1. Spirit Fanfics >
  2. Laços Inquebráveis >
  3. Surpresas Desesperadoras

História Laços Inquebráveis - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oiieee amores
Episódio novinho, espero que gostem 🖤

Capítulo 4 - Surpresas Desesperadoras


Fanfic / Fanfiction Laços Inquebráveis - Capítulo 4 - Surpresas Desesperadoras

Pov: Hanna Yukimura

O sol esta quase nascendo, são exatamente 4:00 da madrugada e eu estou aqui, ainda acordada. Nao consegui pregar os olhos a noite toda, nem uma cochilada. Talvez as coisas na qual aconteceram ontem tenham me deixado bastante abalada, a verdade é que eu nao durmo bem desde o dia em que....Nao, nao devo pensar nisso agora, vai dar tudo certo.

Eu me levanto da cama e caminho até a bolsa, nao tive tempo de colocar as roupas no guarda roupa, pego a roupa na qual sempre uso: Uma blusa tomara que caia das mangas longas e preta, uma calça preta, minhas luvas e um sapato. Tiro toda a minha roupa e vou para frente do espelho, posso ver a minha nova cicatriz, não que faça diferença já que tenho várias espalhadas pelo corpo inteiro. Não são apenas cicatrizes, são memórias, cada cicatriz é uma lembrança do passado, um passado na qual eu não gostaria de ter vivido. Coloco minha roupa, caminho até a porta e a abro delicadamente para não acordar Kara que está no outro quarto, ando nas pontas dos pés, caminho até o sofá onde esta a minha bolsa de kunais, eu a pego, coloco na cintura e me viro contudo batendo a perna na mesinha e, sem querer, derrubando o copo na qual se quebra ao cair no chão. Droga. Ouço a porta atrás de mim se abrir e vejo no chão a sombra de alguém com as mãos na cintura.

- Sério?

- Nao foi a minha intenção. - Disse indo até onde esta a pazinha e a vassoura.

- Me diz que pelo menos dormiu um pouco. - Eu caminho até os cacos de vidro e começo a tirá-los da li.

- Eu dormi um pouco.

- Mentira! Hanna... - Disse ela cruzando os braços.

- Não se preocupe, Kara. Faz anos que eu desistir de dormir direito.

- Espe... - Fecho a porta antes dela continuar.

Eu sei, atitude de criança mimada, mas nao consigo ouvir um sermão vindo da Kara, eu sou a que dá sermões, não ela. Eu sei que tenho que dormir, mas é que... Quando eu durmo volto a ter o mesmo sonho de sempre, o sonho na qual eu procuro alguém importante para mim e nao acho, sempre acordo com Kara me balançando, pois, estou me sufocando. Isso já tem acontecido a anos e eu simplesmente desisti de dormir. As vezes até digo a Kara que eu durmi para que ela nao fique preocupada comigo, eu nao entendo o porquê que ela se preocupa tanto comigo, eu fui uma das piores pessoas na qual ela conheceu, fiz coisas nas quais nao me agrado até hoje, por isso que quando ela disse que ficaria comigo eu deixei, eu era uma pessoa na qual vivia solitária, mas quando Kara chegou isso mudou. Bem... de 100% pra 50%, ainda gosto de estar só, mas agradeço a Kara por ela estar comigo em todos esses anos, sem ela eu não sei o que seria de mim.

Caminho até a entrada de Konoha, quero ir a um lugar na qual nao vou a muito tempo e para isso preciso passar pelos portões de Konoha que estão fechados nesse exato momento. Eu arqueio as sobrancelhas e suspiro aos vê-los fechados, eu olho para o lado e avisto Izumo e Kotetsu dormindo, eles sempre foram assim? Eu sorrio de leve e vou me aproximando deles, os dois estão dormindo tão bem que dá até pena de acordá-los, mas é o jeito, se eu tentar sair sem ser pelo portão, capaz de pensarem que estou fugindo, não é isto que quero que pensem de mim. Eu estico o braço para acordá-los, mas logo recolho o mesmo, droga, eu conheço esses caras desde pequenos, sei como eles são.

- Oi? Quem esta ai? - Disse uma voz atrás de mim. Eu me viro.

- Oi, eu sou a...

- Hanna-Sensei! - Me interrompeu o moço, eu arqueio as sobrancelhas.

- Desculpe... Nos conhecemos?

- Hanna, nao lembra de mim? Sou eu I...

- Iruka? - Disse eu me lembrando, tudo bem, confesso, só o conheci por causa da sua cicatriz e do seu rabo de cavalo. - Como você cresceu!

- Você se lembrou.

- Não tem como esquecer. - Disse me aproximando mais dele e o abraçando, mas logo o soltando.

- Eu ja havia ti visto, eu estava na missão com o Kakashi e estava na sala da Hokage quando você contou sua história, mas acho que você nao viu.

- Tem razão, eu não ti vi, desculpe, muita coisa estava acontecendo, na verdade, muita coisa está acontecendo. - Disse olhando o chão e suspiro.

- Imagino o quão deve está sendo difícil, mas irá ficar tudo bem, você irá ver - Iruka coloca a mão sobre o meu ombro e sorri tentando me acalmar. Eu sorrio de leve e ele tira a mão do meu ombro.

- Obrigada, Iruka.

- Então, esta tentando sair?

- Estou, eu vou ir treinar, mas... Oque você faz aqui?

- Bem, gosto de preparar minhas aulas vendo o sol nascendo.

- Você virou professor? - Disse surpresa.

- Sim. - Disse ele passando a mão na nuca aparentemente envergonhado.

- Isso é incrível!

- Devo isso a você, Sensei.

- Por favor, me chama só de Hanna, nao sou mais sua professora. - Disse sorrindo.

- Tudo bem, Hanna.

- Esses dois sempre foram assim, nao é?

- Sim - Disse ele rindo. - Hey, Izumo... Kotetsu, acordem. - Disse Iruka os chamando. Kotetsu ronca alto e Izumo baba mais que tudo.

- Eu acho que eles nao vão acordar. - Disse rindo.

- Izumo, Kotetsu... - Disse ele os balançando. - IZUMOOOO, KOTETSUU, OLHA A TSUNADE-SAMA!!!

- OQUE? ONDE? ONDE? CADÊ? - Disse Kotetsu se levantando.

- Cadê? Cadê? Onde ela es... UM FANTASMA!!! - Disse Izumo apontando para mim.

- Nao, nao, olha... eu...

- AI MEU DEUS UM FANTASMA, É O FANTASMA DA YUKIMURAAA!!!- Disse Kotetsu. Eu me aproximo deles e eles se afastam.

- Gente, nao, a Hanna ela esta viva.

- Eu estou viva... - Me aproximo deles e eles se abaixam. Eu reviro os olhos e os puxo pra cima pela gola da camisa. - Eu estou viva!! - Eles colocam as mãos nas minhas mãos pra ver se sou eu mesmo e logo abrem os olhos.

- Ela esta viva! - Eu os solto fazendo eles cairem no chão. Eles se levantam. - Co-como você esta viva?

- É uma longa história.

- Podem abrir o portão para nós. - Disse Iruka.

- Cla-claro... - Disse Kotetsu indo abrir o portão com Izumo. Eu e Iruka nos aproximamos do portão e ao sairmos Kotetsu me toca no ombro pra ver se eu estou aqui mesmo e eu reviro os olhos novamente.

- Eu estou viva! - Disse olhando ele enquanto Iruka ri, começamos a caminhar.

- Para onde você vai?

- Para a montanha. - Digo apontando para a tal montanha. - E você?

- Vou te acompanhar até lá.

- Nao precisa.

- Tudo bem, eu vou mesmo assim. - Disse ele. Eu coloco uma mão no bolso e a outra na bolsinha de kunais tirando o livro "icha icha!", é o meu livro preferido, o abro na página onde havia parado e começo a ler enquanto andamos. Vejo Iruka me olhar de canto e dar um sorrisinho.

- Oque foi?

- Você é igualzinha a ele. - Disse ele.

- A quem?

- Kakashi.

- Não é verdade. - Disse eu ainda lendo o livro.

- Ele vive andando com a mão no bolso da calça. - Ao ouvir ele falar, eu olho para a minha mão no bolso da calça e a tiro de lá. - E vive andando lendo o mesmo livro que você está lendo. - Eu fecho o livro com tudo e coloco de volta na bolsa.

- Como é dar aula, Iruka? - Tento mudar de assunto, ele ri e suspira.

- Cansativo as vezes, mas muito bom. Saber que eu estou ajudando a próxima geração de ninjas, é maravilhoso.

- Eu me sentia da mesma forma com você. - Falo com um sorrisinho fraco e vejo ele ficar corado oque faz o meu sorriso aumentar. - Dá pra ver que você nao mudou nada, Iruka.

- Poxa, assim você acaba comigo, Hanna.

- Eu digo na Fofura. - Falo sorrindo e vejo ele virar o rosto corado. - Bem... É aqui que eu subo.

- Você vai subir isso ai? - Diz ele olhando pra cima da montanha.

- Vou! - Disse eu amarrando minha mão.

- Com uma mão?

- Sim.

- É, você é igualzinha ao Kakashi. - Eu fico em silêncio, nao é possível isso. - Desculpe...

- Relaxa. Bem, boa aula pra você, Iruka. - Disse dando uma piscadela para ele e começando a subir a montanha.

- Obrigada, cuidado, Sense…Hanna.

Vou subindo a montanha, coloco a mão aonde acho seguro e assim é com os pés também. Algumas pedras são mais lisas e ruins de pegar, mas vou tentando ao máximo, vou subindo devagar, mas ao mesmo tempo depressa. Fazer esse tipo de coisa me faz lembrar do passado, eu fazia para mim mesma desafios como esse, eu era mais louca quando eu era mais jovem, eu era estilo o Gai, se eu nao conseguia bater aquela meta eu me desafiava para uma maior ainda, do estilo subir a montanha com a mão amarrada, fazer várias flexões, entre outros, mas eu fazia só, eu e eu, as vezes o Jiraya estava junto, o Gui ou até mesmo o Kakashi, agora o Gui? Amava passar vergonha no meio dos outros, mas eu devo muito a ele, creio que ele é uma das melhores pessoas que eu conheci. Eu olho para baixo e vejo a altura na qual eu já estou, olho para o lado e consigo ver Iruka indo embora, eu sabia que ele se tornaria um ninja excelente, mas se tornar professor, isso me deixou mais feliz ainda, pareço até uma velha pensando assim e olha que eu sou só três anos mais velha que ele. Lembro-me dele pequeno, ele vivia se esforçando, não era muito habilidoso nos jutsus, eu tentava ao máximo ajudá-lo, principalmente quando os seus pais morreram pela raposa de nove caudas, não tem como esquecer aquele dia.... Já consigo ver o topo da montanha, eu sorrio de leve, eu vejo uma pedra em cima de mim e a seguro, mas de repente, ela se quebra e eu caio, rapidamente me seguro na primeira pedra que vejo, fico dependurada, mas logo encaixo os meus pés em umas pedras e contínuo a subir até chegar ao topo, eu suspiro, sento no chão e desamarro minha mão.

Cheguei a tempo de ver o sol nascer, quando eu era mais nova amava ficar aqui e ver tanto o sol nascer quanto se pôr, esta montanha tem tantas lembranças. Como posso descrever? Há grama baixa e bem verde, uma cerejeira na qual sempre esta florecida, uma vista maravilhosa, ao lado dá para ver a vila de konoha e ao outro lado uma imensa floresta. Eu me levanto e caminho até a cerejeira e encontro siglas nela, um K e um H, droga, eu odeio me lembrar do passado e ver como as coisas estão agora, nao consigo esquecer o rosto do Kakashi ao me ver e depois que soube o porque forjei minha morte e ainda disse que ele não estava em meus planos, de surpreso foi para decepcionado, mas também, oque é que eu esperava? Que eu voltaria e simplesmente as coisas seriam iguais a antes? Na verdade, por mim, eu nem teria voltado. Eu suspiro encostando as costas na árvore, pego o livro "Icha Icha!", o abro e começo a ler, eu amo esses livros do Jiraya, eu já li milhares de vezes, ele é mesmo um bom escritor, quem diria, aquele velho tarado um escritor, mas olha só pra esses livros que ele escreve, praticamente descreve a personalidade safada dele, ninguém merece hahahha, que saudade dele... Eu sorrio ao ler mais uma parte do livro até ouvir uma voz conhecida ao meu lado.

- Yo, Hanna. - Eu olho e, rapidamente, escondo o livro atrás de mim e o coloco na bolsa.

- Kakashi? O-oque esta fazendo aqui?

- Eu estava ti procurando. - Diz ele se aproximando e eu me viro de costas para ele.

- Me procurando? Pensei que havia dito que não queria me ver nunca mais. - Disse arqueando as sobrancelhas.

- Acredite, eu só estou aqui porque a Tsunade me pediu para ti chamar.

- Oque ela quer?

- Eu nao sei. Nao leio a mente dela.

- Hunph. - Eu reviro os olhos e me viro para ele logo começando a caminhar na direção para sair da montanha. Estou caminhando até que sinto ele segurar o meu braço de leve e me puxar fazendo eu olhar diretamente para ele. - O-Oque esta fa-fazendo? - Disse eu gaguejando.

- Você deixou cair. - Disse ele estendendo o livro, eu puxo o livro da mão dele. - Pode me soltar já.

- Pronto. - Diz ele me soltando. Nós começamos a sair daquela montanha.

- Então, aquela moça que foi a sua casa com você... do cabelo preto, é sua esposa?

- Quem? Shizune? Nao hahahaha. Espera... está com ciúmes? - Quando ele diz aquilo, sinto meu rosto corar, eu cruzo os meus braços e viro meu rosto.

- Claro que nao... Sentiria se eu ainda sentisse algo por você.

- Hum... - Diz ele colocando as mãos nos bolsos da calça.

- Ficou tristinho? - Falo rindo.

- Nao, por que eu ficaria? Eu também não sinto mais nada por você, principalmente depois de saber oque você fez, pra mim você parece uma estranha. - E de repente, surgi em mim uma pontada no peito. Passamos pelos portões e caminhamos um bom tempo sem falar nada, mas eu resolvo quebrar o silêncio.

- Olha, Kakashi... - Falo parando e vendo ele parar. - Eu... Eu...

- Hanna?!!! - Ouço alguém gritar e eu me viro na direção de quem me gritou e avisto de longe a pessoa.

- Jiraya? JIRAYA!!!! - Corro na direção dele como uma criança, eu pulo em seu colo, ele me levanta e me roda.

- Hanna!!! Espera, oque você esta fazendo aqui? Nao devia estar aqui! - Disse ele me colocando no chão.

- É... É uma longa história.

- Então, você também sabia? - Disse Kakashi se aproximando de nós.

- Desculpe, Kakashi. Eu prometi para Hanna que não contaria nada.

- Tudo bem, eu não estava nos planos dela. - Isso esta começando a me irritar. Eu sinto uma mão no meu ombro e sorrio ao ver Jiraya sorrindo.

- É bom ti ver, Hanna. - Eu o abraço, fortemente, a minha vontade é chorar, só o Jiraya sabe de tudo oque passei, desde pequena até nesse momento e sabe que nada foi fácil para mim. - Onde vocês estão indo? - Diz ele me soltando.

- Na Tsunade, ela quer me ver.

- Bom, então vamos lá. - Diz ele começando a caminhar conosco até a Tsunade. Nao demorou muito até chegarmos a sala da Tsunade, ao chegarmos na sala dela... - Kakashi, pode ir entrando? Eu tenho que conversar com Hanna por um momento.

- Tudo bem. - Diz ele entrando e logo fechando a porta.

- Você a achou? - O meu semblante sorridente por encontrar Jiraya muda completamente ao ouvir as palavras dele. Eu abaixo a cabeça, mordo meus lábios inferiores com raiva e balanço a cabeça negativamente. - Ah Hanna....

- Eu a procurei por todos esses anos e nao a encontrei, a procurei por todos os cantos e não a encontrei. - Falo cerrando os dentes e apertando os punhos sentindo uma dor inexplicável em meu peito. Logo sinto uma mão sobre o meu ombro, eu olho o homem a minha frente que agora sorri.

- Você vai encontrá-la, eu te prometo. - Ele me trás para perto e me dá um beijo na testa e eu sorrio. Nós entramos na sala como se nada tivesse acontecido e logo eu avisto uma menina dos cabelos rosados, um menino dos cabelos pretos e da pele pálida e um menino dos cabelos amarelad....Espera ai...

- Hanna, que bom que chegou e... Jiraya?

- Tsunade, que bom ti ver.

- Sábio Tarado? - Disse o menino dos cabelos amarelados na qual tanto eu olho.

- Olá Naruto. - NARUTO??? FILHO DO MINATO E DA KUSHINA? COMO ASSIM?? Eu sinto alguém segurar o meu pulso de leve e eu olho a pessoa na qual segura o mesmo. Kakashi me olha com "aquele olhar", o olhar de "Eu sei oque você sabe, por favor, nao fale nada", eu retiro o meu pulso de sua mão e balanço a cabeça positivamente.

- Sábio Tarado. Gostei, melhor do que o meu apelido. - Falo rindo.

- Já que todos estão aqui, irei falar o porque chamei vocês aqui. Naruto, Sakura, Sai, a partir de hoje, Hanna fazerá parte do time Kakashi sendo sensei de vocês também.

- OQUE???? - Respondeu eu e Kakashi. Nao pode ser.

- Isso mesmo e eu já irei mandar vocês para uma missão.

- Hokage, eu nao acho que isso seja uma boa idéia. - Disse Kakashi.

- Por que?

- Digamos que eu e Hanna nao queremos estar no mesmo grupo. - Diz ele e eu concordo com a cabeça.

- Naruto, Sakura, Sai, saem da sala por um estante, agora! - Grita Tsunade. Ferrou! Vejo os três sairem.

- É um prazer ti conhecer, Hanna-sensei. - Disse a menina dos cabelos rosados, Sakura neh? Eu sorrio pra ela como uma forma de agradecimento. Eles saem da sala e fecham a porta.

- Eu vou falar só uma vez. Eu não estou nem ai para a vida pessoal de vocês, nao estou nem ai se querem ou nao ficar no mesmo time por causa da vida pessoal de vocês. Hanna, ti coloquei no grupo para você cuidar do Naruto, você sabe que ele é o Jinchuuriki da Raposa de nove caudas, quero que você o treine, quero que você o ensine a controlá-la. - Agora eu estou entendendo o porque eu fui colocada no grupo do Kakashi.

- Tsunade... Eu...

- Kakashi, é isto e ponto. Chame eles de volta, tenho uma missão a vocês. - Disse Tsunade. Eu me aproximo da porta, seguro a maçaneta e abro a porta logo vendo Sakura cair aos meus pés. - Sakura?

- O-Oi... Eu... Eu nao estava... Eu estava escorada na porta sabe.... Nao estava ouvindo... eu...

- Você estava escorada. - Disse esticando a mão pra ela levantar.

- I-isso... - Diz ela se levantando e passando a mão sobre a nuca. Eu sorrio de leve, logo vejo Sai e Naruto entrarem e então, eu fecho a porta.

- Nós interrogamos os homens que vocês trouxeram. - Disse Tsunade apontando para mim e Kakashi. - Um deles fez o favor de morder a língua, tão forte que arrancou a mesma e morreu, talvez por medo de Orochimaru. O outro revelou um dos lugares que Orochimaru se esconde.

- Não seria uma armadilha? - Disse Kakashi.

- Não tem como saber se nao forem lá. Eu poderia até escolher apenas Jounnin para esta missão, mas eles estão em outras missões e tenho certeza que vocês irão querer ir.

- SIM! - Grita eu e Naruto, nos olhamos e eu coço a cabeça.

- Eu... Eu procuro Orochimaru a anos para achar a irmã de Kara, pode ser uma chance. - Digo timidamente e vendo Kakashi me olhar de canto.

- Hum...

- Pode ser uma chance de vocês encontrarem Sasuke Uchiha. - Disse Tsunade.

- Uchiha. Eu conheci Sasuke pequeno. Onde ele está? - Disse eu.

- A dois anos e meio ele saiu da vila para se juntar a Orochimaru. Ele era um dos meus Gennins. - Diz Kakashi fitando os olhos no chão e logo olhando Naruto que também está olhando para o chão, posso ouvir o seu ranger de dentes e vejo ele apertar os punhos. Alguém importante para eles, sei bem como é isto.

- Entendo.

- Então é isto. - A Hokage se levanta. - Vão para o esconderijo de Orochimaru e achem Sasuke Uchiha.

- Pode deixar, vovó Tsunade. Nós vamos achar ele, eu vou trazer, Sasuke de volta. - Diz Naruto sorrindo. Determinação e otimismo? Esse garoto é mesmo filho do Minato e da Kushina.


Notas Finais


Espero que tenham gostado 🖤
Até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...