1. Spirit Fanfics >
  2. Korrasami: My Bad Girl >
  3. Eu tô indo...

História Korrasami: My Bad Girl - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Corona Vairus meus amigos
Quarentena tá fogo kkkjjj
Mais um capítulo pra vocês
Aproveitem!^-^)

Capítulo 11 - Eu tô indo...


Korra

Estar naquela viatura, algemada, já era em si uma merda pra mim, mas estar sentada ao lado do Mako, sem poder socar ele, era pior ainda.

- Eu ainda vou te fazer abrir a boca, seu rato imundo. - Digo pra ele. - Seja lá pra onde vocês tiverem levado ela, eu vou achar.

- Do que você está falando, sua imbecil?! - Ele começa a levantar a voz.

- Vocês levaram a Asami, não levaram?! Não mente pra mim não seu marginalzinho de merda, você tem total motivo pra fazer isso, acha que eu não percebi é? - Respondo no mesmo tom.

- Vocês dois, aí atrás! Calem a boca! - O policial manda enquanto dirige.

Depois de um tempo, que pra mim mais parecia uma eternidade, chegamos a delegacia, e eu fui colocada na sala de interrogatório.

- Ué, o que tá acontecendo? - Pergunto olhando em volta, e uma mulher de cabelos grisalhos se aproxima, se sentando a minha frente. - Espera aí...Chefe Beifong?! - A olho meio incrédula. Aquela mulher era a que estava no dia em que eu espanquei a Tríade e ao mesmo tempo fui espancada, consegui ouvir o nome e ver o rosto dela antes de apagar completamente na maca da ambulância.

- A própria. - Ela disse meio indiferente. - Já te vi antes garota, e não foi de um jeito bom.

- Já vou avisando que foi eles que começaram - Eu começo dizendo e o olhar que ela me lançou já me fez calar a boca, odeio adimitir, mas ela era realmente assustadora.

- Sem gracinhas. Recebemos um telefonema anônimo de que havia ocorrido um sequestro no local onde você estava, aposto que você e seus amiguinhos da Tríade podem ter um dedo nisso. - Ela tá mesmo me acusando?

- Eu não sou da Tríade, o bonitão ali é - Olho com desgosto pro Mako - ele não gosta nem um pouco de mim. Por que não pergunta pra ele o que tava fazendo lá?

- Não gostei do seu tom. Por que você não me diz o que estava fazendo lá? - A mais velha me olha como se eu tivesse feito alguma coisa, ok, vou ter que jogar a toalha.

- Por que talvez a minha namorada tenha sido sequestrada lá - Eu respondo e Beifong me olha como se me mandasse continuar - O cheiro do carro dela estava lá, tinha sangue e...Pelo amor de Raava, acredita em mim caralho!

Ela não gostou do jeito como eu havia concluído a minha fala, mas pareceu compreender, olhou para o Mako, olhou pra mim, entao um homem entrou pela porta e sussurrou algo no ouvido dela, a chefe se levantou, tirou minhas algemas e se virou pra sair.

- Espera! Vocês vão fazer alguma coisa? - Me levanto perguntando.

- Claro que vamos fazer alguma coisa. Somos a polícia. Agora responda, como é o nome da sua namorada? - A velhota me perguntou enquanto ainda estava na porta.

- Asami Sato. - Repondi e percebi que ela se espantou um pouco, mas logo se recompôs e saiu.

Eu saí da sala e me sentei no banco que o Mako estava, afinal, era o único que estava vago. Cocei minha cabeça fortemente, quase que arrancando o meu próprio couro cabeludo, eu realmente estava desesperada, se alguma coisa tivesse acontecido com ela, se alguma coisa tivesse acontecido com a minha Asami, eu juro que não responderia por mim, e não me importaria de passar o resto da minha vida na cadeia se conseguisse matar todos os responsáveis por isso.

- Então vocês tão namorando, né? - O merdinha do Mako tava querendo puxar assunto.

- O que te interessa? - Dou de ombros, ele era a última pessoa com quem eu queria me preocupar agora.

- Olha Korra, eu... - Ele tenta dizer alguma coisa mas eu o interrompo.

- Puta que pariu cara, você é muito chato! Já tentou me matar duas vezes, tá feliz não? Seu embuste. - Aponto o dedo na cara dele.

- Para de falar o que eu já sei, caralho garota! Dá pra me ouvir? - Olho pra ele com deboche esperando que ele dissesse alguma coisa só pra mim esmurrar ele de novo, e eu realmente não ligava de estar numa delegacia, puta mano chato. - Acho que eu sei quem levou ela.

- Espera, a Asami? Tá blefando? - Como assim cara?

- Eu tenho motivo pra mentir pra você sim, mas quando o assunto é Asami, eu gosto dela tanto quando você! - Iludido. - Ou pelo menos...Só quero ver ela bem.

- Vai me fazer dormir ou vai desembocar logo? Tô perdendo minha paciência com você cara. - Cruzo meus braços.

- Você é insuportável garota! Como ela te aguenta? - Ele teve a audácia de dizer isso na minha cara. - Eu tava indo na direção da sua casa pra ir te meter a porrada mas ai eu vi a Asami saindo de carro, então me escondi em um beco pra que ela não me visse, e uns caras de terno barraram a passagem dela, a tiraram do carro e a levaram embora. Ela lutou contra um deles, mas não deu muito certo.

- Por que tu não fez nada seu bosta? - A informação era valiosa mas a raiva que eu tinha dele naquele momento.

- Eles era 7 e eu sou só um! Eles iam me partir no meio! - Ah não...

- Você e mais 5 traficantes vieram bater em mim, quer falar de covardia agora?! - Aí como eu quero bater nele.

- Puta que pariu, eu sei! - Percebi que ele puxava as algemas a um ponto que já estavam machucando seus pulsos, ele realmente estava agoniado.

- Eu vou entregar a informação pra chefe Beifong e você vai testemunhar, entendeu? Faz alguma coisa de útil se quiser me ajudar a salvar a Asami. - Me levantei e fui em direção à sala dela.

Eu estava tão eufórica e desesperada que até me esqueci de bater na porta.

- Chefe Beifong! - Ela me olha espantada.

- Não sabe bater não garota? Quem te deixou entrar? - Ela me diz meio irritada.

- Acho que sei quem levou ela. - Digo me aproximando.

- A jovem Sato? O pai dela já foi contactado e está a caminho da delegacia. Se quer salvar a sua namorada, volta pra casa e deixa o resto com a gente. - Ela cagou pra mim, ok.

- Eu vou acompanhar a investigação! Não vou voltar pra casa sabendo que ela tá correndo risco de vida. Vai me deixar falar ou não? - Acho que ela não gostou do meu tom, porque a mulher me deu um tapa no rosto.- Tá maluca, Beifong?!

- Mais respeito na minha delegacia garota! Você está devidamente proibida de ter um comportamento agressivo comigo. - Ela disse me olhando. - Te darei uma chance para falar, se não der seus chiliques. - Beifong se repousou na cadeira novamente, e respirou fundo. - Pode falar.

- Okay... - Respiro. - O vagabundo do Mako, como testemunha, me disse que alguns homens de terno levaram a Asami, ele me disse que estavam em 7 e ela tentou lutar contra, conseguindo tirar um pouco de sangue de um deles, mas mesmo assim conseguiram levar ela. - Ao terminar de dizer, solto um suspiro.

- Você acredita no garoto? Ele já foi detido duas vezes por estar com a Tríade e metido com tráfico de drogas, talvez precise mais do que isso, senhorita Sanchez. - Ela assinava alguns papéis, sem olhar pra mim.

- Acreditar é meio difícil, mas se tratando da Asami, não sei se ele teria motivos para mentir. - Concluo. - O Mako é testemunha chave, e por enquanto a única pista que temos é o sangue que estava no asfalto.

- Você está se incluindo demais nisso, Korra, você não é uma policial. - Beifong volta a me olhar.

- Não me importaria de me tornar uma se fosse pra salvar a vida da Asami, e que eu saiba, nunca fiz nada de errado.

- Pôs bem. Vou confiar em você garota, tem uma mente boa. Talvez desse uma detetive algum dia, mais alguma coisa? - Ela se levanta e vai até uma gaveta e começa a mexer, tirando uma folha de lá. - Assina isso aqui, se você morrer a culpa é sua.

- Eh? - Fico confusa com a fala repentina.

Era uma ficha de alistação temporaria na polícia. Preenchi todos os campos da folha e a entreguei de volta para a chefe.

- Certo, tem mais alguma coisa que queira contar?

- Bem...Pelas marcas do asfalto, os carros eram luxuosos, sem contar com o da Asami, que levaram também. - Eu dizia e a chefe anotava num bloco.

- Então não foi um sequestro qualquer, eles estavam mirando nela faz tempo, vem comugo, tenho um palpite de quem possa ser responsável por isso.

Saímos da sala e passamos pelo Mako, que ainda estava algemado no banco.

- Korra! Onde você vai? O que tá acontecendo? - Ele me perguntava tentando nos acompanhar com o corpo.

- Fica pra depois, Mako. - Digo simplesmente.

- Leve esse jovem para a sala de interrogatório, se conseguirem tirar alguma coisa dele, me avisem imediatamente, certo? - Ela perguntou para um policial que assentiu.

[...]

Depois de tanto andar por aquela delegacia que nem eu mesma tinha reparado que era tão grande, Lin abre a porta do aparente laboratório dali.

- Chefe! - Um dos homens de jaleco diz.

- O que descobriram?

- Com a pequena amostra que tinha lá, levaríamos semanas para descobrir precisamente quem era, se não fosse por um porém - Ele estava animado.

- Para de enrolar. - Acho que ela leu minha mente.

- Descobrimos uma toxina no sangue do indivíduo que só membros da Lótus Vermelha possuem! - Ele conclui - Não é esplêndido?

- Lótus Vermelha? - Pergunto.

- Se os homens da Lótus Vermelha realmente sequestraram Asami, então a vida dela realmente pode estar em risco. - Ok, a chefe começou a me preocupar. - Com o tipo sanguíneo preciso, conseguiram descobrir quem era? - Ela perguntou.

- Boom...De acordo com o nosso banco de dados - Ele vai até a impressora da sala e pega um papel, então vem e o entrega pra mim - o homem que sequestrou a senhorita Asami não é ninguém mais ninguém menos que...Ghazan, o vice-líder da Lótus Vermelha.

Eu olhava aquele papel, olhava a foto do homem, era ele...Ele quem havia levado a minha Asami de mim, e mais importante, alguém havia mandado ele fazer aquilo.
Eu vou encontrar a Lotus Vermelha, e não vou hesitar em matar todos os responsáveis por isso!

Asami...Eu indo.








Notas Finais


Eita que o negócio tá doido
Gente alguém segura ela??
Até eu tô me preocupando kkkkkk
Até a próxima meus amores.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...