História La Vie En Rose - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Suga, V
Tags Alfa! Jungkook, Appa Jimin, Appa Jungkook, Family Jikook, Jikook, Jimin Ômega, Jin Eomma Aonde Vai, Taegi
Visualizações 271
Palavras 1.876
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Famí­lia, Fluffy, Poesias, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


eu queria muito escrever alguma coisinha fofa de jikook e também sobre a música la vie en rose, eu meio que juntei o útil ao agradável haha.

Capítulo 1 - Capítulo Único - La Vie En Rose


Jimin cantarolava alguma música de infância enquanto preparava o almoço, Minho – seu filho mais velho – abraçava sua perna com seus delicados braços enquanto se balançava no ritmo do cantarolar de seu pai.

Jimin olhou momentaneamente para baixo, rindo silenciosamente pela fofura do filho, logo foi possível se ouvir um resmungo incoerente junto de um choramingo alto atrás de si. O ômega logo largou o que estava fazendo para se direcionar ao local de onde vinha o ruído, Minho aos seus pés deixou o pai livre para caminhar em direção a pequena sala de seu apartamento onde se encontrava uma criança com, talvez, dois anos. Aquela era sua irmãzinha, Jinah, que sempre parecia estar chorando quando seu pai estava preparando o almoço.

Jimin se ajoelhou próximo ao pequeno cercadinho que ele e seu parceiro haviam feito para manter Jinah em segurança, não demorou em atender ao pedido dos bracinhos estendidos de sua pequena princesa, pegou-a no colo e a aninhou próximo a seu coração; Jinah sempre se acalmava ao ouvir os batimentos cardíacos de Jimin ou de Jungkook.

“O que houve minha pequena margarida?” Acariciou os tufos negros que já se encontravam uma bagunça depois de brincar por tanto tempo com seus ursinhos e bloquinhos, sentiu Minho se aproximar timidamente e segurar a mão gordinha da irmã como se tentasse confortar a pequena. O filho era tão parecido com o parceiro em certos aspectos, Minho cresceria e se tornaria um bom alfa, disso Jimin tinha certeza.

“Jinah-ah, oppa está aqui, então não chore...” A fala do filho foi sussurrada e seu timbre pareceu acalmar ainda mais a irmã, que virou seus grandes olhinhos curiosos na direção do mais velho, Jimin sorriu ainda mais largo.

“Minho olhe sua irmã por um tempinho, enquanto Appa termina o almoço, sim?” Jimin perguntou gentilmente, acariciando os fios castanhos do outro enquanto deixava um pequeno selar nos fios negros de Jinah. O filho assentiu, sentando e estendendo os braços para que Jimin deixasse a irmã em seu colo.

Jimin retornou a cozinha para terminar de preparar a sopa que serviria para os filhos, era a única coisa que havia conseguido preparar com os poucos ingredientes que ainda restavam nos armários. Logo teriam que sair as compras, mas sabia que seria complicado com o orçamento apertado.

Jungkook não andava ganhando muito mesmo com seus dois empregos e por mais que Jimin insistisse sabia que o mais novo não deixaria o mesmo trabalhar, principalmente quando tinham duas crianças pequenas e Jimin não era apto para trabalhos que precisavam de esforço físico por conta de sua saúde frágil. Já havia sido difícil ao mesmo sobreviver à gravidez, imagine se passasse a trabalhar todos os dias.

Ainda era fresco na memória dos dois a primeira vez que engravidou, naquela época os dois eram dois calouros na faculdade – que nunca conseguiram terminar – e que logo nas primeiras semanas passaram a namorar. Eram inocentes e após quase um ano de namoro os dois acabaram descobrindo que Jimin havia engravidado, depois disso pareceu que a vida dos dois se tornara um inferno.

Jimin havia sido rejeitado pela família, sendo expulso de casa e isso fez o ômega quase entrar em uma profunda depressão, os pais de Jungkook haviam sido mais misericordiosos, mas Jimin sabia que a mãe de Jeon o culparia para sempre pelo fim do futuro brilhante que o filho poderia ter tido. Jimin às vezes também se culpava, mas o mais novo sempre estava lá o dizendo o contrário, sempre o cobrindo de carinhos e beijos lentos e repletos de amor.

A pior parte realmente não fora o desprezo da família do Park, mas sim a notícia que a gravidez era um perigo para a saúde, já frágil, do menor. Jungkook e eles passaram boa parte da gravidez com medo de que algo desse errado, por sorte – ou milagre – nada de muito grave ocorreu e depois disso os problemas se basearam em pagar o aluguel de um pequeno quarto em um prédio antigo que até hoje o casal chamava de lar.

Ele sinceramente não sabia como teria sobrevivido aqueles primeiros meses de paternidade sem apoio incondicional de Jungkook e de três vizinhos especiais que acolheram a família melhor do que a própria família dos dois. O apartamento da frente era como um refúgio para as inseguranças de Jimin, lá ele havia aprendido muitas coisas com Jin – principalmente como cozinhar – e como cuidar de seus filhos, foi lá que ele viu seu filho fazer sua primeira amizade passando primaveras e verões brincando com Taehyung, o irmão mais novo de Jin e que possuía um nível de autismo.

Jin havia sido um sopro ar fresco comparado à família de Jimin, o acolhendo e sempre parecendo preocupado com a família do mais novo. Taehyung era um garoto especial não por conta de sua condição, mas sim por sempre trazer um sorriso ao rosto de qualquer um que o conhecesse e por sempre estar disposto a brincar com Minho e Jinah, os dois moravam naquele prédio há mais tempo que boa parte dos outros moradores, haviam se mudado para lá após a morte dos pais e Jin – um ômega – havia escolhido cuidar do irmão, que era um alfa, em vez de seguir o conselho de boa parte das pessoas e abandonar Taehyung em alguma casa para pessoas como ele.

Jimin sinceramente sempre seria grato por aquilo, Taehyung era uma boa pessoa e um bom amigo, além de que sempre estava disposto a jogar vídeo game e jogos de tabuleiro com os filhos e com Jungkook.

Na porta ao lado vivia alguém que para outros do prédio sempre seria alguém misterioso e rabugento, mas o ômega sabia que o outro não passava de um gato velho e carinhoso. Yoongi era um estudante dedicado de música que havia se mudado quase ao mesmo tempo em que a família Jeon-Park, mas que logo se enturmou com seus vizinhos e, por mais que às vezes reclamasse do barulho quando estava tentando dormir ou estudar, amava os filhos de Jungkook e Jimin como se fossem seus próprios, Jimin pensava que o outro tinha principalmente uma queda por Jinah, mas sabia que a maior parte do amor do Min era direcionado para o irmão mais novo de Jin.

Yoongi era alguém fechado, mas Jimin sabia reconhecer o amor de longe e Min Yoongi era apaixonado por Kim Taehyung desde que os dois haviam se encontrado. Era engraçado e encantador observar o modo como os dois alfas interagiam, como o mais velho sempre carregava um sorriso ou olhos suaves quando estava próximo do Kim. Jimin não podia saber exatamente se os sentimentos eram recíprocos, mas parecia que Yoongi não se preocupava com aquilo, sempre feliz em fazer o outro feliz, e tanto Jimin como Jungkook e Jin torciam para que tudo desse certo para os dois e que fossem felizes juntos.

Era engraçado perceber que os seis eram como uma grande família um tanto disfuncional e que se amavam tanto como uma ligada pelo sangue, ou até mais. Jimin ainda se lembra de como Yoongi e Jin choraram quando souberam que no parto de Jinah o coração do Park havia parado por um momento e em como a caçula da família teve que ficar internada na UTI por um bom tempo por ter nascido prematura. Eles haviam ajudado a pagar a enorme divida que a família havia conseguido com a conta do hospital e Jungkook e ele até hoje não sabiam como agradecer totalmente.

Ainda envolta de lembranças e pensamentos o Park acabou não ouvindo a porta da frente se abrindo e nem os passos pesados de Jungkook ao adentrar a cozinha, só fora perceber a aproximação do mais novo quando o mesmo se encontrava atrás de si, o abraçando por trás enquanto deixava beijos em sua nuca desnuda. Jimin arrepiou-se, e logo se virou com um sorriso carinhoso nos lábios.

“Bem vindo de volta Jun.” Deixou um selo singelo nos lábios pequenos do outro recebendo um sorriso em troca, e um beijo nas duas bochechas gorduchas. Os dois logo ouviram passos e olharam em direção a entrada da cozinha onde viu Minho com Jinah em seus braços, os dois pareciam incrivelmente felizes em ver o pai, já que o mesmo costumava trabalhar até tarde, chegando a casa somente na hora do jantar, mas naquele dia havia sido diferente e até mesmo Jimin estava surpreso querendo saber o porquê.

“Olá meus bebês!” Jungkook se agachou esperando Minho caminhar em sua direção, logo pegando Jinah no colo e a cobrindo de pequenos beijos e abraçando Minho com o outro braço. Jimin observou como Jeon pegou os dois filhos nos braços e após dar um beijo em sua testa caminhou tranquilamente em direção ao quarto do casal para se trocar e passar um tempo com as crianças. Era meio engraçado ver o alfa que ainda possuía feições infantis carregar duas crianças nos braços, mas para Jimin era, principalmente, uma visão preciosa.

Logo terminou de preparar a sopa e o suco de pacote, ajeitando os pratos na mesa, quando se deu por satisfeito foi até o quarto chamar os outros três. Encontrou Jungkook deitado na cama com Minho ao seu lado falando afoitamente sobre o que havia feito na escola naquele dia enquanto fazia cafuné em Jinah.

“O almoço está pronto.” Falou e riu alto quando Minho desceu da cama correndo, gritando o quanto estava com fome. Jungkook o acompanhou nas risadas, levantando com Jinah em seus braços que logo pediu colo a Jimin.

“Eu não esperava te ver até a hora do jantar Jun, aconteceu alguma coisa?” O semblante de Jimin se franziu com preocupação, não era comum o mais novo ser liberado tão cedo ou ter tempo para vir almoçar com a família. Jungkook sorriu abertamente, deixando a mostra seus dentinhos de coelho.

“Eu recebi uma promoção!” A novidade agradou bastante a Jimin que sorriu com a animação do outro, os dois estavam esperando que Jungkook fosse promovido a um bom tempo e finalmente seu chefe havia o reconhecido.

“Isso é tão incrível Jungkook!” Exclamou Jimin, se colocando nas pontas dos dedos para deixar um selinho demorado nos lábios do alfa, Jeon aprofundou o selinho para um beijo, matando a saudade dos lábios macios e avermelhados do ômega.

Sorriram ao termino do singelo beijo, logo saindo do quarto ao ouvirem o lamento do filho querendo comer, já que o mesmo aprendera que só podia se comer quando a família estivesse toda reunida na mesa.

“Eu te amo.” Jimin segredou a Jungkook vendo o outro corar e depois sorrir.

“Case comigo.” A frase pegou Jimin totalmente de surpresa, fazendo o mesmo corar até as orelhas, quase deixando Jinah escorregar de seus braços com o choque. Jeon riu, pegando Jinah dos braços do pai que ainda parecia atordoado demais para protestar.

Jungkook passou por si, sabia que o outro demoraria um pouco até sair do choque. Ouviu mais uma vez Minho lamentar e se apressou em direção à pequena mesa onde estava posta o almoço, olhou para trás percebendo Jimin o olhando com lágrimas nos olhos e um sorriso cheio de dentes e com as covinhas aparentes. Jimin acenou em afirmativa, enquanto sorria ainda mais, deixando as poucas lágrimas deslizarem por seu rosto.

Aquela era toda a resposta que Jungkook precisava.


Notas Finais


aaaaaaaah ;-; eu amei muito escrever isso gente, que coisa mais fofis ;-; bts me faz escrever só fluffy, nunca angst, thats soooo good ;w;

espero que também tenha gostado e comentem o que acharam <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...