1. Spirit Fanfics >
  2. La la land (Noany) >
  3. A Lovely Night

História La la land (Noany) - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - A Lovely Night


Fanfic / Fanfiction La la land (Noany) - Capítulo 4 - A Lovely Night

Mais uma semana começou e com ela mais testes de elenco, eu já não estava nem mais sendo criteriosa para escolher testes, eu só esperava ter a minha chance, fiz testes de séries médicas, policiais, de escolas, de super heróis, de espionagem, tudo, repetindo umas mil vezes as mesmas falas: "Eu não gostei dessa fissura na tomografia, você fez teste para acromatopsia?", "Morto na rua 23, o criminoso riu na cara da polícia, maldita Lei Miranda", "Essa é a minha sala de aula, se não gostou a porta é a minha esquerda". Mas todas acabavam do mesmo jeito com um a gente retorna para você ou entraremos em contato, a maioria das vezes não entravam, outras eu até passava aí tinha mil testes depois desse e em algumas das fases sempre tinha alguém mais bonita ou talentosa.

No fim de semana havia mais uma daquelas festas que todo mundo da área do audiovisual e das artes tinha que comparecer para fazer contato e se "divertir", essa era uma festa em uma mansão na beira da piscina, daquelas que começavam a tarde e iam até quando os convidados aguentassem. Era primavera e o clima estava agradável, fui entrando enquanto observava as mulheres andando de biquíni e salto alto, só aqui mesmo para acontecer isso.

Sabina - Any!!!!!!!!! - olho para frente e vejo Sabi numa espreguiçadeira conversando com um homem e acenando para mim. Ando até ela e cumprimento.

Any - Oi Sabi.

Sabina - Any, quero que conheça meu amigo Carlo.

Carlo - Oi, sou Carlo. - diz ele enquanto estende a mão para mim me cumprimentando.

Any - Sou Any. - abro um sorriso o mais natural possível para a situação e tento parecer o mais bonita possível.

Sabina - O Carlo é escritor.

Carlo - Dizem que eu tenho o dom de criar mundos, recebi muitos elogios, as pessoas estão falando muito bem de mim, você dá o maior duro e de repente recebe atenção... - fico ouvindo todo aquele discurso com tentativa de humildade e meu sorriso começa a doer de tanto forçar até eu desistir.

Any - Vou pegar uma bebida.

Carlo - Tá bem.

Sabina - Tá. - Sabi me olha com olhos fuzilantes por trás dos óculos escuros, mas finjo nem ver e saio dali o mais rápido possível.

Saio andando na beira da piscina rumo ao lugar onde estava servindo as bebidas, escutando a música que estava sendo tocado por uma banda da festa, era Take on Me do A-Ha, era uma música meio antiga, mas bem legal, vou chegando perto da banda ouvindo e cantarolando.

We're talking away (Estamos conversando à toa.)
I don't know what I'm to say (Eu não sei o que dizer)
I'll say it anyway (Direi de qualquer maneira)
Today's another day to find you (Hoje é outro dia para encontrar você)
Shying away (Fugindo da timidez)
I'll be coming for your love, ok? (Estarei vindo pelo o seu amor ok?)

Take on me (take on me) (Aceite-me)
Take me on (take on me) (Aceite-me)
I'll be gone (Partirei)
In a day or two (Em um ou dois dias)

Consigo chegar na frente da banda e o vejo, não dava para acreditar que aquele cara dos olhos verdes estava ali e com certeza se ele lembrasse de mim, não era li que ele com certeza queria ser visto, ele estava em uma roupa ridícula, colorida em cores fortes, com muito vermelho e laranja, estilo cantor pop dos anos 90 ou Restart, estava tocando no teclado na banda e estava totalmente desconfortável naquele lugar, o cantor e o resto da banda estavam animados e felizes e ele com certeza não tinha aquela vibe para se encaixar naquilo, fiquei com pena por alguns segundos, até ele me vê e revirar os olhos, ele lembrava de mim.

Cantor - Mais algum pedido?

Levantei a minha mão na hora, eu ia ter a minha vingança daquela humilhação na mesma proporção.

Any - "I Ran" - pedi a música do mesmo tipo da última que tinha mais teclado que eu me lembrava.

Cantor - "I Ran", excelente sugestão. Bora lá, tecladista, dedinhos de marfim. Um, dois, três, quatro.

Ele olhou diretamente para mim e começou a fazer negação com a cabeça indignado com o que eu tinha feito, então comecei a dançar curtindo o doce sabor da vingança, esfregando na cara dele.

I walk along the avenue (Eu ando ao longo da avenida)
I never thought I'd meet a girl like you (Eu nunca pensei que conheceria uma garota como você)


Meet a girl like you (Conheceria uma garota como você)

With auburn hair and tawny eyes (Com cabelo castanho e olhos dourados)
The kind of eyes that hypnotize me through (O tipo de olhos que me hipnotiza por inteiro)
Hypnotize me through (Me hipnotiza por inteiro)

And I ran (Então eu corri)
I ran so far away (Eu corri para muito longe)
I just ran (Eu apenas corri)
I ran all night and day (Eu corri toda noite e dia)
I couldn't get away (Eu não pude escapar)

Saí de lá depois de brincar com a cara dele e o deixei sofrendo tocando com a banda.

 

Depois de um tempo, eu estava tomando refrigerante num canto olhando para a piscina quando vi o pianista se aproximar de mim com o rosto possesso, ele tirou os óculos escuros que usavam e mirou os seus lindos olhos verdes em cima de mim.

 

Noah - Tá bem, eu lembro de você. Eu admito que eu fui meio seco naquela noite.

 

Any - Seco??? - olho para ele indignada.

 

Noah - Tá, eu fui um babaca, admito isso.

 

Any - Melhorou.

 

Noah - Mas pedir "I Ran" para um músico sério é exagero né?

 

Any - Que modesto. Você disse mesmo um "músico sério"?

 

Noah coloca a mão entre as têmporas e nega com a cabeça.

 

Noah - Eu acho que não.

 

Any - Dá para me emprestar sua roupa?

 

Noah - Por que?

 

Any - É que eu tenho um teste semana que vem, eu vou interpretar uma bombeira séria. - digo disfarçando um riso, zoando da cara dele.

 

Noah - Haaa você é atriz, eu devo ter reconhecido você, de um onde eu já te vi?

 

Any - É do café, dos estúdios da Warner Brothers, é um clássico. - digo disfarçando para não me enfiar num buraco.

 

Noah - Já entendi, é garçonete. Por isso você me olhou com desprezo do seu pedestal. - disse ele irônico.

 

Eu estava pronta para responder e continuar nosso bate e boca quando o cantor chegou perto do pianista e colocou um papel entre seu peito.

 

Cantor - Fica esperto, nós já vamos entrar.

 

Olhei para ele e ergui a sobrancelha.

 

Noah - Não é nada disso, ele não manda em mim. Ele não me diz o que fazer.

 

Any - Haaa ele diz o que fazer.

 

Noah - Eu deixo ele fazer isso... - olho para ele não acreditando com o quanto orgulhoso ele era, me deixo sorrir um instante, implicar com ele era divertido. Ele ia saindo, mas de deteve e se virou. - Qual seu nome?

 

Any - Any...

 

Noah - Um dia verei um filme seu. - diz ele todo orgulhoso colocando um óculos escuro ridículo que combinava com a roupa e saí.

 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

Roteirista - Conhece Joseph Campbell?

 

Any - Conheço sim.

 

Roteirista - Eu tive uma ideia de fazer uma remontagem de "Cachinhos Dourados e Os Três Ursos", mas na perspectiva dos ursos.

 

Any - A Jornada do Herói.

 

Roteirista - Pode virar franquia, a gente não sabe... Pode ser que exista um quarto urso sem a gente saber.

 

Eu estava presa naquela conversa idiota há horas e já estava de noite, queria embora e me livrar de tudo aquilo, quando vejo o pianista passar saindo da festa, ele estava lindo vestindo suas roupas normais e não aquelas ridículas, com certeza aquela seria minha chance para sair dali.

 

Any - George Michael!!!!!!

 

Eu vejo ele parando e se virando em minha direção sem paciência.

 

Noah - Olá.

 

Any - É que, eu conheço ele... - digo me virando para o roteirista. - Já pegou sua chave?

 

Noah - Humrum já - diz ele revirando os olhos e batucando a chave na mão.

 

Any - Pode pegar a minha?

 

Noah - Como que é?

 

Any - Será que pode pegar minha chave?

 

Noah - Eu não estou ouvindo.

 

Any - Pode pegar minha chave? - digo quase gritando.

 

Noah - Não.

 

Any - Por favor....

 

Noah - Haa agora sim.

 

Any - Obrigada - digo o fuzilando com os olhos.

 

Noah - De nada.

 

Ele anda até o manobrista já na entrada.

 

Noah - Qual é o carro?

 

Any - É um Prius.

 

Noah - Não está ajudando muito não. - diz ele olhando para um monte de chaves e 80% de Prius.

 

Any - Tem uma fita verde.

 

Noah - Melhorou.

 

Ele ficou esperando eu conseguir escapar e foi andando comigo pela a rua tentando achar onde tinham estacionado o meu carro, enquanto eu apertava o alarme, já estávamos em mais da metade da rua e nada.

 

Noah - Parecem confortáveis. - diz ele irônico olhando para o meu salto.

 

Any - São sim - digo mentindo. - Valeu por me salvar daquele chato.

 

Noah - É... Você não me deu muita opção né?

 

Any - Não é estranho a gente ficar se esbarrando toda hora?

 

Noah - É estranho sim. Significa alguma coisa?

 

Any - Duvido muito.

 

Noah - É concordo.

 

Any - Nossa, cadê meu carro???????

 

Noah - Tem que colocar o alarme perto do queixo. Transforma sua cabeça numa antena.

 

Peguei o alarme e fui o apertando perto do queixo.

 

Noah - Dá câncer, mas vai achar seu carro mais rápido.

 

Any - Que??

 

Noah - Você vive menos, mas chega mais rápido aonde quer ir, dá na mesma.

 

Any - Ain que horror!!!!!

 

Noah - É só uma sugestão.

 

Any - Você é um verdadeiro... Como se diz mesmo?

 

Noah - Príncipe no cavalo branco?

 

Any - Esquisitão, era essa a palavra, esquisitão.

 

Ele olha para mim e sai afirmando a cabeça indignado, vamos andando até parar na parte mais alta da cidade com a visão perfeita de todos os lugares e vendo as luzes das casas e estabelecimentos começando a ser acessar no crepúsculo.

 

Noah - A vista não é nada demais né? - diz ele irônico.

 

Any - Já vi melhores. - respondo da mesma forma.

 

Ele vai até um poste e dá uma volta nele e começa a cantarolar entediado como se não tivesse nada o que fazer e nossa sua voz era incrível, tinha certeza que ia vir indireta nessa música. Ele se aproxima de mim olhando nos meus olhos tentando me seduzir.

 

Noah

 

The sun is nearly gone (O sol está se pondo)
The lights are turning on (As luzes estão acendendo)
A silver shine that stretches to the sea (Um brilho prata que se estende para o mar)

 

We've stumbled on a view (Nós tropeçamos em uma visão)
That's tailor-made for two (Que foi feita sob medida para dois)
What a shame those two are you and me (Que pena que esses dois sejam você e eu)

 

Reviro os olhos, sabia que ele estava tirando uma com a minha cara, pego o alarme e continuo procurando meu carro e cantarolando com ele uma resposta.

 

Noah

 

Some other girl and guy (Alguma outra garota e garoto)
Would love this swirling sky (Amariam este céu estonteante)
But there's only you and I (Mas estamos só você e eu)
And we've got no shot (E não temos a menor chance)

 

This could never be (Isso nunca poderia acontecer)
You're not the type for me (Você não é meu tipo)

 

Any

 

Really? (Sério?)

 

Noah

 

And there's not a spark in sight (E não há uma faísca à vista)
What a waste of a lovely night (Que desperdício de uma linda noite)

 

Any

 

You say there's nothing here? (Você diz que não há nada aqui?)
Well, let's make something clear (Bem, vamos deixar algo bem claro)
I think I'll be the one to make that call (Acho que serei aquela que tomará essa decisão)

 

Noah

 

But you'll call? (Mas você vai?)

 

Any

 

And though you looked so cute (E mesmo que você esteja bonitinho)
In your polyester suit (Em seu terno de poliéster)

 

Noah

 

It's wool (É lã)

 

Any

 

You're right, I'd never fall for you at all (Você está certo eu nunca me apaixonaria por você)

 

And maybe this appeals (E talvez isso seja atrativo)
To someone not in heels (Para alguém sem salto)
Or to any girl who feels (Ou alguma garota que ache)
There's some chance for romance (Que há alguma chance de romance)
But, I'm frankly feeling nothing (Mas, francamente eu não sinto nada)

 

Noah

 

Is that so? (É mesmo)

 

Any

 

Or it could be less than nothing? (Ou, talvez, menos que nada)

 

Noah

 

Good to know (Bom saber)
So you agree? (Então, você concorda?)

 

Any

 

That's right! (Isso mesmo)

 

Noah e Any
What a waste of a lovely night (Que desperdício de uma linda noite)

Sento num banco perto e tiro o meu sapato de salto que estava doendo meu pé como sempre e coloco uma sapatilha, vejo que Noah está me observando atentamente, mas vira para o outro lado quando olho para ele. Ele se levanta e salta para cima do banco ficando em pé no mesmo.

 

Any - O que você tá fazendo?

 

Noah - Só vendo a vista. - ele estende a mão para mim e eu a pego, firmando em suas mãos para subir.

 

Ficamos um ao lado do outro vendo a vista por alguns minutos, até eu sentir uma rajada de vento que fez meus braços se arrepiarem, abraço meus braços para me aquecer, pois só estava com um vestido de dia.

 

Noah - Toma! - diz Noah estendendo seu casaco para mim que estava carregando.

 

Any - Não precisa...

 

Noah - Eu não estou usando mesmo.

 

Any - Está bem.

 

Pego seu casaco e começo a desabotoar com dificuldade a frente, demorando horrores e passando frio.

 

Noah - Ain me dá! - ele pega o casaco da minha mão e desabotoa com facilidade, o colocando em volta de mim e ajustando do meu corpo, quando ele pegou a ponta de cima do casaco para apertar mais em mim, nossos olhos se encontraram e pude sentir como se faíscas e fogo de artifícios entre a gente, havia uma conexão, uma química, uma energia entre a gente, acho que poderia ficar assim por horas olhando para ele e sem eu perceber ele já estava bem perto de mim, perto de um jeito que eu podia ver que seus olhos eram de um castanho esverdeado e não totalmente verde, quando dava para quase sentir seu hálito, meu celular tocou e toda a conexão se foi como num corte de uma faca e ele se afastou, descendo do banco. Desci do banco e peguei meu celular na bolsa.

 

Any - Oi Bailey.desculpa o atraso, eu estou chegando, tchau.

 

Noah chega perto de mim e coloco o alarme no queixo para tentar achar o carro e o mesmo faz um barulho indicando que estava ali próximo. Andamos até o meu carro e Noah me passou meus sapatos de salto.

 

Any - Quer carona até seu carro?

 

Noah - Não, está logo ali em cima.

 

Any - Tá, boa noite.

 

Noah - Boa noite.

 

Noah fecha a porta do meu carro, o ligo e saio dirigindo, olho para o retrovisor e vejo Noah subindo o resto da rua.

 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

Subo a rua uns metros e quando vejo que Any já foi dou meia volta e volto todo o caminho até a festa, como eu fui um dos primeiros a chegar, porque iria tocar, meu carro estava estacionado na frente da casa, entro nele e lembro que acabei esquecendo o meu casaco com ela, dou um sorriso torto por ter uma desculpa para ir procura-la agora e ligo o carro indo embora.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...