História La quête du vampire - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Kentin, Kim, Leigh, Letícia, Li, Lysandre, Melody, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Thomas, Viktor Chavalier, Violette
Tags Amor Doce, Dimitry, Vampiro
Visualizações 7
Palavras 1.047
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Poesias, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, gente!

Capítulo 4 - Les orchidées de Castiel


Fanfic / Fanfiction La quête du vampire - Capítulo 4 - Les orchidées de Castiel

Ponto de vista, Ágatha Fairy Harmony

Dimitry está em Paris, preciso falar com ele... Hoje é o aniversário de Marie,  que é igualzinha a Mary. A família Barthelemy não pode nem saber da Marie, afinal, ela iria achar que somos loucos e que seres sobrenaturais não existem.

–Majestade, nós vimos um capanga dos Barthelemy em Sweet Amoris. Enviamos guardas disfarçados para protegê-la, como à senhora pediria. –disse Josefa. Minha conselheira real, nós somos muito próximas.

–Muito obrigada, Josefa. Marcou a reunião com os representantes e governantes das classes sobrenaturais? –perguntei a ela.

–Te esperam no salão principal, majestade. –disse Josefa, e fui até o salão me sentando na cadeira principal da grande mesa.

–Desculpem a reunião de ultima hora, mas tenho um comunicado muito importante a fazer. –falei e todos me olharam.

–Diga Ágatha. –disse a rainha Isabelle, ela é a rainha de Aquarium, ou seja, ela é rainha das sereias e dos tritões e mãe de Íris e Thomas.

–Sempre interrompendo os outros. –disse a rainha Valérie, ela é rainha do reino de demônios Daemones junto de Jean-Louis e mãe de Castiel. Mas quem é o mais poderoso dos demônios é Lúcifer.

 –Não seja assim, Valérie. Temos que amar o próximo. –disse Adelaíde, rainha de Angeli Luminis junto de Francis e mãe de Nathaniel e Ambre. Mas quem é mais poderoso do que Lúcifer é Deus, que os escolheu por serem pessoas boas e cheias de amor pelo próximo. Apesar de que eles nunca viram Deus, apenas os três Arcanjos. 

–Não briguem senhoras. –pediu Armand, o representante dos elfos e pai de Violette.

–Que confusão. –disse Eric, representante do clã Luna e marido de Georgia a representante do clã Sole e mãe de Bia.

–Giles, dê um jeito nisso. –pedi ao representante lobisomem do clã Werewolf.

–Calados! –gritou Giles e todos se calaram.

–Dimitry tem uma filha. –contei a eles.

–Ele arrumou uma noiva e teve uma criança? –perguntou Eric.

–Ele tem uma filha humana com Mary, fiz o Sommeil Profond e acordei a garota no ano 2000. –confessei e eles me olharam normais.

–O que temos a ver? –perguntou Jean-Louis.

–Peço ajuda. O clã Barthelemy quer tomar a garota e eu me apeguei a ela, não posso me livrar dela facilmente. Pois ela é a harmonia dos seres sobrenatural. –revelei a eles que ficaram boquiabertos.

–Como? Ela é humana. –disse Isabelle.

–Ela é humana, mas no futuro se descobrirá mãe do herdeiro dos anjos e rainha dos vampiros juntamente como duquesa dos demônios. Se mantendo em acordo com as sereias, os lobisomens e as bruxas. Ela tem o poder de derrotar todos nós. –disse Adelaíde, tendo visões do futuro e seus olhos estão totalmente brancos

–Ela vai ter um filho com Lysandre ou com Nathaniel, vai virar vampira e vai se casar com Castiel? Ela não vai agüentar a pressão. –falei desesperada.

–A prepare, Ágatha. –pediu Adelaíde.

 

–De harmonia veniet, cum puer fuerit expergefactus. Et factum est, omnia mutantur. Et est concordia aeternum redde. (A harmonia chegará, quando a criança acordar. Quando ela chegar, tudo mudará. E a harmonia eterna vai retornar.) –li a profecia em latim.

–Majestade? –escutei isso antes de tudo apagar.

Lugar desconhecido, sonho.

–Não faça isso, Marie. –pedi a ela, ao vê-la na janela.

–Eu estou louca, não existe nada sobrenatural. Não posso suportar isso, madrinha... –disse Marie triste.

–Marie, seu pai ele... –tentei explicar, mas ela me interrompeu.

–Ele não me quis. Lysandre não merece o fardo de um filho meu, eu não quero ver meu filho sozinho sem amor. –Marie fechou os olhos.

–Eu vou criar seu filho. Não faça essa besteira. –pedi chorando.

–Eu te amo, madrinha. –Marie pulou da janela, tentei segurar ela, mas eu a perdi. Lágrimas desceram de meus olhos, ao ver minha filha de coração sem vida.

Quarto de Ágatha, castelo das fadas na floresta Lumine Naturae.

–Rainha? –Josefa me viu acordar.

–Quero Marie aqui. –pedi a ela me sentando na cama.

–Mas Marie está na... –Josefa iria explicar, mas a interrompi.

–Eu tenho que impedi-la logo. –contei a ela que ficou confusa.

–Senhora, conte que a família da mãe dela quer pegá-la há anos e por isso o pai a deixou com você por medo, e depois sobre que ela sobre ela ser a harmonia. –recomendou Josefa

–Sim, mande  ir à escola falar com a senhora Shermansky e liberar Marie. –pedi a Josefa.

–Certo. –Josefa saiu.

Ponto de vista, Castiel Daemones

Minha mãe me ligou, só para ter cuidado com Nathaniel. Ela sabe que odeio aquele anjo idiota com todas as minhas forças.

–Bom dia, eu vim... –olhei para a cara da garota na minha frente, igualzinha a Marie só que loira.

–Tem algo no meu rosto? –perguntou a garota.

–Não, é... –eu iria falar, mas ela me interrompeu.

–Sou parecida com uma garota. Já me disseram isso hoje. –disse ela.

–Você é da família Bertrand? –perguntei a ela, pegando buquê de orquídeas.

–Não. Tchau, e tenha um bom dia. –respondeu ela me expulsando, a encarei bem e vi sua aura rosa clara. Vi ela em vidas passadas com roupas de antigamente, depois beijando o professor Dimitry? Como assim? Tendo um bebê, que foi levado por uma mulher ruiva que é Ágatha? Sai de lá apressado, subi na moto e fui para o muro do colégio. Sem ninguém ver, me tele transportei para o segundo corredor e vi Henri o amigo de Ágatha entrando na sala, depois eu fui para o segundo andar.

–Ruivo? –Marie me viu e eu pus o buquê atrás de mim.

–Marie, eu... Vi o Henri aqui na escola, Melody teve algum problema? –perguntei a ela.

–Não sei. Mas vou mandar uma mensagem para Violette, só para ter certeza. –disse ela pegando o celular.

–Essa garota gosta do Armin, não é? –perguntei e ela riu.

–Não. Da onde tirou isso? –perguntou, tentando disfarçar.

–E eu sou cego, ou o que? Você acha que eu não vejo a Violette olhando para ele? –falei e ela riu.

–Ela gosta dele. –confessou Marie.

–Senhorita Bertrand Bellerose, compareça na diretoria. –informou a voz da diretora pelas caixinhas de som no segundo andar.

–Desculpe por ter te feito perder aula, minha garota irreal. –estendi o buquê para ela.

–Obrigada, ruivinho. –Marie sorriu e pegou o buquê, me dando um abraço surpresa e depois saindo.


Notas Finais


Tchau, e talvez eu poste o capítulo 5.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...