1. Spirit Fanfics >
  2. Labels (NamJin-ABO) >
  3. Capitulo Seis;

História Labels (NamJin-ABO) - Capítulo 6


Escrita por: e YoongiPan


Notas do Autor


Voltei? Voltei...

Vamos lá...

Capítulo 6 - Capitulo Seis;


Fanfic / Fanfiction Labels (NamJin-ABO) - Capítulo 6 - Capitulo Seis;

Já passava de meio dia, meu coração estava parecendo um tambor, minhas mãos estavam suadas e frias. 

“Céus, estou tão nervoso!”

Para piorar, papai parecia estar ainda mais nervoso do que eu, pois não parava quieto nenhum momento.

Jimin: Você tomou um bom banho? Deixa eu ver se você está cheiroso? — começo a rir quando ele se aproxima. 

— Papai, para. — falo risonho. — Eu passei bastante perfume, só não exagerado.

Jimin: Você escovou? — indaga se sentando ao meu lado. — Eu sei que está nervoso.

— Papai, você está mais nervoso do que eu.

Jimin: Não é isso. — suspira. — Kwan já tá namorando, eu nem vi a ansiedade e nem sei quem foi o primeiro amor dela. — resmunga manhoso. — Ela puxou ao seu pai, não gosta de demonstrar sentimentos e é cabeça quente. — começo a rir. — Não rir, é sério. E seu irmão, cada dia tem um(a) diferente.

— Mas, papai, eu acho melhor não ter expectativa, ele é um dos alfas mais populares da faculdade, lindo, educado, carinhoso...

Jimin: Tá vendo? Seus olhinhos estão brilhando. — o abraço.

— Meu coração está acelerado, papai, e eu talvez... Só talvez, esteja gostando dele. 

Jimin: Vai dar tudo certo, não fique tenso. — beija minha testa. — Vai lá, meu anjinho. 

— Então eu já estou indo. — quando me levanto recebo um sms, era o Kim, sorrio largo. — Ele disse que está me esperando na frente de casa.

Saio correndo, escutando os gritos do papai, quase atropelo Jihyun, que me encara com uma feição desentendida. Assim que abro a porta, vejo um carro esportivo, vermelho. Aceno animado.

NamJoon: Onde que ir? — indaga assim que me aproximo. 

— Bom, qualquer lugar pra mim está ótimo. — entro no carro, ponho o cinto de segurança.

NamJoon: Não seja assim, quais são seus locais favoritos? — fico o encarando por um tempinho.

Até mesmo o jeito como ele fica enquanto está dirigindo, é diferente. Ele fica bonito em qualquer ângulo que eu possa imaginar.

— B-Bom, que tal assistirmos um filme? — indago de forma sugestiva.

NamJoon: Adorei a ideia, como é nosso primeiro encontro, não vamos assistir filme de terror, melhor um de comédia, ou romance... Qual prefere?

— Que tal comédia romântica? 

NamJoon: Maravilha. E antes de qualquer coisa, eu pago os ingressos, porquê eu convidei.

— Mas é injusto! — digo envergonhado. — Eu posso pagar minha parte.

NamJoon: Não, não, eu convido, eu pago. Se um dia você me convidar, daí você paga, tá bom assim?

O que ele tem de bonito tem de teimoso. Para a nossa “discussão” não prolongar apenas confirmo. Cheguei a cogitar que a pequena rota até o cinema ia ser extremamente silenciosa, entretanto, foi bem contrário, já que o mais velho colocou uma música bem divertida e começou a cantar. Não queria sorrir, mas ele não me deixou escolhas já que continuou cantando de forma louca.

— Você gosta de música né? — indago entre as risadas.

NamJoon: Tente cantar, isso faz bem pra alma. — nego. — Vai lá, canta.

Fiz um biquinho enorme, porém, não consegui dizer não para o seu pedido e comecei a cantar, e bater palma. E logo ele se juntou a mim, e continuamos cantando, ou melhor, gritando, o resto do caminho.

[•••]

— Você já assitiu esse filme? — pergunto bem baixinho para não atrapalhar as outras pessoas que assistiam tranquilas.

NamJoon: Não, é a primeira vez assistindo. 

Talvez o destino está montando um tremendo clichê na minha vida, onde o cara popular se apaixona por alguém como eu. Sorrio com o choquinho que percorreu por todo meu corpo quando sua mão encontrou a minha, em uma simples tentativa de pegar pipoca.

“Mesmo sabendo como isso tudo vai terminar, e como vou me machucar, eu ainda quero tentar, ainda quero arriscar”

Meus pensamentos são cortados ao ouvir a risada de todos. E meus olhos buscaram a face do alfa, seu sorriso é explendido e me enche de energia, quando paro pra pensar, parece que ele foi feito exatamente para colar os pedacinhos do meu coração. Quando o filme acabou, seguimos nossa programação, iriamos andar um pouco pela pequena praça que havia ali perto, em seguida, iriamos em um pequeno restaurante comer barriga de porco.

NamJoon: Posso segurar sua mão? — arregalo os olhos e encaro o chão por alguns segundos. — Quando você tocou a minha, lá no cinema, ela pareceu tão quentinha.

— B-Bom, s-se você...você quer. — estendo minha mão para ele, que não demora a segurá-la firme.

NamJoon: Viu, ela é bem quentinha. — seu polegar passeia levemente sobre ela. — Posso escrever? — olho sem entender. — Suponho que isso seja um sim. — fala baixinho. — Vou escrever. — o mesmo para, me fazendo parar junto.

Coloca ela de palma para cima, seu indicador começa a passear por ela lentamente, fecho os olhos apenas para saber o que ele estava escrevendo, e meu coração parece dar voltinhas ao entender; Estou...gostando...de...você.

— C-como? — ele sorri; maldito sorriso. 

NamJoon: Estou gostando de você.

Sua destra milagrosamente já estava em minha nuca, e seus lábios já tocavam os meus, em um selinho quente. Fecho os olhos, apreciando aquela sensação nova, no meu estômago parecia haver diversas borboletinhas, minhas pernas estavam bambas, por impulso, ou não, apenas circulo meus braços em sua cintura.


Notas Finais


Uhhh. Primeiro beijinho.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...