1. Spirit Fanfics >
  2. La Dama - Hiatus >
  3. Capítulo 5 - Pedido de casamento

História La Dama - Hiatus - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Olá! Bem-vindes de volta!

Espero que gostem do capítulo de hoje! Ele ficou maior que o normal, espero que não se importem ^^

Muito bem, vou libera-los! Espero que gostem!

Capítulo 6 - Capítulo 5 - Pedido de casamento


"Novamente visão em terceira pessoa. Dessa vez estou dentro de um cômodo que se parece com um escritório, e neste mesmo cômodo à mais cinco homens além de mim: dois ao meu lado, um de cada lado, e mais três na minha frente. Um estava sentado atrás de uma mesa, e os outros dois estavam iguais aos que estavam comigo, um de cada lado do moço sentado. Não consigo ver os rostos dos dois ao meu lado, pois os mesmos estavam usando capuz, e sei que são dois homens pelo corpo dos mesmos. Já eu, parecia ser o centro das atenções, estava com um longo vestido, parecido com os meus, de princesa; ele era branco, porém, na frente ele era aberto, e dava visão à uma segunda camada dele, que era roxa, com vários pontinhos brancos, presumo que seja para dar efeito de brilho, e funciona. Na parte que se acabava o pano branco, tinha detalhes em dourado, que seguiam pelo meu torso até meus seios, onde o pano, novamente, se acabava e dava lugar ao roxo. Tinha cinto em minha cintura, marrom e grosso, seu local de abertura era um círculo, do tamanho de sua espessura, prata, e continha uma pedra roxa em seu centro. Imagino que ali seja seu local de abertura correto. Estava também com uma capa, que por fora era branca, porém, em seu interior, era uma mistura com tonalidades de roxo e rosa, e claro, com os pontos brancos para dar efeito; a mesma se prendia em uma fina faixa dourada, que se fechava a cima dos meus seios. Em meus braços tinham luvas compridas que iam até metade do antebraço; ela se começava branca, mas um pouco antes do cotovelo começava a ficar dourada, em um suave degrade, e se estendia até o final da luva. Para finalizar, meu cabelo estava preso em um grande coque, que se segurava com o próprio cabelo, trançado de uma maneira que parecia uma tiara; apenas duas mechas estavam soltas, e elas acompanhavam minha franja, uma de cada lado.

Eu estou realmente bonita! E por incrível que pareça, meu rosto não esboçava nenhum sinal de desconforto!

Os dois homens que estavam ao meu lado também estavam muito elegantes.

Um deles, o que estava do meu lado direito, estava com uma espécie de colete com touca. Esse estava aberto, sua estampa era como se fosse acolchoada, na cor azul puxado para o mais escuro. A touca era preta, seguia essa cor até os ombros, e tinha alguns botões pratas como detalhes, tanto na touca, como nos ombros. Estava com uma luva também, apenas em seu braço direito; ela era preta, e começava na metade de seus bíceps, terminando na metade de seus dedos. Para finalizar, ele tinha uma espécie de bracelete em seu pulso, mas ao meu ver, se parecia com uma corda.

O outro que estava no meu lado esquerdo, ao mesmo tempo que estava parecido com o que estava do meu lado direito, estava diferente do mesmo.

Ele também usava um colete com touca, porém o estilo dele era totalmente diferente. Na touca, metade era da cor preta, metade era vermelha, tendo nessa uma estampa que parecia escamas de dragão; eram separadas por uma faixa dourada, dividindo as duas cores exatamente na metade, sem dar preferência a nenhuma. Já na parte do tórax, tinha essa divisão exata da faixa, mas havia preferência na cor preta, que ocupava três quartos da roupa, passando assim do limite que seria determinado pela faixa dourada; do um quarto que sobrou da roupa, tinha a estampa de escamas de dragão em vermelho. O colete estava fechado por fivelas de cinto ao que parece, que começavam da faixa em dourado e terminavam em uma fina faixa prateada que demarcava o final da cor preta e dava inicio a cor vermelha estampada. Somente em seu braço esquerdo, tinha uma longa manga preta, que estava arregaçada até acima de seu cotovelo. Em seu pulso tinha um bracelete com base preta e seu detalhe em prata. No seu pescoço tinha um cachecol idêntico ao de Natsu, porém não posso afirmar que seja ele.

O homem que estava sentado me olhou de cima a baixo, e esboçou um sorriso

Usted es una joven muy bonita, - Espanhol? Por essa eu não esperava! - Estoy seguro de que su futuro marido tendrá mucha suerte, en tener una joven como usted al lado de él. - Assim que ele terminou de falar, eu olhei discretamente para um dos rapazes que estava ao meu lado, e sorri da mesma forma, discreta

- Gracias

- ¿Cómo se llama, pequeña?

- La dama - La Dama?

- Traducir a su lengua sería 'A Dama', correcta? - Ele pronunciou com certa dificuldade o nome que estava fora de sua língua natural

- No, es La Dama miesmo. - La Dama... Gostei de La Dama

- Entiendo, es un hermoso nombre. Espero oír sobre él en el futuro - Ele me olhou como se esperasse alguma coisa, como se tudo dependesse do que eu iria responder

- Si, no te preocupes - Disse com convicção. O homem parece ter gostado do que ouviu, e sorrio como se estivesse certo de que aquilo realmente fosse acontecer

- Haz un buen viaje de vuelta, La Dama - Confirmei com um aceno com a cabeça e saí da sala, com os dois rapazes que estavam durante todo o tempo ao meu lado, me acompanhando. Assim que a porta se fechou, minha visão escureceu."


Acordei normalmente, com o som de batidas na minha porta 

- Quem é? - Perguntei ainda meio sonolenta

- Sou eu majestade, Olga, uma de suas empregadas - Olga disse calmamente, como se já estivesse acostumada com a pergunta

- Ah sim, o que deseja?

- Vossa Majestade, o rei, pediu para que eu viesse chama-la, e para lhe ajudar com seus preparativos

- Preparativos? - perguntei confusa - Preparativos para que? Eu perdi alguma reunião do castelo? Pois não me lembro de nenhum evento. Ah, e pode entrar 

- Com licença - Ela disse entrando em meu quarto e fechando a porta logo em seguida atrás de si - A reunião foi feita ontem, enquanto a senhora estava desacordada

- E do que se trata esse evento?

- Pelo mesmo motivo que a senhora veio a desmaiar, a chegada do príncipe Sting ao castelo.

- O que?! Irá ter um evento somente por causa dele?!

- Não somente um evento senhora, será uma grande festa. Ao que parece, príncipe Sting gosta disso, mas ele pediu que fosse aberto ao público, e o rei permitiu.

- Eh? Meu pai permitiu? Estamos mesmo falando do mesmo rei?

- Sim senhora - Ela assentiu com a cabeça - Podemos começar?

- Tudo bem, poderia ir arrumando minha cama enquanto tomo um banho, por favor? - Me levantei da cama e peguei minha toalha indo em direção ao banheiro

- Com todo prazer - Ela se dirigiu até minha cama e começou a arruma-la. Fechei a porta do banheiro e comecei a me despir, após o feito, abri o chuveiro e entrei de baixo do mesmo, a água quente caindo em meu corpo proporcionava relaxamento nele, meus cabelos molhados causava peso em minha cabeça; eu amo essa sensação.

Suspiro. Eu sabia que hoje seria um longo dia.


Pov's Natsu

Acordei com Happy me chamando

- Hm... O que foi Happy..? - respondo sonolento

- Estou com fome, estava querendo te deixar dormir, mas você nunca acordava!

- Eh? Que horas são?

- 14h - levantei da minha cama assustado

- EH?! POR QUE NÃO MEU ACORDOU ANTES?!

- Estava dormindo tão bem, parecia dormindo por necessidade, e não por preguiça 

- Ah, entendi... Bem, de qualquer forma, tente não me deixar dormir tanto assim - me espreguiço - Vamos, vou comprar algo para comermos - me arrumo rapidamente e saio de casa com Happy me acompanhando.

Estávamos no meio do caminho para a lanchonete, em um silêncio distinto para nós, quando Happy chamou minha atenção

- Hey Natsu

- Fala

- Como.... Está indo? Você não me contou o que irá fazer... Quero ficar atualizado...

- Está indo bem. Eu decidi que vou deixar rolar, sabe? Quero que tudo aconteça de novo... Toda aquela... Sensação

- Mas você nunca deixou de sentir

- Mas tenho certeza que consigo sentir de novo, porém, mais forte. Ela causa isso em mim

- .... Não querendo ser pessimista mas... E se não acontecer? - Ele me olhou com um olhar triste. Sei que ele quer que tudo volte tanto quanto eu. 

- Então irei atrás. Não vou desistir tão fácil dela - olho para a céu ainda andando - Eu a amo demais pra deixa-la - volto meu olhar para Happy - Fique calmo, farei de tudo para fazer as coisas voltarem ao normal - chegamos na lanchonete e nos sentamos em uma mesa mais ao fundo, a garçonete anotou nosso pedido e saiu, nos deixando em nosso silêncio pessoal. Porém éramos os únicos em silêncio, o que acabou me fazendo prestar atenção nas conversas das mesas ao lado

- Oh, mas é grave?

- Não não! Apenas uma alergia, está ruim dessa forma porque eu não sabia que era alérgico a—

Essa conversa não me interessa nem um pouco. Bem, o que eu esperava? Estamos em uma lanchonete, não em um restaurante renomado. Continuei minha busca por algum assunto interessante. Falhando várias vezes, até que algo me chama atenção

- Ficou sabendo da grande festa que irá ter no castelo essa noite?

- Festa? 

- Sim! Será um grande baile de máscaras aberto ao povo! Estava no cartaz!

- Aberto? Mas o que leva nosso rei a fazer isso?

- Aparentemente o rei está arranjando um casamento para nossa princesa, e seu futuro noivo está a caminho de nosso reino para pedi-la em casamento! Ele fez questão de ter esse baile de máscaras, e que fosse aberto ao povo. Aparentemente ele gosta de atenção. Ah, e também pediu para que não contassem à princesa sobre o pedido. Vai ser uma cena linda!

- Como sabe de tudo isso?

- Tenho meus contatos. O baile começa as 18h e vai até 2h, se não me engano.

- Esse seu contato é bem informado hein.

- Não boba, essa informação consegui através do cartaz. Estão espalhando vários pela cidade.

As duas moças riram e continuaram a conversar sobre a festa, porém coisas pessoais, como por exemplo, com qual vestido iriam. Já não era mais do meu interesse. Me virei para Happy 

- Preciso de um terno! - ele me olhou com uma cara confusa - E uma máscara! - ele continou com a cara confusa - Esse noivado não pode acontecer! - dessa vez, sua expressão foi de surpresa e desespero

- Noivado?!


Pov's Lucy 

Já era noite, o castelo estava lotado, e eu ainda não tinha nem saído do meu quarto! Estava terminando de me arrumar, só sabia da situação do castelo pois quando algum empregado entrava no meu quarto, eu escutava as vozes falando todas juntas e aglomeradas.

- Estou quase acabando, alteza - disse Olga que estava mexendo em meu cabelo 

- Tudo bem - falei normalmente 

- Pronto. - ela se afastou e fui olhar no espelho

- Uah! Ficou muito bom! 

- Agora só falta a máscara, irei buscar, com licença - Olga abriu a porta do quarto deixando novamente os sons de pessoas conversando e panelas batendo, entrar pelo quarto. Fazia tempo que não escutava isso no castelo. Não demorou muito para Olga voltar e fechar a porta novamente, abafando todo aquele barulho. - Voltei Alteza - ela se aproximou de mim - Licença - falou antes de ajustar a máscara em meu rosto - Agora sim, perfeito. - e realmente, a máscara deixou muito melhor!

- Obrigada Olga 

- Fiz apenas meu trabalho - ela sorriu gentilmente - Agora, se quiser já pode descer

- Irei já já - Ela confirmou silenciosamente com a cabeça, fez reverência e saiu, me deixando sozinha no quarto. Fiquei me admirando na frente do espelho - Eu gostei muito... Diria que é um dos meus mais bonitos vestidos - O vestido era preto, e um tanto quanto sexy. Seu corpete tinha um grande decote em coração, e tinha amarras na frente como detalhe. As mangas eram compridas e justas até metade do antebraço, depois desse ponto, elas se tornam largas, e em suas saídas, continham detalhes franzidos brancos, bordados. Em minha cintura tinha uma faixa grossa e rosa, com uma flor no final da cintura, do lado direito. Seu comprimento era longo somente do lado esquerdo da perna; no lado direito, era aberto, e sua abertura começava na flor de minha faixa. Usava também uma meia preta que ia até um pouco a mais que a metade da coxa. Em meu pescoço estava uma linda gargantilha preta, que tinha um pingente em formato de cruz, pendurada em si. Meu cabelo estava com sua maior parte solto, com apenas duas mechas presas com laços de cabelo de renda preta, na parte de trás. Minha máscara era simples, e claro, preta.

Após um tempo me olhando na frente  do espelho, saí de meu quarto e fui para o salão. Chegando no local, percebi que estava lotado, e ninguém me viu descendo as escadas, então pude me misturar aos outros com facilidade, sem ser parada o tempo todo para receber uma reverência; mas por outro lado, fui parada várias vezes por rapazes me pedindo pra dançar. Eu não dava muita atenção, rejeitava e continuava a me movimentar dentre as pessoas, quando de repente a música mudou de ritmo, e foi para uma valsa agitada

- Olá minha cara, me daria a honra de dançar contigo? - escutei uma voz vindo de trás de mim. Percebi que a pessoa não parecia muito confortável com o vocabulário 

- Não, obrigada - repeti o processo como antes, mas dessa vez a pessoa insistiu e colocou a mão em meu ombro me impedindo de sair. Me virei imediatamente para tirar satisfação com a pessoa, mas me surpreendi quando vi aqueles cabelos rosados em minha frente - Natsu...

- Yo, Luce - ele sorriu grande para mim - Vai dança comigo, passei o dia ensaiando! Prometo não te fazer passar vergonha! - nesse momento eu sorri também

- Claro! - ele pegou em minha cintura e em minha mão, me guiando pelo salão ao ritmo da música. Ele esta se saindo muito bem!

- Está muito bonita Luce!

- É Lucy! - ele rio abaixando a cabeça, e voltou com um sorriso um tanto quanto impactante, o que fez meu coração bater um pouco mais forte

- Ok, Lucy - disse meu nome com uma entonação de voz mais grave e de uma maneira... Sexy. Meu coração disparou. A valsa acabou, e tenho certeza de que meu rosto esta vermelho. - Dancei bem? - falou como se não tivesse feito nada

- S-Sim - eu gaguejei! - Já dançou valsa antes?

- Não, aprendi essa tarde - sorriu vitorioso. Ri

- Bem, pra quem aprendeu hoje, esta muito bom!

- Obrigado! - sorri para ele. Olhei para as escadas e vi alguns empregados conversando com meu pai, ele olhou para o topo das escadas, possivelmente me procurando. Droga, preciso ir.

- Natsu, preciso ir, meu pai está me procurando

- Ok, vou ficar por aqui, qualquer coisa chama, sabe que eu tenho um ouvido muito bom, e um nariz melhor ainda. Irei te encontrar onde estiver

- Ok - Me distanciei de Natsu, e me aproximei de meu pai - Olá papai

- Lucy! Por Deus! Onde estava?! Estou desesperado atrás de você!

- Estava lá, no meio do salão, me enturmando

- E ninguém te reconheceu?!

- Não. Acho que por nunca abrirmos as portas ao público, ninguém sabe como sou. Só me viram uma vez, quando tinha acabado de nascer. - meu pai pareceu sem graça com o que eu disse

- Entendi... Bem de qualquer forma, preciso lhe apresentar uma pessoa. - ele se virou para onde havia algumas pessoas conversando - Príncipe Sting - um rapaz alto de cabelos loiros se dirigiu a nós - Lucy, esse é o príncipe Sting, príncipe Sting, essa é a minha filha, Lucy

- É um prazer conhece-la, Lucy - ele faz uma reverência educada e segura minha mão, beijando-a em seguida. Assim que ele a solta e volta a sua postura, eu faço a reverência de volta

- É um prazer conhecê-lo também, príncipe Sting. - a música agora tocada era mais agitada 

- Me daria a honra de dançar contigo?

- Claro - ele pegou minha mão e me guiou até o salão, onde todos já estavam dançando

- Está deslumbrante, Princesa

- Obrigada, você também - Príncipe Sting é realmente bonito. Ele é alto e tem curtos cabelos loiros, seus olhos são azuis e seu sorriso é belo. Ele está vestindo um terno preto com camisa branca e gravata preta. Sua máscara chama atenção para seu rosto; ela é dourada com vários detalhes, um deles é a parte branca em volta do olho esquerdo; nela também há entalhes em dourado, e algumas pequenas partes com um toque de vermelho e preto.

- Foi você quem escolheu o vestido?

- Não, quem escolhe meus vestidos é meu pai

- Ele não permite que escolha?

- Só em meu aniversário

- Oh, isso é realmente triste 

- Nem tanto, estou acostumada - ele olhou em volta e depois voltou o olhar para mim 

- Fiore é um país lindo! Principalmente Magnólia! Você não concorda? 

- Bem, eu só conheço a redondeza, meu pai não permite que saia do castelo, somente uma vez por mês acompanhada de guardas, para poder me atualizar, e claro, fingindo ser qualquer pessoa, menos a princesa

- Mas ninguém desconfia de "uma pessoa qualquer" andar acompanhada de guardas?

- Eles ficam mais atras, distante o suficiente para não suspeitarem de nada, mas perto o suficiente para me vigiarem e me impedir caso eu tente fugir.

- Isso é...

- Triste? Não se preocupe, como disse, estou acostumada. Ele ficou assim depois que minha mãe morreu, antes que me pergunte - falei normalmente - Mas este é um assunto do qual eu realmente prefiro não comentar

- Entendo perfeitamente - a música parou e todos bateram palmas, então voltamos para o local anterior - Você dança muito bem, Princesa

- Obrigada, você dança muito bem também - sorrio sinceramente e recebo o mesmo sorriso de volta

- Eu sinto que, mesmo que te conhecendo agora, já somos bem próximos. Você trás essa sensação de conforto, como se fossemos amigos a anos. Já sentiu isso alguma vez? Essa... sensação?

- Sim, eu te entendo - Natsu me trás essa sensação, assim como todos da guilda. Fico triste em lembrar que não vou poder vê-los hoje, claros, sem contar com Natsu que está aqui hoje, mesmo eu não sabendo o por quê. Festas desse tipo não parecem combinar com ele, e acho que ele não está familiarizado com toda essa postura. Pensar sobre como ele teve uma certa dificuldade em falar um vocabulário mais formal me fez rir sozinha

- Sua experiência foi engraçada?

- Hein?

- Sua experiência com a sensação reconfortante de intimidade, foi engraçada?

- Ah sim, foi sim - acabei me envolvendo tanto em meus pensamentos que acabei esquecendo que estava conversando com o Príncipe Sting, e que ele estava sendo fofo comigo - Desculpe me se estiver sendo um pouco avoada, é que faz tempo que não temos um evento tão grande como uma festa, então estou um pouco perdida - disse um pouco envergonhada. Não deixa de ser verdade, faz muito tempo que não temos uma festa por aqui, mas esse não é o motivo da minha distração

- Bem, se ficar comigo, sempre terá festas assim, então não se sentirá tão distraída. Poderá escolher seus próprios vestidos a seu gosto! Poderá sair do castelo a vontade, sem se preocupar com guardas ou ter que fingir ser alguém sem ser a princesa! Você será um princesa livre! E estarei sempre ao seu lado em todos os momentos, sejam eles bons ou ruins! - ele estava falando com convicção e desejo, poderia dizer que estava me convencendo - Claro, temos as partes de burocracia que temos que cumprir, como economia e estabilidade do reino, assim como nos prevenir de ataques dos Magos - estava prestando atenção nele com a mesma expressão desde o começo, mas agora, minha expressão foi de surpresa. Ele não disse Especiais, como todos. Disse Magos.

- Você disse Magos? - ele mesmo parece não ter percebido e entrou em choque quando eu o questionei, mas logo sua expressão mudou para um pouco ruborizada e envergonhada 

- Oh, eu disse? Perdão, é que gosto de jogar RPG, e uso muito esse termo, então as vezes acabo falando no dia a dia - ele falou um pouco envergonhado 

- Ah sim, tudo bem, só achei um pouco estranho - inventei algo para também não dar suspeitas. Ele suspirou

- Acabamos nos desviando do assunto principal - ele respirou fundo - Bem meu intuito com tudo isso era lhe fazer uma pergunta. Lucy, você aceita- - de repente sou puxada para o salão rapidamente sem nem mesmo saber o que o príncipe Sting iria dizer, ou sequer quem me puxou; essa pessoa começou a me guiar no ritmo da música, provavelmente para se misturar com os outros e fazer com que o Sting nos perdesse de vista. Espera... será que isso é um sequestro?! Eu preciso de ajuda!

- K- - eu dei menção de que iria gritar mas fui impedida quando senti uma pressão sobre meus lábios, e vi um rosto a milímetros do meu. Era Natsu, que estava com os olhos vidrados nos meus, e com seu indicador em meus lábios, como se pedisse silêncio - N-Natsu - ele sorriu

- Yo, Lucy - voltou a postura normal

- O que aconteceu? Por que me tirou de la dessa forma?

- Você parecia estar passando por um sufoco lá. E você viu aquele cara? Olha o que ele ia te pedir em um momento desses! - riu com o próprio comentário 

- Eh? Como você sabe o que ele iria pedir? - ele me olhou confuso 

- Você não percebeu? - neguei com a cabeça - Como você é lerda, Luce - corei na hora

- Não sou não! Só não estava prestando atenção! - ele riu - E é Lucy!

- Tudo bem, tudo bem, já entendi - ele olhou pra mim - Vamos vou te levar de volta para ele

- Ok - ele começou a andar e eu fiz o mesmo ao seu lado - E o que você pretende dizer a ele, sobre ter me raptado dessa forma?

- Eu? Nada. Mas você vai ter que inventar uma boa desculpa 

- O que?! Por que eu?

- Não to muito afim de falar com ele - chegamos nas escadarias e o príncipe Sting estava alguns degraus a cima, olhando o salão, provavelmente me procurando. Assim que me viu, desceu rapidamente e veio a nosso encontro

- Lucy! Graças a Deus! Achei que tinha sido sequestrada! - ele olhou para Natsu e depois voltou o olhar para mim - Quem é ele?

- A pessoa que supostamente me sequestrou. Ele é meu melhor amigo, e queria muito dançar aquela parte da música comigo, então só me puxou sem nem menos ver se eu estava acompanhada, mas não foi por querer

- Entendi. Bem, voltando ao assunto anterior. Lucy, você aceitaria- 

- Uah! Eu adoro essa música! Lucy, vamos dançar de novo! - Natsu novamente o interrompeu

- Só um momento, por favor, deixe-me terminar minha frase - príncipe Sting não parece ter gostado

- Mas a música vai acabar! Vamos Lucy! Por favor! - Natsu novamente me puxou para o meio da multidão, mas dessa vez pude ver a expressão de poucos amigos do príncipe Sting. Chegamos ao centro do salão e Natsu parou em minha frente - Ufa, te livrei de outra

- Mas o que é que ele vai falar que você não deixa de jeito nenhum ele terminar?

- É sério que você realmente não percebeu? - novamente neguei com a cabeça - Ele vai- - dessa vez, quem foi interrompido foi Natsu, pois alguém parou a música. Todos olharam na direção dos músicos, e com eles conseguimos ver o príncipe Sting em cima de um pequeno banco, e como todos estavam confusos prestaram atenção no que estava acontecendo por lá

- Um minuto de sua atenção por favor. Para quem não me conhece, sou o Príncipe Sting, um dos motivos dessa festa estar acontecendo. O outro motivo, nenhum de vocês sabem, e bem, não iriam saber, pelo menos não agora. Mas alguns acontecimentos me levaram a fazer isso na frente de todos vocês. - ele se ajoelhou em um dos joelhos, e dobrou a perna em cima do pequeno banco em que estava. Como cavaleiros quando vão ganhar mérito por vitória, bom trabalho, ou subir de cargo. Já vi meu pai concedendo isso a nossos guardas. - Princesa Lucy Heartfillia, eu Príncipe Sting Eucliffe, lhe peço a mão. Aceita se casar comigo? - Todos começaram a bater palmas para Sting e a olhar em volta, me procurando 

- O quê?! - ele está me pedindo em casamento! Na frente de todas essas pessoas! O que eu faço?! Olhei para Natsu perplexa, e ele me levou para um canto afastado de tudo aquilo. Minha cabeça está girando.... Devo admitir que esse desmaio veio em uma hora boa - Natsu... - foi a última coisa que eu disse e então caí, desacordada, sem saber o que iria acontecer depois.


Pov's Natsu

- Isso - Nunca pensei que ficaria feliz com essas recaídas dela, mas essa não poderia ter vindo em hora melhor! A segurei antes dela cair no chão, e após isso, peguei ele no colo e fui para o centro do salão 

- GENTE A PRINCESA DESMAIOU! - gritei chamando a atenção de todos, que olharam para mim preocupados, e Sting veio correndo em nossa direção

- Dei-me ela - falou esticando os braços para receber Lucy, mas eu me virei um pouco mostrando que negava a ajuda oferecida por ele - Ela é minha futura esposa, irei leva-lá para seu quarto!

- Não, ela não é, pois ela não aceitou o seu pedido. Então enquanto eu ainda sou o melhor amigo dela, você só é mais um pretendente - me virei de costas para ele, e comecei a andar em direção a escadaria -  E você disse que iria leva-lá para o quarto dela, mas nem sequer sabe onde ele fica - escutei ele resmungar, e isso colocou um sorriso em meu rosto. Subi as escadas para levar Lucy ao quarto dela contente com meu feito - Objetivo concluído.


Notas Finais


Olá novamente a todos!

Espero que tenham gostado!
Me digam se gostam dos capítulos grandes assim, ou se preferem eles menores ^^

O que acharam do príncipe Sting? Me digam nos comentários, ver vocês interagindo me incentiva a continuar cada vez mais :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...