História Lar - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Alface, Brisa, Humanidade, Lagarta, Pensamento
Visualizações 5
Palavras 363
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Poesias

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Único


As folhas da alfaçe estavam verdinhas, frescas, recém colhidas da horta da vendedora, uma senhora com sorriso contagiante e várias ruginhas na região dos olhos. Nunca consigo lembrar o nome dela, mesmo sendo amiga de longa data de minha mãe.
Hoje haviamos comprado um maço apenas, bem franzino porém com um tom verde vibrante e de despertar o apetite só de olhar.
Eu estava responsável por lavar suas folhas e guardar na vasilha correta, como sempre me pediam. Mas hoje foi diferente.
Passava os dedos por entre as dobras das folhas, a fim de retirar toda a terra e pequenas impurezas que se escondiam ali quando algo caiu sobre a pia. Uma pequenina lagarta, daquelas que se olhar rapidamente nem se nota a presença, mas eu a notei.
Havia caído perto do ralo da pia, rastejava desesperadamente para longe do ralo tentando subir de novo até onde se encontrava a alfaçe. Sua casa.
É cruel se parar para pensar, acabo de tirar a casa e fonte de alimento dela, e mesmo assim ela rasteja até mim buscando o lar de volta.
Isso me leva a pensar, quantos mais nós, a humanidade já não tirou de seus lares, de seus habitats em prol de benefício próprio?
Quantas espécies já não sumiram do mapa por nossa ambição? Quantos não estão em zoológicos e laboratórios bem distantes de suas casas e de seu bando em prol da pesquiça e prazer do ser humano?
De todos os animais que já passaram por esse planeta nós somos os mais podres, os mais destrutivos, queremos sempre o melhor para nós mesmos passando por cima de tudo e todos para alcançar um objetivo que nunca vai nos satisfazer pra sempre.
A alfaçe me matará a fome por hora, mas em breve comprarei mais dela e talvez destrua a casa de algum outro animal.
Somos cruéis. Foi o que pensei enquanto empurrava a lagarta para dentro do cano e ligava a torneira, liberando água e a levando para o esgoto.
Eu não sou melhor que ninguém, uma morte rápida é melhor do que a ver se rastejando e caindo todas as vezes, indo para um lugar que já não existe mais.


Notas Finais


Viajado? Talvez
Mas eu gostei do pensamento, então só escrevi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...