1. Spirit Fanfics >
  2. Labirinto de Emoções >
  3. Entre o Amor o Mal Surge Para Destruir

História Labirinto de Emoções - Capítulo 29


Escrita por:


Notas do Autor


Gente, espero que gostem, de verdade <3

Capítulo 29 - Entre o Amor o Mal Surge Para Destruir


Fanfic / Fanfiction Labirinto de Emoções - Capítulo 29 - Entre o Amor o Mal Surge Para Destruir

������������������������������

No Outro Dia

~pov Autora~

De manhã bem cedo, exatamente às 5:02, Naruto abre a porta de sua casa, um pouco atordoado pela bebedeira e falta de sono, caminha até seu quarto pensando em tomar um banho e começar seu dia, mas quando olha sua cama, fica chocado com a audácia de seu filho – PIRRALHO! – Grita acordando o moreninho – Papai! – Corre se abraçando as pernas do loiro, que se surpreende – Papai, eu fiquei com medo – Funga triste – Não precisa ter medo – Acaricia os cabelos curtos – Vá para o seu quarto – Empurra levemente o pequeno – Onde você foi papai? – Pergunta curioso – Me distrair – Fala brevemente – Com alguém? – Manda abaixando o olhar. O loiro retorna e se ajoelha ficando da mesma altura que o filho – Sabe que a mamãe é a única para mim, não sabe? – Confirma tímido – Eu só fui beber um pouco – Sorri – Achei que ficaria bem sozinho, de novo – O bebê concorda a abraça o Engenheiro, que arregala os olhos com o carinho e não retribui – Tá papai – Sorri fraco e vai para seu quarto. Naruto reflete por um segundo, indo logo se banhar para despertar de seus sonhos.

☯️☯️☯️☯️Quebra de Tempo☯️☯️☯️☯️

~pov Sasuke~

Antes de ir para o trabalho, fiz algo que eu precisava, fui em uma loja e comprei uma poltrona de terapia – Senhora, sua encomenda chegou – Minha secretária diz e sorrio vendo ser a poltrona que eu tinha visto – É perfeita – Vou até o entregador e assino o papel – Pode colocar naquela sala, por favor – Ele e outro colega se juntam para mover o sofá para dentro, colocam no canto perto da janela. Abrindo o jogo, ela não é exatamente uma poltrona especializada em terapia, é apenas um estofado com a parte inferior grande o suficiente para acomodar uma pessoa adulta inteira, mas, como não sei o nome e preciso disfarçar a comprar inútil, se chama, “poltrona de terapia” – Muito obrigado – Digo aos rapazes e eles se retiram sorrindo – É espaçosa na medida certa – Me sento encostando nas costas macias e me deito na almofada confirmando que ela será útil em seus devidos afazeres diários – Acho que ele vai gostar – Acaricio o móvel e sorrio.

Depois de namorar um pouco minha compra, sorrio para meu último cliente antes do loiro – Nosso caminho foi árduo, mas rendeu frutos e fico feliz por sua melhora – O homem confirma e faltando meia hora para terminar a consulta ele decide ir embora – Agradeço Doutora – Aperta minha mão – O prazer foi meu – O acompanho até a porta – Eu acredito em uma luz agora – Sorrio – E não deve se afastar dela – Por um impulso ele me abraça e retribuo sorrindo, pois adoro ver a felicidade alheia – Tchau – Aceno com a mão e olho minha prancheta, mas de repente, algo aperta meu braço e me joga no chão da sala. Olho para cima e vejo meu ex, com os olhos em brasa e quase cuspindo fogo – Naruto, o que houve? – Pergunto – COMO VOCÊ DEIXA ALGUÉM ALÉM DE MIM TE ABRAÇAR?! – Arregalo os olhos – Calma, por favor. Era a última consulta dele, não é o que está pensando – Me levanto tentando explicar – Então essa é a desculpa? – Se aproxima apertando meus braços – Ai... – Reclamo – Eu juro – Sinto lágrimas as acumulando – Amor, eu tenho tanto ciúme de você – Alivia o aperto e me abraça – Desculpa – Pede triste – Tudo bem, isso prova que você me ama – Sorrimos – Você viu o que eu comprei? – Mostro o sofá – Ah, agora melhorou. Vamos estrear agora mesmo – Morde os lábios e me beija calmamente fazendo eu caminhar para trás – Vamos mudar um pouco hoje – Comenta e sinto a parede de blindex atrás de mim – Naruto, assim vão nos ver – Me vira para observar a paisagem verde, pois no fundo de meu consultório tem uma área com plantas e flores altas, mas existem apartamentos também, então, alguém poderá nos flagrar se quiser – É o que eu quero – Arregalo os olhos – Que me vejam te amando – Sobe minha saia deixando ela enrolada em minha cintura – Naruto... – Puxa o zíper de minha blusa a abrindo e a remove jogando no chão – Você é tão perfeito – Beija meu pescoço fazendo eu me esfregar no vidro, arrancando barulhos agudos do mesmo. Devagar ele acaricia meu pênis coberto, alisando o meio de minhas pernas em um vai e vem irresistível – Ahhhh... – Enfia dois dedos no pano e cochicha sensual – Cadê aquele buraquinho gostoso? Onde ele foi parar? – Procura com os dedos e sinto minhas pernas tremerem de tesão – Ahhhh... – Tira minha calcinha e se senta encostando no vidro, me puxa para ficar sobre si e assim começa a deslizar a língua pela minha região sensível. Ele lambe até minha entrada e volta, minhas pernas ficam novamente bambas e seguro sua cabeça movendo meu quadril de encontro a sua língua, me movo rápido e aperto seus fios loiros. Ele percebendo minha fragilidade, abraça minhas pernas e morde meu períneo – AHHHH! – Gozo na janela e caio entre suas pernas respirando pesadamente – Tudo bem? – Ri – Sim... – Me levanta e fico em seu colo – Eu sempre digo que você está mais sensível – Sorri tirando meu cabelo do rosto – Mas ali é covardia – Sorrio – Eu te amo – Diz e inicia um beijo longo, calmo e apaixonado. Sem separar o beijo, consegue se levantar me pegando no colo e nos deita na poltrona. Nos separamos para respirar um pouco e com cuidado sento em seu membro de costas para si, me deito em seu peitoral e ele se movimenta tranquilo enquanto brinca com meus mamilos – Ahhhh... ahhhh... eu vou... desmaiar... ahhhh... – Digo gemendo mais alto – Eu é que vou desmaiar meu amor – Morde o lóbulo de minha orelha – Cada parte sua é uma tentação – Beija meu pescoço. Cada vez mais ele comenta coisas em meu ouvido e o orgasmo me alcança. Minhas pernas tremem e gozo logo depois de sentir a sensação amorosa de ter o Uzumaki me completando – Nossa, por que esse momento é sempre mágico? – Questiona se sentando enquanto estamos conectados – Deve ser porque estamos juntos – Ruborizo e ele beija meu pescoço – Com certeza – Afirma. O encaro sorrindo e trocamos um último beijo antes de eu desfazer nossa conexão – Eu queria te satisfazer da mesma maneira – Desvio o olhar – Está brincando? Amor, meu ápice com você é sempre intenso – Nos vestimos – Sério? – Confirma e sorrio – Que bom que eu estou a altura – Sela nossos lábios como despedida para eu voltar ao trabalho.

☯️☯️☯️☯️Quebra de Tempo☯️☯️☯️☯️

Diferente de ontem, eu só recebo o telefonema de meu bebê, quando está na hora de dormir – Já escovou os dentes? – Pergunto sorrindo – “Sim” – Ele fala animado – Tomou banho? – Continuo o interrogatório – “Claro” – Bufa – O papai fez comida gostosa? – Nega – “O purê dele não é tão bom” – Rio – Imagino – De repente ele fica mudo – “Tá. Mamãe o papai quer falar com você” – Fico triste – Tudo bem, tchau bebê, te amo – Digo dando um sorriso – “Também te amo” – Logo a voz do loiro se faz presente – “Boa noite amor” – Diz um pouco alegre – Boa noite – Desliga e abaixo o olhar me deitando para descansar.

������������������������������

No Outro Dia

~pov Autora~

O dia raia normalmente e como sempre a “família” Uzumaki faz seu ritual matinal, se refrescam, aprontam-se, alimentam sua fome matutina e seguem para seus trabalhos – Ah, que dia bonito – Sasuke se senta sobre sua mesa cruzando as pernas, deixando totalmente a mostra suas pernas torneadas, pois o vestido longo que usa tem um rasgo decorativo até sua coxa, a peça tomara que caia com mangas é um pouco escura pelas rosas cor vinho que a decoram, mas nesse sol, combina bastante com a estação – Minako, me traga um milk-shake de maracujá, grande, por favor – Pede a secretária que confirma – O cliente chegou – Assente se retirando da mesa – Bom dia – Diz entrando – Bom dia, meu nome é Sasuke Uchiha, qual o problema? – Se senta na cadeira – Nossa, não sabia que minha terapeuta era um anjo – Na hora Sasuke rola os olhos por dentro – Por que me procurou? – Pergunta – Queria alguém para conversar – Diz se sentando no sofá a frente do moreno – Desculpa, não entendi – O Uchiha se recosta na mobília – Por que não me conta sobre você? – A sobrancelha negra se levanta junto do cruzar de braços de Sasuke, que apenas mentaliza – “É hoje”.

☯️☯️☯️☯️Quebra de Tempo☯️☯️☯️☯️

Como combinado Naruto vai até o consultório de Sasuke para sua consulta diária – Olá, como está minha esposa? – A secretária sorri – Bem senhor, te atenderá num minuto – Olha para o relógio, mas já são 11h – Quem está com ele? – Questiona – Apenas um cliente como qualquer... – É interrompida pela porta sendo escancarada por um corpo – JÁ OUVI BESTEIRAS POR MUITO TEMPO! TEM PESSOAS PRECISANDO MESMO DE AJUDA! – Sasuke aparece gritando com o cliente que se senta com dificuldade – Você é bem agressiva Doutora. Minha preferida – Outra vez o moreno trinca os dentes – QUANTAS VEZES VOU TER QUE REPETIR PERVERTIDO?! EU SOU MUITO BEM CASADO! NINGUÉM, A NÃO SER MEU MARIDO ENCOSTA EM MIM! – Acerta um chute na mandíbula alheia, fazendo o homem desmaiar – Minako, chame alguém para retirar o lixo – Limpa com o punho o queixo – Quero ele fora desse lugar – Olha para a mulher e se surpreende em ver o loiro o encarando – Sim senhora – Ruboriza desviando o olhar – Na-Naruto, quando chegou? – Pergunta baixo – A-Agora – Sorri se aproximando do moreno e o puxando até sua sala – O que estava havendo aqui? – Manda cruzando ao braços – Aquele cara estava tentando dar em cima de mim, mas você viu o que eu fiz – Empina o nariz – Pois muito bem – Sorri – Ah, eu não te liguei mais cedo ontem, porque tive uma emergência na empresa – Aperta os punhos só de lembrar – O que aconteceu? – O menor o senta no sofá e se ajoelha em sua frente – Um estagiário foi designado a limpar o setor administrativo, jogar fora papéis inúteis, ou que já tinham passado da data – Toca a testa – E? – Sasuke fica curioso com a irritação do companheiro – Ele jogou fora, dados que o Gouki usa para apostar na Bolsa, além de casos resolvidos recentemente e relatórios de seus parceiros – Trinca os dentes – Ficamos a tarde toda procurando, restaurando e passando a limpo um por um, foi um desastre – Confirmo – Mas, deu certo no final? – O outro assente – Demiti ele – O moreno fica indignado – Devia ter dado outra chance ao rapaz, talvez alguém tenha misturado os papéis, pois ele não sairia pegando qualquer um – O loiro se incomoda com a defesa do amante – Por que diz isso? Toda ação gera uma reação – Se levanta obrigando o Psicólogo a fazer o mesmo – É o mesmo que houve aqui – Empurra Sasuke, que se assusta indo para trás. Repetindo o movimento toda vez que sente o Uzumaki perigosamente próximo – Se veste como uma vadia e exige respeito das pessoas – Ri de canto – Isso veio mesmo de um Psicólogo? – Novamente empurra o Uchiha, que cai no chão do banheiro, pois já estava encurralado na porta – Naruto, para – Se senta temendo sua vida – O que foi? Não quer ser tratado como uma puta, mas se veste como uma – Segura o pano dividido pelo detalhe e o puxa, rasgando a peça em duas – ESTÁ ME ASSUSTANDO?! – Diz abraçando o próprio corpo. O loiro o puxa para cima o jogando sobre a pia – Olha só você, parece com medo – Remove o vestido em farrapos junto da calcinha com apenas um golpe – Mas fica vendo como isso vai mudar – Abre sua calça colocando seu “amiguinho” para fora e sem avisos ou lubrificação penetra o parceiro, que arregala os olhos deixando as lágrimas descerem – Naruto! – Observa o amante pelo espelho – Relaxa – Beija o pescoço alvo agarrando os braços do menor para trás e os usa para se movimentar de uma maneira frenética – AH! PARA! – Pede sentindo seu corpo queimar, não de uma maneira boa – O Uzumaki o solta e ele cai de joelhos ofegante – Levanta, não terminamos ainda – O moreno chora – Seja mais gentil... por favor... – É sentado no balcão – Eu não estou com muita paciência meu amor – Beija os lábios tristes – Mas eu não tenho culpa dos seus problemas – Limpa os olhos – Eu sei, mas eu estou com tanta raiva – Aperta as coxas grossas – Por favor... – Toca o rosto marcado. O Engenheiro suspira e beija calmamente o amante, sentindo o gosto de sua boca para descer para seu peito e abocanhar os mamilos rosados – Ahhhh... ahhhh... – Sasuke começa a gemer e para não irritar o companheiro, lambe os dedos e se lubrifica pela primeira vez – Está inovando? – O pequeno assente mordendo os lábios. Naruto um pouco impaciente remove os dedos do amante e os coloca em sua boca adentrando seu interior novamente – Se sente melhor? – Pergunta cuspindo os flagelos delicados – Sim... ahhhh... – Os movimentos não são lentos como das outras vezes, nem violentos como de agora pouco, todavia, estão entre esses dois extremos. Naruto aperta a cintura fina a batendo contra seu quadril, até sentir sua excitação o deixar – AHHHH! – O moreno se desmancha em seu próprio abdômen para terminarem a cena com um beijo longo e calmo. Sem a frase de sempre o loiro se retira indo embora, deixando Sasuke sozinho e triste.

☯️☯️☯️☯️Quebra de Tempo☯️☯️☯️☯️

-Querida, tudo bem? – Mikoto pergunta vendo Sasuke apenas brincar com sua refeição de cabeça baixa – Que foi? – Questiona chateado – Aconteceu alguma coisa princesa? – Fugako entra na conversa preocupado – Não, é só saudade do meu bebê – Funga lembrando que seu telefone não tocou até agora – Eu sei querida, desculpe por não conseguirmos ajudar – Toca a mão da filha e repara em algo fora do normal – Sasuke, o que houve com seu pulso? – Vê o roxo que o moreno esconde – Nada, as mangas do vestido o apertaram de mais – Suspira se levantando – Não vai comer? – Nega indo para seu quarto, deixando sua família preocupada e um pouco sentida por não poderem ajudar. O Psicológico se deita na cama lembrando do sexo que fez com seu amado – Aquilo não era amor, ele me deu prazer por obrigação – Sente as lágrimas molharem seu rosto. As emoções instáveis de Naruto estão o mudando novamente, pena, que Sasuke ainda não percebeu isso, mas quando perceber, será tarde de mais.

����������������������������

3 Meses Depois

Com o passar do tempo, Sasuke se sente em um carrossel, girando e girando, como num eterno ciclo de monotonia e sofrimento. As consultas do Uzumaki passaram a tempos de simples demonstrações de amor, para cruéis abusos, que a cada nova semana se tornam mais evidentes, todavia, o que o moreno pode fazer quanto a isso? Ele está de mãos atadas, pois todas as cartas estão sendo dadas por Naruto, que jamais entregará a banca. Entretanto, sua família não é cega e Itachi desconfia cada vez mais que algo está errado, tanto, que nesse exato momento está espionando o consultório do irmão e fica chocado ao vê-lo se deitar com o homem que jurou matar um dia. Vergonhosamente assiste a tudo e descobre de onde estão saindo todas aquelas marcas, são dos tapas, apertos e arranhões que o Uzumaki desfere no moreno durante o ato sagrado, com isso em mente, trinca os dentes ao ver o ex-cunhado selar amorosamente os lábios do irmão e deixar vagamente um “eu te amo” no ar, que é aceito e correspondido pelo carente Psicólogo. Só que essa “violência” é consequência dos tempos difíceis que Naruto está passando, sua empresa teve diversos problemas, até conseguiram um processo na justiça. Além de que, Minato, pai do loiro faleceu em uma queda de helicóptero, o mesmo estava no enterro com Menma, mas ignorou completamente a progenitora, que tentou diversas vezes se desculpar por palavras ao vento, e pedir um simples conforto. Não é possível ver de fora, mas se observar pelas cortinas perceberá que a família Uzumaki está a ponto do descontrole e todo esse maldito ciclo de ódio que eles mesmos criaram, ainda será sua perdição.

-Irmãzinha, posso entrar? – Itachi chama pelo moreno, que está novamente disfarçando seus ferimentos – Sim – Sai do banheiro e escorra no batente da porta segurando o pincel – O que está fazendo? Vai sair? – Nega – Estou arrumando minhas coisas, por quê? O que quer? – O outro fecha a porta – Não se faça de estúpida e zombe de mim, sei o que está fazendo – Cruza os braços – Do que está falando? Eu disse o que estou fazendo – Ri pequeno. O mais velho observa atentamente os braços de seu irmão e sorri ladino – Esqueceu um lugar – Aponta com a cabeça. O menor observa a marca roxa e sorri – Isso não é da sua conta – Fecha a cara voltando ao banheiro – É sim! – Segue o pequeno – Por que deixa ele te machucar? Não é possível que goste daquilo – Sasuke se surpreende e sente os olhos lacrimejarem – Você... viu? – Confirma relutante – Você estava estranha, por isso te segui o dia todo – Se vira abraçando o maior – Por quê? – Acaricia os cabelos negros curtos – É nosso acordo – Revela – Que acordo? – Questiona observando o rosto maquiado – Nós fizemos um acordo quando a sentença do juiz saiu, ele prometeu me deixar falar com o Menma se eu em troca o aceitasse como meu paciente – Itachi trinca os dentes – Que cara baixo. Mas ele está te machucando – Sasuke fecha os olhos fortemente – E o que posso fazer? Ele está com a vantagem e pode me manipular de todas as formas – Chora – Não, não é verdade – Observa irritado o maior – Se eu contar para alguém o que ele faz, ele vai me denunciar, ou você esqueceu que estou sob a Ordem de Restrição? Eu estou errado mesmo que seja ele que venha me procurar. E se isso acontecer, eu nunca mais vou ver meu bebê – Tampa o rosto de mãos atadas – Mas irmãzinha – Abraça o menor – Ele só está passando por um momento difícil, por isso está irritado, eu sei que ele não é assim – Se vira para o espelho voltando a esconder as agressões – Eu queria poder ajudar – Beija os cabelos alinhados pelo pente recente – E pode – Sasuke troca as lágrimas por um sorriso – Então fala – O outro diz inocente – Podia cortar aqueles morangos na geladeira para mim – Itachi ri – Tudo bem – Se retira deixando o irmão sozinho com seus problemas novamente. Enquanto Sasuke desfruta dessa pequena felicidade, Naruto se afoga cada vez mais na solidão de sua escura e silenciosa casa, isso por causa de um pecado irremediável que cometeu. Limpa as lágrimas observando os rabiscos na parede, que foram feitos por seu filho rindo, mas que agora, só trazem lembranças de sofrimento.

������������������������������

No Outro Dia

Naruto não deixa Sasuke ouvir a voz de seu pequeno a mais de dois dias, seguindo agora o terceiro, mas ele simplesmente deu uma desculpa esfarrapada, que o “Cry Baby” teve que engolir sem questionar, entretanto, a conversa com seu irmão ontem, fez o menor ignorar o risco e bater diretamente na porta do loiro nesse lindo fim de tarde, com o sol mesclando o laranja, amarelo e vermelho, para criar a conhecida cor laranja claro avermelhado, ou, pôr do sol – O que faz aqui? Aprendeu a bater? – Ri – Quero falar com o Menma – Cruza os braços – Não vai dar, já disse que ele está dormindo na casa de um colega – O menor arqueia uma sobrancelha – Naruto por favor – Bufa – Tudo bem, que seja – Vira as costas fazendo o loiro relaxar para fechar a porta, mas em um surto o Uchiha retorna o empurrando e assustado o Engenheiro cai com seu ex por cima – MENMA! – Corre para as escadas – SASUKE PARA! – Adentra o primeiro quarto que vê, mas está vazio, as únicas coisas que provam que uma criança esteve nele são, a cama, decoração e desenhos de giz de cera nas paredes, como há na casa toda – O quê? – Abre o guarda-roupa e ele também está vazio – Sai daqui – O moreno olha para o maior – Cadê ele? – O Uzumaki desvia o olhar tocando a testa e se retira descendo a escada, fazendo o peito da mamãe apertar e o seguir depois de sorrir para um dos desenhos presos a parede – Naruto, me fala o que está acontecendo – Questiona o observando segurar algo de costas – Não vai encontrá-lo aqui... – Coloca sua arma sobre uma mesinha com a gaveta aberta – Nunca mais... – Na hora Sasuke liga os pontos e grita aterrorizado – COMO TEVE CORAGEM MALDITO?! – Tomado pela fúria avança com toda sua raiva para cima do amante e o soca diversas vezes entre as lágrimas. Naruto, não tendo coragem de machucá-lo apenas o empurra para longe e limpa o filete de sangue que escorre pelo canto de sua boca – Não acredito... – Permanece no chão – Meu bebezinho... – Chora – SEU MONSTRO! – Encara o loiro, que desvia o olhar. O Uchiha se levanta tremendo um pouco – Você, destruiu tudo o que era importante para mim, TUDO! VOCÊ NÃO CONSEGUE SER FELIZ E PARA SE SENTIR MELHOR NÃO DEIXA OS OUTROS SEREM! – Esbraveja deixando o Engenheiro sentido, entretanto, volta a procurar algo na gaveta – Eu sei que te magoei, odiei nosso filho, mas eu queria dizer uma coisa... – É cortado pelo vulto do parceiro pegando a arma – Sasuke, eu... – O barulho do disparo toma sua fala, olha para si vendo seu peito perfurado e encara o menor horrorizado – Chega de te ouvir – Atira de novo – Chega de ser seu brinquedo – Dá outro disparo fazendo o maior cair de joelhos levando junto a gaveta – Sa... suke... por... favor... – O sangue desce em abundância pela boca que se esforça em falar. A mamãe insana caminha lentamente até seu alvo, que estende uma carta para si, de uma maneira sofrida e difícil – Você não vai machucar nem eu, nem ninguém – Aponta a última bala para a garganta do homem, que chora tocando o envelope na roupa alheia – Eu... não... fiz... – Sua fala é roubada pelo tiro de misericórdia e agora, com tantos órgãos atingidos o loiro cai para o lado fechando os olhos. O Uchiha solta a arma e se ajoelha no sangue do amado e permite que suas lágrimas se juntem. Olha para o cadáver ao seu lado e resolve pegar a carta de sua mão:

“Sasuke, eu queria te contar um segredo, desde o momento que nos conhecemos você conhecia as dificuldades de me amar e mesmo assim aceitou o risco. Eu não gostei nada de ter um bebê, pois eu tinha um ciúme irracional de você, pois sentia que a qualquer minuto eu poderia te perder. Eu não quis ouvir suas palavras, neguei suas promessas e fiz de tudo para te prejudicar, para que você sentisse a dor que eu senti quando disse que teria o bebê. Só que o tiro acabou saindo pela culatra e hoje, eu sou a pessoa que mais amo essa criança, tudo o que tenho quero que seja do nosso filho um dia, então, sei que não vai concordar, mas o mandei para uma escola no exterior, pois lá o ensino é melhor e ele voltará mais inteligente que você, acredite, desculpa. Meu amor, não tem ideia do que sinto quando ouço ele me chamar de papai, é tão especial, que não tenho palavras para descrever essa emoção. Estou te entregando essa carta para dizer que estou removendo as petições da justiça e também, você sabe que me expresso melhor escrevendo, por isso, quero te dizer algo que você sempre quis ouvir de mim, eu quero que nós três sejamos uma família, para sempre, então, quer casar comigo? Se você achar que eu te machuquei muito, sem problemas, porque você se lembra né? Podemos não acabar como o conto das azaléas, mas não significa que eu não te ame com todo o meu coração, Naruto.”

-NÃO! NARUTO! – Agarra o loiro o balançando – POR FAVOR ACORDA! – Chora como uma criança que viu seu personagem favorito perder a batalha – Meu amor... – Beija os lábios manchados do maior – O que eu fiz? – Sela novamente os lábios desprotegidos – Você finalmente se decidiu e pensou no melhor para todos – Funga – Mas onde é esse lugar? Quando ele volta? – Aperta a camisa suja tremendo – O meu bebê se... foi... – A armargura do moreno continua a descer – Eu perdi tudo... – Toca seu peito ouvindo a sirene da polícia. Olha para os lados e seu olhar foca em uma vela apagada – Eu quero você de volta... – Suas lágrimas molham o rosto tranquilo – Não estou pronto para te deixar para sempre... – Se levanta e tranca a porta. Vai para perto do fogão e libera gás pelas bocas do mesmo, acende a vela deixando sobre a bancada. Pega a carta e dentro, além da mensagem possui outras coisas, a dedicatória rasgada, que o loiro se esforçou em colar e o anel que devolveu. Sorri colocando em seu dedo, se ajoelha puxando o maior para deitar em seu colo – POLÍCIA, ABRA A PORTA! – Os homens esmurram a porta, todavia, o moreno apenas entrelaça sua mão com a do amante, que jamais removeu sua aliança, deposita um beijo na mesma e abraça o cadáver imóvel, que mesmo sem vida, dá um sorriso segundos antes da casa explodir.

Os dois guardas que estavam na porta são arremessados pela explosão. Os expectadores ficam apavorados e todo o quarteirão se junta para observar a fogueira – Central, precisamos de reforços, incêndio no nosso quadrante – Um dos policiais pede ajuda pelo rádio. Alguns quarteirões do local Itachi tenta ligar para seu irmão para impedi-lo de confrontar seu passado, todavia, é tarde demais – E o Sasuke? – Mikoto pergunta vendo o filho desligar – Não está atendendo, será que estão discutindo? – Cruza os braços olhando na direção da TV ligada – Olha mãe, parece um incêndio – Se aproxima da notícia – Onde? – Pergunta – Aqui mesmo, Castelo Branco – A morena pensa por alguns segundos – Não é a rua do Naruto? – O peito do primogênito aperta – Sasuke – Corre para o carro e dirige a todo vapor até o local. Os bombeiros ainda não chegaram, por isso os policiais apenas tentam manter as pessoas afastadas. Itachi vê o carro do moreno e já sente as lágrimas se acumulando. Estaciona de qualquer jeito e se apressa para falar com os oficiais – Tinha pessoas lá dentro? – O homem suspira – Infelizmente sim, um casal está lá – Na hora ele surta – É MINHA IRMÃ QUE ESTÁ LÁ DENTRO! FAÇAM ALGUMA COISA! – A sirene do caminhão vermelho aparece e logo o fogo é controlado e ninguém além dos dois se fere. Quando tudo se torna cinzas, nada para o irmão mais velho, que adentra o perigoso local e se surpreende com a cena, já que mesmo com a explosão, a posição deles permanece intacta – Irmãzinha... – Deixa as lágrimas descerem e se ajoelha sendo puxado pelos oficiais – AH! SASUKE! – Na residência, Mikoto já se encontra desacordada no chão.


Notas Finais


Foi a maior reviravolta que eu fiz em toda a minha vida. O próximo capítulo é o último, até amanhã.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...