1. Spirit Fanfics >
  2. KoreaBus >
  3. Hm... Hi...?

História KoreaBus - Capítulo 25


Escrita por:


Notas do Autor


hahahahah olha só quem voltou! eu mesma!

obrigada pelos DUZENTOS FAVORITOS EU AINDA TO AKANAAJAKAKKQKAKA sério, amo muito vocês. vocês fazem eu querer continuar sempre.

boa leitura e leiam as notas finais, é muito importante 😎👉💖

Capítulo 25 - Hm... Hi...?


                              ★

Se eu disser que eu não me importei que Jimin tem me evitado após ter descoberto meu cargo na empresa, eu estaria mentindo muito. Não é a primeira vez que me ocorre isso, mas não quer dizer que eu não tenha me entristecido. Na verdade, com Jimin eu estou ainda mais triste.

Depois do ocorrido na minha sala, ele nunca mais se quer olhou nos meus olhos. O destino – ou talvez seja eu andando um pouco mais pelo andar em que ele trabalha – por alguma razão, está nos fazendo cruzar bastante pelos corredores do prédio da empresa.

Ele não parece abatido. Nem um pouco. Ri bastante com um tal de Jungsu até, mas eu não vou me importar com isso.

A empresa tem melhorado em ações depois das melhoras que eu implantei nos ônibus. Park Changwan parou um pouco de pegar no meu pé, mas eu sei que ainda implanta mentiras sobre mim, sempre pondo a culpa da empresa ter decaído no " pequeno Jeon ". Alguns sócios me pediram desculpas pelo modo em que falaram naquele dia, menos o mais velho de todos – o que não me surpreende.

Minha irmã, Jeon Sunmi, está tendo uns trabalhos a mais na empresa por ser a próxima herdeira. Ok, estou sendo um pouco adiantado, mas eu realmente estou a um fio de largar tudo e ir embora para Busan novamente. Sim, eu sou de Busan. Na última semana eu pensei muito nisso e levando em consideração a minha paz interior que eu perdi a exatamente cinco anos atrás.

Em uma semana tudo pareceu mudar na empresa. Hoongjoong entrou de férias, então eu convoquei Kim Nayun. Gosto dela, mas prefiro Hoongjoong.

Namjoon, a pessoa em que eu mais confio nessa empresa, resolveu tirar uma semana de folga para passar mais tempo com Seokjin – o dono do restaurante em que eu vi Taehyung novamente –, seu namorado.

Alguns sócios deixaram de falar com Park Changwan e, finalmente, tentar confiar em mim pela primeira vez em muito tempo. Um exemplo é Kim Jongin, o mais novo dentre todos os outros, está mais próximo de mim e estamos estudando métodos que funcionariam para melhor rendimento de passageiros.

Tudo isso tem ocupado demais a minha mente, mas nada se compara ao meu pensamento a Jimin.

Quando eu acordo a primeira coisa que me vem é: Jimin. Quando eu dirijo até o trabalho: Jimin. Quando eu chego no prédio e aperto o andar errado indo para o que ele trabalha: Jimin. Quando Nayun me chama por problemas no quarto andar: Jimin. Quando vejo Jimin: Jimin. Até quando eu respiro; Park Jimin está na minha mente. Eu odeio e amo isso ao mesmo tempo.

Meu psicólogo particular, ou Hoongjoong, está de férias e eu não tenho nenhuma intimidade com mais ninguém aqui dentro o que é bem estranho, não? O problema é que todos que se aproximam de mim tem algo em mente. Talvez uma promoção? Talvez uma folga? Ou até me tirar do meu cargo...? Vai saber.

Eu sinto pena da minha nova secretária, ela me diz sempre o que eu agendei para fazer, mas tenho tanta coisa em mente – Park Jimin – que me esqueço toda vez, acabando pra ela ter que repetir duas ou, até mesmo, três. Tadinha.

Tenho visitado muito o andar em que Park trabalha e nem é por opção minha. Alguns de seus colegas sempre fazem algo que não deveria ser feito. Um exemplo: alguém, de alguma forma, conseguiu dar pane no sistema. Outro exemplo? Bom, digamos que duas pessoas foram flagradas em um momento íntimo. Foi bem constrangedor eu entrar na sala de impressão e ter que ver algo como isso.

Essa semana está completamente maluca. A empresa nunca esteve tão desorganizada assim. Ou esteve? Ah não importa! Agora eu estou supervisionando tudo isso e não gostando nem um pouco.

Sempre que vou ao tal andar, Jimin me olha, mas logo desvia. A única coisa que eu queria era chegar, o abraçar e talvez até pedir desculpas, mas como fazer isso se ele tem evitado até mesmo respirar o mesmo ar que eu?

Pensando nisso, vou até o elevador e aperto o botão para subir esperando – não tão – pacientemente. Como são dezoito andares, o elevador demora um pouco a subir. Eu só quero dormir em paz, nem isso eu posso?, penso e suspiro alto. O meu andar está completamente vazio, até porque eu fiquei ali até às oito da noite não tinha o porquê ter alguém além de mim ali e até no prédio.

O elevador chegou vazio e eu o adentrei, apertei o andar da garagem e esperei as portas se fecharem. Pensei que iria diretamente até a garagem, mas me enganei ao que o elevador foi chamado no quarto andar. Quem mais estaria aqui?, pensei novamente com uma carranca. As portas se abriram no andar e entrou alguém baixinho apertando o andar do térreo. Vocês já sabem quem é, não?, sorri soprado. Obrigada, destino! – insira um tom irônico aqui:

– O que faz essa hora aqui ainda? - questionei, mas ainda olhando para frente.

– Hora extra... - respondeu tão baixo que quase não o escutei.

– Sinto muito por isso, a empresa está um caos. - finalmente olhei o loirinho ficando de frente para si. Ele me olhou, mas logo abaixou o olhar. – Vamos conversar.

– Meu andar já está chegando... - ah, mas isso não é um problema. Apertei o botão que parava o elevador por um tempo que eu determinaria, pois se eu apertar o botão novamente ele volta ao estado normal. – Jungkook... - falou meu nome junto de um suspiro.

– Olha, eu sei que eu errei, mas eu não vou perder alguém que eu gosto por erro meu. Não de novo. - o encarei e ele me encarava também.

– Como assim " de novo "? Você está me escondendo mais alguma coisa? - enfatizou o " mais " e eu descobri que ele não sabia de nada.

– Então você ainda não sabe?

– Não sei o que? - ele estava começando a ficar irritado.

– Sobre o Taehyung!

– Ya! - me deu um tapa no braço.

– O que? Por que está me batendo? - arregalei os olhos de surpresa.

– Porque eu tô' nervoso! Me deixa! - puxou seus cabelos loiros para trás em confusão. Era uma mania.

– Eu não posso te falar nada agora, não sei que versão ele vai querer te falar... - não é uma mentira. Kim Taehyung sempre inventava mais um ponto a cada conto. – Não podemos conversar sem você saber essa parte da história. - apertei o botão novamente vendo o elevador voltar ao normal.

Quando chegou ao térreo, Jimin saiu ainda muito confuso e quando se deu conta:

– YA! - dessa vez ele gritou. – E quem disse que eu quero falar com você? - disse e as portas do elevador se fecharam comigo sorrindo. Ah, que saudade que eu estava...

                                 ★★


     


Notas Finais


ola! passamos por um hiatus, mas eu já estou de volta – bem pretendo.

eu voltei em uma boa época pra falar que QUARENTENA NÃO É FÉRIAS! se sua cidade está tendo quarentena, NÃO SAIA DE CASA TA ME OUVINDO?!

se hidratem – nunca se esqueçam –, comam direitinho, evitem abraços, beijos e apertos de mãos ao máximo, lavem bem as suas mãos e passem álcool em gel. por favor, não se esqueçam disso, esse vírus é algo MUITO sério!

amo todos vocês e se cuidem direitinho 💖👉😎


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...