História Lado A Lado - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oioi pessoas lindas, tudo bem com vocês?

Primeiro eu quero muito me desculpar por esse mês sem atualizações, eu estava passando por um bloqueio imenso e nada do que eu escrevia eu sentia que estava realmente bom para trazer para vocês. Ainda não acho que esse capítulo esteja realmente bom, mas espero que vocês gostem.

Eu quis trazer uma visão a mais de como é a Lívia, de como ela se porta a frente das pessoas que ela ama e se importa. Acho que eu consegui pelo menos um pouco retratar ela.

Desculpe qualquer erro. Voltarei em breve com mais de lado a lado.

Obrigada a todos vocês que leram, comentaram e favoritaram a história.

Capítulo 3 - Pesadelos as vezes são reais


Fanfic / Fanfiction Lado A Lado - Capítulo 3 - Pesadelos as vezes são reais

 Lívia Mendes

     Me aconchego na minha cadeira, afim de relaxar depois de um dia exaustivo.

    Várias crianças vieram passar por lavagem estomacal depois de ingerir comida estragada que o colégio havia fornecido. Isso acabou custando ao hospital uma demanda grande de médicos e enfermeiros, mas no final tudo acabou por ocorrer bem.

   - Pode entrar - Digo quando ouço  batidas na porta.

   - Você precisa me ajudar - Yasmim entra afobada em minha sala.

    Yasmim segurava um envelope que continha seu nome e a logo do hospital, eu não sabia do que se tratava, mas por sua inquietação parecia ser algo grave.

   - O que aconteceu? - Pergunto e a mesma me  entrega o envelope - O que é isso?

   - Lembra que eu falei que tinha conhecido um cara e meio que estávamos saindo? - Ela pergunta e eu assinto - Eu acho que estou grávida.

    - Você acha? Por que não abriu o envelope ainda? - Pergunto segurando o mesmo - Já entendi, você quer que eu faça por você.

      Abro o envelope com cuidado para não rasgar e meus olhos encaram diretamente a palavra em negrito.

    Yasmim permanecia em pé diante a minha mesa me olhando angustiada.

    Sua feição estava pálida, suas mãos tremiam. Ela estava nervosa, de uma maneira que eu jamais havia visto.

   Eu poderia jurar que se eu demorasse um pouco mais para revelar o que estava escrito na folha ela com certeza desmaiaria

  - Eu estou ou não, Liv? - Ela enfim se senta a minha frente.

  - Você não está grávida - Digo e a mesma sorri.

   Yasmim deslanchou a falar sobre algumas suspeitas que ela teve, mas que agora ela sabia que não era uma criança.

 - Yasmim - A chamo - Você não está grávida, mas não quer dizer que você não possa vir a ficar - Ela me olha confusa - Você sempre soube como evitar uma gravidez, você lida com ela todos os dias, sempre foi precisamente cuidadosa com os remédios. O que aconteceu para você chegar aqui desesperada com uma possível gravidez?

 - Tudo bem - Ela respira fundo - Eu parei de tomar os anticoncepcionais porque estavam me fazendo mal, mas eu não esperava que aconteceria de fazer sexo sem camisinha - Ela volta a mexer na pulseira do relógio - Aconteceu algumas vezes enquanto eu tomava as pílulas e tudo mais, mas dessa vez não tinha pílulas e nem a proteção.

  - Você vai contar pra ele? - Pergunto e a mesma nega - E por que não?

   - Como você acha que o Gabriel vai reagir a isso? A gente nem tem algo realmente e do nada eu apareço com uma suspeita de gravidez? Não, eu não vou contar.

   - Gabriel? Que Gabriel? O Gabigol? - Questiono confusa.

   - É, ele mesmo - Yasmim confirma a minha pergunta - A gente começou meio que sei lá - Ela faz alguns gestos com mão - Eu achei que seria só uma ficada, mas foi evoluindo. Ele começou a dormir frequentemente em casa e foi acontecendo, mas eu esqueci de comentar com ele sobre ter parado com os anticoncepcionais.

   - Entendo - Falo anotando algumas coisas em sua ficha - Eu quero que você faça alguns exames a mais, só para ter certeza que está tudo bem.

   Entrego a folha para ela que analisa o que eu havia colocado na mesma.

  - Tem exames aqui que eu não preciso fazer - Ela me encara - Por que os colocou?

   - A um tempo eu venho te acompanhando, você me disse uma vez que seu cabelo está caindo muito, está se sentindo muito desgastada. São sintomas claros da anemia, Yasmim - digo - Pode ser apenas cansaço, mas é bom ficar atenta - Me levanto e Yasmim faz o mesmo -  Eu vou encaminhar sua ficha para um especialista, se caso você ainda quiser usar as pílulas - Digo e ela assente.

- Se aquela louca que trabalha no laboratório não aceitar esse pedido de exames, você me avisa que eu falo com o Maicon e ele assina, tudo bem? - ela assente 

   Yasmim vai embora e eu volto a assinar alguns papéis deixados por enfermeiros na minha mesa.

                                                                                       (...)

    Exatamente quatro horas da tarde e eu estava analisando alguns exames de pacientes específicos que tratavam algum tipo de doença e que precisavam retornar para uma consulta comigo.

    - Hey, Liv - Maicon abre a porta da minha sala - O Caio entrou em outra parada cardiorrespiratória, a mãe dele quer falar com você.

    - Quem está cuidando dele? - Me levanto deixando os papéis de lado e sigo Maicon.

    - A Dr. Erika, ela estava passando quando tudo aconteceu - Maicon diz - A mãe do garoto estava muito nervosa e na ficha dela diz que ela não pode passar por fortes emoções, pois houve um caso recentemente de transplante de coração - ele me entrega a ficha e dou uma olhada.

   - Pede alguns exames para verificar se o coração transplantado ainda está reagindo bem - peço - Eu vou ver como ela está e depois ver o Caio.

     Sigo em direção a sala de espera.

    - Como a senhora se sente? -  Abraço a mulher - Vem comigo.

    - Eu estou bem! onde estamos indo  - Ela pergunta enquanto me seguia - O Caio está bem?

    - Ele vai ficar,  é um menino forte - Digo abrindo a porta da minha sala para ela entrar.

     - Aqui podemos conversar melhor, pode se sentar ali - aponto para a cadeira de pacientes. - Eu fiquei sabendo que a senhora também teve o coração transplantado - Ela afirma com a cabeça.

   - Desculpe se eu parecer inconveniente, mas a senhorita não deveria estar cuidando do meu filho?

   - Sim, eu deveria, mas ele está em boas mãos e como eu sou uma médica muito boa, apesar do meu crachá estar falando "pediatra" eu sei cuidar de pessoas mais velhas também e é isso que eu farei agora.

   - Eu preciso saber como ele está - Ela se levanta da cadeira - É meu filho naquela situação.

   - Eu entendo que você precisa saber dele a todo instante, mas agora você precisa saber de você também - Digo calma - Se acontecer algo com você quem vai ser responsável por ele? Você não vai querer isso não é?

    Ela assente, finalmente voltando a se sentar em minha frente. Analiso sua ficha uma última vez antes de me levantar para a analisar mais de perto.

   - Dona Marina - começo - Eu pedi alguns exames para verificar se o seu coração ainda está bom, reagindo tudo certinho, mas agora preciso medir sua pressão, ok? - Ela assente em confirmação.

   Pela primeira vez desde que chegamos naquela sala ela aparenta estar mais tranquila, o que era muito bom.

   A pressão estava um pouco alterada o que também já era de se imaginar, mas nada muito além do normal.

   - Lívia, a sala de exames está pronta - Maicon entra após bater na porta - Podemos ir?

   Dona Marina se levanta e é acompanhada de uma enfermeira para a realizações dos exames.

    Maicon espera a mulher estar um pouco distante para fechar a porta e se sentar de frente para mim.

   - Eu vou lá ver o Caio, você me espera aqui? - Pergunto já de frente com a porta.

   - Liv - Maicon se levanta rapidamente para me abraçar.

   - Não me diz que  - minha fala é interrompida por um choro repentino - Maicon me diz que aquele garoto está bem e que conseguimos um novo coração para ele.

  - Me desculpa, Liv, mas ele não aguentou.

   Saio do abraço do meu companheiro de trabalho e sigo até o quarto onde o garoto está.

   Não podia estar acontecendo, era só um sonho, aquilo não era verdade.

   Passo em frente o quarto que ele estava e tinha algumas enfermeiras desligando os aparelhos.

   Sigo até a parte de fora do hospital, afim de ficar sozinha.

   Procuro o banco mais afastado e me sento. Enterro minha cabeça no meio das minhas pernas e sinto as lágrimas escorrer por todo meu rosto.

   Eu não podia acreditar que aquilo estava de fato acontecendo. Caio era o menino mais doce que eu já havia conhecido.

  Mesmo vivendo diariamente com aquele coração defeituoso, ele sempre estava sorrindo. Ele tinha motivos para chorar, mas sempre escolheu sorrir.

  Sinto alguém abraçar meu corpo e pelo perfume feminino reconheço ser Yasmim.

 - Hey Liv, eu estou aqui com você - Sinto ela fazer levar movimentos de vai e vem na minha cabeça - Vai ficar tudo bem.

 - Era para mim estar lá com ele - Digo limpando as lágrimas - Eu sempre fui a médica dele, Yas.

 - Você não poderia evitar aquilo, Lívia, ele poderia estar na mão de qualquer outro médico.

 - A Marina quer falar com você - Maicon informa.

 


Notas Finais


É isso galerinha, espero que tenham gostado.

Me diz o que acharam aqui em baixo, eu amo ler o comentário de vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...