História Laços Imperfeitos - Kim Taehyung - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Amor, Casamento, Mentira, Saudades
Visualizações 129
Palavras 1.258
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii Meus Fantasiosos.😘

A foto é só para enaltecer a beleza desse homem.

Obrigada por tudo, pelo carinho. Vcs são d+++++

Nossa era pra eu ter vindo antes, sou mto enrolada, me desculpem.

Boa leitura, espero que gostem!

Capítulo 12 - Quê?!


Fanfic / Fanfiction Laços Imperfeitos - Kim Taehyung - Capítulo 12 - Quê?!

 Taehyung.

- Você confia em mim?!

Esta simples pergunta fez Haneul  afastar-se de mim e ficar uma certa distância de costas, com ambas as mãos na cintura.

Ouvi-la gargalhando em deboche foi algo que me magoou bastante. Sei que errei em ter ido e não ter dado notícias, mas isso me fortaleceu. Agora poderei enfrentar qualquer pessoa, sem ficar intimidado, ou com medo.

- Você acha mesmo que eu, Ahn Haneul. - Virou-se e ficou me encarando. - Ainda consigo confiar em você depois de tantos anos?! - Arqueou uma sobrancelha, o seu tom era de desgosto.

- Porra. - Respirei profundamente, abaixando a cabeça e olhando para os meus pés. - Deixa eu consertar?!- Pedi, e encarei Haneul. - Em partes estou no meu direito e não preciso desse ódio todo. - Afirmei.

- Taehyung. - Pronunciou em deboche. - Que saber?! - Assenti com a cabeça para que ela continuasse. - Não sei o porquê de você ainda estar me dando explicações, deveria ter continuado como antes. - Seus olhos se fixaram em um ponto da parede.

- Será que você não entende?! - Perguntei retoricamente, mudando o peso da perna, já que estou de pé encostado na mesa, de braços cruzados. - Sua mãe me ameaçou, então eu tive uma chance de recomeçar, por consequência muitas coisas aconteceram e só pude voltar agora. - Tentei explicar de uma forma simplificada, novamente. - Eu realmente, precisava conversar com você e colocar os pingos nos "i's", mas esse não era o momento exato. 

- Sério?! - Haneul revirou os olhos. - Essa parte aí, eu entendi. O que você ainda não me contou, foi o porquê de ter demorado tanto para voltar, o porquê de ainda não ser o momento, o porquê da Dara, os por quês?! - Fez um bico e sentou-se na cama nova que comprei há alguns dias.

- Calma! - Pedi. Andei em direção à Haneul, agachei na sua frente e peguei na suas mãos. - Ainda hoje, você vai saber, só espero que esteja preparada. - Avisei.

Nós ficamos nos encarando por longos segundos, sem dizer absolutamente nada. A única coisa que era audível e o som das nossas respirações desorientadas.

- Isso é errado. - Pronunciou Haneul. - Sua namorada... noiva, sei lá, não irá gostar nada disso, você está agindo como um cafajeste. - Falou, separando nossas mãos.

- Estamos fazendo algo de errado?! - Questionei, e sentei ao lado dela na cama de casal.

- Sim, só de eu ter vindo aqui, já é errado. - Afirmou, colocando os cotovelos apoiados em cima dos joelhos, e as mãos tampando o rosto.

- Não se preocupe. - Pus a mão em suas costas e acariciei.

O clima não está tenso, só está; o caos em clima.

Ficamos calados, eu tenho muito para falar, no entanto não tenho as palavras certas.

Tirei a minha mãos das costas dela, e fiquei brincando com os meus dedos.

Haneul balançava as pernas freneticamente, provavelmente, está ansiosa demais.

- Como conheceu Dara?! - Perguntou não contendo sua curiosidade, olhou-me de soslaio, já que seu corpo está um pouco inclinado para a frente.

- Bom, por meio de Namjoon. - Respondi brevemente.

- Que resposta mais vazia. - Haneul bufou irritada.

.

 .

.

Escuto batidas na porta.

- Quem será?! - Haneul me olhou assustada.

- Não sei. - Menti e fui até a porta, abri vagarosamente.

- Bom, tentei chegar o mais rápido possível. - Afirmou um pouco cansada.

Olhei para Haneul, seus olhos estão totalmente arregalados, é de se esperar o susto.

- Tudo bem, Haneul?! 

- Sim. - Respondeu em um fio de voz. - E você, Dara?! - Notei que Haneul ficou paralisada.

- Estou bem. - Respondeu Dara.

Fechei a porta.

Dara sentou-se em uma cadeira, Haneul ficou sentada na cama e eu fiquei em pé, encostado na parede tendo uma visão perfeita das duas.

- O que está acontecendo?! - Questionou Haneul, intercalando o olhar entre mim e Dara.

- Calma! - Pedi. - Dara vai te dar algumas das as respostas que tanto quer. - Olhei-a um pouco apreensivo.

- Qual é a piada da vez?! E você sabe de tudo?! Mas que porra 'tá acontecendo?! - Haneul pousou sua mão sob a testa e fechou os olhos, tentando controlar um possível surto.

- Então. - Pigarreou Dara, chamando nossa atenção. - Se deu início no ano de dois mil e onze. - Pausou. - Conheci Namjoon em um restaurante de comida italiana, nós se aproximamos muito nesse tempo. - Olhou para mim e depois para Haneul. - Ele estava abrindo uma agência com o Taehyung e eu ajudei-os com pequenas coisas. - Cruzou as pernas e pôs o braço em cima da mesa. 

Haneul deu uma grande atenção para Dara.

- Eu já era quase independente quando os conheci, trabalhava para o FBI como detetive, só que acabei sendo expulsa por má conduta. - Riu sem humor. - Então, Namjoon sendo o amor de pessoa que sempre foi, me ajudou. - Suspirou parecendo se recordar de Namjoon. - Não consegui nenhum emprego nessa área. No entanto, virei uma detetive particular.

- Muito boa por sinal. - Afirmei.

- Obrigado! - Agradeceu seriamente. - Já havia virado amiga do Tae e do Nam. - Constatou algo óbvio. - Tae me contou sua história e eu fiquei muito triste por vocês. - Dara realmente está sendo sincera. 

Haneul franziu a testa e assentiu com a cabeça para que ela prosseguisse com a história.

- Taehyung havia me dito que queria voltar para Seoul, e que precisava mostrar para as pessoas que Ahn Joy e Moon Chinhae não são essas pessoas que todos pensam. - Ficou de pé e foi para perto de Haneul, se sentando ao lado dela. 

- Mas que diabos eles têm com isso?! - Haneul questionou incrédula.

- Olha. - Pôs sua mão no ombro dela. - Você deve está achando estranho e tudo sem sentido, mas as coisas irão se resolver. - Afirmou, elas estão cara a cara. - Só confia no Tae! - Pediu sorridente. - E mais uma coisa, não sou namorada dele. - Olhou para mim, Haneul acompanhou o olhar de Dara e ficou boquiaberta com a confissão. - Eu sou casada com Namjoon. - Sorriu e seus olhos brilharam, e levantou a mão mostrando uma aliança de prata na mão esquerda.

- Quê?! - Haneul quase gritou.

- Eu apenas estou ajudando Taehyung, e também estou se passando por namorada quase noiva dele, só para despistar as coisas. - Afirmou, e eu fiquei agradecido por isso, não pude deixar de soltar um suspiro aliviado. - Só confia que no momento certo você saberá do resto. - Disse Dara deslizando sua mão pelas costas de Haneul em forma de carinho e ficando de pé.

- Ah. - Haneul murmurou cansada. - São muitas informações. - Levantou-se da cama.

- Eu entendo. - Falei calmamente. - Você tem todo o tempo do mundo para pensar. - Fiquei cabisbaixo. - Só te peço uma coisa, não conta e não comenta sobre isso com ninguém, por favor. - Sem querer deixei uma lágrima cair.

- Aishi... Tchau. - Saiu rapidamente.

Escutei o barulho do carro de Haneul saindo.

- Vai dar tudo certo, ela só precisa de um tempo. - Dara tentou me reconfortar. - Vou indo na frente porque tenho que ligar para meu amor, vulgo Namjoon. - Pronunciou alegremente. - Se cuida. 

- Obrigada. - Agredeci. - Você está me ajudando bastante. - Afirmei e ela apenas acenou e saiu.

Pelo menos Haneul não me bateu, e também não me xingou. Talvez seja um grande progresso, espero que realmente ela entenda.

Deitei na cama, fiquei em posição fetal e comecei a chorar, só assim poderei liberar, minha raiva, frustração, ódio, culpa, tudo.


Notas Finais


Tchau.😘

Perdoem os erros.

Sei que têm várias lacunas, e muitas coisas não foram explicadas, mas com calma a gente chega lá. Eu espero. @Fantasiosa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...