História Lágrimas de uma experiência-humana - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Suspense
Visualizações 10
Palavras 719
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Aí está!
Primeiro capítulo...
Boa leitura!

Capítulo 2 - Capítulo 1- "Patrulheiros da Paz"


°•->POV's Narradora<-•° 

Havia se passado 2 anos desde o nascimento de Kaya, e uma imensa tranquilidade habitava aquele local tão isolado e frio. 

Como o vilarejo tinha uma certa distância da cidade mais próxima, eles viveram dias de paz. Mas os dias de harmonia desses habitantes estavam contados. 

°•->POV's Daniel (pai de Kaya)<-•°

Era mais um dia fechado e frio em nosso pequeno vilarejo. Me encontrava em casa junto de Kaya, Violet (minha esposa) tinha saído para comprar algumas coisas na cidade.

Kaya estava agitada e corria de um lado para outro da casa pedindo para sair pois queria fazer um boneco de neve. Dai-me paciência Senhor...

Kaya: - Poooor favoooor papaaaai! 

- Kaya, eu já disse que não.

Kaya: - Ahhh pai! Por que não? Hoje é meu aniversário e eu queria fazer algo diferente!

Como essa garota aprendeu a responder assim?! Que garota espertinha... Eu agacho para ficar do tamanho dela. Meu Deus, como ela me lembra a Scarlet... 

- Kaya, escuta aqui. - ela faz cara de anjo me fazendo revirar os olhos. - Está vendo lá fora? - aponto para a janela e ela olha. - Está nevando muito. E sabe o que acontece com crianças que se perdem na neve? - ela faz uma carinha confusa. - Elas ficam sozinhas.

Eu sabia que Kaya tinha medo de ficar sozinha mas não achava que ela tinha tanto medo. Ela me abraça.

Kaya: - Nãããooo! Não quero ficar sozinha! - sorrio vitorioso e retribui o abraço. - Então eu vou ficar aqui com você... - ela parecia tristinha...

- Oh bebê... Eu prometo que quando a mamãe chegar, eu e ela vamos fazer um bolo bem bonito pra você, tá bom? - ela sorri.

Kaya: - Jura de dedinho? - estende o mindinho para mim.

- Juro! - digo pegando o dedinho dela com o meu mindinho.

Kaya: - Yaaaaaay! - ela diz dando pulinhos de alegria. Eu sorrio com isso, gosto de vê-la feliz... O sorriso dela me lembra a Scarlet... Mesmo depois de 2 anos, eu não consigo esquecê-la...

Acordo dos meus pensamentos com o barulho de passos pesados chegando ao vilarejo, aparentavam ser de mais de uma pessoa. Kaya nem tinha percebido ainda mas eu já estava atento. 

???- Habitantes de Eis-Stadt! Apresente-se agora! - a voz era tão grossa que até assustou Kaya. Isso não é voz de um humano! 

???- Não me façam ter que repetir! 

Agasalhei Kaya e a mim mesmo. Quando estava saindo da casa, vi um exército cercando o vilarejo e um cara de armadura do meio do vilarejo. Isso não pode ser bom sinal... 

A maioria dos Habitantes já estavam lá e pareciam amedrontados. Olhei para o "ser" que estava no centro e vi um símbolo no peito dele... Esse símbolo... Estamos mortos... 

°•->POV's Narradora<-•°

Daniel, após ver aquele símbolo, se desesperou. Aqueles eram os "Patrulheiros da Paz". Um grupo de humanos com partes robóticas implantadas em seu corpo, criados e enviados pelo governo para acabar com qualquer tipo de "cidade" que representasse um perigo. 

"Mas que tipo de ameça nós seríamos? Não temos nenhum tipo de arma..." se perguntava Daniel.

A figura de voz grossa olha na direção de Kaya. A pequena no mesmo momento se esconde atrás do pai que só fica parado pensando no que fazer. 

O sujeito sorri e diz com satisfação na voz: 

???- A criança está aqui! Podem matar todos os outros! 

O exército de aparentemente milhares de "humanos" partem para cima dos humildes habitantes do vilarejo que, sem ter o que fazer, apenas aceitam a morte.

Um patrulheiro pega Kaya e se afasta do vilarejo correndo. Kaya não tinha expressão, estava literalmente sem reação. 

O sujeito a coloca no chão e tira a parte de cima da armadura. Era Violet, sua "mãe".

Kaya: - M-Mamãe! - a pequena abraça Violet com lágrimas nos olhos. 

Violet: - Minha pequena... Você tem que sair da... - Violet se cala. 

Kaya: - M-Ma... - a criança olha para a mãe mas se arrepende. Ela tinha uma espada enfiada na cabeça. Um pingo de sangue cai no rosto de Kaya. 

A pequena criança se afasta e tenta correr mas é pega por outro patrulheiro e no momento, tudo o que conseguia fazer era chorar. Ela foi sendo levada para um lugar que ela não conhecia...

"O pior lugar para se criar uma criança, mas o melhor lugar para criar uma arma" 



Notas Finais


Então né...
Tá horrível mas tá aí ;w;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...