História Kupidon - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Arrow, The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Dra. Caitlin Snow (Nevasca / Killer Frost), Felicity Smoak, John Diggle, Laurel Lance, Malcolm Merlyn, Moira Queen, Oliver Queen (Arqueiro Verde), Roy Harper (Arsenal), Thea Queen, Tommy Merlyn
Tags Arrow, Drama, Olicity, Romance, Suspense
Visualizações 124
Palavras 8.115
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aqui estou com mais um capítulo, e antes do combinato.
O fato, é que eu viajarei amanhã e por isso não poderei postar o capítulo.
Como eu não quero deixá-los sem capítulo essa semana, ainda mais sendo um capítulo "normal"... I'M HERE.
Nesse capítulo teremos o momento mais fofo do mundo: Oliver, Felicity e Kitty. Amei escrever as cenas deles juntos.
Tenho certeza de que vão achar fofo, assim como eu.

BOA LEITURA

Capítulo 30 - Capítulo Dezenove


Fanfic / Fanfiction Kupidon - Capítulo 30 - Capítulo Dezenove

(Gêmeas Look1)  A porta foi aberta e Felicity sorriu ao vê-las. As garotinhas correram para a mãe, que estava sentada na cama. Antes delas pularem na cama para abraçar Felicity, Oliver as parou. 

Tomem cuidado. - Colocou uma por uma em cima da cama, uma de cada lado de Felicity. - Lembram do que eu disse? Vocês podem machuca-la. 

Mamãe, você está melhor?  

Estou. Vocês estão bem? - Elas assentiram. Felicity as abraçou de volta quando as meninas a abraçaram uma de cada lado do corpo. Malcom, que tinha se afastado da cama quando as gêmeas se aproximaram, a olhou. - E vocês, não estão dando trabalho para o tio Barry, estão? 

Não. Agente comeu panqueca hoje, mas não é igual a sua. - Oliver sorriu. 

Mamãe, você vai pra casa hoje? - Elas voltaram a se sentar, olhando-a. 

Não. Eu ainda vou ficar aqui mais dois dias. - Elas fizeram um bico. - Vai passar rápido. - Ela esperava que passasse mesmo. 

Malcom, obrigado por ficar com ela. 

Não foi nada. Ela é minha filha afinal de contas. - Eles observavam a conversa da mulher com as filhas. - Eu tenho que ir, Rebecca está sozinha em casa e eu não gosto... - Oliver assentiu. - Qualquer coisa você me liga? 

Claro. Não se preocupe. - Foi a vez do homem assentir. Ele se aproximou da cama.  

Eu já vou indo, querida. - Tanto Felicity quanto as gêmeas o olharam. 

Já vai? 

Sim. Deixei Rebecca em casa sozinha. - Ela assentiu. - Mas eu vou te visitar quando estiver em casa. 

Não precisa se preocupar, eu já estou bem. 

Mesmo assim. - Ele olhou para Oliver e depois voltou seu olhar para a filha. - Você quando quer é mais teimosa que eu. 

Ah. - Ela cruzou os braços e as filhas riram. 

A gente diz o mesmo. - Malcom sorriu. 

Eu não sou teimosa. - Reclamou. - E se o senhor diz que eu sou teimosa, devo ter pegado isso do senhor.  - Malcom não pôde discordar. 

Não se preocupe que ela vai fazer tudo o que a médica mandar. 

Eu não sou uma criança. - Reclamou novamente. - Mas não se preocupe, pai, eu irei me comportar. - Ele assentiu com um sorriso. 

Agora eu fico mais calmo. - Ela sorriu. - Já vou indo. - Beijou o rosto da filha e das gêmeas, apertou a mão de Oliver e saiu. Assim que ele saiu, Meredith, a médica, entrou. 

Com licença. - Ela sorriu. - Vejo que está bem melhor. Mas como não estar, não é? - Olhou para as gêmeas. - O Sr. Queen disse que era capaz de você fugir do hospital caso eu não deixasse você ver suas filhas. - Oliver jogou os braços para o alto quando a namorada o olhou. - Achei melhor prevenir que isso acontecesse. 

Não gosto de ficar muito tempo longe delas. - Passou a mão na cabeça de ambas, sem bagunçar os cabelos.  

Eu entendo. Tenho três em casa e são minha paixão. - Felicity sorriu. - Bom, eu quero saber como está se sentindo. Você não está sentindo dores? 

Não. Eu estou bem. Só incomodada nessa cama. - Oliver sorriu. 

Eu preciso ver sua pressão. - Ela se aproximou da paciente. Oliver se aproximou para tirar as gêmeas da cama, mas Meredith o impediu. - Não é preciso. Elas não estão me atrapalhando. 

A mamãe está bem mesmo? 

Está. Ela só vai ficar aqui para que eu cuide para que ela não piore, entendem? - Elas assentiram. - Mas em dois dias ela estará com vocês. - Felicity sentiu um pouco de pressão no braço direito. - Está normal. - Sorriu. - Isso é bom. Quer dizer que eu não terei que te segurar aqui por mais um dia. 

Deus me livre. - Ela e Oliver riram. - Não sabe o quanto estou agoniada nessa cama. 

Eu sei. - Oliver disse. - Mas você terá que ficar de repouso em casa também, certo, doutora? 

Sim. Eu não quero que faça qualquer esforço. Subir e descer escadas nem pensar. 

Impossível. Moramos em um apartamento que têm escadas. 

Seu noivo pode carrega-la. - Felicity arqueou o cenho. - Não quero que fique se abaixando também. Lembre-se, você fez uma cirurgia arriscada. - Ela estremeceu. - Eu volto amanhã para vê-la novamente. 

Obrigado.  

E as suas filhas podem ficar até ás 18h. Não posso deixar que fiquem mais que isso. - Oliver assentiu. - Mas se quiser trazê-las amanhã novamente, não tem problema. - Ela se despediu e saiu. 

Mamãe, a gente não pode dormir aqui com você? 

Não. Aqui não é lugar para crianças. - Ela gostaria de ter as filhas por perto, mas ali não era um local para elas.  

Mas a gente não quer ficar longe de você. - Felicity sentiu um aperto no peito. 

Não vai ser tantos dias. - Oliver se pronunciou. - Por que não mostram para mamãe o que trouxeram? - Se sentou na poltrona do lado da cama hospitalar. 

O que é? 

Mamãe essa é você? - Mostrou a fotografia. Nela estava Felicity e Caitlin sorrindo. Dava para saber que era natal por causa do gorro na cabeça de ambas e a árvore linda atrás delas. 

Onde encontraram? - Pegou uma das fotografias. 

Tio Barry nos mostrou. Tia Laurel ficou surpresa. Você não era loira, mamãe? 

Não. Eu era morena. Meus cabelos eram assim, bem negros. - Sorriu. - Me lembro de ter dito que um dia lhe mostraria. - Disse olhando-o. 

As gêmeas ficaram surpresas. Me mostraram assim que cheguei para busca-las. - Pegou uma outra fotografia, nela Felicity estava no meio de Barry e Caitlin, também com a roupa de natal. - Você era tão linda quanto é agora. - Felicity sorriu. 

Obrigada. Acho que você ficaria assustado se conhecesse essa Felicity. 

Por que? - Ele arqueou as sobrancelhas, mas tinha um sorriso nos lábios 

Porque eu era atrevida. Muito atrevida. Eu deixei meu cabelo crescer depois que saí de Las Vegas. E mudei consideravelmente. Eu quase não sorria nessa época. Me lembro que era muito fechada com todos. 

Mais do que era antes de namorarmos? 

Muito mais. 

Por que, mamãe? - Felicity olhou para Oliver. 

A mamãe passou por algumas coisas... Ruins. - Oliver quem respondeu. - Mas isso é passado. - Disse olhando nos olhos verdes. - Eu me apaixonaria por essa Felicity.  

Mesmo sabendo que eu era gótica? 

Mesmo sabendo que era gótica. - Ele riu. - Mas eu não te imagino gótica. Quer dizer, olhando essa foto... É como se eu visse outra pessoa, não você. 

Gosto mais da mamãe loira. - April comentou. - A mamãe de cabelos pretos parece assustadora. - Felicity riu. 

Eu era um pouquinho.  

Você era bonita, mamãe. Mas é muito mais bonita agora. - Felicity beijou o rosto de Amily. - Tem mais fotos, mamãe? 

Tenho. Quando eu for para casa eu mostro para vocês. 

Você parece feliz nessas fotos. - Ele comentou sem pensar. 

Eu estava. Barry, Caitlin e Helena foram ótimos amigos. Eles me ajudaram muito. Eu tive uma vida feliz apesar de tudo. - Seus olhos se tornaram tristes. 

Mamãe, está triste? 

Não. - Forçou um sorriso. - Só me lembrei de algumas coisas... - Olhou para Oliver.  

Vamos nos lembrar só das boas, okay? - Ela assentiu. - Bom, Thea me ligou perguntando como você estava. E disse que meus pais contrataram alguém para decorar a casa. 

Mas pensei que faríamos isso. 

Com você assim? - Arqueou as sobrancelhas 

Oliver... - Ele a interrompeu, sabendo que ela ia retrucar. 

Não. Nem pensar. Ouviu a médica. Você precisa de repouso. - Ela cruzou os braços. - No natal vamos todos para lá. 

Então estarei de alta antes do natal? 

Eu preferiria que você ficasse mais alguns dias de repouso, mas como é natal e eu sei que você não vai aceitar... 

Não mesmo. 

Já falei com sua médica e ela disse que contanto que você não faça tanto esforço, tudo bem.  

A vovó já comprou a árvore, mamãe. - Amily disse. - A tia Thea mandou a foto. 

A gente não vai comprar a nossa, papai? - Oliver olhou para April. 

Amanhã quando for busca-las, a gente compra. - Elas assentiram. - Aproveito para pedir para Tommy ficar aqui com você. 

Tudo bem. - Não adiantaria reclamar mesmo. Felicity se mexeu na cama e Oliver percebeu que ela estava cansada. 

Cansada? - Assentiu. - É o medicamento. Você pode dormir um pouco se quiser. 

Não. - Balançou a cabeça. - Eu durmo quando você levar as gêmeas. 

Vou pedir para Barry vir busca-las para eu não ter que deixá-la sozinha. - Se levantou. - Eu já volto. 

Papai, eu quero suco. 

Eu trago quando eu voltar. - Beijou o rosto da namorada e das filhas e saiu. 

Enquanto o papai não volta, porque não assistimos alguma coisa? - Felicity ficou mais no meio da cama e bateu com as mãos no colchão, chamando-as para deitar cada uma de um lado. - Vamos ver o que está passando. 

Mamãe... - Ela olhou para April. – A gente se assustou. - Os olhos delas estavam lacrimejados e Felicity sentiu seu peito apertar novamente. 

Me desculpem. - Beijou a testa de ambas. - Não queria assusta-las. - Elas abraçaram a mãe, apoiando a cabeça nos ombros dela. - Vou tentar não fazer mais isso, okay?  

Uhum. - Felicity acariciava o tronco delas. - Te amo, mamãe. - Sussurraram juntas. 

Eu também amo vocês. Muito. - Felicity, mesmo com o soro em um dos braços, conseguiu abraçar as duas. 

**--** **--**  

**Felicity** 

Laurel? - Me surpreendi ao vê-la. - O que faz aqui? (Laurel Look1)  

Eu vim te ver. - Sorriu. - Aproveitei que vim fazer a ultra. Barry está lá fora com Oliver.  

Entendo. - Abaixei meus olhos. 

Eu sinto muito. - Assenti, meus olhos voltaram a marejar. E ela se aproximou ao perceber isso. - Ah, Lis.  

Eu ainda não compreendo por que tenho que passar por tudo isso. - Laurel se sentou ao meu lado, na poltrona.  

Eu sei que é difícil. - Pegou na minha mão direita. - Mas você vai superar isso. Você é forte, Lis. 

Eu não sou, não. - Apertei sua mão. - Eu sinto uma dor forte aqui. - Coloquei a mão livre em meu peito. - Como se não fosse parar de doer nunca mais. 

Desabafe, então. Vai te fazer melhorar. - Solucei duas vezes seguidas.  

Tudo isso é muito difícil para mim. - Ela assentiu, compreendendo. - Eu sinto tantas coisas... - Solucei outra vez. - Eu tenho duas filhas. Dois irmãos. Um pai... Amigos. Um namorado... - A olhei. - E essa gravidez que nunca vai adiante. - Laurel colocou a mão no meu ombro direito. - E para piorar tudo... estou colocando todos em perigo. Eu não aguento mais. - Solucei mais uma vez e Laurel se aproximou, sentando-se, na cama. 

Olha... Eu sei que é duro, amiga. Eu sei que é duro, mas muito mais duro é você não ter nada. - Ela pegou em minha mãe e a olhei. - Acredite. Eu sei que dói, com tudo o que está acontecendo. Eu sei disso. Mas é muito melhor ter todas essas pessoas que te ame, do que se excluir. Isso não vai te fazer feliz, Lis. Eu posso te garantir que tudo que está te acontecendo, vai melhorar. Você vai superar tudo isso. Pare de se sentir culpada, pare de pensar que deveria deixar a todos... Você não pediu para ter Cooper atrás de você. Ninguém te culparia por ter um louco te perseguindo. Ou por esse mesmo louco, tentar nos fazer algo. - Sorriu. Ela respirou fundo antes de continuar. - Eu sinto que... Que você é uma escolhida. E que consegue suportar muita dor. Porque talvez, a sua missão nessa vida seja superior. Eu acredito nisso... - Ela passou um dos dedos no meu rosto, enxugando minhas lágrimas. - Te juro que acredito nisso. - As lágrimas não paravam de cair pelo meu rosto. Eu não conseguia me sentir segura. Não conseguia parar de me preocupar com a minha “família”. Eu queria tanto não ter perdido esse bebê. -Você quer que eu chame o Oliver? 

Não. - Minha voz saiu fraca e trêmula, por causa do choro. - Me dá um abraço? - Laurel me abraçou e me deixou desabar. Passando as mãos nos meus cabelos, esperando que eu me acalmasse. 

**Felicity** 

**--** 

(April and Amily Look2 e Felicity Look1) 

Uau... - Comentou assim que as portas do elevador se abriram. - Vocês fizeram isso sozinhos? - Olhou para os três que estavam atrás de si. 

Não. Thea e Roy ajudaram. - Sorriu. - Não foi fácil decorar o apartamento, mas... Você gostou? 

Ficou perfeito. - Estava parecido com a decoração do ano passado em seu apartamento. - Caitlin deu alguma dica? 

Eu não sabia como você gostava, então perguntei para Caitlin. - Ele olhou para a namorada. - Espalhamos as fotos que eu tinha mandado revelar, pelo apartamento. 

Sério? - Oliver pegou em sua mão. 

Tem uma bem grande na parede da escada mamãe. - As meninas correram na frente e pararam no quinto degrau, olhando para as fotografias, uma grande e duas um pouco menores de cada lado dela. Na grande estava as gêmeas, Oliver e Felicity e os bolos de aniversário em frente ás meninas. Na do lado direito estava Oliver com April no colo e Felicity abraçada a Amily. E na do lado esquerdo estava as gêmeas abraçadas e atrás delas, Oliver beijava a bochecha de Felicity. Todas do aniversário das gêmeas. 

As gêmeas preferiram coloca-las aqui. 

Ficou bom. - Sorriu. - Eu nem sabia dessa. - Tocou a que Oliver lhe beijava. - Quem tirou? - Se virou para o namorado, mas quem respondeu foram as gêmeas. 

A tia Thea. - Felicity revirou os olhos. É claro que foi ela. - Ela disse que mandou todas para o papai. 

Eu tinha me esquecido de mostrar as que Thea havia tirado. - Subiram as escadas com o pai atrás, que carregava a mãe, já que ela não podia subir escadas. No corredor tinha mais três fotografias grandes. Em uma estavam as gêmeas e Lyon abraçados, sorrindo. Do lado dela, a que ficava no meio, estava Oliver e Felicity de frente um para o outro, os braços de Felicity rodeava o pescoço de Oliver, seus rostos estavam muito perto um do outro. E no último, estavam as gêmeas, Lyon, Kitty e Felicity no apartamento do Tommy, sentados no tapete branco com a bebê no colo da loira. 

Thea? - Felicity perguntou ao olhar a foto dela e Oliver. 

Sim. Ela que colocou essa aí. - As gêmeas olharam para a mãe. - Eu nem sabia dessa. Eu tinha comentado que ia revelar as fotos e ela aproveitou que vinha aqui anteontem e trouxe essa.  

Eu nem sei que lugar é esse. 

A mansão dos meus pais. - Ela o olhou. - Da para eu saber porque esse é meu antigo quarto. 

Como que ela...? - Arqueou as sobrancelhas. 

Ela é a Thea. - Deu de ombros e Felicity riu. - Nem me surpreendo mais. 

Eu gostei. - April concordou com a irmã. 

Eu também. - Elas sorriram. - Tem mais? 

Têm, mas eu acho que você deveria ir para a cama. 

Oliver... - Revirou os olhos. - Você me carregou até aqui em cima, não vou fazer turismo. - Ele balançou a cabeça.  

A gente colocou fotos no quarto também mamãe. - As meninas abriram a porta do quarto delas e chamou os pais. 

Depois daqui você vai para a cama. - Felicity revirou os olhos novamente. - Você quer ir à mansão para o Hanukkah, certo? - Ele não esperou por uma resposta. - Então, vai fazer tudo o que a médica mandou. 

Okay. - Entraram no quarto e Felicity viu mais seis fotografias, tirando as que elas já tinham. Duas pequenas, duas médias e duas grandes. Duas pequenas estavam na mesa de cabeceira, nessas duas, estavam elas e os pais abraçados, mas uma tirada no aniversário delas e a outra tirada no dia do aniversário do Lyon. As duas médias estavam na parede da cama, uma estava Felicity e Oliver lado a lado com April no meio dos dois e a outra igual, mas com Amily no meio, também tiradas no aniversário das gêmeas. As grandes estavam na pequena sala do quarto, onde tinha a televisão. Uma na parede do sofá, nela estavam os quatro, com April no colo da Felicity e Amily no de Oliver, Caitlin e Tommy com Lyon no colo, Laurel e Barry com Kitty no colo. A outra estava na parede onde estava a TV, a foto era parecida com a outra, a diferença era que April estava no colo do pai e Amily no da mãe, Lyon no meio de Barry e Laurel e Kitty nos braços do Tommy com Caitlin segurando a mãozinha da filha.  

Estão perfeitas.  

Eu concordo. - Felicity então viu uma que ela não tinha visto antes. - O que foi? 

Essa... - Se aproximou e pegou a pequena foto que estava do lado da TV. - Como... - Ela não entendia, não tinha como aquela foto ter acontecido. Estava ela e outra pessoa, lado a lado. Oliver olhou para as gêmeas. A primeira vez que ele viu aquela fotografia ele também tinha se assustado. 

A tia Thea que mandou fazer, mamãe. - Felicity desviou o olhar da fotografia para as filhas. - A gente queria uma foto das duas, então tia Thea mandou fazer. - Felicity olhou para Oliver.  

Eu só soube quando Thea chegou aqui e entregou para elas. 

Nossa... - Olhou novamente para a fotografia. Estava ela e Sarah de costas uma para a outra. - Ficou tão... - Arqueou as sobrancelhas. - Real. 

Você não gostou, mamãe? - Felicity voltou novamente seu olhar para as filhas e sorriu. 

Claro que gostei. - Colocou a fotografia no mesmo lugar de antes. 

A tia Thea mandou fazer duas. - April correu para a mesa de estudos e pegou outra fotografia. Outra montagem, muito real e entregou para a mãe. Nessa Felicity e Sarah estavam de frente uma para a outra, mas com os rostos virados para o lado.  

Como Thea conseguiu? 

Não sei. Ela disse que tinha um amigo que fazia esse tipo de coisa. - Felicity entregou de volta para April. 

Ficou bem legal. - Se sentou no sofá, de vagar e as puxou para perto. - Mas porque vocês não colocam essa na mesa de cabeceira?  

Vai ficar melhor, mamãe? 

Só para vocês terem Sarah perto de vocês também. - Elas se olharam e voltaram os olhos para a mãe. - O que acham? 

Assim a gente vai ter as duas mamães por perto, né? - Oliver sorriu. 

Sim. Vai sim. - Elas foram juntas fazer como a mãe instruiu. 

Ficou bem real, né? - Ela o olhou. 

Muito. Ela já estava grávida naquela foto? - Oliver pensou um pouco antes de responder. 

Eu não sei, na verdade. - Sorriu. - Ela estava sempre tirando fotos. Ela amava. Então, eu não vou saber se ela já estava grávida naquela foto. Talvez, se eu ver a foto verdadeira, eu me lembre. - Ela assentiu. - Vocês se parecem em algumas coisas. 

Que coisas? - Oliver se sentou do lado dela, no mesmo momento em que as gêmeas voltavam. 

A forma enrolada de falar. Não era tanto quanto você... Mas às vezes ela fazia isso. Em como você gesticula com as mãos, isso ela fazia e muito. No começo até me assustava em como vocês eram parecidas nisso. 

A mamãe Sarah parecia com a mamãe? - Oliver assentiu. 

Em algumas coisas. 

Eu não imaginava. Por isso você me observava tanto. 

Não era só por isso. - Felicity sorriu, entendendo o que ele queria dizer. - Bom, agora que já viu todas as fotografias... - Felicity já sabia o que ele diria. - Você já pode ir descansar. 

Eu descansei por três dias, Oliver. 

E vai descansar os dias a mais que a médica mandou. - Ele se levantou. 

Estou com fome. - Disseram juntas. 

Alli deixou o almoço pronto. 

Ela ainda está vindo? 

Ela veio hoje, porque sabia que não teríamos tempo de preparar alguma coisa. - Sorriu. - Allissa fez questão. 

Ela não precisava. Ela tinha que estar de folga.  

Eu vou dar a semana do natal e do ano novo para ela. - Felicity assentiu. Ele a ajudou a se levantar sem fazer muito esforço. 

Agente pode comer assistindo TV? - Elas seguiam na frente dos pais. 

Claro. Enquanto o papai vai buscar, ficamos no quarto. - Olhou para o namorado. - Até porque, ele não vai me deixar descer. 

Bem pensado. - Ele caminhou até as escadas e elas entraram no quarto do casal. 

**--** 

Felicity lia um livro enquanto o namorado tomava banho. Há poucas horas, Tommy tinha convidado a eles para irem ao cinema. Iam todos, inclusive Thea e Roy. Mas como Felicity ainda não estava autorizada a sair de casa, Oliver deixaria as gêmeas com os tios e voltaria para casa. Oliver saiu do banho apenas com uma bermuda grafite. 

Você tomou o remédio? - Perguntou enquanto secava os cabelos com a toalha. 

Sim. - Ela o olhou. - Você tem certeza que não quer ficar lá? - Largou o livro do seu lado. 

Tenho. - Caminhou até o closet. - Não quero deixa-la sozinha. 

Eu ficaria bem. Eu não quero que deixe de se divertir... 

Não estou deixando. - A olhou, interrompendo-a. - Faz um tempo que não ficamos sozinhos. 

Ainda não estou liberada para fazer "exercícios" - Frisou e ele riu. 

Eu sei disso. - Ela desviou os olhos - Podemos ver um filme. 

Estou cansada de filmes. E de livros. - Pegou o que estava ao seu lado enquanto fazia um bico. 

O que quer fazer, então? - Ela se levantou. 

Eu podia ir com você e as gêmeas... - Ele arqueou as sobrancelhas. - E podíamos ficar por lá. 

De jeito nenhum. - Respondeu de imediato e ela cruzou os braços. - A médica não te liberou. E outra... Você não disse que está “cansada de filmes”? - Frisou. E ela odiou ele ter usado suas palavras com ela. 

Estaremos com nossos amigos, Oliver. - Explicou. 

E aqui você estará comigo. - Ela fez novamente, aquele bico que ele achava fofo. - Vai ser divertido. - Lhe deu um beijo rápido. - Não faça essa cara. 

Eu queria sair. Eu quero... Fazer alguma coisa além de ficar em casa. Presa. 

Você não está presa. - Ele revirou os olhos. 

Eu queria voltar a trabalhar. 

Nem pensar. - E novamente ele respondeu imediatamente. Ele queria impedi-la de voltar para a empresa. Queria ela segura e no apartamento deles. - Nem quando sua médica liberar sua saída. 

Oliver, eu tenho que trabalhar. - Diz indignada. 

Só quando sua psicóloga permitir. - Ou seja, quando eu quiser, ele pensou. 

Isso não é justo. - Reclamou.  

As coisas ultimamente não andam justas. - Riu ao ver a cara de indignada da namorada. - Fica tranquila. 

Oliver... - Ele a calou com um beijo. Ela tentaria fazê-lo mudar de ideia e isso ele não faria. 

Te amo. - Disse quando o ar faltou e eles tiveram que se separar. 

Também te amo. - Lhe deu um selinho. Deixaria para pressiona-lo outra hora. - Você precisa colocar uma camisa.  

Eu não vejo problema. - Ela revirou os olhos. 

Nem eu, mas... Você vai se atrasar. 

Okay. - Suspirou e seguiu para o closet, pegou uma camisa de magas na cor vermelha com detalhes em dourado. Felicity ouviu passos e ela soube que uma das filhas se aproximava.  (Amily Look3)

Mamãe. - Amily correu pelo corredor e entrou no quarto dos pais. - Mamãe, coloca? Não consigo... - Diz emburrada. Estava tentando arrumar o arco no cabelo, mas sempre ficava torto. 

Claro, querida. - Ela pegou o objeto das mãos da filha, mas antes de se abaixar, Oliver a impediu. 

Nada de se abaixar. - Amily o olhou e Felicity se virou para fazer o mesmo. - O que Meredith disse sobre se abaixar? - Felicity caminhou até a cama e se sentou. 

Eu quase me esqueço. Vem aqui, Amy. - A menina se aproximou, ficando no meio das pernas da mãe que colocou com cuidado o arco rosa com um laço médio na mesma cor. 

Mamãe, você não vai mesmo? - A mãe balançou a cabeça, mas quem respondeu com palavras, foi o pai. 

A mamãe ainda não pode Amy. - Oliver se aproximou das duas. - Vamos esperar ela se recuperar, okay? 

Okay. - Fez um bico fofo que fez os pais sorrirem. April entrou no quarto chamando pela mãe.  (April Look3)

Quer que eu te ajude com o arco? - Perguntou antes da filha pedir. 

Eu não consigo sozinha. - Reclamou enquanto caminhava até a mãe. 

Eu faço isso, querida. - Pegou o arco branco com um laço médio na mesma cor, das mãos da filha. - Isso eu ainda posso fazer. - Provocou olhando para o namorado e o viu arquear as sobrancelhas.  

Você acabou de reclamar de mim? 

Eu não reclamei de você. Reclamei do fato de você não me deixar fazer nada. - Ele a olhou como se dissesse: Foi o que eu disse. E ela deu de ombros. 

Eu vou deixa-las no cinema e já volto. 

Você é tão teimoso. - Oliver sorriu. Pensava o mesmo dela. - Você poderia ficar lá sem problemas, eu ficaria bem. 

Prefiro ficar de olho em você.  - E ela fez novamente aquele bico fofo. Ele riu. 

Mamãe, você é teimosa, por isso o papai têm que cuidar de você. 

Eu sou teimosa? - Repetiu fazendo cosquinhas nas filhas que gargalharam. - Eu não sou teimosa.  

Nem você acredita nas suas palavras. - Felicity revirou os olhos. - Fica quietinha nessa cama. Nada de descer as escadas.  

Eu sei. - As gêmeas sorriram. 

Será mesmo? - Provocou. 

Vocês estão lindas. - Ignorou o namorado que riu. - Não se esqueçam do casaco. - E elas correram para o quarto. 

Eu não demoro. - Se aproximou e lhe deu um selinho.  

Você podia trazer pizza. - Oliver balançou a cabeça. - Oliver... Por favor... - Implorou. 

Não. Meredith não liberou coisas gordurosas ainda. 

Isso é tão injusto. - Repetiu cruzando os braços. 

Te trago o macarrão italiano do La Crown. - Respirou fundo. Pelo menos do macarrão, eu gosto, pensou. - É pegar ou largar. 

Tudo bem. Pelo menos do macarrão eu gosto. - Ele sorriu. - Não esquece de pedir sem... - Foi interrompida. 

Sem o milho e a ervilha. - Ela sorriu. Ele sabia dos seus gostos, afinal de contas.  

Obrigada. - As filhas voltaram. - Prontas? 

Sim. - Elas correram para abraçar a mãe. - Não vai aprontar, mamãe. - Oliver riu junto das filhas. 

Ah, mas é o cúmulo. - Colocou as mãos na cintura. - Estou levando bronca de duas garotinhas de seis anos. - Elas riram novamente. 

A mamãe vai ficar comportada até eu voltar. Caso contrário... Ela sabe o que pode acontecer. 

Isso foi uma ameaça? - Oliver lhe beijou e caminhou para fora do quarto. - Oliver, sério isso? - Felicity já não mais o via, mas ouvia os passos dele se afastando. 

Apple. Amy. - Chamou do corredor. 

Tchau, mamãe. - Deram um beijo, cada uma em uma bochecha da mãe e saíram do quarto. 

Até parece que eu tenho cinco anos de idade. - Bufou enquanto ia para o meio da cama, se deitava, puxava o edredom por cima de si e ligava a TV. 

**--** **--** 

Tem certeza que não vai ficar Ollie? - Thea pergunta ao irmão.  (Thea, Cait and Kitty look 1 e Laurel Look2) 

Tenho. A Felicity está sozinha. 

E ela não pode, tia Thea. A mamãe é teimosa. - Os adultos riram. 

A tia Lissy é teimosa? - O menino perguntou. Ele nunca tinha presenciado alguma teimosia da tia. 

Você não faz ideia, filho. - Tommy respondeu. 

Então isso é de família. - Eles riram novamente. - Mamãe diz que o papai é muito teimoso. 

Só eu? - Olhou para a ex. 

Isso com certeza é de família, querido. - Ele sorriu. - Por favor, não pegue essa parte do DNA do seu pai. - Seus amigos riram. 

Mas eu não sou teimoso. 

Não, você não é. - E ela agradecia a Deus por isso. 

A Lis não quis vir, para acompanhar pelo menos? - Oliver olhou para Cait. 

Querer ela queria, mas eu não deixei. - Seus amigos fizeram uma cara de desagrado. - Meredith não a autorizou ainda. 

Como ela está, Oliver? - Barry perguntou, ele não a via á um par de dias, principalmente por causa da gravidez da namorada. Ela sentia enjoos fortes que a deixava muito fraca, por isso não gostava de deixa-la sozinha. 

Ela está bem, não se preocupe. Não foi fácil o que aconteceu, mas ela está mais... Conformada. - Eles assentiram. 

E quando ela vai ser liberada pela médica? Para sair, eu digo. 

Ela disse que na segunda Felicity poderá sair de casa, mas sem fazer caminhadas muito longas. 

Então, segunda vamos nos encontrar no meu apartamento. Faz tempo que não fazemos uma reunião familiar. 

E temos que falar sobre o natal. Será daqui 10 dias. - Caitlin completou. 

Você falando em reunião familiar? - Oliver debochou. 

A Cait faz mesmo milagres. - As garotas riram. 

Cala a boca, os dois.  Então? Combinado? 

Claro. Mas me manda uma mensagem do que eu tenho que levar. 

Oliver... - Fingiu não ouvir a repreensão do amigo e se virou para a mulher com a bebê no colo. 

Caitlin? Manda para mim? - Ela olhou para o novo que balançava a cabeça negativamente. Desviou os olhos para o amigo que a olhava fixamente.  

Eu mando, Ollie. - Laurel salvou a amiga daquele "problema" e Cait suspirou aliviada e agradecida. Tommy a repreendeu com o olhar. 

Obrigado, Laurel. - Barry e Thea riram. 

Vocês fazem uma tempestade em um copinho de xarope. E ainda colocam a coitada da Cait no meio.  

Vocês são tão ridículos. - Thea revirou os olhos. 

Oliver que é cabeça dura. - Tommy retrucou. 

Não vou nem responder a isso. 

Vocês às vezes parecem crianças. - Roy bufou. 

Nossa, estava tão calado, que nem tinha te percebido aí. 

Oliver. - A irmã o repreendeu.  

Estava de olho nas crianças, vocês ficaram aí discutindo e nem perceberam que elas saíram. - Antes de procurarem com os olhos pelas crianças, elas apareceram, assustando a todos, menos Roy. 

Eu quero pipoca.  

Que susto. - Laurel e Cait colocaram a mão no peito. 

Desculpa. - Barry colocou a mão na cabeça do enteado. 

Tudo bem. - Diz olhando para a namorada. - Eu vou com eles. 

Eu te acompanho. - Roy diz enquanto pegava na mão das gêmeas que se despediram do pai. Ele se despediu do amigo e Barry fez o mesmo, beijando o rosto da filha e saindo com Roy e as crianças. 

Você tem certeza que não se importa de ficar com Kitty?  

Tenho, Cait. Não se preocupe. - Estendeu os braços para poder pegar a pequena que foi de boa vontade para os braços do tio. 

Nem parece que vai sentir minha falta. - Disse com uma pontinha de ciúmes. 

Amor, são apenas algumas horas. - Tommy segurou uma risada. 

Mesmo assim. - Os amigos sorriram. 

Ela já deve estar enjoada de todos vocês. - Ele tirou a chupeta da boca da garotinha que colocou a orelha da coelha no lugar. - Deve ser por isso que ela não andou ainda... - Tirou a orelha da pelúcia da boca dela e fez como se fosse entregar a chupeta, mas a tirou novamente. Ela fez um bico fofo. 

Se ela andar enquanto estiver com você e a Felicity... - Ela fingiu seriedade. - Cabeças vão rolar. - Os outros riram. 

Eu já vou indo, então... - Disse ao ver a impaciência das crianças. - Nos vemos mais tarde.  

As coisas dela, estão tudo aqui. - Entregou a bolsa da filha. 

Se comportem. - Disse para as filhas quando as crianças voltaram com uma pipoca médica cada um.  

Qualquer coisa é só ligar, Oliver.  

Diz tchau pra mamãe, Kitty. - Balançou a mãozinha dela e os amigos riram. – Tchau, mamãe. - Fez uma voz infantil. 

Tudo bem. - Beijou a bochecha da filha. - Até agorinha, amor. 

Nos vemos mais tarde. - Tommy diz. - Dê um abraço na Lis. - Oliver assentiu, colocou a bolsa da bebê no ombro e saiu.  

Dinda. - Oliver a olhou sorrindo. 

Nós estamos indo ver a dinda, princesa. - E como se ela entendesse, ela sorriu de volta, deitou a cabecinha no ombro do tio e abraçou a coelhinha. 

**--** **--** 

Com dificuldade, Oliver apertou o botão para ir para a cobertura e com um pouco mais de dificuldade, digitou a senha do seu apartamento. Poucos segundos depois as portas do elevador se abriram e ele entrou. 

Chegamos, pequena. - Ela levantou a cabeça assim que entrou na cozinha, deixou a comida no forno e saiu. 

Dinda. 

Será que a Dinda está dormindo? - Ela olhou para o tio. Oliver começou a subir as escadas. 

Dinda. - Sua voz saiu um pouco alta o que fez o tio sorrir. Ele entrou no quarto e encontrou a namorada sentada na cama, com as costas apoiadas nos travesseiros e o edredom cobrindo-a até a cintura. 

Eu pensei que estava ouvindo coisas... - Se Oliver não estivesse segurando bem a sobrinha, ela teria ido ao chão, pois ela se jogou quando viu a madrinha. - Achei que estava sonhando. 

Não está, não. - Entregou a pequena para ela e foi deixar as coisas de Kitty no mini sofá. 

Amor, você está tão linda. - Umas das mãozinhas foi parar na bochecha da madrinha. 

Cait achou melhor ela ficar com agente. 

Um bebê no cinema não seria uma boa ideia. - Beijou a ponta do nariz da pequena. - Não é? 

Cait sofreu em deixa-la. - A namorada riu. - E nos ameaçou. 

O que? - Ela o olhou. - Por que? 

Ela disse: Se ela andar enquanto estiver com você e a Felicity... Cabeças vão rolar. - Ela riu e ele a acompanhou. 

Não acho que hoje seja "o" dia.  

Nem eu. - Concordou com a namorada. Felicity pegou a coelhinha das mãos da afilhada e passou no rostinho. 

Lilinha. - Felicity elevou o braço com a pelúcia e a menina esticou o bracinho para tentar pegar, mas não conseguiu. 

Você trouxe o macarrão? 

Eu esqueci. - Ele esperou pela reação dela. Felicity abaixou o braço e o olhou, incrédula. Ele riu. - Com quem você acha que está falando, Lis? 

Eu pensei mesmo que tinha se esquecido. - Voltou a erguer o braço e a tentativa falha da pequena em pegar a coelha, aconteceu novamente. Ela fez um bico. 

Está na cozinha. Eu vou descer e pegar para vocês. 

Ela não comeu? 

Cait disse que tentou fazê-la comer, mas ela estava inquieta demais. - Tirou a camisa e saiu do quarto. Quando estava no final do corredor, ouviu Felicity rir e logo depois Kitty. 

**--** **--** 

Oliver e Felicity estavam na sala com a pequena Allen no meio de ambos, sentadinha, parecendo uma mocinha. Ela estava com os olhos fixados no filme que passava na TV. Mesmo que o casal já tenham assistido aquilo um milhão de vezes, eles achavam engraçado a forma que a bebê estava encantada com o “desenho”. E quando passava as músicas... Ela balançava o corpinho. Kitty estava apaixonada pelo filme Frozen. Era a primeira vez que assistia o tal desenho. E não seria a última. A garotinha deu vários pulinhos no sofá, enquanto ouvia a música “Let it Go”. O casal sorriu. Quando o filme acabou, ela olhou para a tia e depois para o controle nas mãos da loira e então, tentou pega-lo. Oliver riu. 

Ela quer assistir de novo. - Felicity sorriu. 

Tommy e Cait vão ficar loucos.  

Vou dar o DVD para ela. - Felicity riu enquanto colocava na cena em que Anna começa a cantar. 

Você gostou, não é princesinha? - A pegou e colocou em cima de suas pernas. Kitty fez um barulho com a boca quando Anna bate na porta. E então, Felicity começou a cantar junto de Anna e a afilhada a olha, com os olhinhos brilhando. 

Você quer brincar na neve? 

Um boneco quer fazer? 

Você podia me ouvir e a porta abrir 

Eu quero só te ver 

Nós éramos amigas de coração 

Mas isso acabou também 

Você quer brincar na neve? 

Não tem que ser com um boneco 

Oliver sorriu. A menininha balançava o corpinho enquanto ouvia a madrinha. Ela tinha os olhos intercalados no filme e na madrinha. 

Você quer brincar na neve? 

De alguma coisa que eu não sei? 

Faz tempo que eu não vejo mais ninguém 

Até com os quadros nas paredes já falei 

"Firme aí, Joana?" 

É meio solitário, tão vazio assim 

Só vendo o relógio andar 

Kitty tentou fazer o barulho que Anna e Felicity fazem, mas não sai como deveria sair. Mas ficou fofo e isso fez com que os tios rissem. Felicity passou a parte triste da história e colocou na cena em que Elsa começa a cantar, antes de chegar nessa cena, Kitty começou a se remexer, tentando ficar em pé. Oliver a pegou do colo da namorada e a colocou no meio deles, em pé. Ela segurava no ombro direito de Felicity. Elsa começa a cantar e os olhos claros e brilhantes de Kitty se fixaram na mulher de gelo. Felicity começou a cantar com a personagem. Kitty tentou fazer o mesmo. E mesmo dando risadas, Felicity continuava a cantar. Oliver tinha os olhos na pequena criatura ao seu lado.  

Livre estou, livre estou 

Como o sol vou me levantar 

Livre estou, livre estou 

É tempo de mudar 

Aqui estou eu 

Não me importa o que vão falar 

Tempestade vem 

O frio não vai mesmo me incomodar 

Kitty estava encantada com o poder de Elsa. Ela começou a dar alguns pulinhos, Oliver colocou uma das mãos para ampara-la, caso ela se desequilibrasse. Quando a música acabou ela fez um biquinho fofo e se sentou no sofá, sozinha.  

Acho que agora ela fica quieta. - Felicity não concordava. 

Onde vai, pequena? - Pergunta quando percebe a afilhada tentando descer, sozinha, do sofá. Oliver tentou ajuda-la, mas ela reclamou. 

Ok. Ok. - Ele disse quando a pequena resmungou. 

Ela quer ser independente. - Felicity colocou uma das mãos nas costas da pequena. - O que vai fazer?  

Eu acho que ela logo vai dormir. - Viu a menina se sentar no chão e coçar os olhinhos. - É melhor dar o leite dela. 

Também acho. - Se levantou.  

Fica com ela. Eu vou pegar a mamadeira. - Ele caminhou para a cozinha antes de Felicity poder reclamar. 

Você está com sono, meu amor? - Kitty direcionou os olhos brilhantes para a tia. - Deixa eu te ajudar. - Pegou nas mãozinhas, ajudando-a a se levantar. 

Dinda. - Sua voz soou pelo cômodo.  

O que quer, querida? - Soltou uma das mãos da afilhada, quando ela quis puxa-la. A viu bater aquela mãozinha no sofá. - Se você falasse seria tão mais fácil. - A pegou no colo. - Não acha? - Suspendeu ela no ar. - Hein? - A menina riu. - Você é a bebê mais fofa que eu já vi. Sabia disso?  

Lilinha.  

A lilinha está descansando agora. - Como se a pequena entendesse, ela fez um bico. - Acho que a princesa também quer descansar, não é? - Felicity beijou a bochecha gordinha. Kitty coçou novamente os olhinhos e logo depois bocejou. Felicity sorriu.  

Ki, dinda.  

Oh, seu ki. - Olhou ao redor. - Onde será que deixamos, hein? - A pequena colocou o dedo na boca. - Não deve ser o mesmo, não é? - Achou perto da TV. - Você quer? - Ela abriu a boca, chupando o "ki" com vontade quando lhe foi entregue. - Alguém não vai esperar o mamá. - Cantarolou. Oliver apareceu segundos depois. 

Acho melhor subirmos.  

Também acho. - Oliver pegou a pequena dos braços da namorada, depois de deixar a mamadeira na mesa de centro. 

Eu vou leva-la e depois venho busca-la. - Ela assentiu. Ainda não podia subir e descer escadas, infelizmente. Observou o namorado sair da sala, subindo as escadas. Então se sentou no sofá para espera-lo. 

**--** **--** 

Oliver ouviu o barulho do seu celular. Antes de ver de quem era a mensagem e o que dizia, olhou para o lado e viu Kitty com a cabeça em cima da barriga de sua namorada, uma mão, segurava a blusa da madrinha e a outra segurava o cabelo loiro. Ambas dormiam. Pegou o celular em cima da mesa de cabeceira. 

Ollie, estamos chegando”.  

Apertou no próximo audio. 

Ollie, estamos aqui. Estamos subindo”. 

Logo ouviu o barulho do elevador, desceu da cama, saiu do quarto e desceu as escadas. As portas do elevador se abriram no mesmo momento que Oliver chegava á sala de entrada. 

E aí, cara. - Tommy cumprimentou, saindo do elevador junto da noiva, suas filhas, Lyon, Barry e Laurel. 

E aí. Como foi o filme? - As filhas sorriram. 

Foi muito legal, papai. Queria você e a mamãe lá também. - Oliver sorriu. 

Vamos deixar para quando sua mãe puder, está bem? - Assentiram. 

E como foi com Kitty? 

Ela tem um novo filme preferido... Frozen. - Os amigos riram. - Assistiu duas vezes.  

Deve ter deixado vocês malucos com aquelas músicas. - Oliver riu. 

Já estamos acostumados.  

Eu acho legal. - Lyon diz. 

Não é dos piores. - Oliver concordou com o sobrinho, apesar de já não aguentar mais assistir ao filme, por causa das vezes que suas filhas o assistiram. - Felicity até cantou. 

Ah, queria ter visto essa cena. 

Kitty estava encantada com o filme, precisavam ver. - Cait sorriu. 

Vou comprar para ela. – Oliver sorriu. 

Eu iria mesmo comprar o filme para ela. – Cait sorriu de volta. 

E com certeza ela vai nos obrigar a cantar junto com o filme. - Todos riram do comentário do Tommy. Lyon e as gêmeas correram para a TV.  

Por falar em Kitty e Felicity... Cadê elas? - Barry se pronunciou. 

Estão dormindo. Kitty mamou e depois capotou. Felicity estava cansada por causa dos remédios, então seguiu a afilhada. 

Eu posso ir busca-la? - Oliver assentiu. 

Claro. Eu vou subir com você. 

Eu vou com eles, Cait. - Barry e Tommy subiram com Oliver enquanto as mulheres se sentavam perto das crianças. 

**--** **--** 

Barry se aproximou da cama, colocando um dos joelhos no colchão, para se aproximar da filha. Tentou pega-la, mas a pequena resmungou e fechou a mãozinha na blusa da madrinha. Tentou puxa-la novamente, mas mais uma vez, a filha resmungou, se aconchegando no corpo da madrinha. 

Acho que ela não quer ir. - Oliver diz sorrindo. 

Vou acabar acordando-a. - Suspirou. Pegou na mão da filha, tentando fazê-la soltar a blusa da tia. Colocou um dos braços debaixo das perninhas e o outro na curva do pequeno pescoço e a tirou da cama. Isso fez a pequena acordar chorando. Felicity se assustou. - Felicity, desculpe. - Diz balançando o corpinho. 

Tudo bem. - Suspirou. O choro da menina persistia.  

Ela estava grudada na Felicity, não tinha outro jeito, Barry. - Tommy diz, ao perceber que o amigo estava desesperado. A menina não parava de chorar. 

Droga. - Murmurou. - Shiiiii. Está tudo bem, querida. - Sussurrou.  

Caitlin vai acalma-la. - Felicity sorriu, passando a mãos na cabeça da pequena. - Você se assustou, não foi, pequena? - Sussurrou. Os outros três observavam. - Mas está tudo bem agora. - A menina começou a se acalmar. Parando de se remexer no colo do pai e o choro passou a ser mais baixo. 

Ou você. - Oliver diz quando vê que a pequena havia parado de chorar, agora só resmungava. - Vamos descer, Cait e Laurel estão lá embaixo. - Eles assentem, saem do quarto e descem as escadas, encontrando as mulheres e as crianças na sala de TV. 

Princesa. - Pegou a filha dos braços do ex. - Que foi, amor? 

Ela se assustou quando fui pega-la. - Cait a balançou. 

Logo ela volta a dormir. - Sorriu. - Não se preocupe. 

Bom, nós já iremos. - Laurel se pronunciou. - Nos vemos na segunda? 

Claro. - Felicity respondeu. - Preciso sair dessa prisão. - Os amigos riram e Oliver revirou os olhos. 

Ela não para de reclamar sobre isso.  

Então, até segunda. - Felicity deu um beijo na bochecha de Kitty que já dormia no colo da mãe e abraçando o sobrinho, beijou seu rosto. E então, os amigos entraram no elevador se despedindo de Oliver e Felicity. 

**--** 

**Felicity** 

Sabe quando você sabe que precisa fazer algo para se sentir segura? Eu sabia que tinha os seguranças para me proteger, mas só isso não me fazia sentir que estava em segurança. Eu sentia medo o tempo todo. E eu odiava me sentir assim. Enquanto eu observava a foto de minha mãe, pensava em algo que pudesse fazer para que me tranquilizasse e a solução, eu sabia, Oliver não gostaria. Eu não queria esconder as coisas dele. Principalmente depois do houve entre nós por causa das minhas omissões, mas eu não poderia lhe dizer. Meu namorado iria ser contra e eu preciso fazer isso. Saí do quarto, passei pelo das minhas filhas, elas ainda dormiam, tranquilas. Que inveja. Há dias eu não sabia o que era um sono tranquilo. Sem ter pesadelos com minha mãe, com... Cooper... Com tudo o que houve. E eu tenho escondido a angústia que sentia, de Oliver. Eu não queria preocupa-lo mais do que ele já estava. Desci as escadas e encontrei meu namorado, Mike, Collin e Dylan conversando. Eles perceberam minha presença. 

Bom dia. - Disse em sussurro. 

Bom dia, senhora. - Quase revirei os olhos quando ouvi o “senhora”.  

Bom dia. - Oliver se aproximou. - Você está melhor? 

Estou. - Sorri fraco. - Não se preocupe. - Ele beijou meu rosto. Eu sabia que era impossível ele não se preocupar. - Aconteceu alguma coisa? - Pergunto olhando para os quatro homens. 

Nada que deva se preocupar, amor. - Mordi o lábio, nervosa. Ele me escondia alguma coisa. - Por que não vai comer alguma coisa? Eu vou terminar de conversar com Mike, Dylan e Collin e já me encontro com você. - Ele não queria que eu ouvisse sua conversa. 

Tudo bem. - Beijei seu rosto e me afastei, mas não para a cozinha, eu queria ouvir a conversa.  

Senhor, achamos que provavelmente, ele está tentando achar uma brecha para conseguir entrar no condomínio. - Oliver suspirou. - Ele conseguiu uma vez, lembra-se? 

Sim. - Bagunçou os cabelos. - Mas dessa vez não vai ser tão fácil, vocês estão em um número maior. - Eles assentem. - Sei que os três estão cuidando da segurança de Felicity, muito bem, por sinal, mas prefiro que estejam mais quatro com vocês. Não quero que nada aconteça a ela.  

Já fiz isso. Sei que ele estará nos observando. - Mike se pronuncia. - Estamos em dez, agora. 

Ótimo. - Como a proteção não era apenas para Felicity, Oliver contratou mais seis para o seguirem o tempo todo, como Mike tinha o instruído a alguns dias. - Bom, era só isso.  

E o que fazemos sobre... - Olhou para mim, Mike tinha me percebido. - O que descobrimos? 

Fiquem atentos. Se ele estava rondando o condomínio, ele deve voltar. - Eles estavam falando de Cooper? Ele estava rondando o condomínio? Meu coração acelerou, minhas mãos soaram. Meu corpo começou a tremer. Caminhei até a cozinha, segurei com ambas as mãos na bancada, me segurando para não desabar. Ele não me deixaria em paz. Nunca. Minha respiração estava irregular. 

Me esperem aqui, eu já volto. - Ouvi Oliver dizer.  

Sim, senhor. - Eles estavam sozinhos. Era a chance que eu precisava. Respirei fundo e voltei a sala encontrando meus seguranças. 

Mike. Collin. Dylan. - Os três me olharam. 

Sim?  

Preciso de um favor. - Eles se olharam e depois voltaram a me fitar. 

Do que precisa, senhora? - Olhei ao redor, precisava me certificar que Oliver não voltava. 

Preciso que me ensinem a atirar. - Eles arquearam a sobrancelhas e logo depois suas expressões foram para surpresos. Eles com certeza não esperavam ouvir aquele pedido, mas eu não desistiria.  

  

CONTINUE... 


Notas Finais


Gêmeas Look1: https://i.pinimg.com/originals/24/c6/d2/24c6d22cbcdf04bf79847438e1f456bc.jpg

Laurel Look1: https://http2.mlstatic.com/conjunto-short-blusa-manga-plus-size-roupas-femininas-D_NQ_NP_792277-MLB27132280924_042018-F.jpg
https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTgmAn_VABgazRYKQXfab51dr_RTA_ZUWOzvkAcLaWFkViCOn38

Gêmeas Look2: http://ae01.alicdn.com/kf/HTB1mjSNIFXXXXX7aXXXq6xXFXXXZ/2015-Summer-New-Fashion-Baby-Vestido-Jeans-Infantil-Menina-Girls-Denim-Dresses-Kids-Denim-Jean-Overalls.jpg
Calçado April Look2: https://static.netshoes.com.br/produtos/tenis-infantil-adidas-vs-switch-2-cmf-feminino/14/COL-1346-014/COL-1346-014_zoom1.jpg?resize=544:*
Calçado Amily Look2: http://imagens.passarela.com.br/passarelaEstatico/imagens/produto/5370056727/5370056727_1_G.JPG

Felicity Look1: https://i.pinimg.com/564x/a1/d0/36/a1d036cb8aad1a4924477c3cf3b4d54e.jpg
https://ae01.alicdn.com/kf/HTB1HTBpSFXXXXbSaXXXq6xXFXXXQ/2016-Marca-Jaquetas-De-Couro-PU-Casaco-de-Couro-Feminino-Branco-Preto-Vermelho-Motocicleta-Legal-Jaqueta.jpg_640x640.jpg
https://ph-cdn1.ecosweb.com.br/Web/posthaus/foto/calcados/tenis-femininos/tenis-agatha-bege-dourado_183967_600_1.jpg

Amily Look3: https://ph-cdn1.ecosweb.com.br/Web/posthaus/foto/roupa-para-menina/conjunto-inverno/conjunto-infantil-menina-milon-branco_249256_600_1.jpg
https://images0.dinda.com.br/fb/dc4f23f9/default_1173416D_1-bb0126.jpg
https://http2.mlstatic.com/bota-menina-calcados-D_NQ_NP_914383-MLB26424367613_112017-F.jpg

April Look3: https://ph-cdn1.ecosweb.com.br/Web/posthaus/foto/roupa-para-menina/conjunto-inverno/conjunto-infantil-menina-milon-branco_249256_600_1.jpg
https://img.elo7.com.br/product/main/EB957E/tiara-com-laco-de-cetim-e-strass-daminha.jpg
https://www.zariff.com.br/cdn/imagens/produtos/original/bota-infantil-klin-474.020-55f4de8f85dbcd49130f02bbc66f9fc7.jpg

Thea Look1: http://s3cdn-test-lookbooknu.netdna-ssl.com/files/looks/medium/2010/12/16/972923_Fashion_Coolture_16.12.2010.jpg?1367748711
https://produtos.fotos-riachuelo.com.br/media/catalog/product/cache/image/1098x1370/e9c3970ab036de70892d86c6d221abfe/b/o/bota-coturno-salto-fino-via-marte-12336190_foto1_frontal.jpg

Laurel Look2: https://www.melrosebrasil.com/3675/saia-lucy-peplum-d-em-bordado-na-frente-c-perolas-cor-bege-nude.jpg
http://2.bp.blogspot.com/-MZShOownZWU/UWBLcUvlqcI/AAAAAAAABWw/ZEJ5YMdmCIo/s640/sapato-meia-pata-importado-salto-alto-frete-gratis_MLB-O-3132627132_092012.jpg

Cait Look1: https://cdn.awsli.com.br/600x1000/442/442663/produto/24732634/4725669bfd.jpg
http://zapatillasdemoda.mx/wp-content/uploads/2015/10/Tacones-rosados-de-moda-3.jpg

Kitty Look1: https://ae01.alicdn.com/kf/HTB1PyKGSpXXXXXiaFXXq6xXFXXXK.jpg
https://www.extra-imagens.com.br/bebes/CalcadosparaBebes/Sapatinho/11208385/813876782/sapatinho-de-bebe-com-fivela-brilho-rosa-feminino-pimpolho-11208384.jpg
https://img.elo7.com.br/product/main/16CCE5B/bolsa-grande-personalizada-laco-e-urso-bolsa-de-bebe-personalizada.jpg

O que acharam do momento Olicity e Kitty? Foi fofo, né?
Eu adoro a pequena Allen.
Felicity fez um pedido “doido” para os seguranças dela. O que acharam disso?
Espero que comentem, gostaria de saber o que acharam.
O próximo é um “extra”. Não surtem. O capítulo normal não vai demorar a chegar. As semanas estão passando bastante rápidas.
Enquanto o próximo capítulo não chega, fiquem com a...

Prévia
Tommy vai levar uma surra, mas antes eu vou dar um esporro nele pelo celular. - Barry ri, pensando que ela estava brincando.
O que ele fez? - Lyon chegou perto do tio, assustado.
O que ele fez? - Sua voz irradiava raiva e Barry percebeu que ela estava mesmo irritada. Ele arqueou as sobrancelhas. - Ele disse que ia dar um video-game novo para o Lyon. Vê se pode?
Laurel... - Ele tentou, mas Tommy sabia que não adiantaria.
Tommy. - Ouviu. - O que raios você tem na cabeça? - Teve que afastar o celular do ouvido ou ficaria surdo. Cait o olhou. - Pirou de vez? Eu tentando tirar essa coisa destruidora de mentes da vida do nosso filho e você querendo dar outro?
Laurel, me escuta... - Ela não o deixou terminar.
Não. Você passou de todos os limites. Não pode... - Ela foi interrompida.
Laurel, você está assustando o Lyon. - Ela olhou para o namorado e depois para fillho. - Vocês deveriam conversar civilizadamente. - Tommy agradeceria muito ao amigo depois. Ela mordeu o lábio, nervosa.
Está tudo bem? - Cait se aproximou com a pequena no colo.
Está. - Suspirou. - Laurel, eu não ia dar outro para ele, mas... - Ela respirou fundo como o namorado pediu e deixou o ex continuar. - Ele disse que daria esse para alguém que não tem, então eu decidi dar outro para ele.
O problema não é ele dar. O problema é ele ficar enfurnado nisso o dia inteiro. Isso deveria ser uma coisa para decidirmos juntos.
Tinhamos decidido que eu poderia dar o que eu quisesse no natal, assim como você. - Cait mordeu os lábios, pensando se eles estavam brigando. - Olha, podemos controlar as horas dele no video-game.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...