mim? Quem não garante que eu vá ser descartado outra vez?

"Outra...?"

— YoonGi, você ficou triste de repente. — Disse KyungSoo.

Eu me senti surpreso dele ter notado que eu não estava bem, sendo que nos conhecemos alguns minutos atrás.

— Ah, não, não é nada! É apenas impressão sua, só estou pensativo.

Ele não pareceu ter acreditado, mas não me forçou a falar. Eu agradeci isso internamente, não queria falar nada no momento. Quer dizer, nunca que eu iria falar isso para alguém. Por que me preocupar se eles vão perder o interesse em mim? Que percam!

Afinal... Eu odeio alfas.

"Odeia nada!!"

— Oh, tem carne hoje! Você quer, YoonGi? — JiSoo perguntou.

— Não, estou sem fome.

Ela arqueou uma sobrancelha. Droga, ela sabe que eu nunca recuso carne. Devo ter deixado óbvio que estou meio para baixo.

— Certeza? Posso pegar pra você.

— É que eu comi bastante no café da manhã e você sabe que tem vezes que eu não como! — Falei.

Ela suspirou.

— Tudo bem, então. Eu vou lá pegar só pra mim.

Eu concordei com a cabeça, BaekHyun me olhava com aquele olhar de "você vai falar o que raios aconteceu cedo ou tarde pra mim, tá ouvindo?!".

— Eu vou andar um pouco, decidam as coisas e depois me contem.

Eu não deixei que o Byun contestasse, apenas saí rápido do refeitório e comecei a andar sem rumo pelos corredores. Talvez eu estivesse fazendo tempestade em copo d'água, eu não queria sentir isso, mas incomoda tanto e dói.

"Você é sonso ou se faz? Tá na cara que os alfas gostam de você!"

Ah, vai se catar! Não gostou? Me processa!

"Eu vou te meter o Bartolomeu, isso sim"

Bartolomeu?

"É que esse é o nome do meu pau imaginário"

Nada a declarar.

Notei Jin em um corredor, ele estava catando algumas coisas do chão. Resolvi ir até ele e me abaixei para o ajudar.

— Ah, olá, YoonGi!

— Oi, Jin.

— Aconteceu alguma coisa?

— Hã? Ah, não, nada! É apenas impressão sua! — O mais velho me olhou com desconfiança. — Como essas coisas vieram parar no chão?

— Um aluno acabou dando um encontrão comigo, parecia estar fugindo de alguém então não ficou para me ajudar a recolher as coisas. — Deu de ombros. — E você? Achei que estaria com seus amigos.

— Eu decidi dar uma volta.

— Entendi.

O mais velho se levantou, equilibrando as duas caixas uma sobre a outra.

— Quer que eu te ajude com isso? — Perguntei.

— Não, não se preocupe, não são pesadas!

— Se não são pesadas, eu posso muito bem levar uma! Não sou fraco!

— Eu sei.

— Então!

— Ai, ai, Yoonie, eu não quero que você se atrase pra aula.

— Está chato. É aquela frescura de primeiro dia de volta às aulas. — Revirei os olhos.

O maior suspirou, sorrindo em seguida.

— Tudo bem, já que insiste.

O mais velho abaixou as caixas para eu conseguir pegar uma direito. Cono ele disse, não era pesado, mas também não era algo assim tão leve. Começamos a andar, levando aquelas coisas até a enfermaria.

— Me avise caso estiver cansado.

— Eu não sou um bebê, Jinnie! Eu posso cuidar disso sozinho! — Reclamei.

— Mas você é o meu bebê, YoonGi. — Sorriu.

Não pude evitar corar, não sabia bem como reagir àquilo. Eu deveria agradecer? Reclamar?

Foi então que me toquei de algo.

— Você está loiro também. — Falei.

— Também?

— TaeHyung, ele também pintou o cabelo assim como você.

— Entendo, mas acho que eu estou bem mais bonito, não? — Fez gracinha.

— Bobo! — Acabei rindo.

"Own, meu YoonJin é tão nyom <3"

Entramos na enfermaria e deixamos as coisas em cima da mesa. Eu estava pensando em ir embora, mas Kim entrou na minha frente.

— Aonde pensa que vai, senhor Min?

— Para... Para minha sala!

— Uhum, entendo, mas daqui você não sai até me dizer por que você está tão abatido.

— Como sabe que eu...?

— Não faço ideia, apenas sinto e sei.

Eu desviei o olhar para o chão.

— Está tudo bem, estou aqui pra você e pra te ajudar, YoonGi. Assim como... Como os outros cinco.

"Seis, SeokJin! Seis!"

— Obrigado, Jin, mas acho que é besteira minha.

— Tenho certeza de que não é. — Disse convicto.

— ... Um aluno novo entrou na minha sala, ele é um ômega e se chama Do KyungSoo.

— Ah, acho que ouvi os professores comentando sobre ele, mas o que tem o Do?

— É que... Agora que um novo ômega chegou, vocês não vão mais me querer, não é?

O maior arregalou os olhos.

— De onde você tirou isso? É claro que ainda vamos querer!

— Mas... Esse ômega é mais bonito do que eu, não tem tantas falhas e obviamente deve ser melhor no... No... — As palavras não queriam sair.

— YoonGi... — O loiro se aproximou, segurando meu rosto com ambas as mãos em minhas bochechas. — Eu não sei porque disso tão de repente, mas tem um motivo para nós não desistirmos de você. Sabe que motivo é esse?

— Qual?

— Amor, YoonGi, nós te amamos muito e apenas você e mais ninguém.

— Mas...

— Shh... — Ele deu um selinho nos meus lábios. — Não conteste, ok?

Ele soltou meu rosto para em seguida me abraçar. Eu demorei um pouco para sair do meu estado de choque, mas o abracei de volta.

Amor. Essa palavra fazia meu coração aquecer de uma maneira gostosa e acelerar minha pulsação de forma que parecia que eu estava prestes a ter um ataque cardíaco.

Talvez fosse mentira o que ele estava dizendo, mas eu queria acreditar naquela mentira. Mesmo com medo de me machucar outra vez.

"Não é mentira!"

Senti um beijo em minha testa, outro em minha bochecha.

— Tem alguma coisa que está te incomodando além disso, não é? — Perguntou. — Eu posso te ajudar, Yoon, você vai se sentir mais leve. Tenho...

— Jin, não vamos falar sobre isso, por favor. — Minha voz falhava, o nó em minha garganta era incomodo e eu sentia os olhos marejados. — Eu não quero ter que relembrar daquilo outra vez, por favor...!

O mais alto suspirou.

— Tudo bem, mas saiba que sempre estarei com você, amor. — Disse, selando meus lábios carinhosamente.

— Você promete?

— Eu prometo.

Eu não sabia se o sinal de fim de intervalo havia tocado ou não, mas eu não me importei com aquilo no momento. Eu estava concentrado demais com os lábios de SeokJin nos meus. Não era nada bruto, sexual ou apressado. Era calmo, lento e, talvez, cheio de amor e carinho.

Eu gostava daquela sensação que os cinco alfas me passavam. Era bom, eu me sentia tão bem.

Jin se separou de mim, com selinhos delicados em meu rosto.

— Acho melhor você voltar para sua sala, ou você pode acabar tendo problemas.

— Tudo bem.

Eu me despedi do mais velho e fui rápido em voltar pra sala, mas claro, eu acabei levando bronca.


...


Descobri que KyungSoo era legal. Tudo bem, um legal meio assustador já que ele parecia o capeta, mas legal!

"Ele não deve ser tão ruim"

Ele já jogou os amiguinhos no lixo.

"Ok, isso é cruel."

Eu sei, oras!

Como naquele dia eu estava livre das atividades do meu clube, eu fiquei conversando com eles, já que estávamos com preguiça de ir para minha casa fazer a desgraça do trabalho.

— Você gosta de roupas femininas, Kyunggie? — Sim, BaekHyun já estava cheio dos apelidinhos.

O ômega de olhos naturalmente arregalados fez uma careta.

— É esquisito e desconfortável. Isso de se vestir com essas roupas é coisa de menina!

— São apenas roupas. — Revirei os olhos. — Usar elas não torna um homem numa menina a não ser que ele queira.

— Continua sendo esquisito.

— Você é tão chato, Soo-ya! — BaekHyun falou com certa manha.

— Bem, mudando de assunto, o que você gosta, KyungSoo? — Perguntou JiSoo.

— Não sei... Infernizar a vida de alfas conta?

— Gostei de você. — Falei.

— Ei, já vai dar quatro horas da tarde, vamos então pra casa do YoonGi agora?

— Por mim, tudo bem. — Disse o Do.

— YoonGi! — Um beta me chamou.

— Eu?

— JungKook pediu para que eu fosse te chamar.

"Sente esse cheiro gostoso? É o cheirinho delicioso da pegação"

— JungKook...? Onde ele está?

— No clube de desenho.

E assim, o beta se foi.

— Devemos ir na frente então? — Perguntou Baek, com um sorrisinho malicioso.

— Se vocês quiserem, embora eu ache que ele não vai demorar comigo.

— Não vai é? — JiSoo disse maliciosa.

"Use as palavras com sabedoria, pequeno Min YoonGi rs"

— Não, mas se não se importam, eu vou ver o que aquele alfa quer.

— Tudo bem, nos vemos na sua casa! — Avisou JiSoo.

Eu andei pelos corredores quase vazios da escola, eu demorei um pouco até chegar no clube de desenho. Quando abri a porta, eu não vi ninguém, então pensei que se tratava de alguma pegadinha. Suspirei, prestes a ir embora.

— Aonde pensa que vai, hm? Eu pedi para você vir, não pedi.

Revirei os olhos.

— Onde você está?

— Bem aqui! — Falou, saindo de trás de um cavalete de pintura.

Minha boca se abriu levemente, surpreso.

— O que foi, bebê? Vai me dizer que minha beleza te deixou mudo. — Riu.

— Eu não esperava que você iria pintar o cabelo nessa cor, você sempre usou cores escuras.

— Eu quis dar uma variada. — Sorriu. — Você continua com o cabelo preto. Você fica fofo assim.

— Obrigado... — Murmurei. — E então... O que você queria exatamente comigo?

— Bom, tem muitas coisas que quero de você, mas acho que você não quer saber, né?

— Seja direto!

— Direto? Tudo bem.

O maior me puxou pela cintura, grudando nossos lábios. O maior pediu passagem com a língua e eu concedi, retribuindo o máximo que conseguia, mesmo ainda estando surpreso com aquele ato repentino.

Nos separamos, arfando um pouco.

— E pensar que um dia você retribuiria meus beijos com consentimento quando você vivia falando que me odiava. — Sorriu sapeca.

Eu lhe dei um soquinho no seu peitoral.

— O que você quer, seu idiota? Me chamou aqui para apenas me beijar?

— Eu senti saudades de você, me dê um desconto. — Fez bico. — Apenas as fotos não foram suficientes para me deixar com menos saudade, na verdade, foi o efeito contrário.

Revirei os olhos.

— Tonto. Me chamou aqui para algo tão banal?

— Beijar você e te tocar nunca será banal.

— Continua sendo um tonto. — Revirei os olhos, mesmo eu tendo gostado do que ele respondeu. — Já que você não tem motivo pra me chamar aqui, eu já vou indo.

— Ei, eu te chamei aqui pra algo, sim!

— O quê?

— Aceita posar nu pra mim te desenhar?

"Urro!"

Eu fiquei olhando para o ruivo com cara de tacho. Jungkook não ajudava, me olhando com aquele sorriso safado.

— Você está brincando, não está?

— É claro que estou.

Suspirei aliviado.

— Na verdade, eu queria que você deixasse eu gravar nós dois enquanto fodemos.

— O QUÊ?!

— Estou brincando, estou brincando! — Riu. — Bem, eu só quero que você seja meu modelo. Estou praticando para aprender a desenhar no estilo realista.

— Mas você poderia usar uma foto, não podia?

— Eu prefiro ter você perto de mim.

"Que gay... Adoro!"

— O-Ok então... Mais alguma coisa?

— Sim. — Disse, me puxando para um beijo rápido. — Agora, sim.

Revirei os olhos.

— Tchau, JungKook!

— Tchau.


...


Eu estava chegando na parada do ônibus para ir pra casa, quando notei que TaeHyung também estava por lá. Tudo bem, iriamos só ficar lado a lado. Nada demais iria acontecer.

"Seria tão lindo se ele se declarasse pra você, ía parecer dorama"

Só iria faltar a trilha sonora.

Não o cumprimentei nem nada, apenas fiquei ao lado dele. Eu iria deixar assim até estar dentro de minha casa se possível.

— ... Tudo bem, YoonGi? — Perguntou.

— Uh... Sim, e você?

— Também, eu acho. — Falou pensativo. — Posso sentar com você no ônibus?

— Por mim, está bem.

— ... Anda vendo muitas séries?

— É, pode se dizer que sim... E você vendo muitos animes? — Olhei para ele diretamente pela primeira vez, sorrindo.

O maior riu.

— É, posso dizer que sim também.

Ficamos nos encarando por um tempo e achei que eu iria quebrar o contato visual primeiro, mas foi TaeHyung quem o fez.

Ele coçou a nuca, parecendo estar envergonhado.

— Sabe... Eu...

"EU FALEI QUE ÍA TER DECLARAÇÃO CARALHO!"

— Sim? — O encorajei.

— YoonGi... Eu... Você sabe que eu gosto...

"Diz 'de você', diz!"

— O quê? — Falei ainda mais esperançoso.

— Bom... Você sabe... Eu gosto da JiSoo.

"PORRA TAEHYUNG NÃO FODE!!"

As minhas esperanças tinham ido para o ralo junto com meu sorriso. Desviei o olhar dele.

— Uhum... E aí?

— O que você acha que eu deveria fazer? Quer dizer, ela gosta da Jennie.

— Acho que... Você deveria tentar.

— Deveria?

— É... Tipo, confessar que gosta dela... Nunca se sabe a resposta que alguém vai dar.

Só Deus sabia o quanto doía dizer aquilo e tentar fazer parecer que eu estava bem. Mas que droga, você não gosta dele, Min YoonGi!

TaeHyung pareceu ponderar.

— Eu vou pensar nesse seu conselho... Ainda estou confuso com algumas coisas.

"Opa"

— Que...

— Ah, nosso ônibus chegou! Vamos! — Falou, entrando no veículo.

Eu fiquei um pouquinho em choque antes de entrar no ônibus, mas assim o fiz. Infelizmente, dessa vez o veículo estava lotado então tive que me espremer um pouco para alcançar TaeHyung. Nós ficamos conversando durante o caminho, embora eu esteja meio triste.

Como o ônibus estava lotado, tinha alguns alfas roçando em mim, então eu preferi acreditar que era por causa do movimento do veículo, já que eu estava perto de TaeHyung e assim eles poderiam pensar que eu era marcado ou o namorava.

Estava tudo bem até eu sentir uma mão na minha bunda.

— Ei, o que está fazendo?! — Perguntei.

— Desculpe, foi sem querer.

— Ah, claro! Assim como o aperto também foi?!

— E você pode provar?

— Eu...

Senti um braço rodear minha cintura, me fazendo grudar o corpo em alguém. Eu estava prestes a gritar até sentir o cheiro de TaeHyung.

— Alguém está te incomodando, amor?

"Uy, arrepiei"

— N-Não... Eu...

O maior levantou o olhar para o cara que estava me tocando de maneira imprópria, com um olhar matador. Os olhos brilhavam na cor vermelha.

— Ele estava te irritando?

— Eu sinto muito, foi sem querer! — Falou.

Àquela altura, todos estavam olhando para nós com bastante atenção. Bando de gente desocupada.

— Vamos, TaeHyung. — Chamei, o empurrando para a porta da saída.

Descemos do ônibus rapidamente e começamos a andar. Minha casa não era tão longe, mas eu decidi pegar um ônibus por preguiça de andar.

— Por que você pegou um ônibus dessa vez? — Perguntei.

— Minha avó pediu para comprar alguma coisa para a receita dela. Inicialmente eu pretendia ir num outro mercado, mas vou nesse que tem aqui perto.

— Ah, entendi.

— Bem, nos vemos amanhã então. — Falou, já começando a se afastar.

— Espera! — Ele se virou. — Obrigado... Por aquela hora, no ônibus.

Eu senti meu rosto esquentar e percebi o loiro se aproximar.

— Está tudo bem, eu não podia deixar alguém daquele tipo te tocar.

— Mesmo assim... Obrigado.

O mais alto sorriu.

— Não há de quê. — Sua expressão mudou. — Não posso te deixar ir pra casa sozinho.

— O quê?

— Vamos no mercado, posso comprar algo pra você se quiser.

Eu não neguei, até porque, comida não se nega. Fomos até o mercado mais próximo e TaeHyung tirou um papelzinho, começando a catar as coisas e colocar na cestinha.

— Ei... Você não respondeu, porque não pode me deixar ir sozinho. — Falei.

— Não quero te deixar andar só pelas ruas, pode ser perigoso e tenho certeza que não sabe nenhuma técnica de defesa.

— É lógico que eu sei!

— E qual é?

— Eu chamo essa técnica de "quebra ovos"! Eu chuto as bolas dos estupradores e saio correndo, fim!

"Técnica infalível"

— Mas e se ele estiver armado?

— TaeHyung, aqui tem pouca criminalidade!

— Falou certo. "Pouca", não quer dizer que é totalmente sem criminalidade.

— Você é tão chato.

— É para o seu bem.

Assim que TaeHyung pagou pelas compras, ele me entregou um saquinho daquelas balinhas fini.

— Por que está me dando isso? — Perguntei.

— Eu disse que iria te dar algo.

"Maliciei"

— ... Obrigado.

— Bem, vamos.

Fomos andando pelo caminho. TaeHyung levava as sacolas e eu tratava de saborear meus finis devagarzinho, para durarem mais.

"Que vontade de comer fini"

Morra de inveja.

Eu não percebi que tínhamos chegado em frente a minha casa, tinha sobrado dois docinhos e um eu havia acabado de comer. O último eu coloquei na boca.

— Ei, me dá um? — O alfa perguntou, deixando as sacolas no chão.

— Esse é o último. — Falei com um pouco de dificuldades, já que estava com o docinho pendurado na boca e estava com preguiça de tirar.

— Hm? Tudo bem.

Eu achei que ele apenas iria deixar aquilo pra lá e seguir para casa, mas ele se aproximou de mim e pegou a outra ponta, colocando na boca e começando a comer.

"AI KRALHO"

Senti seu rosto perto do meu, a respiração batia contra meu rosto, eu não sabia se deveria me afastar ou se deveria comer também.

"ME DIZ QUE DESSA VEZ ELES VÃO SE BEIJAR, ME DIZ QUE VAI TER BEIJO"

Ele então mordeu o último pedaço, juntando nossos lábios num selinho.

"AI CARALHOOOO9OOOOOOO9!!!?!!!"

Eu não sabia bem como deveria reagir, então eu me afastei. Eu iria fazer o que eu sempre faço quando algo me assusta: eu iria fugir.

— Eu tenho que ir.

Não dei tempo de resposta e saí correndo para minha casa, enfim entrando nela e me escorando na porta.

Toquei meus lábios, eu ainda podia sentir o toque suave dos dele alí. Meu coração batia freneticamente contra minhas costelas, eu me sentia tão feliz e bem. Eu não pude segurar o sorriso.

— Olha só, alguém está bem contente.

Mereço.

BaekHyun me olhava com um sorrisinho cínico, com um olhar de "eu sei de tudo, meu bem".

— Eu tinha esquecido que você estava aqui.

— Você demorou, hein? Foi se pegar? Ou estava ocupado demais se beijando com TaeHyung? — Sorriu safado.

Arregalei os olhos.

— Como você...

— Eu apenas sei, Yoonie. — Riu.

— Ele quer dizer que te espionou na janela. — KyungSoo brotou.

— Porra! Não estraga meu filme, Kyung!!

O outro deu de ombros.

— Enfim, vamos resolver a questão do trabalho, sim?

Fomos para o meu quarto, eu descobri que Baek pegou todo o meu estoque de doces e deixaram tudo espalhado na minha cama.

Eu fiquei irritado e fiz eles jogarem cada embalagenzinha no lixo, que era seu devido lugar. Eu peguei as coisas que iríamos usar para o trabalho e começamos aquilo.

Demorou, mas conseguimos terminar já que não era algo tão longo. Então após terminarmos tudo, nós ficamos conversando.

— Não acredito que você fez isso! — JiSoo falou incrédula.

— Pois é, eu fiz e fui expulso da escola.  Agora estou aqui. — Falou dando de ombros.

— Como já diria o matador de onça: aqui tem coragem. — Falou o outro ômega.

— Rawr.

Não conseguimos segurar a risada com a imitação de KyungSoo de uma onça. Ele era legal, mas havia feito cada coisa absurda e havia sido expulso de várias escolas.

"Apronto, só falta ele ter Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade!"

Quê?

"Você só vai entender se conhecer Percy Jackson e os Olimpianos"

Obrigado pela recomendação de livro.

— Você tem namorado, Kyung? — Baek perguntou.

— Isso é besteira. — O Do fez pouco caso.

— Como assim besteira?

— Namorados só atrapalham, além de serem grudentos demais! Não, me sinto bem sendo solteiro.

"Acredito"

— Já que você diz. — JiSoo deu de ombros.

Eu olhei a hora.

— Gente, não está na hora de vocês irem pra casa? Já são dez minutos para as oito, você podem acabar perdendo os trens ou ônibus para voltar para casa.

— Oh, céus! É mesmo! — Concordou BaekHyun. — Meus pais vão me matar se eu chegar muito tarde!

— Idem. — Disseram os outros dois.

Eles pegaram suas coisas e se levantaram, eu fui com eles até a porta, mas quando estava prestes a abrir ela para eles saírem, alguém foi mais rápido.

JongIn abriu a porta, dando de cara com a gente. Ele iria falar algo, mas sua voz morreu no momento em que seus olhos caíram em KyungSoo.

Eles ficaram se encarando, sem desviar o olhar em momento algum. O rosto do Do ganhava uma coloração rosada, mas eu não sabia dizer se aquilo era de vergonha ou irritação.

"É O AMOOOOOR, QUE MEXE COM A CABEÇA DO SOO E DEIXA ELE ASSIM"

— Está olhando o quê?!

Depois disso pode-se dizer que houve muita treta.



Notas Finais


Eu sei, me desculpa pelo capítulo ruim e curto

Não sei se foi a pressa ou que seja, mas eu tentei

Queria que tivesse pegado pelo menos uns 5k+, mas saiu só isso mesmo

I'm sorry de novo, vou tentar melhorar no próximo (e tentar não demorar muito)

Kissus de açúcar! ( ˘ ³˘)❤

Fui~

~foge pras montanhas~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...