1. Spirit Fanfics >
  2. La Casa De Papel >
  3. O detetive.

História La Casa De Papel - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Acharam mesmo que eu iria parar de lançar capítulos desta história? Haha, não, eu irei continuar com essa maravilhosa série.

Capítulo 4 - O detetive.


Fanfic / Fanfiction La Casa De Papel - Capítulo 4 - O detetive.

Narrador : Uma tal pessoa entra na tenda dos policiais, batendo sua mão na mesa e olhando para Sérgio.

Alexandre : Eu sei como pega-los.

Sérgio : E como meu caro? - Ele se vira e ficaria a olhar o mesmo. -

Alexandre : Se a professora pensar como eu. Ela irá cavar um tunel para sair do banco.

Aníbal : Mas para cavar um túnel precisará ter um feito a anos, ou a metade pelo menos.

Alexandre : Exatamente, ela já cavou um túnel a anos atrás, e sabe o que podemos fazer? Na internet tem um tour mostrando os locais do banco, e mostra o cofre por dentro e por fora, precisamos da parte por dentro, provavelmente o túnel vai ser de um lado que saia tranquilamente, onde não tem estrutura em cima se não pode desabar. Quando nós ver isso já podemos deduzir onde seria o local em que ela está, e ela não deve estar em uma casa normal e sim em uma coisa grande.

Dentro do banco...


Narrador : A metade dos reféns estão fazendo muito papéis de dinheiro, enquanto os outros ajudam a cavar o tunel. Rodrigo e Rogério veria os dultos de ventilação dos banheiros.

Rodrigo : Tem três nos banheiros... Daora daora...

Rogério : Provavelmente os policiais vão jogar gás de veneno ou algo do tipo. Ainda bem que temos as máscaras para nós proteger e proteger os reféns.

Rodrigo : Exatamente, vamos avisar a professora depois esse negócio do banheiro, ok? - Rodrigo veria o mesmo balançando a cabeça como um sim. - Ok, nos agora temos que ver como os policiais estão, mas chamaremos outras pessoas, alguns dos reféns que estão cavando o túnel.

Narrador : Rodrigo e Rogério estaria caminhando lentamente conversando um com o outro. Eles vão até a parte de baixo que seria o o cofre, eles adentram ao cofre falam para os reféns " Vamos levar alguns dos reféns para ver como está lá fora ". Pietro se levanta furioso apontando uma arma na cabeça de Rodrigo.

Pietro : Aqui quem manda sou eu! E não vamos deixar eles ver como está lá fora, a professora mesmo já disse que temos que focar mais em fazer o túnel e o dinheiro! - Ele contínua com a arma na cabeça do mesmo com um rosto bem sério. -

Rodrigo : É mesmo? Temos que focar no dinheiro e no túnel, se os policiais entrarem ao banco iremos fazer o que?! HEIN?! CONTINUAR FAZENDO A PORRA DO DINHEIRO?! - Ele encara Pietro sem medo algum. -

Narrador : Os dois se encaravam enquanto os reféns faz o túnel. Rogério rapidamente saca sua arma mirando na cabeça de Pietro. Os outros dalis miram suas pistolas na cabeça de Rogério e umas na de Pietro.

Rita : Yai meu, vamos ficar com essa porra de palhaçada?! Temos que fugir dessa caralha vivo porra! - Ela puxava os reféns e jogava para o Rodrigo com um semblante sério. - Vai logo com eles.

Rodrigo : Obrigado bela moça. - O mesmo dá um sorriso para ela, e iria embora com os reféns lá para cima. -

Rogério : Está dito então? Sem brigar né "chefão". - Ele iria embora guardando sua pistola no bolso e ficaria seguindo o Rodrigo, ele coloca sua máscara de dali no rosto. -

Narrador : Assim como Rogério todos os reféns que eles levaram, botam as máscaras mas suas vestes estaria um pouco sujas não daria nem para perceber se não tivesse um sniper ali fora. Rogério prepara os reféns que miram suas armas(minigun, ak47 e etc) para fora do banco, Rodrigo aperta o botão vermelho e a porta do banco vai se abrindo lentamente, ainda não dá para ver os reféns com os macacões vermelhos e máscara do dali. Rodrigo fica na frente da porta ao lado direito do lado do botão com um auto falante.

Rodrigo : Olá meus caros policias, agora vocês devem estar se perguntando o por que que abrimos o portão do banco não é mesmo? É que queriamos ver a cara de trouxas de vocês mirando para nós e não podendo atirar KKKKKK. - O mesmo daria uma gargalhada para eles. - Então, eu tenho propostas para vocês...

Dentro da tenda dos policiais.

Narrador : A professora ligaria para o Sérgio e ele atenderia rapidamente.

Professora : Olá meu querido Sérgio máquina, tudo bom? Espero que sim hein kkk, agora os dalis estão fazendo o dinheiro para jogar nas ruas de Madrid... Olha que legal não é mesmo?

Sérgio : Hm, muito legal inspetora. Mas como pretende sair do banco? É impossível kkk.

Professora : Claro claro, não sairemos, ficaremos até o final com vocês, meus amigos.

Narrador : Tudo isso é uma distração para os policiais, a ligação o portão do banco aberto. Tudo isso era uma distração...

Fora da tenda.

Rodrigo : A proposta é que não atirem em nós, provavelmente vocês já sabem que tem explosivos nos pilares né? E que se chegar perto vamos explodir pois não temos medo algum de morrer. Vocês não podem recusar isso por que tem vidas em jogo, hehe aproveitem! - Ele fechava o portão do banco sorrindo, então os reféns e Rodrigo e Rogério iriam ficando nos seus postos, os reféns fazendo os túneis. -

Dentro da tenda.

Sérgio : Sério? Faria isso por nós? Ah... Eu agradeço a sua gentileza professora... Muito obrigado. - O mesmo daria um sorriso e desligaria o telefone. - Já sabemos que ela sairia pelo tal túnel que o Alexandre falou.

Alexandre : Hm... Eu estava certo sempre... Ela vai ter que lidar comigo...


Notas Finais


Aguardem mais capítulos desta história, tmj.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...