1. Spirit Fanfics >
  2. Laços do Espirito - TaeKook >
  3. Três

História Laços do Espirito - TaeKook - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que não fique confuso sobre uma parte do capitulo, qualquer coisa estou aqui para esclarecer as dúvidas de vocês.

Capítulo 3 - Três


Fanfic / Fanfiction Laços do Espirito - TaeKook - Capítulo 3 - Três

-Mãe? O que está fazendo aqui?

Minha mãe, Kim Yongsun, ou Solar para alguns, estava diante de mim. Era apenas alguns centímetros mais baixa do que eu, mas capaz de lutar como alguém com o dobro do meu tamanho. O olhar perigoso em seu rosto bronzeado convidava qualquer um a um desafio. Ela deu um sorriso irônico para mim e levou uma das mãos à cintura.

-Achou mesmo que eu não viria ver você?

-Não sei - admiti, me sentindo um tanto culpado por ter duvidado.

Ela e eu não tivéramos muito contato nos últimos anos, e apenas os acontecimentos mais recentes - em grande parte ruins - haviam começado a restabelecer nossa ligação. Na maior parte do tempo, eu ainda não sabia como me sentir em relação a ela. Oscilava entre a  falta que um menininho sentia da mãe ausente e o ressentimento  de um adolescente por conta do abandono. Também não tinha certeza se a havia perdoado pela vez em que me acertara "por acidente" em uma luta de mentira.

- Imaginei que você tivesse coisas mais importantes para fazer, sabe?

- Eu não perderia isso por nada. - Ela inclinou a cabeça em direção às arquibancadas, balançando os cabelos ruivos. - Nem sua mãe.

- O que?

Corri até a entrada e espiei o campo. A visão que eu tinha das arquibancadas não era grande coisa, graças a todos aqueles obstáculos, mas era boa o bastante. Lá estava ela: Moon Byulyi. Era fácil acha-lá com o os cabelos em um tom lilás e também com um cachecol verde-esmeralda por volta do pescoço junto com um terno feminino cinza. Até dava para ver um pouquinho do brilho do seu brinco dourado. Ela só podia estar derretendo naquele calor, mas imaginei que seria preciso mais do que um pouco de suor para domar seu estilo espalhafatoso.

Se meu relacionamento com minha mãe já era fraco, com minha outra mãe era quase inexistente. Eu a havia conhecido em maio e, mesmo assim, só depois de ter voltado é que descobri que era sua filha. Todos os Dampiros tinha um dos pais Moroi, e ela era a minha. Ainda não sabia ao certo como me sentia em relação a ela. Grande parte da sua história permanecia em um mistério, mas muitos rumores de que ela estava envolvida com negócios ilegais. As pessoas também agiam como se ela fosse o tipo de sujeita capaz de quebrar pernas para atingir seus objetivos, e embora eu tivesse presenciado  poucas demonstrações disso, não me surpreendia. Na Rússia, a chamavam de Zmey: a serpente. 

Enquanto eu olhava para ela, impressionada, minha mãe Solar se aproximou.

-Ela vai ficar feliz por você ter conseguido chegar a tempo - disse ela. - Fez um bolão sobre se você apareceria ou não. Apostou dinheiro em você, se isso o faz se sentir um pouco melhor.

Suspirei.

-É claro. É claro que só podia ser ela agenciando essas apostas. Eu devia ter desconfiado logo que... - Fiquei de queixo caído. - Ela está conversando com Sehun?

Pois é. Sentado ao lado de Moonbyul estava  Oh Sehun - um rolo meu. Sehun era um Moroi da realeza - e outro usuário de espírito, como Jimin. Ele era louco por mim (e quase sempre simplesmente louco) desde que nos conhecemos, mas na época eu só tinha olhos para Jungkook. Depois do fracasso na Rússia, voltei e prometi fazer uma tentativa com Sehun. Para minha surpresa, as coisas andavam... bem entre nós. Ótimas, até. Ele havia escrito uma proposta para mim sobre por que namora-lo era uma decisão sensata. Incluía coisas como "Vou parar com os cigarros, a menos que eu precise muito, muito de um" e "Vou fazer surpresas românticas toda semana, como: um piquenique improvisado, rosas ou uma viagem a Paris - mas, na verdade, nenhuma dessas coisas porque agora já não são mais surpresas".

Estar com ele não era como estar com Jungkook, mas, também, concluí que dois relacionamentos nunca poderiam ser exatamente iguais. Eram homens diferentes, afinal de contas. Eu ainda acordava o tempo todo, sentindo a dor de perder o Jungkook e o nosso amor. Me atormentava por ter falhado em mata-lo na Sibéria e em liberta-lo de seu estado de morto-vivo. Ainda assim, aquele desespero não queria dizer que minha vida amorosa havia acabado - algo que levei um bom tempo para aceitar. Seguir em frente era difícil, mas Sehun me fazia mesmo feliz. E por enquanto bastava.

Só que isso não significava que eu queria que ele se entrosasse com a pirata mafiosa que era minha mãe Moonbyul.

-Ela é má influência! - reclamei baixo.

Minha mãe Solar bufou.

-Duvido que Sehun irá influenciar Moonbyul tanto assim.

-Sehun, não! Moonbyul. Sehun está tentando se comportar. Moonbyul vai estragar tudo.

Além de parar de fumar, Sehun tinha jurado largar a bebida e outros vícios no pedido de namoro. Olhei de soslaio para ele e Moonbyul nas arquibancadas lotadas do outro lado, tentando descobrir que assunto poderia ser tão interessante.

-Sobre o que estão conversando?

-Acho que esse é o menor de seus problemas agora. - kim Yongsun era muito pratica - Se preocupe menos com eles e mais com aquele campo.

- Você acha que estão falando de mim?

-Tae! - Minha mãe bateu de leve no meu braço, e arrastei os olhos de volta para ela. - Você tem que levar isso a sério. Mantenha a calma e não se distraia.

Suas palavras eram tão parecidas com o que eu havia imaginado que Jungkook diria que um pequeno sorriso surgiu em meu rosto. No fim das contas, eu não estava sozinho ali.

- O que é tão engraçado? - perguntou ela com cuidado.

- Nada - respondi, lhe dando um abraço. Ela estava tensa no começo e depois relaxou, me abraçando de verdade por um instante antes de se afastar - Fico feliz, por você estar aqui.

Minha mãe não fazia o tipo superafetuosa, e eu havia pegado desprevenida.

-Bem - falou ela, obviamente embaraçada - ,eu disse que não perderia isso.

Olhei de novo para as arquibancadas.

-Quanto a Moonbyul, por outro lado, não tenho tanta certeza.

Ou... Espere ai. Uma ideia estranha me veio à cabeça. Não, nem tão estranha, na verdade. Desonesta ou não, ela tinha uma rede de contatos - uma rede ampla o bastante para infiltrar um recado para Jung Hoseok na prisão. Foi Moonbyul quem pediu informações sobre Kim Namjoon, o irmão de Hoseok que maneja espíritos, como um favor para mim. Quando Hoseok respondeu o recado, dizendo que não tinha motivos para ajudar Moonbyul naquilo de que ela precisava, logo descartei o apoio da minha mãe e passei para a ideia de invadir a prisão. Mas agora...

- Kim Taehyung!

Foi Seokjin quem me convocou pelo microfone. Era como uma trombeta, um chamado para batalha. Todos os pensamentos sobre Moonbyul e Sehun - e sim, até mesmo sobre Jungkook - desapareceram da minha mente. Acho que minha mãe me desejou boa sorte, mas as palavras exatas se perderam enquanto eu caminhava em direção a Seokjin e ao campo. Uma adrenalina me percorreu. Agora, toda a minha atenção se voltava para o que estava por vir: a prova que finalmente faria de mim um guardião.

 


Notas Finais


obg, por lerem... bjs.

qualquer dúvida comentem que eu irei responder.💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...