História Laços - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Park Jimin (Jimin)
Tags Família, Jeon Jungkook, Jikook, Jimin, Jungkook, Máfia, Park Jimin, Romance
Visualizações 48
Palavras 1.179
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente me desculpa por não ter atualizado antes, é que minhas aulas começaram ai ta meio uma bagunça na minha vida (já é naturalmente uma confusão). Hoje não tive aula ai consegui atualizar espero que gostem
Boa leitura, e como sempre nos vemos nos comentários.

Capítulo 17 - Os soldados que vieram da China


Os carros cruzam o portão principal, os alfas entram na mansão com passos pesados Min estava furioso e Jungkook vinha com uma expressão pior logo atrás dele.

Namjoon foi avisado e os aguardava no escritório.

-O que aconteceu?

-Quase perdemos o carregamento – Suga relatou enquanto servia uma dose grande de vodca levando aos lábios e bebendo em um único gole.

-Alguém nos traiu –Jungkook falou ainda ao lado da porta dando uma última olhada para o corredor antes de fechar a porta

 -Tem um espião –Min quase rosnou frustrado – vou matar esse desgraçado assim que descobrir quem é.

O lúpus estava quieto o que nunca era um bom sinal os olhos escuros foram do irmão para o primo.

-Vamos acha-lo – Namjoon falou e teve a atenção dos dois. - Jungkook chame o Jackson e mande fechar a casa.

O mais novo assentiu e saiu.

-Seus ômegas estão aqui. Não os assuste.

Min desconfiou que a preocupação do primo era mais com o ômega do Jungkook do que com seus esposos.

-Eu vou cuidar deles – largou o copo vazio e caminhou lento para a porta – E quem cuida do Jimin já que Jungkook vai estar fora.

 Não é inteligente provocar o líder da família mesmo sendo o segundo no comando, Suga recebeu um olhar assassino e saiu antes que o platinado lhe desse um tiro no meio da cara.

***

Tae e Hoseok estavam dormindo quando o alfa entrou sentando na poltrona diante da cama e os observou.

-Oi Yoon– o ruivo disse ainda de olhos fechados – Vem para cama.

-Já vou – sorriu e viu o loiro se virar acordando também.

-Amor vem pra cama – disse com a voz cheia de sono abraçando o ruivo escondendo o rosto na curva do pescoço do Jung.

 Suga gostava de como seus ômegas cuidavam um do outro, Taehyung apesar de doce era um eximiu atirador e por outro lado Hoseok era o estrategista dos dois, sabia que eles não estariam em perigo se estivessem juntos o que não podia pensar quanto ao ômega do Jungkook. 

-Eu já estou indo – acariciou os cabelos do ruivo e deitando junto dos dois.

-Gosto do cheiro do shampoo –o loiro disse já abraçando o alfa – seus cabelos ainda estão molhados.

-Melhor secar – Hope se virou e ficando de frente para o alfa.

Por fim os dois abraçaram o alfa impedindo que ele saísse da cama.

***

Jungkook tinha o primo ao lado o alfa forte de olhos assustadores, o cabelo loiro contrastava com a pele mais morena ele veio da China, Jimin escutou as empregadas comentando e trouxe com ele alguns 'homens' em sua maioria betas.
E ali estava toda a propriedade com seguranças a mais que o comum, eles não entraram dentro da casa mais o ômega os viu parados nas portas e alguns patrulhando tudo.
Namjoon assim como Jungkook estavam quietos não que o Jeon se desse trabalho de falar com o loiro ou a filha, porém o Kim estava ausente e a maior parte do tempo na empresa da família e quando estava na casa ficava no escritório.
Jimin caminhou até o jardim com a filha ao lado a babá seguia logo atrás.
A garotinha soltou sua mão e correu para a babá, era um alivio ver como ela gostava da mais velha e como os poucos meses na mansão tinham sido bons para ela, aquela era vida que a pequena merecia ao lado da família.
Um dos segurança surgiu do meio do jardim vindo direto para o Park, ele tinha uma cicatriz horrenda no rosto que ia do canto do olho esquerdo até o queixo, os olhos do beta eram escuros e assustadores como a da maioria dos 'homens' que vieram da China, Jimin deu um passo vacilante para trás e ele sorriu retorcendo o rosto de uma maneira estranha, talvez a cicatriz o impedisse de mover os músculos.

-Oi – a voz desgastada provavelmente pela bebida e cigarro o cheiro forte vinha do beta.

Jimin deu um segundo passo para trás, e um leve aceno com a cabeça em comprimento.

-Oi – disse baixo já desviando do homem, mais esse se colocou na sua frente os olhos dele mediram o ômega das cabeças aos pés.

-Não precisa sair – ele sorriu outra vez, a mão tocou o braço do loiro e o segurou forte – não sabia que os empregados da casa eram tão bonitos.

Realidade o Park não parecia a um dos ômegas da ‘família’ e o beta o segurando pensava exatamente assim.

-Você cheira bem gracinha -  a mão livre foi para a bunda do ômega e aperto.

-Me solta – Jimin quase rosnou, viveu tempo o bastante perto de caras como aquele para saber se defender foi o que achou, empurrou o beta porem o aperto em seu braço só foi mais forte.

-Você morde – foi um sussurro perto do rosto já vermelho de raiva do Jimin.

-Me larga ou vai se arrepender.

A droga daquilo a baba e a filha estavam longe para ver a cena e parecia não ter mais ninguém perto, Jimin se debateu novamente

-Gracinha atenda o convidado – a voz pegajosa foi um sussurro permitindo que o hálito fedido baforasse no rosto do ômega.

-Mandei soltar – acertou uma joelhada no meio das pernas do beta que urrou de dor e soltou o loiro.

Jimin não esperou reação do guarda, correu para junto da baba e da filha.

-Lee vamos entrar agora!

-Senhor? – Ela pareceu surpresa.

-Vamos – pegou a garotinha nos braços e quase correu para dentro da casa, deu uma última olhada e viu o beta lhe encarando furioso. 
...

A corrida para dentro da mansão fez o Park nem se quer olhar direito quando entrou, ainda com a atenção no homem que deixou lá fora e o medo desse vir atrás de si.

-Leva a lis pro quarto –entregou a filha.

-Sim senhor – Lee pegou a pequena e já seguia para as escadas.

E o beta estava vindo, e ômega estava decidindo entre correr para a cozinha em busca das empregadas ou subir para o quarto, mais isso podia colocar a filha em perigo.

-Ai droga – resmungou se virando pronto para correr direto para a cozinha.

-Jimin.

Bateu de frente com alguém, sentiu o corpo ser mantido em pé após o encontrão que quase o fez cair.

-Namjoon.

O platinado olhou do Park assustado para a janela francesa que dava para o jardim e consequentemente para o beta.

-O que foi? – A voz do lúpus com seu tom forte comum, fez o loiro relaxar.

Era estranho mais Jimin ficava calmo quando Namjoon estava por perto a voz a postura autoritária tudo no alfa agradava o menor.

-Senhor – a surpresa na voz do beta em encontrar o lúpus foi evidente.

Jimin sentiu as mãos o libertarem e virou-se para encarrar o guarda, Namjoon não disse nenhuma palavra por um minuto inteiro e quando sua voz foi ouvida causou um calafrio no Park.

- Pode ir para seu quarto Jimin.

-Sim – Jimin não sabia de onde encontrou sua voz para responder, e muito menos de onde encontrou serenidade para obedecer sem reclamar.


Notas Finais


Bjus no kokoro, me contem o que estão achando.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...