1. Spirit Fanfics >
  2. Ladrão de laptop >
  3. ... roubou também meu coração

História Ladrão de laptop - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


O cap extra que eu tinha prometido 🤧🤧
eu pessoalmente gosto mais dessa, porque convenhamos eu amo um love x hate
mais uma vez agradecendo pela capa linda feita pela @BbyBearV que eu gritei quando eu vi vê se não é a oitava maravilha?
obrigada também a @net-filix e a @darksung que leram antes e me deram apoio, love u broo's
enfim boa leitura 🧡💛

Capítulo 1 - ... roubou também meu coração


Hongjoong estava meio incomodado.

Desde que Seonghwa e Felix começaram a namorar, o Lee voltara a se sentar consigo no recreio, e Hongjoong que sentia tanta falta do loirinho ficou muito feliz quando ele realmente voltou. Levou um puxão de orelha de Jongho para não falar coisas desagradáveis, e ele não disse um "a". Logo tudo voltou ao normal. O grupo original.

A não ser por um Felix que também sentia falta dos novos amigos. Mas ele não podia escolher entre um e outro e não podia estar em dois lugares ao mesmo tempo. Logo, Seonghwa sugeriu que chamasse os garotos para sentar ali com eles. Hongjoong ficou uma fera. Como eles ousavam fazer isso mesmo sabendo da sua rixa com o Bang que estava intimamente incluído ao grupo adotado? Será que eles não se importavam mais consigo? Disse isso a Yunho, quem lhe disse para apenas ignorar, Felix estaria feliz e de volta. Se ele e o Bang brigassem só traria mais mágoa.

A primeira semana foi difícil, ignorar não estava no vocabulário de Hongjoong. Mas era perceptível a tentativa de Hongjoong em não comentar nada que constragesse o grupo, ele tomava cuidado com suas palavras e evitava responder ao Bang, principalmente. Só na segunda semana as coisas pareceram se encaixar no lugar, todos ali tinha se enturmado bem, e tinham sua função: Minho e Jongho eram os engraçados, Yunho e Seungmin os sensatos, Felix e Seonghwa os apaixonados e ele e Bang os rivais. Apesar de somente o Kim seguir o papel corretamente.

Estaria tudo bem se continuasse assim, mas o destino não queria colaborar. 

Numa sexta feira, Jongho e ele iriam maratonar uma série que a muito queriam ver. Hongjoong entrou na sala de música, e não viu sinal de Chan por ali, eles tinham firmado um acordo silencioso, no qual Chan e ele alternavam os dias que iriam participar do clube, para evitar eventuais desentendimentos. Pegou seu laptop em cima da mesa e foi para casa de Jongho.

Estava procurando o carregador na mochila enquanto o Choi estourava pipoca. Achou o fio e o ligou na energia. Grande foi sua surpresa ao iniciar o laptop, o wallpaper nada se parecia com o que Hongjoong tinha posto, na tela uma foto do Bang brilhava, ele estava de frente para o espelho, o cabelo levemente cacheado e castanho, muito diferente do loiro ressecado que a cada semana tinha uma coloração diferente de spray. Ele estava de regata. E o Kim sentiu as bochechas queimarem ao perceber a quanto tempo estava analisando a foto.

–A pipoca tá pronta. Você quer suco ou refrigerante? Acho que vou passar no mercado. – comentou Jongho distraidamente.

–Deixa que eu vou! Lembrei agora que esqueci algo na escola.


O lugar estava barulhento, tinha algum treino de futebol que ele não estava interessado, mas sabia porque todo mundo só comentava disso. Foi direto para a sala de música e ao abrir as portas encontrou um Bang Chan dedilhando o tecladinho e anotando algo no celular. Concentrado.

Hongjoong ficou imóvel na porta. Mordeu a parte interior da bochecha sem saber como iniciar a conversa.

Chan suspirou passando as mãos no cabelo que tinha uma coloração verde e, só então notou sua presença. Olhou para o eletrônico nas suas mãos e para si novamente.

–Oi? Precisa de algo? – disse tombando a cabeça um pouco, receptivo, mas o tom era quase zombeteiro.

–É… uhmm… eu achei seu laptop! – mentiu – ele estava jogado na rua. Acredita?

Foi uma desculpa tão esfarrapada que até uma criança saberia.

–Não. – Sua expressão estava séria, ele estendeu a mão e o castanho se aproximou entregando o laptop e dando as costas. – Acho que você me deve desculpas.

Hongjoong novamente mordeu a boca, se virou e visualizou o esverdeado lhe olhar aguardando.

–M-me desculpa! – disse rápido, o Kim apertava os olhos e tinha os punhos fechado mas abriu-os quando ouviu a risada do Bang. Caçoando de si.

–Imagine se eu passasse a te odiar agora? 

Se sentiu envergonhado, seu rosto queimava como o inferno e se sentia culpado por passar tanto tempo odiando alguém e agora fazer a mesma coisa que ele.

–Vai...fazer isso? – seu tom saiu mais indefeso do que quis.

–Não. – lhe ofereceu um sorriso sincero e as bochechas de Hongjoong queimaram mais, ele sempre foi do tipo que tinha um fraco por covinhas, e o garoto tinha três, adoráveis covinhas que ele só percebeu agora. – Hey, eu tenho uma idéia.

Chan se levantou  e foi até a mesa onde estava o laptop do Kim. Pegou um papel e fita, colando no aparelho e escrevendo com caneta. Hongjoong se aproximou e viu que eram seus nomes.

–Pronto agora não vamos mais confundir os laptops. – sorriu novamente, o castanho não olhou.

–Er.. uh obrigado. – saiu o mais rápido que pôde dali e pegou a bicicleta de Jongho que estava jogada no chão. Ainda tinha que ir ao mercado


Na semana seguinte os intervalos foram muito mais leves sem a tensão de Chan e Hongjoong pairando ali. Os meninos não perceberam mas o Kim sim. Os meninos também não viram, mas Chan lhe olhava a cada par de segundos e Hongjoong jurava que suas bochechas esquentavam porque se sentia incomodado e não porque aquilo fazia seu coração bater um pouquinho mais rápido.

A sexta feira seguinte ao ocorrido com o laptop chegou mais rápido do que esperava. Seu aniversário. Yunho combinou de irem a uma boate a noite. Ele, Jongho, Hongjoong Seonghwa e Felix. Como era o aniversário do Kim não quiseram lhe pressionar a chamar os novos garotos, sabiam que ele não se sentia confortável ainda.

Se divertiam na mesa como nunca, o Jeong já tinha bebido todas e agora dançava na pista com um garoto pouco mais baixo que si. Os outros conversavam. E Hongjoong se sentia meio deslocado, estava pensativo demais com as responsabilidades que os dezoito lhe trariam.

–Eu vou ao banheiro. – disse e se levantou sem esperar respostas.

O local parecia vazio, entrou na cabine e respirou fundo, não queria parecer o idiota que chora no dia do aniversário mas era exatamente o que estava prestes a fazer. Inspira e expira, repetia para si mesmo olhando para o teto. Logo a sensação passou era mais um problema para deixar para depois. Foi lavar as mãos mas para sua surpresa tinha alguém ali. Alguém conhecido.

–Hey, você está aqui.– disse Chan com o sorriso estampado no rosto o cabelo tingido de castanho escuro, como na foto do laptop.

–Não estou. Você está obcecado por mim. Sou apenas uma alucinação. – tentou soar sarcástico mas saiu meio melancólico. 

–Isso foi um comentário engraçado? Tsc. Estou mesmo alucinando. – Se ele percebeu seu baixo astral não demonstrou. – Sabe, o Hongjoong de verdade me odeia.

–Eu não… ele não te odeia. – entrou no jogo do Bang – Só ficou muito irritado porque você excluiu a música dele.

–A música? Oh, informação nova. Mas acho que já pedi desculpas suficiente você não acha?

Hongjoong acenou positivo. Chan tinha aquele sorriso, as covinhas extremamente adoráveis à mostra. Seus olhos focados nos lábios rosados. Chan se aproximou tocando lhe o rosto e o Kim recuou.

–O que está fazendo?

–Tentando te beijar. Você pode colaborar? – A maneira que ele tombou a cabeça e lhe olhou nos olhos doce e provocativo. Um arrepio lhe percorreu a espinha.

–Quem disse que eu quero te beijar?

–Você não quer? – Os olhos de ambos estavam grudados, Chan via a hesitação de Hongjoong, o jeito que a íris dele tremia e ele não tinha certeza se desviava o olhar o saia dali. Bang sempre foi um observador sagaz, e mais do que ninguém aprendeu a ler Hongjoong, no início para descobrir de onde vinha tanto ódio, depois simplesmente porque o garoto era fofo.

–Não. – Os lábios do castanho tremeram, ele estava mentindo, um segundo de descuido e seus olhos desceram para os lábios do Bang. Ele não perdeu nem mais um milésimo de seu tempo.

Findou os espaços entre as bocas, o ósculo necessitado e intenso, as bocas se encaixando perfeitamente. Hongjoong lhe correspondeu no mesmo instante, enroscando os braços no seu pescoço, e Chan lhe puxou a cintura, colando o corpo dele no seu, e sorriu entre o beijo, satisfeito por não estar errado em relação ao Kim. Este que xingava Chan de todos os nomes possíveis, achava que era impossível alguém beijar tão bem, a maneira que o beijo era lento e então rápido e então intenso, e então se separavam por um milésimo soltando um estalinho excitante, e então recomeçava. O Bang deslizou as mãos até suas coxas e lhe elevou, sentando-o na pia. Hongjoong segurou o queixo dele e deslizou a língua de encontro a semelhante, sentido uma pontada cada vez mais forte no baixo ventre. 

Bang Chan se separou recuperando o fôlego, depois  capturou seu lábio inferior entre os dentes e puxou levemente até o fim, lhe encarando, lhe queimando com o olhar. Sexy. Maldito Bang Chan.

Roubou um selinho dele para empatar seja lá que tipo de jogo estivessem jogando. Desceu do mármore claro, mas o moreno lhe impediu de correr lhe puxando para uma espécie de abraço.

–Hoje é seu aniversário? – Hongjoong apoiou a bochecha na curvatura do pescoço dele e murmurou um "uhum" – Feliz aniversário! – sentiu o sorriso do Chan, ele lhe apertando um pouco mais. – Por isso você está assim?

–Assim como? – Se afastou e perguntou irritado, batendo com o punho no peitoral do mais velho.

–Tsc. Mais… – Pegou a mão do Kim, e enterrou o nariz no pescoço deste, sentindo o cheiro de perfume forte. – De guarda baixa. Menos resistente. – Passou a distribuir selares pelo local arrancando suspiros baixos do castanho. – Deixou eu me aproximar. – concluiu com um sorriso. – Eu só posso estar alucinando.

–Eu sou real.

Bang lhe olhou com pura felicidade nos olhos, e lhe deu um selinho demorado.

–Ei Chan, eu tenho que voltar para mesa, meus amigos vão ficar preocupados.

–Ok, só… não foge de mim, tá? Da próxima vez que a gente se ver. – Hongjoong assentiu e se soltou do abraço indo em direção a porta. – Hey, Joong. Não se preocupe muito com sua idade, as coisas acontecem no tempo certo.


Hongjoong passou o final de semana flutuado. A cabeça leve revivendo a memória da sexta feira várias e várias vezes durante dia e noite.

–Essa cor ficou ótima. – comentou Seungmin.

Ele falava do seu cabelo, depois de tanto tempo que sua mãe insistia que cortasse o mullet, ele fez a vontade dela, e pintou de vermelho como era a própria vontade. Se sentia uma nova pessoa, se sentia muito bem.

–Obrigado. – Hongjoong olhava em volta, procurando o Bang, sabia que ele tinha ido na aula, mas até o momento não deu as caras.

Avistou ele saindo da sala do supervisor. Seus olhos se encontraram e ele sorriu. Hongjoong sorriu também. Mas não tão evidente para os garotos não verem.

–Hey gente! – cumprimentou se sentando do seu lado, o que já rendeu olhares curiosos. até tres dias atras eles se sentavam em pontos opostos. – Uau, tirou o cabelo para lavar Joong? Está parecendo uma criança.

–Vá se ferrar. – respondeu a provocação, mas o tom era de brincadeira.

Chan passou o braço pelos seus ombros e lhe puxou para perto, inspirando o cheiro de seu cabelo, e sussurrando um "está lindo" que lhe derrubou as estruturas.

–Está vendo? Está cheirando como um bebê.

–Excuse me. What the hell is going on?! – Felix exclamou.

Sentaram juntos, Chan lhe chamou de Joong, lhe provocou mas ele não ficou bravo, e estavam naquela proximidade de namorados. Exatamente Felix, todos diziam mentalmente.

Hongjoong só deu de ombros, e Chan fez o mesmo. Logo os amigos descobririam, mas os dois não queriam apressar as coisas, precisavam se conhecer melhor e ter certeza de que algo aconteceria.

Mas estavam felizes daquela maneira, o grupo todo conversando animadamente, Chan apoiado no ombro do Kim, as mãos enlaçadas embaixo da mesa.

Bang Chan lhe lançou um sorriso e Hongjoong só conseguiu pensar consigo como ele era o filho da puta mais lindo que ele já viu. O idiota mais insistente. E o ladrão mais adorável. Não bastasse roubar seu laptop, lhe roubou também o coração.


Notas Finais


esse final ficou meio nah mas eu gostei muito dessa, a ideia inicial era só a SeongLix mas eu não consegui deixar a história desses dois sem ser contada
espero que tenham gostado 🧡💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...