História Quer Apostar ? - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 29
Palavras 1.568
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


😁✌

Capítulo 2 - Festa


Fanfic / Fanfiction Quer Apostar ? - Capítulo 2 - Festa

***

— Vamos anda entra! -Davidson e Ana tiveram que trazer Maria a força, pois ela não queria ir a festa. Ana é a melhor amiga como Davidson de Maria. Eles perceberam que ela chegou na sala, nervosa, alterada, estranha. Então perguntaram a ela o que tinha acontecido ela disse que nada. Porém depois de alguns minutos respondeu. E eles riram. Amigos fazem isso.

Maria não está se sentindo bem, quer ir embora, a verdade é que de tanto bullying que ela sofreu no tempo de escola, ela teve que aprender a ser feliz sozinha, no seu canto.

No bar agora está tocando funk. Ana sai vai até o balcão compra 3 cervejas.

– Tá aqui, uma pra você Davidson, uma pra Maria e essa é Minha!

Maria recusa, alegando que ainda vai dirigir. Ana então toma da mão dela e fala – Então me da aqui, que a gorda quer... -rindo

Davidson – A bicha, aqui também aceita se for assim... -gargalhando.

Eles vão dançar.

Maria se encosta na parede, gelada do bar, esperando seus amigos se distraírem ou ficarem bem bêbados, para ir embora.

Sentado no balcão do bar está Marcos, ele tem 27 anos é Alto, forte, tem um porte Atlético, e possui cabelos preto e olhos Verdes.

Aproxima-se dele Miguelito, vulgo Lito seu amigo de infância e de turma, vendo ele sentado no bar, pensativo, com uma garrafa de cerveja na mão ainda cheia.

— Se sente Mal ? -pergunta Lito, tocando em seu ombro tirando ele do transe.

— Não por quê ? -ainda pensativo.

— Não é porque, hoje você está agindo muito estranho!

— Estranho ? Eu.. ? Eu ? -tentando parecer calmo, mas só tentando mesmo, pois não conseguiu.

— Sim... 1° Você está sentado, aqui. Coisa que não faz, o comum e você está pegando alguma garota. 2° você está refletindo -disse rindo, mas logo se conteve pela, expressão zangada do amigo. 3° a garrafa de cerveja ainda está cheia. E o mais grave; todas as garotas aqui, querem dá pra você, porém você está aqui pensativo! Anda me conta no que está pensando.

— Em uma Bunda ! -disse sem refletir.

Lito, cuspiu o gole da cerveja, não se conteve e começou a gargalhar...

PDV de Marcos

Se ele tivesse visto a bunda dela, eu duvido que estaria rindo de mim. Aquela garota. Eu nunca vi, ela no campus, será que é novata? Eu estava tranquilo naquela biblioteca dando uns amassos, na... na... Ah! Sei lá o nome o dela, só sei que do nada uma chuva de livros despenca na minha cabeça. Eu puto de raiva que fiquei comecei a xingar o maldito que tinha feito isso. Eu só não pensei que era uma garota. Quando dei por mim ela já estava na minha frente, pegando os livros do chão e me pedindo desculpas, com a bunda bem na minha frente, pela primeira vez na vida fiquei sem conseguir dizer uma palavra, pois eu estava hipnotizado pelo balanço da bunda. Pra lá e pra cá, pra lá e pra cá...

Lito, começa a estalar seus dedos na minha frente, me fazendo sair da minha reflexão. Eu grosseiramente respondo — O quê é ?

— Calma rapaz ! -sorrindo.

— Se for pra continuar rindo de mim, te dou um soco no meio da cara!

— Quê isso Jovem ? -sorrindo- — Sim, mas agora é sério, no que está pensando ?

— Já disse em uma Bunda!

— Tá bom, mas na bunda de quem ? Não é na minha né ? -sorrindo.

Lito, estava brincando com a sorte dele, se ele pensa que só porque somos amigos desde criança, eu não dou um soco, na cara dele, então deixa ele continuar.

— Bunda de quem ? -insistiu Lito.

— Não sei, esse é o problema...

— James você está fumando maconha ?

— Claro que não né! Seu Idiota...

— Então porquê, fala de uma bunda, que não conhece a Dona ou o Dono -disse a última palavra rindo.

Eu já estava puto,o suficiente pensando em uma bunda que não saía da minha mente,agora me vem ele tirar sarro da minha cara. Não dá! Dei um soco, na boca do estômago dele. Lito, com o golpe se curva sobre seu corpo, para respirar, pois a dor do soco, fez sua respiração ficar ofegante. Lito levantando seu corpo de repente fala sugando o ar.

— Não, sabe nem brincar...

Eu olho ele de canto de olho, não respondendo sua pergunta. Sinalizando que se ele continuasse sairia dali, com a cara quebrada.

Lito resolve então mudar de assunto.

— Sim, mas vai passar aqui a noite toda pensando em uma bunda, ou vai vai aproveitar a festa ?

Pensei no que ele disse, e minhas opções eram 1° Ficar ali sentado, a festa inteira pensando em uma bunda desconhecida ou a melhor das opções pegar minha bebida, pegar uma gata e pegar em uma bunda. Uma das minhas especialidades pegar na bunda das gostosas do Campus, pois afinal nenhuma era louca de dispensar um Cara como Eu. Não é me gabando mas eu sou o mais Foda de todo o Campus, lindo, inteligente, bem sucedido,tenho um futuro profissional promissor me esperando além de ser gostoso pra caramba. Eu sou Perfeito, essa é a verdade e nada modesto confesso.

Pois bem me levantei, e bati os punhos na mesa, com um sorriso nos lábios demostrando que estou afim de beber e foder essa noite. Lito ergueu as mãos pra cima em resposta. Eu me virei, quando olhei de longe um gata muito, linda me olhando, eu pisquei pra ela, e ela sorriu, demostrando que gostou. Eu então fui andando em sua direção, com minha cerveja na mão, quando do nada, uma garota esbarra em mim, fazendo minha cerveja, derramar um pouco em mim, e ela devia estar com alguns livros na mão, pois ela começou a pegar do chão. Obs: QUEM É QUE TRAZ LIVROS PRA UMA FESTA!

Eu não tinha nem olhado para ela pois estava ocupado demais, tentando me limpar. Quando pus, meus olhos nela. Eu vi. A bunda, a mesma imagem daquela bunda da biblioteca que atormentou meus pensamentos, em todos aqueles momentos. Ela parecia me pedir desculpas, mas eu não conseguia falar nada; de novo, e isto já estava me enfurecendo, pois eu sempre sei o que falar, sempre. Ela depois de ter pego todos os livros do chão, se pôs na frente e assim pude vê, melhor a dona daquela bunda. Ela tinha cabelo curto, acima dos ombros, liso preto, usava óculos, seu olhos era castanhos bem claros, usava uma camisa enorme, por sinal, e usava jeans. A garota não era atraente no primeiro olhar, pois tanto pano, cobria o que estava embaixo. E eu sou curioso, queria vê o que tinha ali, principalmente pegar… né! E eu tenho certeza que essa garotinha, está no papo.

— Prazer me chamo Marcos! -dando meu sorriso conquistador.

— legal! -olhando para trás como estivesse fugindo de alguém.

— Está fugindo do namorado ? -disse tentando fazer ela, rir. Pois na verdade eu sei que ela não tem namorado, sinto cheiro de CDF... de longe!

Se jacaré respondeu, ela respondeu também.

Então eu decidi fazer um convite. — Quer beber alguma coisa ?

— O QUÊ ? -gritando, pois acabaram de aumentar o volume do som, algum dia ainda fico surdo aqui.

Eu então me aproximei dela e repetir no seu ouvido, a pergunta lentamente depois eu dei um sorriso bem safado. Pois eu sou muito Foda! Eu sou o Melhor. Ela então grita pra mim — Desculpa mas, eu não quero dançar!

— EU DISSE BEBER... -peguei a garrafa e dei um gole na cerveja, pra vê se assim ela entendi.

— AH! TÁ... EU NÃO SOU CRIANÇA PRA MAMAR!

Bem definitivamente, essa garota é louca ou retardada. Pois não pode ser que ela não entendeu, ou é uma drogada, só pode! Bem se ela está sob o efeito de alguma droga ou não, vou beijar essa boca, que só diz loucuras...

Puxei seu corpo no meu, com força, fazendo sua mochila cair no chão, pois ela se assustou. Então olhando fixamente em seus olhos eu, vou e coloco repentinamente minha boca na sua. Seus lábios são macios, leves, sua pele é refrescante, sinto um prazer calmante em meu corpo, não tenho vontade de arrancar as suas roupas como as outras, pelo contrário, tenho vontade de acariciar seu corpo, com minhas mãos por toda a eternidade, o sabor da boca dela é viciante, seu toque na minha costas, arranhado sob, a minha camisa é excitante. Dou-lhe um apalpada na bunda, aquela bunda que me atormentou tanto. Então sinto, suas mãos entre nós dois, não entendo o que ela está fazendo com as mãos no meu peito até que ela, desgruda seus lábios de mel do meu, e me empurrando.

— Me Solta -diz ela zangada, pois eu vi nos seus olhos toda a irritação.

Eu então me aproximo lhe lançando um sorriso galante. Ela nem se importa e abaixa para recolher seus pertences do chão ela avisa — Não encosta em mim...

Eu não entendi, porque até pelo o que eu percebi ela também gostou do beijo, agora ela me empurra e me manda ficar longe. Cadê a lógica ? Mulheres, eu hein, vai entender.

Ela então sai em direção, a saída da festa. Porém aquela cena me indigna, e eu vou atrás dela.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...