História Konoha Police - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Hinata, Konoha, Naruhina, Naruto, Policial, Romance Policial, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 72
Palavras 1.795
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Obrigada por favoritarem e pelos comentários! Críticas também nunca serão demais. No próximo capítulo o Naruto reaparece ♡

Capítulo 3 - Alianças


Fanfic / Fanfiction Konoha Police - Capítulo 3 - Alianças

Itachi enche o próprio copo de tequila enquanto observa a sala. De vez em quando, cenas como aquela eram normais dentro da organização Akatsuki, sua mente já as processava como algo do cotidiano dos membros. Outras vezes, o irritavam, ainda mais quando aconteciam durante uma reunião séria.

Deidara jogou uma papelada na mesa assim que Konan saiu de cima dele.

- Tá vendo isso? Seu irmão espancou um dos nossos informantes. De novo. Como ele sabe que eles trabalham pra gente?

Konan rebolou na frente de Hidan antes de atravessar pelo seu colo, chegando até Yahiko que a agarrou e a fez rir, abrindo o zíper da própria calça. Estavam todos sentados em um sofá em forma de C, acolchoado, na cor vermelho sangue, uma mesa oval cheia de papéis espalhados bem no centro deles. Itachi estava entre Kakuzu e Sasori, ambos quase completamente desinteressados no assunto.

- Isso é bem estranho. - Nagato falou ao lado de Yahiko, não parecendo nada incomodado com o ato sexual explícito que acontecia bem do seu lado. - Eu tenho certeza que ele não sabe nossa localização, muito menos que saiba que esses homens trabalham pra nós. Orochimaru deve estar ajudando.

- Hm, não acho. - Yahiko desgrudou a boca do seio de Konan e a pediu que chegasse o tronco para o lado, sem parar de mexer no colo dele. - Orochimaru só quer se livrar da gente, não quer que saibamos dos negócios dele. Mas duvido que ele conte pro Sasuke que esses caras tem relação, mesmo que indireta, com a gente. Ele apenas o usa pra se livrar deles, exatamente pra que ele não saiba como chegar aqui.

- Ele está fazendo o Sasuke queimar as próprias pistas. - Konan disse, quase gemendo. - E o Sasuke está caindo… ahn… como um patinho…

- Pessoal! - Zetsu apareceu na porta da sala de reunião, seu sorriso paspalho de sempre estampado no rosto. - Tem uns caras aqui querendo explicações.

Sem mais palavras, dois homens bombados e uma mulher miúda entraram na sala, parecendo bastante insatisfeitos.

- Olha aqui Yahiko, eu não sei o que você está tramando, mas… - A mulher começou a falar se aproximando dos Akatsuki, mas sua voz travou quando ela viu Konan nua sentando no colo do chefe, que a olhava como se nada estivesse acontecendo.

- Miho-san, certo? - Yahiko acenou com a cabeça, gentil. - Uma pena seu marido ter perdido os dentes, acabei de saber.

Itachi mordeu o lábio, tentando não rir. Mesmo que aquele ato também o incomodasse quando acontecia fora de hora, ver a reação de outras pessoas era hilariante. A velha parecia horrorizada e incrédula, mas o Uchiha sentia a curiosidade no seu olhar. Afinal, todos na sala estavam seminus, o que só podia ser uma coisa.

- Que audácia… - Miho disse, suas rugas se fechando enquanto a feição de antes se transformava em nojo. - Então é isso o que você fica fazendo enquanto meu marido é espancado a mando seu?! Contratando putas pra agradar você e seus amigos?!

Aquilo foi a pior coisa que ela poderia dizer.

Todos na sala a olharam com raiva, prontos pra calar a boca da mulher, não antes de Itachi se levantar e se dirigir a ela. Ele era o mais decente na sala, apenas nu do torso.

- Olha, Miho-san, eu sugiro que a senhora retire o que disse. - O Uchiha pediu enquanto Konan se levantava do colo de Yahiko e ia até ele, o abraçando.

- Primeiro que eu não mandei ninguém bater no seu marido. - Yahiko disse, enquanto fechava a calça. - Se eu não quisesse mais ele como informante, teria mandado matar.

- Segundo que a Konan não é puta. - Itachi continuou.

- Eu sou comprometida. - Konan pegou a deixa, passando a mão macia no peito nu de Itachi enquanto seus olhos cor de mel lançavam um brilho confiante na direção da senhora. - Com todos eles. Somos completamente liberais entre nós, exatamente por confiarmos muito uns nos outros.

- E terceiro que nem todos somos amigos… - Deidara resmungou. - Mas somos mais que isso. Deve existir um termo pra dizer, mas não sei qual.

- Agora... - Yahiko levanta e cruza os braços, todos na sala levantando junto. - Você vai levar uma surra não só por ter entrado sem permissão, mas por ter chamado nossa mulher de puta.



Karin anda pelos corredores do castelo, tentando parecer completamente normal, porém seu coração está a mil.

Alguns minutos antes, estava em um beco bem apertado com Sasuke Uchiha, o próprio, que havia chamado ela pra uma conversa. Primeiro ela achou que fosse uma confissão de amor, treinou sua melhor expressão de surpresa e indiferença no espelho do banheiro antes do horário marcado chegar. Afinal, o homem que ela admirava há tanto tempo havia dirigido a palavra à ela! Desde que Sasuke aparecera com Orochimaru-sama, na época com treze anos, Karin o venerou. Era lindo, inteligente, não era um cracudo como os outros. Antes de ela saber que ele seria um novo morador do castelo, ele a encontrou na rua por um acaso, sendo abordada por um homem enorme e fedido que mais parecia um urso. Sasuke, mesmo tão novo, conseguiu espantar o idiota e dado à Karin duas recompensas lindas e únicas: seu sorriso e um "Você está bem?".

Desde que Karin havia virado moradora de rua após perder a família, ninguém havia sido tão gentil assim com ela. Passou por "muitas e ruins", com homens escrotos e mulheres impiedosas que não ligam pra idade da pessoa quando vão fazer o mal. Depois de encontrar Orochimaru-sama e fazer dele seu "mestre", como gostava de ser chamado, Karin estava um mínimo melhor, tendo pelo menos uma cama só dela e comida nos horários certos.

Porém, após a chegada de Sasuke ela sentia que não queria estar em outro lugar senão ali.

- Eu vou embora. - Sasuke anunciou no beco pra ela. - Vou matar Orochimaru e seguir caminho. Mas preciso de ajuda para o que vou fazer. Está disposta a…

- Eu vou! - Karin falou de imediato, mas percebeu o quanto havia sido fácil. - Q-Quero dizer, eu também quero sair dessa merda de lugar, então te acompanho até metade do caminho…

- Ótimo, mas preciso que me ajude a achar uma pessoa antes.

- Ajudo, claro! S-Se for a única condição…

- Não é. - Ele respondeu de imediato, seus olhos negros observando o local a procura de bisbilhoteiros. - Eu já chamei uma outra pessoa, preciso que confirme com ela. E depois, pretendo fazer uma loucura…

Sasuke explicou o plano e contou quem era a outra pessoa, coisa que a incomodou muito, mas a tal loucura que Sasuke planejava foi o que a fez perder de vez a compostura.

- O que?! - A ruiva endireitou o óculos, não acreditando. - Você pretende levar aquele endemoniado cheio de droga na mente?!

- Sim. - Sasuke disse, dando um sorriso de lado que fez Karin corar e calar a boca. - Mas falamos disso depois. Primeiro, vá fazer o que eu pedi.

E Karin foi, quase aos saltos, mas teve que se conter.

Chegando na sala designada, com porta grossa e de material pesado, a jovem olha pra ver se ninguém havia a seguido e logo depois se tranca lá dentro.

A primeira coisa que vê é um homem nu e deitado numa maca,  parecendo desmaiado.

- Urgh, que nojo. - Karin resmunga.

- Vá se foder… - O homem nu responde, com a voz grogue, sem abrir os olhos.

Karin se aproxima e sente a veia no pescoço do rapaz, a sentindo fraca. Assim que vê a seringa recém usada no chão, descobre o porquê. A ruiva sempre está preparada para esse tipo de coisa. Ela vai até uma das prateleiras mexidas da sala - deixando claro que ele procurou em tudo até achar o que queria - e pega a substância que estava procurando. Várias seringas lacradas estão no chão e ela coleta uma delas, habilidosamente preparando a dosagem em poucos segundos. Sem que o homem perceba, Karin já picou sua veia do braço sem precisar procurar, depois descarta a seringa.

Demora uns instantes até o homem abrir os olhos e levantar, respirando forte.

- Tá sentindo a adrenalina? - Karin pergunta com voz de escárnio. - Você é podre, tinha que ter morrido. Mas agora não, porque o Sasuke precisa de você.

O homem limpa o nariz com as costas da mão e dá um sorriso cheio de presas. Seu cabelo branco roça os ombros devidamente arrumados, para a surpresa de Karin.

Suigetsu Hozuki, 23 anos. Viciado em vários tipos de drogas, mas seu corpo não demostra efeito nenhum do seu vício, além da descomum sede que sente em tempo integral.

- Estou com muita sede.

Karin, já preparada, tira uma garrafa de água da bolsa que carrega e entrega pra ele, que bebe tudo sem nem parar pra respirar.

- Sasuke me disse que já falou com você. - Karin diz baixinho. - Ele me mandou vir te reanimar, mas não sei no que você poderia ajudar…

Suigetsu termina de beber e joga a garrafa de água no chão, levantando e se espreguiçando como se tivesse acabado de acordar de um cochilo da tarde.

- Eu não sou só um merda de um viciado. - Suigetsu responde e dá um bocejo. - Eu sou mantido nessa sala por bons motivos, gracinha. Sou um monstro igual a você.

- Comparado ao cara que Sasuke quer chamar, nós não passamos de cachorrinhos latindo. - Karin diz, sentindo a espinha arrepiar. Sasuke tinha sorte de ser tão lindo para convencê-la.

E o sorriso idiota na cara de Suigetsu a fez perceber que ele já tinha uma ideia de quem poderia ser.

- Não me diga que…

AAAAAAAHHHHHHHH!!!!

Um grito alto de mulher veio do lado de fora, seguido de agitação e coisas quebrando. Suigetsu e Karin se entreolharam, agora sérios, e saíram da sala. Vários moradores corriam pra lá e pra cá com as pupilas dilatadas, cara de desesperados. Suigetsu agarrou o braço de uma garota seminua que passava e a colocou contra a parede.

- O que aconteceu? - Ele perguntou. - Por que estão fugindo?

- Corram, porra, corram!! - A mulher chora, tentando sair do aperto de sua mão, nem percebendo que o homem que a segurava estava nu. - Aquele maluco fugiu! Não sei como, mas ele fugiu e está assassinando todo mundo que acha pela frente!

Um grito rouco de homem faz Suigetsu e Karin darem um pulo de susto.

- Aaaaahhhhhrrrrrg… - A mulher grita e chora, desesperada para correr. - É ele!! É o Juugo!!

Suigetsu solta a mulher que some pelo corredor, enquanto o rapaz ri animadamente. Karin está tremendo, agarrada à bolsa sem saber o que fazer.

- Aquele Sasuke é um maluco do caralho! - Suigetsu anuncia, seus olhos de louco deixando claro que a adrenalina que passa nas suas veias está fazendo efeito. - É por isso que eu gosto dele!!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...