1. Spirit Fanfics >
  2. L'amour d'une nuit (Jikook) >
  3. Cap. 16

História L'amour d'une nuit (Jikook) - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Obrigada pela interação no capítulo anterior, vocês são fodas, amo ler cada comentário e responder cada um deles. 💜

Podem odiar o Jungkook mais um pouco, eu deixo. A partir do próximo capítulo as coisas vão tomar rumos certos ...

E esse capítulo vai especialmente para a @Stherchangacha por me deixar muito soft hoje.

Capítulo 16 - Cap. 16



| Park Jimin on |

Eu não consegui chorar, nenhuma lágrima saiu depois que entrei naquele elevador. Segui para casa e fiz tudo meio que no automático, até eu finalmente ir para minha cama. 

Confesso que eu ainda tive esperanças de que ele aparecia ali e se explicaria e talvez pudéssemos ter alguma chance ou até um final mais digno e menos dramático. Quanta ilusão meu pai. 

Não era pra eu ter ficado tão abalado, e merda, ele tem razão, ele nunca me prometeu nada, nunca demonstrou nutrir sentimentos por mim. NUNCA

Eu me sujeitei a isso, eu nunca me opus, nunca havia falado não antes. Como eu fui ingênuo e particularmente isso não combina comigo. Sempre corri atrás dos meus objetivos e nunca me deixei abalar por nada ou por ninguém. Nem quando terminei meu namoro de anos com Taemin eu não me fiz de coitado ou fiquei na foça, apesar das duas situações serem completamente diferentes, mas isso não importa. Não vai ser agora que vou me rebaixar. 

Dizem que quando estamos apaixonados ficamos cegos, surdos e mudos. E isso é fato e no meu caso eu fiquei tapado também. Céus é assustador. 

Parando para pensar com clareza eu não amei o homem Jeon Jungkook eu amei o sexo de Jeon Jungkook, afinal era maravilhoso, na cama ele é um furacão, intenso e impiedoso. 
Mas fora dela ele mal me olhava, mal mantínhamos  um diálogo. Deus. Como eu fui burro. 

Yoongi tem razão, eu fiquei na ilusão de que eu era o ômega que tiraria aquele Alfa da vida vadia, eu achei que seria capaz de fazer ele amar somente a mim, querer apenas meu corpo e meu amor. Podem rir, eu sei que é cômico e idiota. 

Putz, quanta besteira, como eu fui trouxa... patético

Respira Jimin, respira. Tudo vai ficar bem. 

É isso... eu vou ficar bem, Jeon Jungkook não fará mais parte da minha vida, pelo menos não fora daquela empresa e fora do meu corpo também. 

Eu consigo, eu posso. 

E a partir de hoje eu não me sujeitarei a esse tipo de relação, não que eu precise de alguém para ser feliz ... não, eu não preciso, mas se for para ter alguém que seja para somar, multiplicar comigo, não diminuir. 

Mal dormi essa noite, passei as horas na autodepreciação, me culpando, me punindo por ser burro, somente quando o dia estava amanhecendo que eu consegui me dar conta que eu sou mais eu e que não posso culpar ele por isso, e também não posso me culpar, porque eu não mando no meu coração e o que aconteceu foi uma ... distração? Não, não foi distração, foi um erro. Isso foi um erro e quem nunca errou que atire a primeira pedra. 

Agora o que me resta é seguir minha vida pleno e feliz e que Jeon Jungkook que se exploda. 

Simples né?!? Não, não é. Mas eu preciso tentar e não vou deixar isso me abalar. 

 

Eu posso. Eu consigo, esse será meu mantra 

Eu poderia ter avisado no trabalho que eu estava doente e ter passado o dia me culpando e me entupindo de sorvete. Mas Park Jimin não corre, não foge e cedo ou tarde vou ter que encarar meus problemas e prefiro que seja logo. 

Me arrumei normalmente, passei muita maquiagem para cobrir minhas olheiras e segui para o trabalho. 

Cheguei no horário de sempre, fui direto para minha sala, cumprimentando normalmente todos que eu encontrei pelo caminho. 

Assim que pisei na minha sala gelei. 

Ele estava ali. 

sentado na minha cadeira com uma expressão séria no rosto. Porra. Tão Lindo. 


| Jungkook on| 

Depois que Jimin me deixou ali sozinho fiquei frustrado e com uma puta ereção. Ômega maldito. 

Sai dali e fui direto para a boate que sempre vou, preciso de alívio, agora. 

Em menos de cinco minutos eu estava com uma ruiva dentro de uma das cabines do banheiro. Era sempre assim, rápido e certeiro, não tem erro. 

Ela estava fazendo um oral e confesso não estava ruim, porém a imagem do ômega me olhando magoado não saía da minha mente, eu devia ter parado aquilo logo, devia ter dado um basta logo, como eu fui tolo em deixar chegar a esse ponto. Eu não ando na mesma montanha russa duas vezes, não devia ter me perdido nas curvas do Park nem na primeira vez, imagina manter isso por quase dois anos. BURRO

Fui tirado dos meus pensamentos quando a ruiva me cutucou a encarei. 

- Assim fica difícil docinho. - Ela disse. 

Continuei a olhando sem entender o que ela estava falando e finalmente me dei conta, EU ESTAVA MOLE. 
Puta que pariu, isso nunca aconteceu antes, merda. A culpa é dele. Merda, mil vezes merda!! 

-Talvez você não esteja fazendo direito docinho -sorri ladino,  nunca admitiria que a culpa era minha. 

Ela arqueou uma sobrancelha. 

- Vamos ver - E voltou a chupar com tudo. Fechei os olhos e fiz um esforço danado para tirar o ômega da minha mente e por fim consegui me concentrar e gozei na boca dela. 

Ela terminou com um estalo. Segui para a pia do banheiro para me limpar e fechar meu zíper, ela me olhou sorridente enquanto fazia uns bochechos com enxaguante bucal que tirou da bolsa. 

Encantador

- O que acha de tomarmos um drinque? -Ela pergunta depois de cuspir na pia, com um tom de voz que ela acha que eu vou achar excitante. 

A resposta óbvia é não. Mas minha mãe me educou muito bem e eu tenho que ser um cavalheiro, afinal a dama acabou de me pagar um boquete. 

-Claro minha querida, encontre uma mesa, vou ao bar buscar algo para bebermos. - Digo saindo do banheiro. Fui até o bar que não estava cheio, por ser quarta-feira. Fico esperando as bebidas e novamente minha mente voa até ele. 

Ele estava triste e foi minha culpa, eu não devia ter deixado rolar tanto tempo, mas deixei. 

E como eu disse antes, sou um cavalheiro, acho que o certo a se fazer é conversar com ele e esclarecer as coisas. Mesmo ele tendo dito que acabou e eu vou respeitar isso, mas eu estou sentindo essa necessidade de falar com ele. 

É isso. Vou até ele agora. 

Quando estava perto da porta a ruiva apareceu. 

- Aí está você!!!! Está indo embora sem se despedir docinho? - Ela se joga em cima de mim e acaricia meu braço. 

-Que tal irmos pra minha casa? É aqui na esquina. 

Não. Muito obrigado, tenho algo para fazer agora. 

-Eu prec.... - nesse momento apareceu um ruivo muito lindo ao lado dela. 

- Esse é meu irmão gêmeo, contei pra ele sobre nossa brincadeira no banheiro e acho que nós três podemos continuar brincando em outro lugar, o que acha? 

Meus planos mudam na hora. Eu sei... eu sei. Não gosto de repetir a montanha russa e eu tinha outros planos. Mas eram gêmeos. 

 Pelo visto Park Jimin ficará para amanhã. 

Pois são gêmeos meu amigo. Nenhum homem deixaria essa chance passar. 

 


Notas Finais


Eu não tenho mais palavras pra descrever Jungkook.

E sobre o capítulo anterior, LEE TAEMIN NÃO VAI SOFRER NESSA HISTÓRIA e tenho dito.

Desculpe os erros

Bjo na bunda


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...