1. Spirit Fanfics >
  2. Lábios Com Gosto De Uva >
  3. Traidores Infiéis

História Lábios Com Gosto De Uva - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


OLHA QUEM CHEGOU HISTÓRINHA NOVAA

vortei minha genti, espero que eu continue essa, tô animada viu Kkk

gatas e gatos, irei lhes mostrar a beleza do desconhecido. E como tequila e cachos de uva podem ser interessantes.

Menores nem chegem perto, apenas a escritora menor tem direito. (Eu não ligo de crianças com 14 anos lerem, só para manter o perfil certinho mesmo)

Agredeço desde já pelos interessados, quis escrever algo com Cavill, irei tranformar o anjinho desse homem num diabinho. De acordo com a Scarlett, ele vai ser o mais sexy de todos.

Chega de enrolação né! BORA LER!



Trilha [email protected]: (Link nas notas finais)

*Colocarei um aviso quando for para ouvir a musica*

Annie Lennox - I Put A Spell On You (Fifty Shades)

Desculpe-me pelos erros!

Capítulo 1 - Traidores Infiéis


Fanfic / Fanfiction Lábios Com Gosto De Uva - Capítulo 1 - Traidores Infiéis

 

---

 

Sua boca ja estava amarga, pelo menos podia desfrutar de uma amargura que o fazia esquecer brevemente da mulher trairá. Estava remoendo o fato de ver sua namorada com a língua enfiada na garganta de outro homem, em seu ponto de encontro. O famoso romântico apaixonado, naverdade ele não sabia se estava mesmo amando ou apaixonado, sabendo a diferença entre essas duas palavras.

Comprou flores, belas e cheirosas margaridas. Eram pequenas e estavam em maior quantidade, teve dó de joga-las no lixo, então entregou para a primeira mulher que visse ao caminho do bar. Ele não teve a coragem de molhar as bochechas com lágrimas, não chorava facilmente mas sentiu que foi trocado mais uma vez.

Henry tinha muitos relacionamentos ruins, mulheres que duravam até o noivado ou até apenas três dias. Ele havia se abituado a conhece-las e depois partir para algo mais quente, curtia o casual mas também algemas e gravatas. Ao maximo uma mulher o testou a um nível praticamente sádico, mas nada além de um chicote. Esse foi o máximo que Cavill de impoz na mente.

Enquanto refletia sobre o que acontecerá, ocorria uma discussão próxima as mesas redondas. Scarlett odiava o fato de achar seu namorado se pegando com uma mulher que não julgava, mas realmente fazia seu trabalho perfeitamente. Deveria cobrar 200 só por aguentar aquele idiota.

Suas mãos estavam entrelaçadas a seu celular e outra a uma arma, que agora acusava-o de traíção com uma arma carregada e apontada. Ela era perfeitamente inconsequente quando a deixavam vermelha de raiva. Mas se acalmou, respirou e bateu os saltos até o balcão, resmugando megeras palavras que não eram culpadas de nada.

- Scar... pare de fazer drama. Qual é. A gente não tinha nada sério. - Cosçou a nuca em sinal de desconforto, tentando se explicar. Mal sabia ele que ela daria um tiro em sua cabeça se dissesse Scar novamente.

- Se repetir esse apelido, eu estouro você aqui mesmo! - Repetiu só que mais alto. Ele decidiu se distanciar, não antes de ouvir mais bufar e palavras chulas. - Você é um tremendo filho da puta! Sabe quantos jornais escreveram de um relacionamento meu que durou mais de 2 meses?! Milhares!

Exagerou, tomada pela raiva.

- Achei que o Francis que conheci era fiél, e eu juro que se for por sexo ruim. Terei de perguntar a aquela mulher se ela se satifaz com essa coisa no meio de suas pernas. - Solta como se isso a incomodasse. - É bom sumir com aquela prostituta da minha visão! Nunca mais apareça no meu bar. E nem me ligue, ou eu mando meus seguranças te matarem.

Esbravejou e se virou para o copo de Uísque. Tomou num gole e revirou os olhos de cansaço, não conseguiria dormir naquela cama, além de que nunca ficavam em sua casa, se sentiria sozinha pela primeira vez. Havia se acostumado depois de 1 ano de namoro aparentemete falso a dormir juntos.

Largou a arma e o celular sobre o balcão, a arma estava carregada. Talvez brincasse de roleta russa e visse no que dava. Sempre fizerá isso desde a perda dos pais, mal acreditava que perderá a mãe e agora lhe restava duas irmãs perdidas e pequenas e um pai que a ama. Mas não superou, tentou com terapia mas se sentiu derreter, como se sua alma não a pertencesse mais.

- A garrafa, Jefrey. - Aponta para uma ao fundo, um uisque caro que nem mesmo ela tinha o conhecimento de sua existência.

 

~Ouçam Annie Lennox - I put a spell on you~

 

Henry percebeu o desânimo da garota ao seu lado, e já meio alterado e sem medo de questionar ou magoar, chamou sua atenção.

- Namorado trairá? - Olhou de soslaio para Scarlett que permanecia estagnada ao banco.

Ela o analisou por alguns segundos, e decidiu mexer os lábios e soltar a majestosa voz.

- Sim. Namorada infiel? - Sorrio com ironia assim que o vê fazer o mesmo ato.

- É. Namorada infiel. 

Aquilo tudo pareceu estranho, dois desconhecidos bebâdos se conhecendo. No mesmo bar por motivos iguais, ex-parceiros inféis e filhos da puta. Agora seus olhares se cruzavam como duas chamas ardentes.

- O que ela te fez? - Não tiravam o fogo interno por nada do olhar.

- Marcamos de sair, e acabei pegando ela com outro cara, vulgo um conhecido nosso. - Scarlett suspira vencida pela sua voz com rancor. - Eu levei flores. 

Disse com raiva por ter tido o trabalho de comprar belas flores.

- Mesmo que não tenha perguntado, meu ex estava com uma prostituta. Na minha balada. Acredita? 

- Era aquele cara que te perseguiuaté o balcão?

- Sim. Ah. Se ele ficasse mais um segundo aqui...

Disse entre os dentes, imaginando sangue pelo chão. E um corpo caido, poderia se arrepeender depois do que havia feito. Mas com certeza sairia com um sorriso de começo.

- Não vai me dizer o seu nome? - Repetiu o homem vendo que ela não havia prestado a miníma atenção na pergunta anterior.

- Scarlett. E você?

- Henry. - Apertaram-lhes as mãos e logo se encaravam novamente.

A musica parecia favorecer um começo de um clima. E os olhares não cessaram por nenhum segundo, não sabiam ao certo se era a bebida ou o fato de terem perdido algo nessa noite. Scarlett sempre teve a fama de ter iniciativa, decidiu pegar o copo do homem e instintivamente cheira-lo, logo tomou um pequeno gole e sorriu.

- Tequila. - Disse com o olhar em seus olhos claramente azuis. 

- É, Tequila. - Respondeu o homem, encarando-a e alternando os olhares entre sua boca com aquela cor chamativa e seus olhos. Lindos olhos.

Para não quebrar o clima, Scar decidiu perguntar algo que lhe veio a mente. E estava ainda mais inconsenquente do que antes, estará pensando em loucuras. E como dona daquele bar, se recordou de quartos privados onde ela nunca usará, apenas emprestou para amigos intimos.

- Henry. - Chamou-lhe o homem que estava concentrado em observar o copo que estava nas mãos da mulher. - Está afim de fazer uma loucura?

- E que tipo de loucura? - Sorriu com malicia para ela. Como se entendensse.

- Para ficar mais interessante, sem sobrenomes. Não quero saber quem você realmente é. - Henry concordou sem nem ao menos pensar. - E... podemos dançar, depois conheço um lugar.

Ele se levantou, sem parecer desesperado. Estendeu a mão para a mulher, que a pegou firmemente. Aquela era já de começo uma das melhores formas de esquecer alguém.

 

---

 


Notas Finais


Links:
https://youtu.be/XYPLm20AoXo

Vestido da nossa querida Scarlett

Até já! ❤😈😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...