1. Spirit Fanfics >
  2. Laços - O Ano da Mudança! >
  3. Emoções Afloradas

História Laços - O Ano da Mudança! - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


E aí galeros!!!
Mais um cap pra vocês.

Com muito amor,
Autora =)

Capítulo 20 - Emoções Afloradas


Ino voltava de viagem bronzeada, visitar os avós era sempre incrível pois eles moravam bem perto de uma praia linda. Foi bom para ela espairecer também, afinal o último semestre foi bem turbulento e ela ainda estava triste pelo término com Shikamaru. Ela decidiu visitar Sakura assim que chegou, estava morrendo de saudade da amiga.

- Oi testuda!!! – saudou assim que entrou no quarto de Sakura.

- Ino! Até que enfim voltou! – Sakura abraçou a amiga. – E então, como foi a viagem?

- Foi ótima, você conhece meus avós né? Se eu não me cuidar eles me deixam obesa hahaha

- Mas você voltou com um corpão e um bronzeado incrível!

- Sim, apesar de comer muito, todo dia eu corria pela praia e fazia outros exercícios. Como quero ser uma atriz de sucesso, tenho que manter a boa forma – piscou

- Eu queria ter essa força de vontade – suspirou a rosada – aproveitei esses dias de castigo pra estudar bastante, os meus pais só me deixaram sair um dia pra pesquisar os locais pro artigo.

- Aaah sim! Me conta, como é estar casada com a Karin? Hahahaha

- Ai nem me fale nessa monstra... – Sakura se jogou na cama derrotada – ela se recusa a falar do artigo, disse que ta muito ocupada fazendo coisas de patricinha rica. Então eu dei uma pausa na produção do artigo, vou continuar quando meu castigo acabar, o que me lembra que ele acaba amanhã finalmente!

- Ai que saco esse castigo, mas pelo menos a tia me deixou te ver. Você é tão comportada que eles nem estão acostumados a te deixar de castigo – sorriu Ino

- É, mas sinto falta de andar por aí, no único dia que eu fui procurar os locais, eu acabei conhecendo um garoto muito legal.

Sakura então contou toda a história do seu encontro com Sasori e Ino ficou extremamente empolgada com tudo aquilo.

- Sakura ele parece ser um fofo!!! Além disso ele com certeza é de outra escola, um cabelo ruivo chama atenção então se ele fosse da nossa escola eu com certeza já teria notado – pensou Ino – a melhor coisa é você conhecer outras pessoas que não estejam na nossa bolha... eu quero fazer o mesmo também.

- É, mas eu só o vi naquele dia, depois disso meus pais não deixaram mais eu sair então é bem difícil a gente se encontrar... eu nem dei meu número pra ele.

- Ai Sakura! Você também complica hein! Como vai conhecer um carinha se não se soltar mais???

- Mas eu não quero falar com ele com essa intenção... é que ele é bem legal mesmo. Além do mais, eu ainda não to pronta pra me envolver com ninguém... ainda nem falei com o Naruto – Sakura abaixou a cabeça triste.

- Eu sei amiga – Ino segurou gentilmente a mão da amiga – mas o seu castigo já vai acabar e o melhor que pode fazer é ir atrás do Naruto pra resolver logo as coisas.

- Sim, só falta falar com ele e com a Hinata. To muito nervosa, com certeza eu não quero fazer isso... mas tenho que fazer.

===================

 

Hinata trabalhava na cafeteria, era final de tarde mas o sol ainda estava radiante, se recusando a se pôr. Ela e Shizune se desdobravam para dar conta dos clientes.

- Hinata, leva esse pedido na mesa 09, fui eu que atendi mas tenho que limpar uma outra mesa... um bebê derramou suco. – suspirou Shizune

- Pode deixar, eu levo – disse Hinata, pegou a bandeja e levou para a mesa 09.

- Boa tarde, eu trouxe os seus pedidos. Para quem é a torta de moran...- Hinata ficou estática.

Quem estava na bendita mesa 09 não era nada mais nada menos que Neji juntamente com Tenten. Eles encararam a morena surpresos, jamais imaginariam que ela trabalharia naquele lugar. Tenten percebeu o clima e tentou quebrar o gelo.

- Oi Hinata! Não sabia que trabalhava aqui! – sorriu – a torta de morango é minha.

- P-pois é, eu estou aqui há algum tempo – Hinata sorria nervosa para Tenten e olhava de volta para Neji que a encarava com uma cara de poucos amigos. – B-bom, se precisarem de alguma coisa é só pedir... c-com licença.

Assim que Hinata saiu apressada daquela mesa, Neji, que só havia pedido um chá, parecia ter perdido toda a vontade de estar ali.

- Tenten, termina logo essa torta e vamos sair daqui. – disse secamente.

 

Assim que saíram de lá, Neji bufava e andava apressado. Eles tinham terminado o artigo e já que tinham o resto da tarde livre, decidiram lanchar naquele lugar, mas agora Tenten achava que ele ia ter um colapso nervoso.

- Neji... qual o problema? – Tenten estava quase correndo para poder acompanhar os passos apressados do garoto.

- Nada, eu só não esperava encontrar a Hinata naquele lugar.

- Qual o lance de vocês? Eu nunca perguntei porque sei que não gosta de falar sobre isso mas...ela é sua irmã e vocês tem uma relação ruim? É isso?

Neji bufou e finalmente diminuiu o ritmo, ele confiava na amiga o suficiente para falar sobre essas coisas.

- Ela não é minha irmã. É minha prima, ela é filha do meu tio Hiashi.

- Espera... então ela é a primogênita e herdeira da sua família??? Gente... e pensar que ela sempre foi tão discreta... – Tenten ficou surpresa pois sabia o quanto os Hyuugas eram ricos, pensar em um deles (ainda mais a principal herdeira) trabalhando em uma cafeteria era insano.

- Sim, ela é a herdeira. Como você sabe, meu pai morreu quando eu era criança então meu tio ficou com minha guarda afinal, minha mãe sumiu no mundo. Então eu e ela fomos criados como irmãos e a gente era bem próximo na verdade, ela sempre foi do jeito que você conhece: extremamente tímida e gentil.

- Então, por que você parece detestar ela hoje em dia?

- Por que ela nos abandonou, em certa idade ela foi morar com a mãe. Na verdade ela fugiu. A verdade é que ela nunca quis a responsabilidade da nossa família, ela é fraca. Por isso eu a detesto. Ela buscou o caminho mais fácil que é ir morar com a mãe e viver as fantasias de menininha fraca e tola que ela é. Desde então eu fiquei com toda a responsabilidade de primogênito. Ela não passa de uma covarde... mas o tio Hiashi vai adorar saber que ela trabalha aqui como garçonete, ele vai acabar com a mãe dela.

 

Tenten processou tudo aquilo, ela não era próxima de Hinata, mas o pouco que a conhecia, sabia que ela não era fraca. E não era nenhum demérito trabalhar naquela cafeteria, pelo contrário, era admirável. Ela olhou para Neji que caminhava mais a sua frente, ela só podia ver suas costas. “Tão bonito” pensou.

Ela se lembrava perfeitamente de quando conheceu Neji, ela se apaixonou assim que o viu, nem sabia que ele era rico ou o que representava ser um Hyuuga, ela simplesmente viu um garoto com olhos perolado e longos cabelos castanhos. Tenten se aproximou dele e de Rock Lee, nutrindo aqueles sentimentos. Às vezes parecia que Neji sentia o mesmo por ela, mas não dava pra saber, pois ele era quase uma parede que não dava para ultrapassar. Por amá-lo profundamente, ela quase nunca contrariava o que ele dizia. Mas percebeu naquele momento que Neji estava ficando exatamente igual ao seu tio Hiashi, um homem frio. Ele precisava de um choque de realidade. Então ela parou de andar e ficou encarando-o.

- O que foi? – Neji parou e olhou para trás vendo Tenten parada a encará-lo

- Você...

- Eu o que?

- Você é tão... PREPOTENTE!!! – gritou

- O que? – Neji se assustou, pois ela nunca havia falado com ele desse jeito.

- Isso mesmo que você ouviu!!! – apontou na cara dele – Como ousa julgar sua prima desse jeito?!? Você nem mesmo fala com ela, não sabe como é a vida dela!!! 

- Olha aqui você não sabe NADA da nossa vida!!! – o susto inicial tinha passado e agora dava lugar a irritação.

- O que eu sei é que você está ficando exatamente igual o seu tio! E sei também que se você fosse alguém decente, iria tratar uma pessoa que você mesmo disse que considerava uma irmã, com mais respeito!!! Se isso for ser um Hyuuga, então eu entendo a Hinata ter saído de casa...

Ela terminou de dizer isso e deu as costas para um Neji boquiaberto. Tenten se sentia decepcionada por gostar de alguém que ficava cada vez mais frio e tirano daquele jeito. Assim como ele, ela sentiu que também precisava de um choque de realidade.

 

=====================

Enquanto isso Hinata estava muito nervosa na cafeteria, já imaginava que Neji ia falar para o seu pai sobre seu trabalho. Aquilo era péssimo. Ela estava pensando nisso enquanto servia mais um pedaço de torta sem prestar atenção no próprio serviço.

- Mais alguma coisa senhor? – Perguntou no automático

- Sim...que tal uma cabeça de rato assado?

- Claro...vou providenciar e... espera, o que?? – Hinata acordou de seu piloto automático e olhou para o cliente que sorria discretamente para ela. – Sasuke!!!

- Oi... achei que só assim pra você acordar, pensei em passar aqui pra ver como você ta, mas pelo visto parece que alguém passou aqui antes e levou sua alma – disse com a mão apoiada no queixo olhando para ela.

- É, eu estou aérea mesmo. Aconteceu uma coisa mais cedo...

- Se quiser me falar, eu estou aqui.

- Não posso agora, mas meu intervalo é em 15 minutos, se quiser te encontro lá fora.

- Tudo bem.

Já no intervalo, Hinata e Sasuke se encontraram em uma galeria de lojas que ficava ali perto. Ela contou o encontro bizarro com seu primo mais cedo.

- É, desculpa falar isso, eu sei que ele é seu primo, mas ele é bem irritante. – disse Sasuke – Mas porque você ta tão nervosa? Ele saber que você trabalha é tão ruim assim?

- Sim, na verdade é preocupante. Ele com certeza vai contar pro meu pai e ele vai ficar furioso quando souber... isso pode gerar um problema muito grande.

- Como assim?

- O meu pai não sabe que eu trabalho... se ele souber que eu tenho um trabalho mesmo que seja de meio período, vai querer tirar minha guarda da minha mãe... Ele ainda guarda mágoa por ela ter pedido o divórcio então eles não se falam até hoje.

- Caramba... isso é péssimo. – Sasuke entendia melhor o nervosismo dela agora.

- Sim, só que eu não posso deixar minha mãe... quando eu decidi ir morar com ela, ela ainda trabalhava mas já estava com a saúde debilitada. Ano passado ela teve que parar de trabalhar de vez então eu que sustento a casa e cuido dos medicamentos e consultas dela com o dinheiro da cafeteria e mais a pensão que recebo do meu pai. Se ele me tirar da mamãe, ela vai estar perdida – Hinata estava com os olhos marejados.

 

Sasuke segurou gentilmente o ombro dela.

- Hinata, se precisar de qualquer coisa eu to aqui. Mas por enquanto tenta ganhar tempo com o Neji, manda mensagem pra ele. Se você pode impedir que tudo isso aconteça, tem que conseguir fazer com que o Neji não fale nada.

- Mas... o Neji me detesta, ele não vai querer saber de conversa.

- Não custa tentar. Manda mensagem pra ele logo, antes que ele chegue em casa.

- Certo.

 

Mensagem para Neji:

“Oi Neji, eu sei que você deve estar irritado por hoje mais cedo, mas por favor, não conte nada ao papai! Me dá a chance de explicar tudo antes, por favor.”

 

Neji normalmente só ignoraria essa mensagem, mas depois da discussão com Tenten, ele não sabia bem o que fazer.

Mensagem para Hinata:

“Certo. Sábado 17h, lugar de sempre.”

 

Hinata vibrou aliviada. Sasuke olhou aquela mensagem curta sem saber se ela significava algo bom ou ruim.

- O que é “lugar de sempre”?

- Quando a gente era criança, se quiséssemos falar de algo que estava nos chateando, a gente se encontrava em frente ao túmulo do tio Hizashi para falar sobre isso. Digamos que é uma “zona segura” – sorriu – se ele mandou isso é porque realmente está disposto a me ouvir.

- Credo... vocês são tão mórbidos.

Hinata apenas riu daquele comentário.

- Hum... Hinata, eu estive pensando. Ainda não conversamos sobre tudo que aconteceu... na verdade eu vim aqui mais pra falar com você sobre isso. – Sasuke estava levemente desconfortável.

- Ah Sasuke... por favor, não pensa que eu to fugindo, porque eu não tô, juro! Eu quero conversar com você sobre isso também... mas o meu intervalo acaba agora e eu tenho que voltar pro trabalho... eu quero conversar com você com mais calma, não assim, as pressas.

- Tudo bem, eu entendo. Aliás, vamos marcar pra depois dessa conversa com Neji, to curioso pra saber o que vai acontecer – piscou.

- Pode deixar! Até mais Sasuke! – acenou.

 

Sasuke acenou de volta, é pelo menos ele estava aliviado por poder falar com ela normalmente depois de tudo. Aquela visita com certeza não foi em vão.

 

================================

 

Mensagem de Konan para Gaara:

“Fala cara, você pode fazer um favor pra mim? Quando a Hina sai tarde da cafeteria eu sempre volto com ela, mas hoje não posso ir. Você pode acompanhá-la?”

 

Mensagem de Gaara para Konan:

“Tudo bem. Mas não acostuma, não sou teu empregado”

 

Mensagem de Konan para Gaara:

“Vsf”

 

Hinata fechava a cafeteria e como Konan não tinha aparecido por lá, ela estava com pressa.

- E aí tampinha. – Gaara havia chegado silenciosamente, o que quase matou Hinata do coração.

- Meu Deus Gaara! Que susto! O que você ta fazendo uma hora dessas por aqui?

- Konan mandou mensagem, disse que não viria e me pediu pra vir no lugar dela. – ele deu de ombros

- Eu não acredito – Hinata colocou a mão na testa – já falei um milhão de vezes pra Konan que ela não precisa vir aqui sempre, agora ela ta arrastando você pra isso! Me desculpa.

- Tudo bem, não tem problema – disse o ruivo e começou a andar pela calçada sendo seguido por Hinata – a propósito, acho que nunca te contei isso, mas eu trabalho aqui perto. Ali na rua sete.

- Você também trabalha? É verdade, nunca tinha me contado... espera, na rua sete?? Mas lá só tem bares e.... bom...

- Clubes de streap tease. É, eu sei. – disse Gaara sorrindo pois Hinata havia ficado igual um tomate – Eu trabalho como bartender na Blue Devil, lá funciona como bar enquanto ainda está cedo, mas quando fica mais tarde rola altas festas. Felizmente não é o meu turno, é um saco trabalhar com gente muito louca de bebida e droga, eles dão um trabalhão.

- E como você sabe?

- As vezes eu pego  turnos extras... mas não com frequência justamente por causa disso.

- Incrível... nunca imaginei que trabalharia com isso. – Hinata estava impressionada – espera, eu já ouvi falar dessa Blue Devil, ano passado o Naruto queria que o aniversário dele fosse lá, até queria arrumar identidades falsas pra todo mundo, mas os pais dele descobriram e ele ficou de castigo na semana do aniversário – lembrou rindo.

Nesse momento Gaara fechou a cara e andou mais apressado, deixando Hinata um passo atrás.

- Eu vi vocês outro dia na escola, estavam se abraçando. Parece que se entenderam... – disse sem olhá-la.

Hinata não entendeu aquela mudança de atitude. Parecia que Gaara estava com... ciúmes? Não. Com certeza não era possível.

- S-sim, na verdade conversamos e nos entendemos. Meu sentimento pelo Naruto é apenas amizade e ele sente o mesmo, somos bons amigos afinal. – sorriu

- Ah...entendi...

- Mas Gaara, eu não entendi uma coisa. Você ainda é de menor não é? Como trabalha em um bar?

- Você é tão ingênua que chega a ser inacreditável – Gaara sorriu de lado, eles agora andavam lado a lado novamente – eu e o gerente demos um jeitinho. Para todos os efeitos, eu já tenho 18 anos...nem falta muito pro meu aniversário mesmo.

Hinata percebeu de novo que não sabia nada sobre Gaara, ela já tinha pensado nisso no dia do aniversário da mãe, mas esse pensamento lhe ocorreu novamente.

- Sabe Gaara, eu não sei o seu aniversário. Não sei qual a sua comida favorita. Não sei de que música você gosta... não sei nem onde você mora!

- E daí? Quer a minha ficha criminal?

- Não, é que geralmente eu sei sobre essas coisas dos meus amigos. E nós somos amigos na escola, mas eu não sei nada sobre você.

Nesse momento Gaara parou e ficou encarando ela sem expressão nenhuma.

- Você tem certeza que quer me conhecer? Quer dizer, somos amigos na escola... mas eu pego leve com você lá...

- O q-que quer dizer? – Hinata estava um pouco nervosa agora.

- Eu pego leve com todo mundo porque estou no ambiente escolar, mas fora da escola eu não pego leve com meus poucos amigos. Não sou gentil e muito menos ligo para a segurança deles, além disso, não tenho filtro com as palavras. Tem certeza de que é isso mesmo que você quer?

Hinata estava mais nervosa com aquilo. O Gaara que ela conhecia e que era temido pela escola inteira era o Gaara versão gentil? Além disso, o fato dele trabalhar naquele ambiente, o fazia conhecer muita coisa. Eles eram de mundos completamente diferentes. Mas ela estava determinada.

- Sim, eu quero ser sua amiga dentro e fora da escola. – assentiu firme.

- Muito bem, então hoje começa sua iniciação. Eu vou te levar pra casa e volto pra te buscar em meia hora.

- M-mas Gaara, ta tarde. Eu não posso sair e...

- To nem aí, se vira. Não se preocupa, não vamos fazer nada demais. Eu te devolvo cedo. – Gaara deu de ombros e continuou andando.

 

Assim que Hinata chegou em casa já eram 23h. Qualquer horário que ela voltasse seria tarde. Mas mesmo assim, ela arrumou coragem (mesmo não sabendo de onde) e disse a mãe que ia dormir mais cedo. A mãe assentiu e logo foi dormir também. Ela se arrumou silenciosamente, como não sabia onde iriam, optou por vestir uma calça jeans e uma blusa branca básica juntamente com uma sapatilha delicada. No horário marcado ela desceu silenciosamente e ficou esperando na frente da sua casa. Ela não via sinal de Gaara em canto nenhum, de repente ela viu uma moto se aproximar e já ficou receosa.

- Tá assustada tampinha? – Gaara parou repentinamente na frente dela tirando o capacete.

- Gaara...você ta de moto!!! – Hinata estava chocada.

Ele usava uma jaqueta escura e uma camisa de cor terrosa, junto com um jeans e um coturno. Parecia ter saído de um filme alternativo.

- Toma, põe esse capacete e sobe aí. – disse o ruivo dando o capacete para ela.

- Gaara mas eu nunca andei de moto... eu tenho medo...

- Eu imaginei que nunca tinha andado de moto, justamente por isso que eu vim com ela. Olha se considere com sorte, porque eu não costumo sair com ela. Agora anda, põe logo esse capacete e sobe aí senão vou começar a buzinar e acordar toda a vizinhança.

Hinata estava profundamente arrependida por ter aceitado aquilo. Estava com medo de ir naquela moto e com medo dele acordar sua mãe e ela ficar de castigo para sempre. Num surto de coragem ela colocou o capacete e subiu na moto, abraçando fortemente as costas de Gaara e fechando os olhos com força. Ela tremia um pouco de tão nervosa, o que fez Gaara sorrir antes de partir.

Com o tempo ela acostumou com o movimento da moto, abriu seus olhos e afrouxou o aperto do braço. Finalmente ela relaxou, podia ver as ruas tranquilas e o passeio ficou agradável, apesar de Gaara ir rápido. Eles foram para o litoral, ela nunca tinha o visto a noite, era lindo. Ele dirigiu para uma área mais deserta, a estrada findava em um portão e uma cerca gigante.

- Gaara pra onde a gente ta indo?

- Pra reserva florestal, aposto como você não conhece a praia de lá.

- Não, mas Gaara, ela é fechada!

- Não na praia... – disse e desviou da estrada indo em direção a cerca, parando a moto debaixo de uma árvore.

- Presta atenção, você ta prestes a invadir uma área restrita, então se algum guarda te ver. Corre.

Hinata nem ousou protestar, sabia que ele não ia voltar atrás e era melhor segui-lo do que ficar ali sozinha. De fato, a praia não era cercada, mas havia uma parede natural rochosa que impedia a passagem de qualquer um ali, eles foram por essas rochas tomando todo o cuidado para não escorregar.

Quando Hinata chegou ao outro lado, entendeu porque ele fazia questão de ir ali: Era praticamente outra praia. O litoral de Konoha tinha uma praia que se estendia por quilômetros, mas era relativamente curta até o mar, então quando a maré enchia, a praia desaparecia. Mas aquela área era diferente, a praia tinha uma área muito maior, de modo que mesmo com a maré cheia, ainda tinha areia de sobra para ficar. Ela sentiu um ímpeto de sair correndo por ali, as árvores da reserva também davam um toque mais paradisíaco ao local, e perto de algumas rochas espalhadas pela praia, cresciam algumas flores azuis que Hinata nunca tinha visto.

- Gaara, aqui é lindo!!!

- Eu sei, sempre venho aqui quando quero me isolar do mundo, é como uma ilha particular pra mim, ninguém nunca vem aqui. Eu teria trazido algum lanche, mas não quero correr o risco de deixar algum resquício de lixo pra trás, como pode ver, essa praia é virgem de qualquer material urbano.

Eles exploraram o local apreciando tudo, até que Gaara olhou para o mar e começou a tirar sua jaqueta e em seguida a sua camisa e depois a sua calça (mas calma: ele estava com uma bermuda por baixo), mesmo assim Hinata ficou muito vermelha.

- O-o que ta fazendo???

- Vou tomar banho ora! ...e você vai também.

- Negativo! Uma hora dessas a água vai matar nós dois congelados!

- Isso é mais um motivo pra eu gostar daqui: a água não tem a mesma temperatura, ela não é nem um pouco gelada, anda, vem logo. Uma pena que você veio de jeans. Se quiser tirar eu juro que não olho – disse e saiu correndo para o mar.

Por pura sorte, Hinata tinha saído com um short curto por baixo da calça jeans (ela gostava de se precaver para qualquer situação e ela com certeza agradeceu por isso naquele momento), assim ela tirou a calça, mas a blusa ia ter que molhar, não tinha jeito. Assim que colocou os pés na água viu que o ruivo estava certo, não estava nem um pouco gelada. Então ela foi sem medo até onde Gaara estava.

- E não é que você veio mesmo... – ele olhou para a praia vendo as roupas deles jogadas lá – espera você tirou mesmo a calça?!?

- Sim, mas só porque eu estou de short, caso contrário nem viria.

Eles ficaram ali nadando aleatoriamente, conversando sobre diversas coisas e disputando uma corrida de natação. Depois de algum tempo eles voltaram para a praia.

- Nossa, vou morrer de frio na volta pra casa... – Hinata tremia pois o vento da noite estava frio, ela teve vontade de voltar para a água instantaneamente.

- É... Hinata... – Gaara desviou o olhar e apontou para a blusa dela.

Hinata olhou na direção apontada e viu que, como a blusa era branca, tinha ficado transparente ao ser molhada, o que mostrou o delicado sutiã rosa que ela usava. Ela deu um gritinho e se cobriu com as mãos, Gaara já se vestia e estendeu a jaqueta para ela.

- Toma, se cobre.

- Obrigada - disse se vestindo.

Eles voltaram quietos, estavam cansados depois de um dia cheio. Já era 01h30 da manhã quando ele a deixou na sua casa.

- Obrigada, foi um passeio maluco mas eu adorei – sorriu

- Qualquer dia desses eu te levo em outro lugar, amanhã te encontro pra gente fazer o trabalho.

- Ah, mas nem decidimos o lugar...

- Eu achei um lugar perfeito, tenho certeza que você vai gostar.

- Ta bem, eu confio em você – sorriu – além disso, como eu estou disposta a saber mais de você, eu vou até a sua casa.

- Nossa... que coisa – Gaara estava impressionado – ta, eu te mando o endereço amanhã. Tchau tampinha.

===================

 

Shikamaru estava morto de sono, chegar à rodoviária, depois de uma exaustiva viagem de ônibus interestadual era muito cansativo... ainda mais para ele. Os seus pais tinham viajado também e só iam chegar de manhã e como ele estava sem a chave de casa, pediu para passar a noite na casa de Naruto.

- Com licença – uma moça o abordou – você pode me informar onde eu pego um táxi?

- Ah sim, eu to indo pro ponto de táxi, eu te levo até lá.

- Essa rodoviária é meio confusa – disse a garota parecendo meio irritada com aquele lugar.

- É, nessa época de férias ela fica bem desorganizada mesmo. – Shikamaru não estava muito afim de conversa.

Assim que chegaram ao ponto de táxi a moça encarou Shikamaru como se estivesse o avaliando.

- Escuta, se você for pra mesma região que eu, a gente podia rachar um táxi, o que acha? Não quero ir sozinha uma hora dessas...

- É, pode ser  - Só agora que o sono havia passado mais, Shikamaru percebeu como ela era bonita – eu vou pra zona oeste.

- Ah eu também! Ótimo, podemos ir juntos! – disse a loira parecendo mais aliviada por ter companhia.

- Então, você veio a passeio? – perguntou Shikamaru quando já estavam no carro indo para o seu destino – a propósito, meu nome é Shikamaru.

- Mais ou menos, vim visitar a família e vim a trabalho também – ela falava enquanto olhava curiosa a cidade pela janela – na verdade essa é a primeira vez que venho a Konoha.

- Uma garota tão nova como você viajando a trabalho? Impressionante...

- Pois é, são negócios de família, então eu comecei cedo – sorriu – ainda nem terminei a faculdade de administração e já tenho que resolver cada pepino...

- Imagino. Mas você vai gostar de Konoha, é uma cidade grande e tem várias coisas pra todos os gostos.

- Sim, acho que vou ficar um tempo por aqui...

Ao chegarem no destino dela, que era o mais próximo, ela deu a sua parte da corrida a Shikamaru e suas mãos se tocaram de leve, de modo que fez os dois rirem.

- Obrigada pela companhia Shikamaru. – sorriu a garota

- Espera! Eu não sei o seu nome.

- É porque eu não disse – ela sorriu maliciosa e entrou na sua casa.

 

Shikamaru sorriu lembrando daquela garota atrevida que ele acabara de conhecer, seu cabelo era um loiro- caramelo e seus olhos eram verde oliva. Ela era muito bonita afinal. Assim que chegou a casa de Naruto, mesmo sendo de madrugada, foi recebido com muito barulho pelo loiro. Depois de guardar suas coisas, ele contou ao amigo sobre a garota que ele tinha acabado de conhecer.

- Eita Shikamaru, parece que você realmente tem uma queda por loiras – sorriu Naruto, que a essa altura já sabia do envolvimento que o amigo teve com Ino.

- É, parece que tenho mesmo.

- Mas e você e a Ino? Não tem volta mesmo?

- Acho que não, nos falamos esses dias pelo telefone, mas só como amigos mesmo... nem tocamos no assunto da separação. Acho que é melhor assim Naruto. As coisas estavam ficando muito complicadas.

- E qual o nome da garota do táxi?

- Não sei, ela não me disse – Shikamaru sorria olhando para o teto

- E por que você ta com esse sorriso besta na cara??

- Porque eu tenho uma boa intuição... e minha intuição diz que eu vou encontrar ela de novo. – Shikamaru parecia confiante agora.

 

 

 

Em outra casa, naquela mesma região, Gaara estacionava sua moto e entrava em casa, ia tomar um banho e dormir. Mas assim que entrou na sala, uma luz acendeu mostrando a garota loira sentada no sofá, olhando para ele muito irritada.

- Posso saber aonde o senhor estava??? – Sim, era a mesma mulher que pegou o táxi com Shikamaru.

- Temari?!? Que porra é essa??? Quer me matar de susto cacete!!! Além disso, que droga você ta fazendo aqui???

- Eu vim visitar meu irmãozinho, mas imagina a minha surpresa ao chegar aqui e descobrir que ele simplesmente não está!

- Fala sério, eu não tenho que te dar satisfação da minha vida... e você nunca me visitou, fala logo o que você quer.

- Gaara – ela suspirou – papai quer que você volte pra casa.

 


Notas Finais


E então galeros???

Temos triângulo amoroso? Temos sim! Temos tretas de família?? Temos sim!!

Comentem o que estão achando da fic e obrigada a todos que favoritaram ela essa semana S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...