1. Spirit Fanfics >
  2. Lágrimas e Chuva >
  3. Angustias e Tempestades

História Lágrimas e Chuva - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


...

Capítulo 1 - Angustias e Tempestades


O mundo parecia desabar sobre sua cabeça, as gotas gélidas caiam de forma violenta e nada gentil por todo seu corpo e mesmo assim não conseguia deixar de se importar menos, ou melhor… não conseguia deixar de se importar com tudo isso.

Na maior parte das vezes, Haruka amava qualquer oportunidade de conseguir ter contato com a água, mas como conseguir se concentrar nas sensações que tal passava quando sua cabeça parecia cheia demais para isso? Estava ali justamente para tentar conseguir alguma distração, porém tudo parecia em vão de alguma forma. 

Na verdade… tudo parecia remeter-lhe de alguma forma à Sousuke, fossem os toques nada gentis das gotas, o frio gélido ou mesmo a bagunça que a tempestade gerava e apesar de tudo isso… ela ainda sim conseguia lhe causar algum conforto, mesmo que esse viesse acompanhado junto de uma dor avassaladora que parecia querer-lhe partir ao meio o coração.

A quanto tempo já estava dessa forma? Sequer tinha certeza mais e talvez nem pudesse, seus sentimentos pareciam causar-lhe certo torpor que enganava a mente já bem desgastada com os acontecimentos dos últimos tempos.

Makoto não parecia dormir bem enquanto estava fora, ele às vezes se assemelhava bastante à uma mãe cuidadosa e preocupada, mas graças à isso deveria estar de pé a quase um mês se parasse para pensar no caso. Seus olhos marejados pareciam cansados também e as olheiras vinham junto como uma forma de talvez reforçar isso, já era de se esperar que se desculpasse por isso e por sua aparente acidez nos últimos tempos.

Sua cabeça se parecia com uma prisão, essa que fazia questão de torturar-lhe com memórias felizes que vieram a se tornar dolorosas devido ao tempo e as circunstâncias atuais, repetindo esse mesmo refrão da música como se fosse uma velha vitrola mal cuidada, fazendo com que o disco de vinil não pudesse tocar outra coisa por hora.

Se questionava se permanecia sendo a mesma pessoa de meses atrás, quando ainda estava com suas mãos entrelaçadas às de seu amado ou mesmo se ainda era o mesmo de antes de tudo isso sequer começar, mas acho que os murmúrios de Rei, Nagisa, Rin ou mesmo Makoto já lhe entregavam uma resposta coerente. Haruka havia deixado para trás até mesmo quem era, isso sem muita razão aparente.

Faria qualquer coisa para conseguir parar de se remoer dessa forma novamente, apenas para que pudesse esquecer-se por completo como ainda o amava de forma incrivelmente intensa, de como seu coração parecia não permitir que as memórias fossem apagadas e se envolvesse em um tipo de masoquismo onde Haruka transformava-se em uma bagunça de sentimentos, amando, odiando, se entristecendo; tudo isso manchando seu âmago de negro das mais diversas formas.

Ao menos a frieza do clima não lhe permitia alucinar com o calor do corpo e do sorriso de Yamazaki, “Ao menos isso”, era parte daquilo que rondava seus pensamentos, sendo alguns um tanto quanto cruéis até, mas todos esses direcionados apenas à si e não para a figura amada.

Estava começando a sentir certa tontura, efeito de tanto tempo sem ingerir algum alimento, seu estômago também reclamava de que a única bebida consumida durante muito tempo fosse algo com teor alcoólico alto, fazendo com que uma forte queimação se espalhasse por ali.

Já conseguia até imaginar a pilha de remédios que precisaria tomar, assim como era anteriormente. Sempre lhe diziam que, caso os tomasse corretamente, sua situação iria melhorar, mas o breu em seu coração nunca sumiu, mesmo que tomasse corretamente suas doses de antidepressivos; suas olheiras nunca diminuíram ao usar calmantes e por esses e muitos outros motivos, seu cansaço nunca parecia vir a diminuir de fato, seja ele o físico ou o mental.

Apenas esperava que as pessoas não o vissem apenas como um rapaz preso em seus sonhos e fantasias, Haruka, no presente momento, era apenas alguém tentando alcançar uma pessoa que já não conseguia ver. 

Acho que talvez esse fosse o preço por amar demais. 

Haruka não poderia negar que estava exausto dessa situação toda, precisava de tempo para que pudesse substituir aquilo que havia perdido, mas mesmo que tentasse negar… como poderia seguir normalmente se ainda desejava ter tudo aquilo em suas mãos novamente?

As esperanças de que algo ainda pudesse mudar nessa situação… elas pareciam continuar altas, mas deveria mantê-las pequenas, no entanto novamente lhe parecia inevitável querer crer em algo que já parecia estar longe de seu alcance.

Em seu passado podia ver as piscinas das quais nadavam, sua sala de estar e os momentos íntimos que ali ocorreram, e mesmo os aviões que pegavam quando iriam disputar algum campeonato em locais mais distantes… Em um futuro sonho hipotético, via nomes de crianças e alianças douradas… mas em seu presente dolorido, sobraram apenas noites inquietas e seu subconsciente se embebedando com suas lágrimas. Nada daquilo pertencente à seu eu de antes e seu eu que ansiava ser se tornariam de Haruka, hoje tudo isso poderia apenas ser visto como memórias distantes.

Mesmo com tamanhas as diferenças… sabia bem que seus sentimentos sobre certas coisas eram e sempre foram bastante semelhantes, mas sequer sabia se deveria ou não desistir, mesmo que sua mente gritasse por isso, seu coração parecia implorar com todas as forças para o oposto.

Quando abriu — mesmo que pouco — seus olhos pode perceber que estava em frente a casa de Makoto, já o havia incomodado o suficiente por esses últimos tempos, então logo estava para dar meia volta, porém… — Haru…? — A voz baixa e rouca denunciava o cansaço, mas sabia que o maior não lhe deixaria em paz agora que havia o visto. — Céus! Você está todo encharcado, vai se resfriar assim… entre logo, a chuva ainda está forte. Você deve estar com frio, vou preparar um chá enquanto você toma um banho.

A presença de Tachibana era bastante reconfortante, mas odiava pensar que estava abusando de sua gentileza e hospitalidade, mesmo que ambos fossem amigos de infância, além de bastante íntimos. Nem sequer pensou em demorar muito durante seu banho, acabaria dormindo por ali mesmo caso permanecesse dentro da banheira de água quente por muito tempo.

— Está se sentindo um pouco melhor? — Perguntou com a voz suave e dócil de sempre. Estar com Makoto era como ter sempre um pedacinho da primavera ao seu lado, mesmo que estivessem em meio à uma forte geada, isso de certa forma também era reconfortante. O castanho bateu as mãos levemente em seu colo, como se convidasse Nanase à ficar por ali.

— Ainda está sem notícias dele, não é? — A falta de resposta e o estado em que o rapaz se encontrava fazia com que não fosse difícil de deduzir isso. Makoto suspirou, odiava ver a pessoa que mais amava no mundo assim, nem sequer se importava que o mesmo não pudesse lhe corresponder propriamente, desde que Haru estivesse feliz, Makoto estaria bem.

— Está tudo bem… posso pedir que fique aqui esses tempos? Você não costuma se cuidar quando está assim, tem sorte de ainda estarmos de férias e mesmo que Sousuke não volte, saiba que eu estarei aqui para você. — Haruka entendia a intensidade dos sentimentos do outro, esperava conseguir retribuir tudo um dia, mas por agora tudo o que teriam eram lágrimas e chuva.

 


Notas Finais


Eu escrevi isso em meio à um clima triste e de saudades. Essa fanfic é praticamente um mix de "Ainda te amo" do Jão, com um toque de "Lost Stars" do Adam Levine e "Fools" do Troye Sivan.

Se estiver vendo isso Kami eu gostaria de dizer algo... Meu anjo... eu estou realmente preocupado contigo. As coisas aconteceram tão rápido que eu nem mesmo sei se consegui assimilar ainda... Eu apenas quero saber como você está, mas gostaria de uma resposta honesta. Eu achava que saberia o que dizer se precisasse falar contigo assim, mas meio que chegou o momento e eu nem sei direito como reagir ou como dizer as coisas que sinto. Eu só quero te ver bem meu amor, quero que saiba que você pode contar comigo caso precise e que vou esperar você o quanto precisar caso necessário, apenas um "oi" dizendo que está vivo e que não fez besteira já seria o bastante pra conseguir acalmar os ânimos por agora e saiba que eu não me importo de te ouvir por horas se isso significa que você vai se sentir melhor depois de tudo isso, eu não me importo e nunca vou me cansar de ficar horas trocando carinhos nem que seja apenas para imaginar que você pode estar sorrindo com isso, pra mim essas coisas são o suficiente. Você não precisa falar dos seus problemas se não quiser, mas saiba que caso queira eu vou ouvir cada um deles sem reclamar e que farei o possível pra colocar um sorriso nesse rostinho novamente e mesmo se você não os contar pra mim, meu objetivo de tentar fazer de você uma pessoa um pouco mais feliz não mudaria.

Sinto muito pelo textão, deve estar uma bagunça e meio desconexo talvez, mas saiba que eu me importo e que não sou o único.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...