História Lady Of The Waters - Shawn Mendes - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Madelaine Petsch, Shawn Mendes
Tags Romance, Shawn Mendes
Visualizações 135
Palavras 1.295
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


genteee me perdoem pela demora... eu realmente estou LOTADA de coisas da escola pra fazer 😥 terceiro bimestre, por que me mataste? 😖😂

mas no meio de tanta loucura eu consegui tirar um tempinho pra escrever, porque não posso deixar vocês na mão, né?!

espero que gostem e Boa Leitura ❤

Capítulo 3 - She is Real


Fanfic / Fanfiction Lady Of The Waters - Shawn Mendes - Capítulo 3 - She is Real

SHAWN MENDES P.O.V

Acordei sentindo pingos de água em meu rosto, eu estava meio tonto. Minha visão estava embaçada, provavelmente tentando se acostumar com a luz fraca que batia contra ela. Aos poucos a mesma foi se adaptando, e com bastante esforço consegui abrir os olhos por completo, mas não me levantei.

Depois de alguns segundos minha mente voltou a funcionar como de costume, e a primeira coisa que me veio foi: onde estou?

No começo me parecia uma caverna, mas ao analisar melhor percebi que era uma gruta. Tinha uma saída na superfície onde a luz entrava, bem lá no alto. Eu estava deitado na areia e alguns centímetros de mim estava a água, era como uma mini praia escondida, nada que seja fora do comum, mas era um lugar paradisíaco. Será que ainda estou em Miami? Como não conhecia esse lugar antes?

Meus pensamentos tiveram uma pausa ao sentir novamente os pingos de água em meu rosto, como se alguma coisa tivesse os jogado. Mas o que será?

— Olá? —Finalmente me levantei, com pouca dificuldade. — Tem alguém aí?

Não obtive nenhuma resposta, mas ao me levantar, pude ver atrás das pedras um movimento estranho da água. Na verdade, a agua toda estava calma, parada. Mas lá, ela estava se movimentando. 

Tem algo ali, e aquilo parecia estar se escondendo.

— Não precisa ter medo, não irei te machucar —Disse com a voz mansa, tentando passar algum tipo de “segurança” pra quem ou o que estava ali.

Notei que minha tentativa foi bem sucedida ao notar que o que estava atrás das pedras, agora saía aos poucos.

Fiquei pasmo ao ver que o que estava escondido ali, era a criaturinha ruiva que sempre me observava durante os meus mergulhos. Ela é real?! Não conseguia acreditar que sim, minha mente implorava por respostas.

— Você é real? —Ela não disse uma palavra, apenas continuou com metade do rosto escondido entre as pedras.

Será que ela não sabe falar? Ou não sabe falar o meu idioma?

— Você consegue me entender? —Ela permanecia com o olhar assustado sobre mim, mas dessa vez ela concordou com a cabeça. — Você é real? —Perguntei novamente ansioso pela sua resposta.

— S-sim —Pude escutar pela primeira vez sua doce voz.

Cacete, ela realmente existe! Mas espera, o que ela é?! Como ela consegue ficar tanto tempo debaixo d'água sem um pingo de oxigênio? O que ela fazia mergulhando em um lugar tão longe da terra firme? Por que ela sempre me observava?

No meio de tantas lembranças sobre os mergulhos a pior delas me veio a tona: o náufrago do nosso navio. As únicas coisas que me lembro foi a onda se partindo sobre nós, o rosto dela enquanto estava afundando e logo depois o toque de sua mão na minha. Depois disso eu apaguei.

 Isso dá a entender que ela salvou a minha vida!

— Como você mergulha tão profundamente sem respirar? —Ela continuava quieta. — O que você fazia lá? Por que sempre ficava me observando? Por que você me salvou? —Disparei as perguntas sem pensar que poderia assustá-la com o meu desespero, e foi exatamente o que ocorreu.

Droga, Shawn!

Ela se escondeu rapidamente atrás das pedras onde a mesma estava, me deixando um pouco frustrado.

— Me desculpe, eu não quis te assustar —Me aproximei o máximo que pude até onde ela estava, afinal, as pedras estavam no meio da água e eu estava em terra firme. — Por que não vem aqui na areia comigo? Eu juro, não irei fazer mal nenhum a você —Seria muito mais fácil a nossa comunicação se ela estivesse aqui.

— Eu não posso —Disse baixinho ainda escondida.

Eu transmito tanto medo pra ela assim?

— Por favor, confie em mim. Eu devo a minha vida á você —Ela colocou apenas o rosto fora das pedras novamente. — Por que você não pode?

— Eu não consigo —Disse um pouco tímida, receosa. Não sei bem.

Como não consegue? É só nadar até aqui. Será que ela está presa ali?

— Você quer ajuda? Eu posso ir até aí e...

— NÃO! —Me interrompeu. — Não precisa, pode ficar aí —Sorriu nervosa.

Por que ela tem tanto medo de mim? Isso estava começando a me deixar mal.

MIRABELLA P.O.V

Mirabella, você consegue! Ele não vai te machucar.

Eu queria tanto poder sair daqui e chegar perto para conversar, mas o meu medo não deixa! Ele jurou não me machucar e nem fazer nenhum mal a mim, mas isso é porque ele ainda não sabe o que sou. E se ele descobrir? O que ele irá fazer?

Bom... Acho que não irei saber se não sair daqui, né?

— Não tenha medo, por favor —Suplicou, acho que ele ficou triste ao ver que eu o temo.

Mas e se ele se assustar ou ficar com medo de mim? Meu pai disse que os seres humanos fazem coisas terríveis quando estão com medo.

— Promete não se assustar? —Ele pareceu meio confuso com minha pergunta, mas concordou com a cabeça.

Ok, essa é a hora!

Fui me afastando aos poucos da pedra. Por mais que ele esteja conseguindo me passar segurança, eu ainda tenho um pouquinho de medo. Ele não tirava os olhos de mim um segundo sequer e isso me deixou nervosa. A água dessa gruta era cristalina e quando saísse daqui completamente ele conseguiria ver minha calda tranquilamente, e esse era o meu maior medo. Qual seria sua reação?

Fui respondida ao finalmente sair e vê-lo ficar pálido, sem reação nenhuma. E agora? Será que ele está doente?

— Meu Deus! O que é isso? —Disse assustado. Ele está com medo?

— Minha calda —Ele ficou boquiaberto.

Acho que ele nem imaginava que sereias e tritões existem. Bom, agora ele sabe da verdade.

— O que você é? —Perguntou pausadamente.

— Uma sereia

Ele respirou profundamente e fechou os olhos, em seguida passou as mãos em seus cabelos e ficou calado por alguns segundo, tudo em sequência. O que isso significa?

— Isso não pode ser verdade. Eu devo ter batido a cabeça em alguma coisa e agora estou alucinando. Eu tenho certeza que você não é real, não pode ser! —Mas como pode ter certeza se eu estou aqui na frente dele? Ele é meio maluco.

— Mas eu sou real sim —Me olhou ainda assustado.

— Como eu posso ter certeza?

Como? Não sei. Talvez se ele tocasse em mim ele acreditaria.

— Você quer tocar em mim? —Dessa vez ele pareceu ficar confuso. O que eu disse de errado?

— Acho que sim —Disse entrando um pouco na água, acho que estava meio receoso.

— Entre mais, eu não consigo te alcançar! —O mesmo estava com a água apenas na altura das pernas, ainda é muito raso pra mim.

E já foi demais a dificuldade que tive pra colocá-lo na areia. Sério, eu tive praticamente que jogá-lo lá! 

— Você não é igual aquelas sereias das histórias, né?! Aquelas que seduzem os homens e os fazem entrar no oceano, pra depois afogá-los e devorar os seus corpos. Você não costuma fazer isso, não é?! Ou costuma? —Perguntou enquanto se aproximava.

De onde os humanos tiraram essa história? Eca, que nojo!

— Claro que não, eca! Por que nós faríamos isso? Vocês nem devem ter um gosto bom —Ele finalmente entrou por completo na água e chegou perto o bastante, agora estávamos cara-a-cara.

Devo admitir que estou com um pouco de medo do que ele possa fazer comigo, mas acho que se ele quisesse fazer algo, já teria feito.

— Posso? —Disse aproximando sua mão do meu rosto.

Meu estômago começou a embrulhar e comecei a sentir meu corpo ficar gelado, estou muito nervosa! Tomara que eu não me arrependa disso!


Notas Finais


aaaaaaa que fofos, agora eles são abiguinhos *u* 😂

gente, vocês acreditam que só agora fui perceber que minha outra fic também se passa em Miami? 😲 que falta de criatividade hein Lilly? -.-' haha

mas enfim? gostaram? devo continuar?

não esqueçam de deixar os comentários e favoritos porque isso me motiva muuuuito ❤ e as leitorinhas fantasmas, não tenham medo de interagir! vamos ser amigaaaas! ❤

até o próximo Cap!
xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...