1. Spirit Fanfics >
  2. Lady Bugsy >
  3. Ameaças que se aproximam...

História Lady Bugsy - Capítulo 3


Escrita por: CRIS75950

Capítulo 3 - Ameaças que se aproximam...


Fanfic / Fanfiction Lady Bugsy - Capítulo 3 - Ameaças que se aproximam...

Morgan e Carter estavam do lado de fora da casa de Bárbara, fumando na varanda.

-Você tinha que ter visto...-disse Morgan com o cigarro na mão.-A "lata velha" do Burt Gerald explodiu feito um rojão em dia de independência.

-É bem provável que a gangue dele fuja daqui com o rabo entre as pernas.

-E com as calças molhadas.

Nesse momento, Melissa também saiu para fora e perguntou:

-O que vocês estão fazendo?

-Relaxando um pouco..-respondeu Carter.-Bárbara não gosta que a gente fume dentro de casa...

-Preciso de um também..-pediu Melissa.

Carter então entregou um cigarro a ela e disse:

-Eu pensei que você tivesse parado....

-Preciso relaxar também.

John saiu para fora com um saco de lixo na mão.

-Quer um também, John?-perguntou Morgan.

-Essa merda não faz bem, Morgan... E vocês não deviam fumar... Faz mal.

-Você também já foi jovem, John.

-Fui jovem, mas nunca fiz merda desse tipo!

-Disseram que você foi um garoto safado naquela época...

-Vou te mostrar quem é o safado, seu pirralho..

Dito isso John retornou para dentro de casa, enquanto Morgan e Carter ficaram rindo com seus cigarros na boca.

Assim que John voltou para dentro de casa, foi até o escritório e encontrou Bárbara dormindo sentada na cadeira com um livro aberto no peito. Aproximou-se dela e tocou seu ombro gentilmente. Bárbara despertou de sopetão.

-John...o que houve?

-Está tudo bem, não houve nada. Eu vim ver como você está...

-Eu peguei no sono....estava lendo e de repente caí no sono.

-Vá descansar... você teve uma noite longa hoje. Já são quase meia noite em ponto...

-Eu vou me recolher então.

-Pode ir. Eu vou ficar por aqui mais um pouco.

-Está bem. Boa noite, John.

-Boa noite, querida.

Bárbara foi para o quarto dormir. Assim que entrou, foi agarrada por trás por um homem misterioso que cobriu sua boca com a mão e murmurou em seu ouvido:

-Fique quieta, Lady Bugsy!...Se gritar, vou estourar os seus miolos....

O homem encostou o cano de um revólver na cabeça dela e disse:

-Você pagará pelo que fez ao Burt....

Com uma certa agilidade, Bárbara deu uma forte cabeçada com a nuca contra o nariz dele. Num movimento rápido de liberdade, conseguiu arrancar o revólver da mão dele.

-Quem é você?!-perguntou ela com a arma apontada para o sujeito.

-Não atire...!!!

-Responda logo ou serei obrigada a enfiar uma bala no seu estômago!

-Eu faço parte da gangue de Burt Gerald... Nós vimos o que você fez com ele hoje.

-Ah viram? E resolveu invadir o meu quarto para fazer "justiça"?

-Você não entende...

-É você quem não entende, seu palhaço cretino!... não se entra na casa dos outros sem ser convidado...

Nesse momento, Lily e John entraram no quarto armados.

-O que está acontecendo, Babi?-perguntou John.

-Nada demais... Apenas este "cavalheiro" que acidentalmente errou o caminho de casa.

-Você está bem?-perguntou Lily.

-Estou ótima.

-Como você se atreveu a invadir a residência da srta. Siegel?!-gritou John com a arma apontada para o homem.

-Está tudo bem, John...-disse Bárbara.-Ele não me fez nada...Eu vou deixá-lo ir.

-O que?!-protestou Lily.-Como assim vai deixá-lo ir?

-Deixá-lo ir, Lily. Levem ele para fora.

John e Lily conduziram o sujeito para fora de casa pelos braços. Morgan e Carter ainda estavam parados na varanda, quando viram Lily e John arrastarem um homem para fora da casa.

-O que está acontecendo?-pergunto Carter.-Quem é esse idiota?!

-Ele invadiu o quarto da Bárbara..-respondeu Lily.

Bárbara saiu logo em seguida e disse:

-Desapareça da minha frente antes que eu meta uma dinamite no seu traseiro!..

O homem então se afastou da casa rapidamente. 

-Quem é ele afinal?-perguntou Morgan.

-Um dos membros da gangue do Burt Gerald...

-Não deveria ter deixado ele ir...-disse Lily.

-Quem disse que eu o deixei ir, Lily?-Bárbara piscou o olho para Morgan que num gesto rápido, puxou seu revólver e atirou contra o sujeito que estava caminhando a uma certa distância dali. O projétil atingiu em cheio a cabeça do homem que caiu de bruços no chão.

-Disse alguma coisa, Lily?-perguntou Bárbara com certa ironia.

-O que?-respondeu Lily.-Eu não disse nada.

Bárbara voltou para dentro de casa.

-A sua pontaria está melhor que a do Tom, Morgan...-ironizou Carter com um sorriso maroto nos lábios.

Morgan e Carter entraram em casa novamente.

-O que faremos com o corpo?-perguntou Carter.

-Coloquem dentro de um saco e joguem no rio..-respondeu Bárbara.-De preferência amarrem uma pedra nos pés dele e joguem no rio.

-Sim, senhora..-respondeu Carter.

Carter e Morgan então colocaram o corpo do sujeito dentro de um grande saco de pano e o levaram até a ponte. Por sorte, estava tudo deserto e não havia ninguém ali. Os dois então amarraram uma pesada pedra no saco e o jogaram do alto da Ponte. O saco com o corpo afundou rapidamente. Carter e Morgan voltaram para dentro do carro e retornaram para casa.

No dia seguinte, Bárbara foi até a casa de sua tia acompanhada por Melissa.

-Tia Lucy?-disse Bárbara assim que abriu a porta e entrou.

-Estou aqui, Babi...-disse uma senhora idosa de quase setenta anos.

Bárbara foi até a cozinha e encontrou sua tia preparando preparando um recheio de torta de maçã.

-Acho que cheguei na hora certa..-disse Bárbara com um sorriso.

-Estou fazendo a torta de maçã que você adora.

-Eu queria falar com você sobre aquele assunto....

-De ir morar com você na sua casa? Não, obrigada. Estou muito velha para fazer parte de uma gangue.

-Estou falando sério, tia Lucy. Você não pode continuar a viver aqui sozinha.

-Você sabe que eu sou uma velha teimosa...eu não vou sair e deixar a minha casa.

Lucy olhou para a sobrinha e disse:

-Você está ficando idêntica ao seu pai... Não no caráter, mas na aparência. Ele era um homem tão bonito...olhos castanhos, cabelos pretos...era charmoso e sabia conquistar as mulheres. Já a sua mãe, acabou sofrendo muitas traições da parte dele. Benjamin cometia muito adultério. Ela morreu quando você tinha quatro anos...

-E o meu pai me trouxe pra cá...eu já sei a história.

-Sim. Mas eu nunca disse a você as palavras que o seu pai falou antes de sair daqui.

-O que ele disse?

-Ele me pediu para que nunca contasse a você o que ele fazia...ou seja, ele não queria que você soubesse quem Benjamin Bugsy Siegel era na verdade. Mas isso foi inevitável... Você ficou sabendo de qualquer maneira.

-Eu não sou igual a ele, tia Lucy...

Bárbara abraçou sua tia carinhosamente e completou:

-Eu sei que eu não sou perfeita...mas eu farei de tudo para cuidar de você. Você e John são muito importantes para mim. E também os meus amigos. E eu farei de tudo para proteger todos vocês se for necessário.

Lucy retribuiu o abraço da sobrinha com um beijo na fronte dela.

Nesse mesmo momento, dois chefes de gangues mafiosas da cidade, estavam reunidos em um restaurante longe dali. Michael Ottis e Tim Nolan estavam sentados juntos em uma mesa ao lado da janela.

-Vou o que aquela vadia fez com o Burt?-perguntou Tim.-O pobre infeliz nem teve a chance de ligar o carro.

-Bárbara Siegel está conquistando o seu lugar nas ruas de Nova York...

-Uma mulher liderando uma gangue!... É muita ironia!

-Ela não é uma "garotinha indefesa", Nolan...tem mais astúcia do que muitos de nós.

-Essa maldita está levando a máfia ao ridículo!.. Estamos sendo feitos de bobos na maior cara de pau!

-Ela não irá muito longe, meu caro. Em breve a filha de Benjamin Bugsy Siegel irá tropeçar nos próprios pés...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...