História Lack of Lucky - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 4
Palavras 2.942
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Minha primeira fanfic YAOI
Eeeeeeehhhh
Estava tão ansiosa para posta-la aí seu uma paradinha na minha outra fic
Sem mais delongas...boa leitura

Capítulo 1 - Aliados ao azar ou a sorte?


Fanfic / Fanfiction Lack of Lucky - Capítulo 1 - Aliados ao azar ou a sorte?


 Jimin entrou no quarto às pressas, acabara de chegar em Las Vegas e uma das coisas que mais desejava além de tomar um bom drinque, era se jogar na cama daquele Hotel, o qual possuía um cassino logo no térreo , uma reserva mais absurda feita para festejar sua despedida de solteiro.
Aquele o qual era considerado um dos homens mais influentes na sociedade coreana, encontrava-se em frente a uma sacada espaçosa, podia-se dizer que nela caberia até mesmo um pequeno jardim, porém só possuía uns míseros jarros de planta encostada no canto.
Enquanto o jovem arrumava-se, um estrondo fez a porta se abrir. À ação fez-o girar a cabeça rapidamente e avistar sua mãe.
- Filho? Escute bem, você não pode, em hipótese alguma, fazer nenhuma besteira! - O Park terminava de por seu cinto de couro, que o fazia estar impecável -Escutou jimin? Este é o casamento do século! - pronunciou cruzando os braços.
- Sim, mãe - disse com uma voz incisiva - Seu bebê vai realizar seu sonho não é?
- Ah Jimin, pare de falar asneiras - aproximou-se ajeitando a gravata do Park - eu quero que sejas muito feliz, esse casamento trará benefícios tanto para você quanto para os negócios.
- Entendo. - o ruivo passou as mãos pelo cabelo, pegou sua jaqueta preta a qual casava certo com seu look, uma calça preta de couro delineando seus músculos e uma camiseta preta, esta não perdia o destaque por ser simples. - Prometo não chegar tarde, à propósito - pigarreiou - JiHyun vem? Não consegui falar com ele.
- Jimin, por que não vai ver o Yoongi? O coitado está arrumado te esperando lá embaixo. - sentou-se na cama mudando completamente de assunto.
O ruivo viu que sua mãe não responderia. Toda vez que tocava no nome "JiHyun", seus pais sequer pronunciavam um "ai". Sem esconder seu aborrecimento Jimin foi ao encontro de Yoongi porém o inesperado era encontrar sua noiva em frente ao seu quarto.
- Amanda? Não deveria estar no Spa com suas amigas? - indagou o ruivo.
- Eu tava com elas, mas senti sua falta. - fez cara de carente aproximando-se cada vez mais. - eu acho, que a despedida de solteiro poderia ser outro dia... - passou às mãos no ombro do noivo - Você podia dar um olhadinha nas surpresas que tem lá no...
- Yoongi! - o gritou estrondoso de Jimin interrompeu Amanda. Salvo pelo gongo, o ruivo saiu dos braços da noiva indo em direção ao seu melhor amigo - Eu soube que estava esperando por mim, sem mais delongas, vamos? - o Park puxou Yoongi até o elevador enquanto a pobre da menina fincava raízes no chão de mármore.
- Qual é Jimin? Ela é tua noiva, a coitada de ama tanto, é capaz de matar alguém por ti. - deu um peteleco no amigo.
- Não vem não, tu sabe que eu nunca gostei dela, na verdade, gostar eu gosto, mas Amar - deu ênfase gesticulando as mãos - Amar não.
- Compreendo - prosseguiu o Yoongi, aproximando-se de Jimin num abraço desajeitado - quem tu amas estás aqui!
- Credo - respondeu de forma mais hostil do que pretendia - i Love Myself Baby, somente!
- Bem que falam que quem ama de verdade, ama até os mais egocêntricos. - Ele riu baixinho - chegando ao cassino no térreo do luxuoso hotel, os dois foram ao encontro de Hoseok, ex namorado de Yoongi, encostado na parede encontrava-se Namjoon bebericando uma dose de martini.
- Hoje é o grande dia meu amigo! Amanhã é só história. - Namjoon bateu nos ombros do ruivo fazendo-o rir enquanto hoseok puxou um taco de sinuca.
- Essa é só pra aquecer - disse Hobi, enquanto Jimin tentava esquecer os problemas principalmente o seu casamento no dia seguinte, então foi logo pegando uma taça de martini e o taco para jogar com os meninos.
Park Jimin, filho de um grande empresário, trabalha na empresa de publicidade do seu pai."Trabalha" entre aspas mesmo, seu braço direito, o executivo Min Yoongi acaba resolvendo às papeladas do mais novo enquanto o primeiro só faz assina-las. Filho de uma família tradiconal coreana, Jimin precisava assumir a empresa do seu pai, em conjunto realizar um desejo de sua mãe, o casamento, que para o ruivo, era como assinar seu próprio atestado de óbito.
Bebendo, curtindo, jogando dinheiro fora, Jimin foi apostando nos joguinhos divertidos do cassino, com ótimas garçonetes de minisaia, o Park sentiu-se à vontade, podia apostar no que quisesse, estava sempre a ganhar, realmente a sorte gostava de ficar ao seu lado.

(...)


- Okay, vai dar tudo certo, olha esses músculos garoto, não são pra qualquer um - jungkook fixava seus olhos no espelho enquanto elogiava o esbelto corpo - Eu sinto, que hoje é o seu dia garotão!
- Oh, Jeon Jungkook, dá pra ficar quetinho só um instante? - o coordenador de natação esbravejou na intenção de cortar o barato do jovem.
- Tá bom - respondeu o Jungkook - que horas eu vou poder falar com o Phelps? Sabe como é né? O Michael conquistou trinta e sete recordes mundiais e o maior número de medalhas de ouro olímpicas em uma única edição - uma pausa pra recuperar o folego - Feito este realizado nos Jogos de Pequim, na China, sem querer me gabar, mas eu tava lá neste dia, sou muito fã dele e...
- Jura que você é fã? Nem percebi. Passou a viagem toda, dá Coreia até aqui, falando a mesma coisa, parece que não muda o disco, eu hein! - o coordenador retirou-se cafungando.
- Aish, nunca teve um ídolo não? - Jungkook sentou-se no banco azul do vestuário, sabia que estar ali não era para qualquer um, competir com Michael Phelps em Las Vegas ainda, o moreno sabia da importancia de estar ali, ao ponto de escrever a história da sua carreira.
Horas foram passando, as pessoas enchendo as arquibancadas do ginásio Olímpico. O Menino tentava conter a emoção para fazer uma ótima largada, mas só de pensar em ver o Michael Phelps, podia fazer pipi na piscina, era muita emoção pro coitado. Jungkook e seus concorrentes encontravam-se em uma piscina com profundidade de 2 metros, dividida em dez raias, sua sorte é que ele ficou com a raia 4, que continha águas mais calmas e o pole position, com isso suas chances de alcançar o pódio era ainda maior, graças às suas pontuações nas competições nacionais da Coreia.
Dada a largada, nada se pasava em sua mente, a não ser as técnicas, onde a medida que avançava, iria aplicando-as apropriadamente, chegou o momento de voltar, Jungkook foi rápido, chegando a quase empatar com seu ídolo.
-Inacreditável, o jovem coreano empata com o estadunidense Phelps, ele vem aumentando sua velocidade, mostrando aos jurados suas técnicas precisas nas braçadas - relata o comentarista.
- Ele leva a torcida a loucura Adam, me pergunto se o próprio Michael o treinou - sugeriu o outro deixando risos a todos na plateia.
O clima era de emoção, a torcida ia a loucura, queriam logo saber quem serja o campeão. Contudo algo deu errado, nos últimos segundos, uma média pressão veio a sua cabeça, meio tonto foi diminuindo o ritmo ou poderia causar-lhe alguma lesão mais grave.
- Mas o que esse muleque está fazendo? - o coordenador Kang levanta-se desesperado da arquibancada, com essas más colocações de técnicas Jeon perderia a competição. Suas próprias deduções foram concluídas e Jungkook dirigiu-se ao vestuário, quase a ponto de desmaiar ele sentou-se no mesmo local de antes e respirou fundo.
- Você acha que isso é brincadeira? Tava se amostrado muleque? Eu não vim aqui pelo seu sonho não, foi pela minha carreira, o que irão dizer sobre mim?... - todas aquelas palavras soavam de forma tão hostil e o pobre moreno não sabia se dava ouvidos ou se relevava.
Levantando-se repentinamente Jeon saiu das vistas do seu coordenador e com somente uma bermuda e camiseta foi afora caminhando nas ruas de Las Vegas, perdendo até mesmo a oportunidade de falar com o ídolo. Explorando alguns pontos turísticos dos quais já ouvirá falar, sua cabeça foi tranquilizando-se enquanto pensava nas palavras fortes do seu coordenador, muitas vezes não percebemos, mas palavras doem mais do que tapas, abatido o moreno pôde ver como era bonito aquele lugar, observava o paisagismo dos prédios quando um chamou-lhe bastante à atenção, O Mirage Hotel & Casino.
Puxou o celular tratando de tirar um selca em frente ao hotel luxuoso - Pelo menos posso dizer a meus netos que já vi um cassino na minha vida - riu desperançoso.
O moreno fincou o olhar no prédio enorme cheios de luzes, gente entrando e saindo, uns de becca outros vestidos casualmente e ele de camisetinha regata, um espetáculo. Por um instante cogitou em jogar um pouco daqueles Slot Machines (caça-níqueis), já que esses eram baratos, com a inserção de algumas moedinhas, poderia apostar na sorte.
- Quer saber? Eu vou, só pra ver com é, vai entrar na minha lista de " As cem coisas que deve-se fazer antes de morrer", fechô!
Jeon Jungkook adentrou o local, sentindo um pouco de vergonha pelo seu traje nada elegante, foi sorrateiramente olhando todos os cantos do local, as paredes elegantes, as belas socialaites, os grandes empresários que entravam ricos e saiam pobres.
- Se Bill Gates apostasse comigo tenho certeza que ganhava - puxou uns trocados guardados no bolso de trás da calça e tratou de jogar no caça-níqueis, uma bandeja desfilava na sua frente, de forma rápida pegou um docinho meio verde.
- Excuse me? Isto é para convidados da festa do sr. Park, o senhor está incluso? - pronunciou em inglês.
- Que? I - apontando pra si mesmo - don't speak English.
- Senior? É convidado? - insistiu a moça.
- Yes, I like This, good muito good. - Jungkook tornou à apontar para si e para o doce.
- Isso tem que pagar se não for convidado. - a moça apontou com a mão esquerda enquanto segurava a bandeja com a direita.
- Ah, entendi agora - deu de ombros desapontado - toma - simplesmente cuspiou o doce pondo novamente na bandeja.
- Tudo é a base do dinheiro, eu hein! - o moreno foi caminhando pelo local, explorando cada setor encontrou umas pequenas salas sem portas, algumas contendo cortinas de lantejoulas, integravam complexos de salas para espetáculos musicais ou teatrais, e alguns jogos mais caros como "A roleta".
É de suspeitar que a sua referência mais antiga seja a chamada "Roda da Fortuna", por envolver muito dinheiro. À aparente quietude do centro, o aumento da velocidade conforme nos arredores da roleta, a possibilidade de que se detenha no ponto de azar, era máxima assim como no ponto de sorte, com 1% para distinguir os dois. Era apostar no agora ou nunca.
Tudo isto influi no desempenho de distintos jogos que têm a roda como base. Chamando a atenção do Jeon que observou por uma brecha na cortina brilhante um amontoado de gente bebendo e gritando em volta da maldita roleta. Uns apreensivos, outros, no entanto, cantando vitória, este surpreendeu Jungkook, pois num jogo como esse, você nunca sabe o futuro, ora ganha, ora perde.
- Que ridículo, aposto que vai perder daqui a pouco! - riu sardônico.
- Quero ver quem me detém! Aqui quem manda sou eu - cheio da cachaça Jimin estava ganhando o jogo contra algumas pessoas que acabara de conhecer, enquanto seus amigos o incentivavam e gritavam seu nome, Jungkook se incomodava com tanta autoconfiança. - Alguém mais quer brincar? Vamos cavalheiros, prometo-lhes mais uma chance - riu alto pela quinquagésima vez.
O silêncio rendeu no lugar...
- Ei, você aí.
- Eu? - indagou Jeon.
- Logo ele Jimin? - Hoseok riu nasalado
- Tente sua sorte comigo...ou azar. - com um sorriso sarcástico apontou para o moreno. -  Vocês contam vantagem demais! - pronunciou Jungkook.

- Então me mostre como se faz, meu caro. - Jungkook olhou-o nos olhos, o ruivo estava mexendo com fogo, poderia ter perdido a competição, mas o moreno nunca gostou de perder, era o melhor quando jogava boliche com Taehyung e Jin, seus melhores amigos.

- Melhor não - respondeu, porém o Park insistiu, instigando o moreno, perguntando se o mesmo estava com medo, adorava saber que podia ser melhor que todos ali presentes.
- Okay, mas não vá se arrepender. Primeiramente um drink - levantou a mão em direção ao garçom, o mesmo assentiu com a cabeça.
O Park não hesitou ao dar a largada, até porque ele já tinha suas fichas para apostar. Até o momento Jimin não tinha uma regra quanto aos números escolhidos, diferente de Jungkook, esse sabia que a roleta estava combinada. A eleição de números deu um alcance mais vinculado à magia, a soma dos primeiros números [1-36] é o número mágico por excelência: 666. Uma simples progressão aritmética que aprendera no primeiro ano do ensino médio, certamente estava valendo a pena tudo que o chato do professor de matemática falava.
Comprada as fichas, Jungkook pensava nos números que seriam prováveis de cair.
- Você vai jogar na área interna ou externa? - questionou o moreno.
- Vamos na parte exterior. - Jimin foi-se adiantando para jogar a ficha, no entanto Jungkook gesticulou com as mãos.
- Você tem certeza? - Jimin fez que sim, o que o moreno não esperava era que ele fosse escolher a parte externa, já que nesta o valor será para cada aposta, e não dividido como no interior, ou seja, na parte de fora você tem mais probabilidades de ganhar, ou de perder de vez.
- Red/black: aposta na cor do número 05, vermelho! - exclamou o ruivo.
- Coragem hein Jimin - Namjoon gritou ao passo que Yoongi estáva com olhos vidrados na jogada do Jungkook.
- Red/black: aposta na cor do número 13, preto. - disse Jungkook olhando pro dealer que girou a roleta. Como na roleta americana tem dois 0 de cor verde, os dois jogadores tinham grandes chances de perder e quem realmente ganharia seria o próprio cassino.
Girou, girou, girou, todos estavam apreensivos, o silêncio total só não pairava no ar por conta das setas barulhentas na roleta e toda a festa no local. Jimin estava confiante contudo Jungkook aparentava-se preocupado, e se toda aquelas probalidades em sua mente fossem, somente, míseras probabilidades? E se perdesse até o que não tinha?
- 13! Deseja se dirigir ao banco de contas sr Jimin? - perguntou o dealer.
- QUE? O Jimin perdeu quanto? - Namjoon havia cochilado por uns minutos ao passo que Yoongi mandava ele fecha a matraca, o tadinho estava apreensivo pelo amigo ruivo.
- Eu ganhei foi? É isso? - meio atordoado o Moreno cutucou o dealer, talvez o número 13 não fosse de tanto azar assim.
- Não senhor, acumulou pontos, porém, se desejarem parar sim, você ganha dinheiro pelos pontos. - Jimin embora estando meio tonto pela bebida, tentava assimilar cada palavra dita pelo dealer.
- Não mesmo, desistir jamais, quero Even-Money! - golpeou a mesa.
- Ô cabeça de cenoura, tu tá bem louco né? Tu pode perder tudo! - sussurrou Hoseok no ouvido de Jimin, este fuzilava Jungkook com o olhar.
- Posso ganhar tudo também hope. - soltou uma piscadela para Hoseok. - todos em volta da mesa do horror estavam ofegantes, não haviam arredado o pé dali, entretanto pareciam ter corrido mais que o Usain Bolt.
- Sr Jimin, você terá duas opções na categoria "En prision", já que nessa rodada escolheu o Even-Money, que pertence à está categoria, se por acaso no próximo giro da roleta sair um zero, ou não corresponder a aposta “en prision” toda a aposta será perdida. E claro se no giro da roleta corresponder a aposta o jogador vai ganhar seu dinheiro de volta. Continuar?
- Trabalho com fatos exatos e não acasos! - proferiu - Continuo.
Aparentemente Jungkook só observava a forma como aquele homem em sua frente era tão cheio de si, talvez o dinheiro colaborasse para tais atitudes.
- Pronto sr...? - gesticulou o dealer, havia esquecido o nome do mais alto.
- Pronto! - ocultou informações.
Jimin arriscou no número 01, por outro lado, Jungkook sempre na mesmisse de suas probabilidades, as quais nem sempre foram tão certas, arriscou-se no 12.
Partindo da seta 13, aquela partida deixará todos loucos, olhos não piscavam, a roleta não parava, pensamentos? Nessa hora suas mentes abandonaram quaisquer estímulos a eles. De todo o barulho do local, seus tímpanos sequer escutavam algo além dos ruídos da roleta.
- Jimin, você tá bem? - questionou Yoongi. Jimin apresentava-se atônito, não conseguia ao menos engolir em seco.
- Sr Jimin? - chamou o dealer - queira me acompanhar ao banco de contas. Encerrado o jogo!
Jimin não deslocava-se, sem olhar pros lados pediu para Yoongi buscar o cheque para assinar, apenas olhava fixamente Jungkook que também ficou sem reação ao ver o resultado, o mais improvável aconteceu, o zero foi um ótimo camarada pro moreno, um número difícil de cair, porém não impossível, feito isso, Jimin perdeu toda à aposta avaliada em 1 Milhão de dólares.

(...) 


- Park Jimin não é? Ao contrário de muitos outros jogos de cassino, na roleta a vantagem da casa é sempre a mesma não importa qual aposta você faça. Mas isso não significa que as chances de ganhar são as mesmas para todas as apostas que você fizer, quando aprender como se joga roleta tenha isso em mente. - enunciou Jungkook logo após virar as costas e retirar-se. 


Notas Finais


Espero q tenham gostado, desculpem algum erro, Aaaaaaa o jimin é ruivo, adoro ele assim♡ enfim kkk até breve!
Link da minha outra fanfic https://spiritfanfics.com/historia/save-yourself-in-the-name-of-love-8531058


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...