História Lágrimas de sangue pulsos de ferro - Capítulo 64


Escrita por:

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Yuma Mukami
Visualizações 42
Palavras 2.867
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Canibalismo, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessoal só uma coisa antes de começar.
*leia com atenção*

Capítulo 64 - Confusões, significado e conforto


Fanfic / Fanfiction Lágrimas de sangue pulsos de ferro - Capítulo 64 - Confusões, significado e conforto

Depois que Kino me pediu aquilo ele se retira do meu quarto me deixando sozinha e como sempre quando algo me afeta vou ao banheiro e com lâmina e aproximo a mesma de meu pulso só...que eu paro o que? 

Eu nunca tive êxito em me cortar o que houve do nada não entendo só que aos poucos minha visão vai se esvaindo e o preto tampa minha visão e caiu no chão e ouço Shin gritar meu nome mas apenas fecho os olhos.

 Visão:

Tudo preto nada a minha volta ou eu que não havia reparado algo a minha frente que brilhava e ouvi claramente vozes que nunca vou esquecer.

 Elyzabeth(mãe)-ela é tão linda.

 Haru(pai)-sem dúvida mas que nome vamos dar a ela?

 Elyzabeth-eu estou indecisa entre três nomes.

 Haru-quais?

 Elyzabeth - Miranda que significa “adorável”, “admirável”, “maravilhosa”, Rubi que além de ser uma pedra preciosa significa “vermelho” e Lucrécia Significa "a que lucra", ou "pura", "casta".É um nome com significado duvidoso, mas são tão lindos que não sei qual escolher.

 Haru-não precisa a minha linda princesa vai se chamar Lucrécia Rubi Miranda Uzarami.

Ele me pega em seus braços me abraçando e rindo minha mãe retribui o sorriso e logo me abraça e sorri para mim acariciando meus cabelos pretos com a mecha prateada e logo sou sentada no meu berço, me aproximo sorrindo então foi assim que ganhei meu nome? 

Mas sorriu mais ainda quando meu pai deposita uma coroa de prata com uma Lua no centro e ela era decorada com rubis e diamantes.

 Haru-você ainda não sabe o amor que temos por ti nossa princesa.

 Elyzabeth-nunca esqueça que o amor faz coisas maravilhosas.

 -acho que disso eu esqueci e lamento mas não tenho nada haver com os significados dos meus nomes sou apenas uma adolescente suicida.

Fecho os olhos e me sinto acordar.

 Realidade:

Olho para Ambos os lados e vejo Kino, Shin e Carla me observando enquanto sento na cama e arrumo meus pensamentos e vejo que meus braços estavam enfaxados e tenho prevê memória que depois de exitar me cortar me cortei bastante olho e vejo expressões séries em minha direção.

 Shin-você está bem?

 -estou.

 Kino-você vai parar com isso ouviu bem?

 -você não manda em mim Kino.

 Kino-VOCÊ ACHA QUE É QUEM VAI ACABAR SE MATANDO ASSIM!

 -se está preocupado com seu plano...

Kino me interrompe me segurando pelos braços e me apertando e sacudindo de leve enquanto gritava comigo aquilo me surpreendeu.

 Kino-MEU PLANO QUE VÁ PRO INFERNO PRESTA ATENÇÃO LUCRÉCIA EU FALO SÉRIO OU PARA POR BEM OU PARA POR MAL TE VER SE AUTO DESTRUIR É DEMAIS PRA MIM É DOENTIO E VOCÊ VAI PARAR E NEM TENTE ME DESAFIAR!

 Shin-para Kino solta ela!

 Carla-isso não vai levar a lugar nenhum.

 -...

Shin empurra Kino e Carla me abraça enquanto fico surpresa com a atitude de Kino que sem esperar se teletransporta para minha frente e segura minha cintura.

 Kino-não dificulte as coisas para si mesma.

Sem espera algo uma raiva me atinge como um soco e dou um tapa mediano em Kino que se surpreende com minha atitude inesperada.

 -você não manda em mim Kino e você não sabe nada sobre mim e outra eu quero que você vá para o inferno.

Me afasto dele o máximo que consigo já que Carla está atrás de mim e me abraça me afastado mais ainda de Kino que saí furioso de lá.

 -...qual o problema dele?

 Shin-quem sabe mas é melhor você ficar longe dele por um tempo.

 Carla-concordo.

Apenas concordo e vou me deitar no outro dia quando acordo tinha uma bandeja com comida do lado da minha cama acabei por estranhar mas quando tentei abrir a porta do meu quarto...trancada vou até a bandeja e tinha um papel.

 “Coma tudo você só saí desse quarto quando fomos para a aula a noite até lá vai ficar aí e sem se corta”


  “Kino”


Amassei o papel em minhas mãos e me sentei na cama e fiquei assim por longos momentos, até ouvir a porta ser destrancada por Kino que logo adentra o quarto e vendo que não havia comido nada fica aparentemente bem irritado pois bufou e veio até mim ficando ambos cara a cara um com o outro.

 Kino-estou ficando cansado desses seus joguinhos.

 -...

 Kino-coma Lucrécia.

Neguei com a cabeça.

 Kino-eu não tô pedindo eu tô mandando!

 -e desde de quando eu te obedeço Kino?

Ele aparentemente perdeu totalmente a paciência e avança com tudo contra mim, fui derrubada na cama e Kino fica em cima de mim prendendo meus pulsos e beijando meus lábios com bastante força.

Tento me soltar só que ele é muito forte e pede passagem com a língua e eu recuso, ele não gostou disso já que avançou com tudo em uma mordida no meu pescoço e bebendo meu sangue com sugadas Ferozes me deixando sem ar mas levanto meu corpo com tudo o afastando um pouco, logo ele já ia voltar a me morder mas com os olhos arregalados e com uma expressão sofrida o olho vendo ele parar e afrouxar o aperto em meus pulsos doloridos e me fitar sério, como se sua ficha cai-se ele pousa seu rosto no meu ombro e apoia suas mãos na cama.

 Kino-isso não era para acontecer...

 -Kino...

Acaricio seus cabelos e ele me abraça envolvendo seus braços em minha cintura e logo ele vem beijando meu pescoço e me beija um beijo calmo e sedutor, suas mãos exploram meu corpo e nós separamos por falta de ar encerrando com um selinho.

 Kino-vou sair com o Shin vá no quarto do Carla.

Acenei positivamente ao ver ele sair do quarto e fui a procura do Carla que estava na sala o mesmo lia um livro qualquer, me aproximo dele e me sento ao seu lado suspirando.

 Carla-sabe eu sei as coisas andam difíceis mas...sempre pode melhorar.

 -e nada está tão ruim que não possa piorar mais um pouco.

 Carla-você é bem pessimista.

 -e como.

Passo a mão nós meus cabelos pretos suspirando e me vem na mente os significados dos meus nomes e logo sorriu mas esse sorriso não dura muito logo fico com uma expressão séria.

 Carla-o que foi?

 -o significado dos meus nomes são completamente diferente de mim.

 Carla-qual o significado?

 -basicamente Miranda que significa “adorável”, “admirável”, “maravilhosa”, Rubi que além de ser uma pedra preciosa significa “vermelho” e Lucrécia Significa "a que lucra", ou "pura", "casta".É um nome com significado duvidoso.

 Carla-...um nome nunca descreveu tão bem a dona.

 -...

Fiquei ao seu lado em um silêncio agradável, Carla fica em pé e me estende a sua mão a qual eu seguro e também fico de pé olhando para Carla que prensa levemente nossos lábios e eu recuo um pouco.

 Carla-algum problema?

 -em que ordem por gravidade, por ordem alfabética cronológica ou por circunstâncias?

 Carla-certo pergunta idiota vem vamos ao jardim.

Segui ele até lá e o mesmo fica ao meu lado a presença dele é bastante agradável e confortável mas logo chega Kino e Shin que me abraça e fica na minha volta na hora que eu estava com Carla.

 Shin-você é muito fria para uma garota tão linda~.

 -e você irritante demais para um ser só.

 Shin-isso foi cruel!

 Carla-vou te arrumar algumas cordas.

 Kino-não facilita para ela não.

 -vocês são irritantes.

 Kino-quanto amor por nós.

 -vá pro inferno.

Ficamos brigando até Kino me apressar para irmos ao colégio e quando chegamos ele me deixa sozinha e vai falar com alguns garotos e eu vou procurar o Yuuto e assim que acho ele vou em sua direção.

 -oi Yuuto.

 Yuuto-o-oi Lucrécia.

Ele tava meio vermelho deve ser por ter me dado um beijo na bochecha, seus fios albinos azulados estavam bagunçados e ele encolhido com suas bochechas inflamadas bem levemente e vermelhas como cerejas, como ele consegue ser tão fofo?

 -vamos?

Ele acena e fomos para a sala, me lembrei de pegar o número dele as aulas estavam chatas mas então deu o sinal e fomos comer algo, eu estava comendo gyudon que é carne com cebola em cima de arroz com um tempero agridoce e o Yuuto comia takoiake e isso me fez lembrar do Ayato, estavamos no terrasso porque dava para ver as estrelas que brilhavam bastante na quele dia, olhei para o Yuuto e ele estava bem cheio de takoiake no rosto que lembrava uma criança quando ia comer algo ri levemente e me aproximei.

 -seu rosto está todo sujo.

 Yuuto-onde?

 -aqui.

Limpei seu rosto com um guardanapo e ri pelo fato de ficar vermelho com a minha aproximação fiz cafuné em seus cabelos o fazendo relaxar, o Yuuto me falou que seu pai sempre estava ocupado com o trabalho e sua mãe morreu no seu parto e que sempre sofreu por isso e que quase sempre apanhava na escola por ser baixo e ser um lobisomem de baixa estatura.

 Yuuto-eu queria ser como os outros lobisomens.

 -ata aqueles idiotas que só tem músculos e nem 1% de inteligência?

 Yuuto-mas...

 -olha você é maravilhoso do jeito que é.

Ele abaixa a cabeça mas pude ver seu sorriso e ver o qual vermelho ele se encontrava, fiz um cafuné em seus cabelos macios e sedosos, ele meio tímido se deita no meu colo e esconde o rosto com suas mãos.

 -que foi?

 Yuuto-você é maravilhosa ninguém nunca foi tão gentil e amável comigo antes obrigado.

 -não precisa agradecer.

Ele sorri mas logo olha para a minha manga que estava meio a levantada e vê meus enfaixes.

 Yuuto-o que aconteceu?

 -se eu te contar uma coisa você guarda segredo?

Ele acena então eu conto da minha automutilação e os fatores que me levaram até ela, quando acabei ele me olha com aqueles olhinhos verdes vidro brilhantes e segura meu braço e retirar o enfaixe suas orelhas e calda aparecem e ele passa a língua por meus cortes e...curaram simplesmente sumiram como se eu não tivesse quase estourado uma veia, os mais profundos ficaram cicatrizes que quase nem podia ver.

 -como?

 Yuuto-lobos tem saliva curativa que cura no mesmo estante os ferimentos diferentes dos vampiros que só faz curar mais rápido.

 -obrigada.

 Yuuto-de nada.

Ele sorri lindamente como uma criança ao ser pela professora, notei as bochechas coradas e a cauda balançando, fofo, quantas vezes eu já chamei esse lobinho de fofo?

 -você é muito fofo.

Ele fica mais vermelho ainda e esconde o rosto com as mãos e suas orelhas sumiram junto com a cauda, ri disso e olho para cima observando a Lua e as estrelas e logo abaixo o olhar.

 Yuuto-qual o problema?

 -é que eu tô cansada de tudo isso as vezes eu queria realmente ter morrido quando criança junto com os meus país.

 Yuuto-...eu não aguentaria tudo que você passou e está passando você é forte de verdade...você é muito pura.

Ele sorri e beija minha testa e mesmo assim fica vermelho riu levemente e repito o ato beijando sua testa o fazendo ficar muito vermelho riu um pouco mais.

 -você se importa se eu te abraçar?

 Yuuto-n-não t-tudo bem.

O abraçei com força enterrando meu rosto no seu pescoço e ele fica meio que sem reação mas logo retribui o meu abraço e faz carinho nos meus cabelos pretos e na minha mexa prateada, porque sinto esse conforto com ele? porque sinto que com ele posso chorar?

 Yuuto-as coisas vão melhorar eu tenho certeza você não merece nada do que tá te acontecendo.

Fecho os olhos e fico nos braços do Yuuto que me acolhe com carinho e fico relaxada ao máximo.

 -muito obrigado.

Depois da aula fico esperando Kino e Yuuto fica ao meu lado conversando comigo mas o Kino estava demorando então me despeço do Yuuto e vou procurar o Kino, fico olhando pelas salas até ouvir gemidos de uma delas.

 ???-hum...i-isso...m-mais ha que bom.

O que? É a voz de uma garota o que será que ela está fazendo?

Chego perto e ouço a voz de Kino.

 Kino-i-isso geme vagabunda você é meu brinquedo.

Fiquei sem entender mas logo ouço “ahhhh” então entro e aquela cena me fez querer vomitar um nojo absoluto.

O Kino estava nu junto de uma garota e quando me vê ele pula longe e sobe de imediato sua cueca, (eu não vi nada de sua intimidade ainda bem) e fica me olhando a garota me olha da cabeça aos pés e ri e fica de pé nua e tudo e nem se dá ao trabalho de se vestir.

 Kino-L-Lucrécia o q-que f-faz aqui?

 -foi mal não queria atrapalhar mas como você tava demorando eu vim te procurar.

 Kino-o-olha não é nada do que você tá pensando tá legal?

 ???-haha admite que ela levou um chifre do namorado dela haha.

 -não somos namorados.

Ela vai até Kino e fica se esfregando nele eu apenas cruzei os braços e quando ia sair Kino empurrar a garota a fazendo cair no chão detalhe ainda nua, e ele vem até mim.

 Kino-espera...

 -olha eu não quero mais ver essa cena se veste e vamos embora qualquer coisa que queira falar fale em casa.

Ele concorda e se veste mas a garota fica indignada e grita para o Kino.

 ???-ESPERA MAS E EU?

 Kino-mas você o quê?

 ???-você vai me largar aqui assim? Você tava traindo ela comigo porque me ama esqueceu?

O Kino ri bastante e termina de vestir a camisa e vai até ela e joga a mesma no chão e ela cai com as pernas abertas.

 Kino-olha aqui o vagabunda você foi só uma foda tá legal e ela não é minha namorada e nem transar você sabe e outra não vou te largar assim...

Ele pega e rasga as roupas dela em pedaços até o sutiã e calcinha ele rasgou e ela fica olhando com cara de choro para ele e quando menos espero ele joga ela no chão e fica rindo do desespero dela, eu olho para ele pego minha mochila e tiro uma pesa de roupa que sempre carrego comigo e quando ele ia bater nela eu grito.

 -PARE!

Ele me olha mas para e saí vou até a garota e lhe entrego a muda de rouba e ela fica me olhando.

 -pode pegar.

 ???-mas...

 -olha eu posso não gostar de você sem te conhecer mas o que ele fez foi muito cruel e acho que ele não devia ter rasgado as suas roupas pode pegar.

Ela pega e eu saiu e me encontro com o Kino quando chegamos Shin e Carla estavam na sala ao nós verem Shin logo pergunta:

 Shin-por que tanta demora?

 -fala Kino.

 Kino-...Eu tava transando com uma garota e humilhei ela mas escuta Lucrécia...

 -escutar o que? Isso não têm desculpa primeiro você fica transando com uma garota e me deixa esperando e depois qual o seu problema como consegue ser tão estúpido?

 Kino-desculpa tá? Não queria ter transado com ela.

 -não é disso que eu tô falando você transa com quem você quiser só que a gente tava na escola mas droga e eu sou obrigada a ficar esperando você transar para vim para casa e aquilo de rasgar as roupas dela foi cruel demais eu dei para ela uma roupa minha para ela voltar para casa não sabe que os humanos são idiotas mas que droga Kino!

 Carla e Shin-...Você é o pior de todos Kino.

 Kino-ta entendi achei que aquilo tivesse te encomoda.

 -te ver transando óbvio que sim que nojo Kino!

 Kino-não me ver com ela!

 -não somos comprometidos Kino então pode parar de agir como se eu estivesse aqui por vontade própria.

 Kino-...

 Shin-realmente não gosta de nós né?

 -eu gosto de vocês mas será que dá pra ver as circunstâncias em que estou até que estou sendo muito gentil com vocês.

 Kino e Shin-mas...

 Carla-ela tem razão.

 -desculpa Kino mas achei que você devia ouvir umas verdades.

Fui até meu quarto e me joguei na cama mas logo me levantei e fui tomar banho estava secando o cabelo e Carla aparece.

 Carla-tudo bem?

 -defina a palavra bem.

 Carla-seus braços estão totalmente curados como?

 -saliva de lobisomem.

 Carla-ata bem só vim te dar boa noite e trazer seu jantar.

 -não precisava Carla.

 Carla-deixe eu te mimar um pouco afinal você merece um pouco de carinho na verdade todo o carinho do mundo.

Ele me beija com calma nossas línguas estão batalhando por espaço na boca um do outro e nossos corpos colados nos Separamos e ele me dá um selinho e se vai.

 -tô muito cansada.

Olho meus pulsos e sorriu pego meu celular e ligo para o Yuuto que atende no segundo toque.

 Yuuto-oi Lua!

 -Lua?

Ri os Mukamis as vezes me chamavam assim e quando ele falou isso olhei para a Lua.

 Yuuto-não posso te chamar assim?

 -pode me faz lembrar de uns certos vampiros.

 Yuuto-não vale eu quero um apelido que só eu te chame.

Ri de novo ele parecia uma criança fazendo birra é engraçado.

 -tá mas qual?

 Yuuto-...L!

 -L?

 Yuuto-é a primeira letra do seu nome!

(Referência entendedores entenderam)

 -é verdade.

 Yuuto-mas porque me ligou aconteceu alguma coisa?

Me deito na cama olhando para o teto.

 -Não mas eu queria ouvir a sua voz ela me acalma.

 Yuuto-...a sua também mas eu tenho que ir.

 -tá bom até amanhã Yuuto.

Ele diz um até e desliga o telefone guardo o meu e me deito para dormir mas sorriu abertamente.

 -é ele me faz um bem-estar muito grande.


Deixei umas pistas sobre a Lucrécia nesse capítulo.


Alguma Teoria?



 

 


Notas Finais


Será que vcs tem alguma teoria?
😏😏😏😏🤔🤔🤔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...