História Lágrimas de Prata - Capítulo 59


Escrita por:

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bardock, Brolly, Bulma, Cell, Chichi, Cooler, Freeza, Gohan, Goku, Goten, Piccolo, Trunks, Vegeta, Videl
Tags Cell, Freeza, Gohan, Goku, Grande Sayaman, Trunks, Vegeta
Visualizações 64
Palavras 1.948
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Luta, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, gente...desculpem a demora...
Não tem perdão, apesar de no começo estar ajudando minha mãe depois foi preguiça e distração mesmo q me fez não postar: desculpem...
Ia fazer um cap maior, mas achei q assim demoraria mais, então vai menorzinho mesmo...
Mas fiquem tranquilos pq saga bojack está toda escrita e logo começarei o período de paz para depois saga majin boo!!!!
é, como eu já disse tentarei até final de outubro postar a one do sequestro q na verdade são várias histórias e depois teremos a one da batalha dos deuses contra majin boo no futuro do trunks...essa sem previsão por enquanto pq ela será postado junto com a fic dos vilões pq teremos relação...
Boa leitura!!!!

Capítulo 59 - Trauma


Fanfic / Fanfiction Lágrimas de Prata - Capítulo 59 - Trauma

Alguns dias depois:

 

Videl e Gohan iam todos os dias de número ímpar até Kami Sama. Eles e Dendê faziam exercícios juntos sob os olhares atentos de Sr. Popo.

- Por que vocês insistem com física?- reclamou Videl.- Somos novos demais para isso.

- Aplicamos quando lutamos.- murmurou Gohan.

- Não sei se esse tipo de física se aplica ao que fazemos.- bufou.

- Foi dois contra um, Videl.- sorriu Gohan.

- Não a provoque demais.- riu Dendê.

- Deveríamos entrar em uma escola.- comentou a garota pensativa.- Aí seria democrático.

- Kami Sama em uma escola?- riu Gohan.

- E o Grande Saiyaman?- retrucou Dendê.

- Preciso ver isso.- riu Videl encantada.

 

Kuririn organizava sua casa, estava sempre com Mestre Kame e os Son o que deixava tudo desorganizado e sujo. Colocou uma música para tocar enquanto limpava e organizava tudo. Cantava junto, mais gritava na verdade.

Duas batidas firmes em sua porta o fez se assustar de tão concentrado que estava. Desligou a música, tentou limpar as mãos na bermuda que usava e rumou até a porta.

- 18?- surpreendeu-se ao abrir e encontrar a loira.

- Atrapalho?- sorria.

- Não...eu...entre...

A mulher entrou e olhou em volta, era uma típica casa de homem solteiro.

- Estou feliz que esteja aqui.- sorriu Kuririn finalmente em si.

- Eu sei.

 

Gohan pousou em frente da casa, não gostava de usar o teletransporte. Preferia voar acompanhado de seu dragão que sempre o encontrava no caminho e brincavam juntos fazendo acrobacias e sentindo o vento bater em seus corpos.

Estranhou a gritaria em sua casa, abriu a porta devagar encontrando seu pai de olhos assustados enquanto tentava se explicar:

- Eu juro que não sabia que o bolo era só para você, ChiChi.

- Estava morrendo de vontade!- gritava enfurecida.- Não sobrou nada!

- Eu deixei um pedaço.- argumentou amuado.

- Acha que isso mata minha fome?

- Olha!- animou-se Goku.- Gohan chegou.- usou o filho para mudar de assunto.

- Mãe.- sorriu o garoto querendo ajudar seu pai.- Adivinha só? Eu, Videl e Dendê vamos para a escola!

Os olhos da mulher brilharam.

- Mas isso é maravilhoso!- exclamou.- Estou tão orgulhosa.

ChiChi correu até o filho abraçando-o enquanto chorava. Goku e Gohan trocaram um olhar apavorados.

 

Videl pousou em frente sua casa, mas não entrou de imediato. Esperou assistindo Kuririn se aproximar junto de 18, ambos sorriam.

- Olá, Videl.- cumprimentou o careca ao pousar.

- Kuririn, 18.- sorriu.- Fico feliz que voltou.

- Eu também.- comentou a loira.

- Bulma está?- pediu Kuririn.

- Acabei de chegar, mas acho que sim.

Vegeta saiu da capsula de treino e encontrou os três entrando na sala. Viu o baixinho todo sorridente e ergueu uma sobrancelha.

- Ei, Vegeta.

- O que vocês dois fazem aqui?- exigiu.

- Bom te ver também.- murmurou o careca.- Viemos ver Bulma.

- Laboratório.- conduziu.- E você está atrasada.- apontou para a filha.

- Gohan e eu estávamos com Dendê.- deu de ombros.

Kuririn olhou para Vegeta com um sorriso malicioso que irritou o saiyajin profundamente.

- Vá atrás de Bulma antes que eu te arremesse pela porta.

O careca ria enquanto levava 18 em direção ao laboratório. Assim que os dois sumiram, Vegeta encarou a garota irritado.

- Quantas vezes eu já disse para ficar longe...

- Nós três tomamos uma decisão.- interrompeu.- Vamos para a escola.

Vegeta começou a sentir dor de cabeça.

- Escola?- bufou.

- Sim, você por acaso sabe o que meninas da minha idade fazem?

Vegeta não ousou responder, apenas a encarava.

- Pois nem eu.- exasperou-se Videl.- Não tenho uma amiga sequer. Minha vida se resume a lutas e mais lutas.- suspirou.- Gohan e Dendê são legais e tudo, mas não posso conversar com eles sobre coisas de garotas.

- Coisas de garotas?- repetiu Vegeta.

- Sim, como eu poder contar sobre todo o constrangimento de minha primeira menstruação ter sido quando estava passando um ano dentro de uma sala de treinos só com meu pai e irmão.- berrou.

Vegeta ficou imensamente incomodado com a lembrança e suspirou.

- Você venceu.- concordou.- Mas isso não quer dizer que deve parar de treinar.

Videl sorriu e o abraçou.

 

Bulma escrevia em um relatório sobre o próximo lançamento da corporação quando Kuririn pediu licença para entrar. A cientista sorriu ao ver 18 entrar junto com ela.

- Olha que surpresa, como estão?

- Bem.- respondeu o careca.

- Viemos para você checar se Cell não fez nada além de extrair a bomba.- esclareceu a loira.

- Temos medo de ele tê-la reprogramado como 16.- completou Kuririn.

-Sentem-se.- pediu Bulma séria.- Acho que isso é o melhor para ficarmos todos tranquilos que nunca mais teremos que conviver com nada relacionado àquele monstro.

- Nos arquivos do Dr. Maki Gero tinha algo?- perguntou o careca.

- Sim, lá diz quais partes foram reconstruídas tornando-a uma android.- respondeu.- Além disso, toda a sua epiderme foi revestida com uma camada protetora a poderes de energia e força bruta.

- Isso é bom?- perguntou Kuririn.

- Para uma lutadora como ela, sim.- sorriu.- Mas contra oponentes mais fortes você se machucará como qualquer outro.

- Entendo.- comentou 18.

- Sua camada é mais resistente que a de 17, por isso você tem mais força bruta.- explicou Bulma.- Porém, ele produz mais energia.

- Então ele é mais poderoso no sentido de ter mais “ki” sintético.- refletiu Kuririn.- Por isso as técnicas de energia dele são mais efetivas.

- O doutor queria que fôssemos a dupla que complementava os defeitos um do outro, na certa para tornar Cell perfeito.- suspirou 18.

- Diga a seu irmão para vir também.- mandou Bulma.- Cell era esperto demais.

 

Gohan encarava Piccolo, seu mestre não tinha uma abertura sequer para que pudesse atacar. Era incrível como o namekuseijin parecia saber exatamente o que faria.

- Se você se transformar em super saiyajin não terei a menor chance.- comentou.

- Pensei que quisesse que eu perdesse a arrogância.- começou o garoto.- Não que eu vencesse.

- Na forma de um super saiyajin você não é tão arrogante.- retrucou Piccolo.

Gohan suspirou e liberou seu ki chegando a sua forma mais poderosa. Sentia o poder descarregar ao seu redor quando ficou mais forte.

- Cell perdeu porque era mais arrogante do que você.- comentou Piccolo.

- Quando eu voltei fiquei mais poderoso do que ele.

- Sim, mas esse não parece ser o seu limite.- refletiu o mestre.

- Acha que tem algo além?- pensou por um momento.- Não sei se quero pagar o preço para ficar mais forte.

- Nunca ficará se continuar agindo como fez contra Cell.

Gohan corou com a bronca e ficou incomodado em ouvir o nome do android. Mas Sr. Piccolo estava certo.

- Me ataque.- ordenou o namekuseijin.

- E se eu te machucar?

- Agora, Gohan!

O mestiço avançou, não usou o máximo de sua força, mas aproveitou-se da velocidade. Piccolo bloqueava no começo, mas Gohan era muito mais rápido. Continuaram assim por um tempo, até que o mestiço conseguiu derrubar seu oponente.

Ergueu as duas mãos pronto para lançar um Masenko até que travou. Não era mais seu mestre no chão, era Cell. O android parecia zombar dele, sempre com aqueles terríveis olhos rosa. Gohan estava congelado no lugar até sentir suas costas chocando-se com o chão, gemeu de dor e susto.

- Mas o que foi isso?- gritou Piccolo furioso.

O garoto fechou os olhos voltando para o super saiyajin.

- Você nem viu eu lhe dar uma rasteira!

- Eu não consigo.- sussurrou

Piccolo suspirou e sentou-se ao lado de seu pupilo que o abraçou e o namekuseijin retribuiu. Gohan, então, chorou.

 

Bojack olhava o horizonte, apreciava a beleza do lugar. Sempre gostara de coisas bonitas, lugares agradáveis, planetas exuberantes, companhias poderosas. Fora tão forte e audacioso, o único que fizera o terrível Rei Cold ter medo.

O que era hoje? O Império e seus líderes foram derrotados por outros, sua fama esquecida e sua glória perdida. Era um covarde que invadia planetas para apreciar belas vistas.

Socou o parapeito da sacada em que estava, seu medo do que vira em outro Universo o transformara em uma criatura desprezível. Detestava aquilo que se tornou.

- Não mais.- jurou.- Nunca mais me curvarei aos meus medos, olhos azuis.

 

Gohan entrou na casa, sua mãe dormia deitada no sofá com a cabeça no colo de Goku, seu pai fez sinal para que ficasse em silêncio.

- Acho que ela me odeia.- sussurrou.

O garoto riu baixinho.

- Não fiz nada.- pensou um pouco.- Ao menos nada pior do que de costume.

- Deve ser o nervoso por causa do torneio e tudo mais.- sugeriu Gohan.- Foi muita preocupação.

Goku concordou mais aliviado, contudo ficou sério ao encarar o rosto do filho com mais atenção.

- Está tudo bem?- perguntou.- Parece que você chorou.

- Eu...não.- riu.- O treino que foi pesado.

- Humn.- o saiyajin não pareceu acreditar, mas não invadiria a privacidade do filho.- E quando vocês vão para a escola?

- Vamos escolher uma o quanto antes, parece que mês que vem as aulas começam.

- Parece bom.- sorriu Goku.

- É, parece.- suspirou.

 

1 mês depois:

Optaram pela Escola Estrel Laranja, Bulma e ChiChi praticamente os obrigaram a escolher essa. Os três adolescentes estavam animados, mas Gohan podia jurar sentir a fúria no olhar de Vegeta a cada vez que alguém comentava que Videl estudaria com ele. Vegeta saberia a verdade sobre Pan?

Dendê era o mais animado, para ele poder se matricular Piccolo fingira ser seu pai. Afinal, ninguém acreditaria que Kami Sama entraria na escola.

Ao chegarem juntos, os três arregalaram os olhos. Eram tantos alunos que se sentiam perdidos, mas o pior não era isso. Cartazes, pôsteres e vários alunos vestindo camisetas estampadas com a foto de Mr. Satan estavam por toda parte. Todos exaltavam a coragem e vitória do Salvador da Terra.

Videl gemeu ao reconhecer o rosto, lembrava de tê-lo salvo quando Cell explodiu o ringue enquanto lutava com Goku.

- Kami Sama.- lamentou Dendê.

- Você é o Kami.- retrucou Videl.

- É mesmo.- gemeu.

- Não pode ser tão ruim.- comentou Gohan.- Pelo menos eles não sabem quem realmente somos.

- Um deus, uma princesa de uma raça guerreira e o Grande Saiyaman?- ofereceu Dendê.

- E pensar que a ideia foi minha.- bufou Videl.

 

Goku treinava sozinho, seu pai alegara uma visita a Mestre Kame e Kuririn sumira depois do retorno de 18. Sorriu ao sentir o ki de Piccolo e lançou um ataque de energia, o namekuseijin apenas desviou tranquilo.

- Achou mesmo que me atingiria com isso?

- Estava apenas te provocando.- riu.- Queria que revidasse e lutasse comigo.

- Não vim lutar.

- As coisas mudam mesmo.- gargalhou Goku.

- Gohan falta dos treinos.- soltou.

O saiyajin parou de rir ficando sério e tenso.

- Frequente?

- Não muito, mas achei que deveria alertá-lo.- respondeu o namek.- Ele não consegue atingir o super saiyajin 2.

- Não?- assustou-se.- Mas você disse que ele ainda treina.

- Ele se recusa e quando o faz ele trava.- esclareceu Piccolo.

- Droga.- gritou Goku.

- Ele está traumatizado.

- Vou falar com ele.- prometeu Goku.

- Talvez interagir com outros de sua idade e que não tenham as mesmas preocupações que ele carrega possa ajudar.- refletiu Piccolo ao pensar nos três adolescentes indo à escola.

- Você falando isso é uma surpresa.- comentou, mas estava sério.

- E ChiChi?

- As mudanças de humor melhoraram.- respondeu.- Mas ainda levo broncas, só que ela anda passando mal.

- Isso é normal.

- O que quer dizer?- pediu Goku confuso.

- Logo saberá!


Notas Finais


Desculpem qualquer erro, mas eu não conferi...
Próximo cap: goten está chegando...
Bjos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...