História Kósmically Love - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias David Bowie
Personagens Personagens Originais
Tags Alladin Sane, Cosmos, David Bowie, Espaço, Halloween Jack, Lady Stardust, Major Tom, Thin White Duke, Universo, Ziggy Stardust
Visualizações 93
Palavras 1.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Just the Beer Light to Guide Us 2


—Gente...— Gilly começou a dizer — Aqueles caras da TV estão do outro lado da rua cercados de humanos chorando ou bebi milk-shake demais? —Ele perguntou para os amigos.

Ziggy olhou para além da janela e viu exatamente o que Gilly estava vendo.

—Não, você não bebeu milk shake demais. Vejo exatamente a mesma coisa...—Ziggy estreitou os olhos.

—Nós deveriamos nos preocupar, humana? —Willy perguntou para Sky preocupado com o que via do outro lado da rua.

Sky já estava ficando irritada com os três esquisitos. De onde será que eles vieram e porque falavam de "humanos" como se nem fossem humanos. Como se humanos fossem seres ilustres.

Mas eles pareciam...humanos. Ou talvez eles fossem um bando de viciados em drogas. Drogas daquelas bem pesadas.

Sky nunca se sentiu tão confusa em toda a sua vida.

—Humana, não. Meu nome é Sky e não, não precisa se preocupar. É uma aglomeração fora do comum mas não acho que seja importante —Sky disse sem ter certeza. Talvez fosse algo sério mas não lhe dizia respeito. Não poderia largar o trabalho naquele momento para ver o que estava acontecendo, por mais que sua curiosidade a corroesse por dentro.

—Não seja medrosa, Sky —Ziggy Stardust disse a ela como se lesse seus pensamentos —Sei que assim como nós, você quer ir até o outro lado da rua para ver o que está acontecendo mas como você é uma boa garota vai ficar aqui somente com sua latente curiosidade porque tem medo da sua chefe detestável te demitir.
Ele se levantou e se aproximou de Sky novamente, que estava assustada como aquele homem de cabelo laranja e corpo esquelético conseguia saber exatamente o que ela sentia no fundo de sua alma.

—Não se reprima desta forma tão injusta—Ziggy Stardust disse olhando-a intensamente nos olhos como se quisesse levá-la para outro lugar. Outro mundo. O mundo onde ele pertencia que certamente não era aquele mundo. Era um olhar hipnótico, quase divino.

Ela desviou o olhar e abaixou a cabeça. Não conseguia olhar naqueles olhos intensos e impregnados de perigo e segundas intenções por nem mais um segundo. Ele, com a ponta dos dedos delicamente levantou a cabeça dela que sentiu seu rosto esquentar quando ele o fez. Ele deu um sorrisinho malicioso no canto dos lábios e Sky sentiu algo fervilhar dentro de si.

—Vamos, seus idiotas. Nós temos que saciar a nossa curiosidade —Ziggy se virou e chamou os outros dois esquisitos para acompanhá-lo até o outro lado da rua, onde a aglomeração de pessoas se tornava ainda maior.

Willy e Gilly se levantaram da mesa e seguiram Ziggy até a porta da sorveteria. Já do lado de fora, Ziggy Stardust olhou para o céu que estava cinza. Desejou secretamente que o céu estivesse como os olhos da garota Sky. O vento trazia um aroma de chuva e as nuvens nebulosas anunciavam uma tempestade que estava por vir. Algo no cosmos se movimentava inquietamente e uma energia poderosa e implacável se alastrava por aqueles humanos que choravam desconsolados. Aquela energia era incomum. Implácavél. Algo de muito errado estava acontecendo.

Ziggy Stardust, Willy e Gilly se aproximaram daquelas pessoas e aquela energia incomum os arrebataram. Um réporter dizia que devido aos danos causados pelo ser humano com a mãe natureza de forma cruel e desenfreada, foi decretado que o planeta Terra não suportaria nem ao menos mais uma década. Ele tinha somente cinco anos de existência. Todos iriam morrer em cinco anos.
Ziggy Stardust não conseguia acreditar em toda aquela conversa absurda. Aquele homem estava mentindo. Como o planeta azul que era tão bonito e contrastante em todo o sistema solar se acabaria de forma tão abrupta? Como se nunca tivesse existido. Como se nunca tivesse tido pessoas nele. As pessoas. Ziggy gostava delas. Gostava de estar com elas. Ele preferiu não acreditar naquele homem, mas o cosmos estava inquieto. Desiquilibrado. O céu queria despencar uma escura tempestade. O reportér chorava como uma criança desconsolada que seu rosto ficou todo molhado devido a suas lágrimas descontroladas. Ziggy Stardust não queria acreditar naquilo, mas aquele choro parecia verdadeiro. Era verdadeiro. Aquele homem não estava mentindo. Mães com suas crianças choravam e Ziggy começou a pensar em sua mãe que vivia dizendo a ele para não querer todo o universo somente para si de apenas uma vez. Mas ele queria. Queria conquistar as estrelas. Queria conquistar cada planeta do universo. Ele queria conquistar a Terra.
E agora tudo parecia se esvair de suas mãos como pó. Como conquistar a Terra em tão pouco tempo? Cinco anos se mostravam diante de seus olhos. Seu coração se quebrava em mil pedaços como um cristal frágil. Ele estava vulnerável. A tempestade se aproximava. Ele pode ouvir um canto rouco e solitário de algum lugar longícuo do universo. Lady Stardust cantava sobre escuridão.

"Lady, minha querida Lady. Não posso voltar para você. Eu preciso salvar o planeta azul"

Sky estava ao seu lado. E seus olhos estavam tão azuis como se ela tivesse roubado a cor azul do céu. Ele a olhou de soislaio e pode ver seus olhos marejados. A tempestade se alastrava até mesmo nos olhos cor de céu iluminados daquela garota.

—Sua ladrazinha. Devolva o azul do céu dos seus olhos antes que essa tempestade começe — Ele disse a ela, melancólico —Aí está você. Como foi fazer algo perigoso como atravessar a rua sem contar a sua chefe? —Ele perguntou com sarcasmo.

Sky deu de ombros pois tentava compreender o que acontecia naquele lugar. Porque todos choravam? Porque aquele reporter chorava tanto? Porque tudo estava tão triste?

—O que está acontecendo aqui? — Ela murmurou.

Ziggy Stardust estava surpreso. Estava confuso. Não sabia como proceder.

—Cinco anos, meu amor — Ele respondeu a ela — Isso é tudo que nós temos.

—Cinco anos o quê? — Ela parecia não entender.

—Cinco anos de existência. Isso é tudo o que nós temos antes de nos transformarmos em poeira cósmica. —Ele respondeu a ela com raiva —Aproveite e largue este emprego. Você não terá nada a perder.

—Espere um pouco. Está querendo dizer que a Terra vai ser dizimada em cinco anos? É isso? —Ela disse contendo um risinho que queria sair de sua boca.

—Exatamente. E as coisas irão se tornar piores. Difíceis. O amor se tornará apenas uma lenda. Talvez desastres naturais seja o menos importante. A esperança irá desaparecer mais rápido do que este planeta. —Ele disse com pesar e uma dor latente em seu peito.

Sky só conseguia pensar no quanto ele parecia lunático.

—Você é maluco —Ela disse —Você e esses seus amigos que nem parecem deste planeta.

—Talvez. Mas a Terra irá acabar e você continuará fazendo o que sempre faz se não seguir o que acredita. O mundo pode ser todo seu se você realmente desejá-lo. E você só tem cinco anos pra isso —Ziggy alertou a ela, que desviou o olhar —Seus olhos deveriam ser de outra cor. Você não merece esta cor azul viva se é tão escura em seu interior.

"Não se reprima de forma tão injusta"  A voz dele ecoava em sua mente.

—Que seja. Vou continuar achando tudo isso absurdo — Ela disse.

—Tudo bem, Sky — Ziggy disse colocando uma mão em seu ombro para consolá-la —Eu serei o salvador de todos vocês.

—Você será o salvador de todos nós? —Ela perguntou espantada.

Ziggy Stardust não respondeu. Sua cabeça doía como nunca havia doído antes. Seu coração estava quebrado com tudo o que estava acontecendo. Com a tempestade que estava por vir. Com Lady Stardust cantando músicas sobre desgraças e escuridão atráves do cosmos.

Em cinco anos no planeta Terra, Ziggy Stardust pensou ter aprendido tudo sobre os humanos. Mas depois de saber que a Terra desapareceria para sempre, tudo pareceu diferente. Ele percebeu que ainda tinha muito o que aprender com os humanos.

E ele não tinha tempo a perder. Cinco anos para espalhar a mensagem. Para salvar a Terra.

—Que a Beer Light nos guie, meus amigos. Agora a Terra depende de nós. —Ele disse para Willy e Gilly, que já sabiam exatamente por onde começar.

                                         ☆


Notas Finais


•Heeeeeey, olha eu aqui novamente o/•
•Queria dizer que cada fav de vocês é um tiro no meu coração, não tenho estruturas•
•Ziggy irá aprender com os humanos e os humanos aprenderão com ele inclusive Sky e isso é tudo que posso dizer•
•Um beijão e até o próximo•


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...