1. Spirit Fanfics >
  2. Last hope >
  3. O começo - Parte 1

História Last hope - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oi xenti, eu já tinha o primeiro capítulo pronto, ai eu fiquei em dúvida se eu postava agora (durante a aula), ou amanhã, só que não sei se vou ter tempo amanhã, então vou postar hoje mesmo. Espero que gostem.

Capítulo 2 - O começo - Parte 1


2 dias antes...

- Melyssa, querida, vai se atrasar pro colégio!

- Já to descendo mãe. - Respondi enquanto terminava de passar meu baton cor de rosa.

Quando desci as escadas com minha mochila e caminhava em direção a porta minha mãe chama minha atenção.

- Melyssa, não vai tomar seu café?

- Obrigada mãe, mas eu estou de dieta. Beijos. - Disse e continuei andando e logo saindo de casa.

Olhei para a rua vazia pela manhã e peguei meu celular para ver as horas. 06:45 a.m. e logo quando olhei eu ouvi uma buzina, olhei na direção e vi minhas amigas no carro a minha espera.

- Que demora! - Respondi enquanto entrava no carro no banco de trás junto com Louise uma das minhas melhores amigas.

- Desculpe amiga, mas a Marina decidiu que hoje era dia de passar chapinha. - Respondeu Sarah no volante.

- Não é minha culpa se eu tenho que me manter bonita.

- Menos Marina, bem menos - Respondi revirando os olhos. E então, vocês pegaram aquilo? - Perguntei me inclinando para me aproximar das duas do banco da frente.

- Eu trouxe duas latas de tinta, azul e amarelo. Isso vai ser demais - Marina deu risada enquanto pegava a mochila e mostrava o material na bolsa dela.

- Eu trouxe farinha de trigo. - Falou Louise mostrando a farinha q estava numa sacolinha.

- Eu to levando a câmera. - Sarah diz mostrando um sorrisinho.

- Vamos nos divertir meninas. - Digo animada.

Quando chegamos na escola foi tudo normal. As pessoas nos cumprimentavam, os garotos viam perguntar se a gente queria sair com eles e alguns dos professores homens nos olhavam com más intenções, se é que vocês me entendem.

Quando chegou no intervalo, Sarah e eu fomos para o segundo andar, na onde nós havíamos combinado. Pela janela a gente pode ver Ashley Smith, Victória Adams e Emily Parker.

Essas são as três metidas a putas do colégio. A gente sempre teve essa rivalidade entre nós. Semana passada elas passaram na nossa frente no refeitório e a Ashley fingiu tropeçar e derrubou seu suco de morango em mim e na Sarah, e ainda disse:

- Ops, foi sem querer - Falou fazendo uma cara de irorina.

- Alguém precisa controlar a menstruação. - Victória completou e as três sairam rindo da nossa cara.

Na hora a Louise quase foi pra cima delas, mas eu impedi

- Por que não? Olha o quê aquelas vadias fizeram com vocês! - Louise quase gritou de tanta raiva.

- Lou, eu pensei em algo muito melhor para fazer com elas. - Sorri cínica para as mesmas e logo fomos no banheiro nos trocar enquanto no caminho eu explicava para elas. Por sorte a gente sempre vem pra escola com mudas se roupas, para o caso disso acomtecer.

Hoje estamos aqui, a gente ficou observando discretamente os passos das vadias e descobrimos que no recreio, depois delas pegarem seus lanches, elas vão para um banco "reservados" para elas, a árvore que fica logo ao lado cria uma sombra em cima do banco, o quê deixa o local ser o melhor para se passar o recreio. E logo acima tem a janela do segundo andar, onde eu e Sarah estamos.

Louise e Marina estão escondidas no térreo para filmarem a cena a seguir. Decidimos que como Sarah e eu fomos o alvo das três, a gente deveria ter o gostinho de vingança para nós.

Quando demos o sinal, Sarah e eu derrubamos toda a tinta em cima das três. Ashley levantou e gritou.

- Mas que porra é essa?

Antes que ela pudesse dizer outra coisa jogamos os ovos e a farinha nelas e em seguida saimos correndo. Não podíamos ficar para ver a reação, pois não podíamos ser vistas, caso o contrário seriamos expulsas.

Jogamos as provas do ocorrido no lixo, nos limpamos no banheiro e em seguida fomos para o refeitório, onde encontramos Louise e Marina aos risos.

- Elas te viram? - Perguntei logo me sentando na cadeira vazia.

- Não, a gente gravou tudo. - Marina disse com orgulho.

- Deixe eu ver! - Exclamei e logo peguei a câmera de Sarah. A reação delas foi muito engraçada ao meu ver. Ashley começou a gritar e xingar, Victória estava em choque e Emily começou a chorar falando que tinha acabado de fazer o cabelo.

- E ai, Vamos postar? - Louise perguntou enquanto dava uma mordida numa maçã.

- Óbvio. - Sarah disse dando um sorriso cínico.

Terminado as aulas, fomos para casa enquanto comentavamos sobre nosso grande feito. Ao que parece as três foram embora e disseram que não sabiam quem tinha feito aquilo com as mesmas.

Eu já havia pensado em tudo. Cada uma de nós estavamos encarregada de levar um material para essa vingança. Mas se a gente fizesse isso muito recente, todos saberiam que foram nós que armamos tudo isso. Mas as três vadias todo dia causam uma briga com pessoas diferente. Ou seja, metade da escola chegam a odiar elas, por isso deixamos passar por uma semana para finalmente fazer o ato, num lugar e num momento onde ninguém poderia ver.

Eu me orgulho muito por isso.

°•°•°•°•°•°

Cheguei finalmente em casa e me despedi das meninas dando um beijo no ar.

Ao abrir a portar e pisar finalmente no meu doce lar me senti leve, como se nada pudesse dar errado. Sem preocupações com futuras faculdades, sem preocupação com reputação, sem preocupação de relacionamentos, enfim, sem preocupações com o futuro. Seria so eu e minha mãe.

Após minha pequena reflexão, grito para minha mãe avisando que eu cheguei e logo ela me responde avisando que está na cozinha.

- O que está comendo? - Pergunto me aproximando ao ver que ela comia algo na panela.

- Chocolate. - Fala rindo enquanto me olha.

- Mãe! - Exclamo indo até ela e pegando a colher da mão dela logo comendo o conteúdo. - Sabia que eu também iria querer! - Minha mãe ri enquanto sai da cozinha indo para sala.

Minha mãe ama doces tanto quanto eu amo, eu tento não comer tanto para poder me manter em forma, mas eu continuo comento. As vezes ela me dava uma caixa de chocolates só para depois ela comer, e teve a vez que um dos meus ex-namorados meu deu uma cesta de chocolates de uma marca bem conhecida, e quando ela descobriu, ela fez questão de abrir a cesta e pegar o primeiro chocolate que viu.

Terminei de comer o pouco chocolate que minha mãe havia deixado para mim e logo lavei a panela. Ao terminar fui em direção a sala e vi que ela estava olhando a tevê com muita concentração.

- O que está vendo? - Perguntei me aproximando.

Ela fez um sinal com a mão avisando para mim ficar quieta, ela faz isso quando quer prestar atenção, logo comecei a ver a tevê com ela, e logo descobri que era Jornal, o que estranhei, minha mãe não vê muito os jornais.


- ...O que se sabe até agora Jane? - O Jornalista perguntou para a repórter que estava na tela.

- Ao que parece essas... criaturas começaram a aparecer ao norte do continente Africano, e dois dias depois começaram a se espalhar para outros continentes. E também ouveram boatos que essas criaturas não gostam de luz e so atacam a noite, por isso não temos nenhuma imagem boa sobre essa coisa.

- Obrigado Jane. Recebemos a informação de que um vídeo gravado na africa, onde aparece a criatura, vamos mostrar o vídeo, devo avisar que as imagens possam ser fortes.

O vídeo mostra dois homens sentados atrás do que se parece uma bancada. Eles respiram ofegantes mas tentam ao máximo não fazer barulho, dava para ver o desespero nos olhos deles, o que me fez ficar em total choque. Logo se ouve um barulho que eu nunca tinha ouvido antes, os homens começam a entrar em mais desespero. Logo o homem que está segurando o celular levanta ele um pouco acima do rosto e conseguimos o outro lado da bancada. Logo de cara deu para perceber que ali era um bar, estava bem escuro, mas dava para perceber que as mesas do bar estavam todas destroçadas. Ouço o barulho mais uma vez e no canto da tela dava para ver uma criatura que eu nunca vi antes. Ele era quadrúpede, tinha longas pernas, mas devia chegar na altura dos joelhos, tinha um corpo magro e o rosto era alongado, não tinha pelos por nenhuma parte de seu corpo. A criatura vê a câmera e começa a se aproximar. Antes que eu pudesse ver qualquer coisa, minha mãe desliga a tevê.

- Chega, acho melhor a gente ir dormir, já está bem tarde. - Minha mãe olha para mim e da um sorriso para mostrar que está tudo bem, mas eu consigo ver nos seus olhos a aflição.

- Tudo bem. - Forço minha voz a sair o mais normal possível e vou caminhando para a escada para poder ir tomar banho.

Entro no banheiro e me encosto na porta.

- Isso é loucura. - Digo a mim mesma e começo a tirar minhas roupas e logo entro no chuveiro.

Durante o banho várias duvidas me atormentavam. "Eles estão aqui?", "O que mais eles são capazes?", "O que a merda do gorveno está fazendo para nos proteger?".

Termino meu banho e me enrolo na toalha e vou em direção ao meu quarto vestir meu pijama.

Após terminar de me vestir, vou em direção ao quarto da minha mãe e dou duas batidas na porta aberta. Ela estava sentada na cama olhando o nada, mas ao ouvir minhas batidas ela me olha.

- Vamos dormir juntas? - Pergunto ja entrando no quarto dela depois de fechar a porta e deitando na cama dela.

- Está com medo Melzinha? - Pergunta em tom debochado rindo de mim.

- Você deveria estar lisonjeada ao poder dormir comigo. - Debocho também e ela logo da risada e se deita comigo e me abraça.

- Sempre estou lisonjeada tendo você como filha. - Diz e eu fico emocionada.

- E eu você como mãe.

- Boa noite Melyssa. - Fala enquanto estica o braço e desliga a luz.

- Boa noite mãe. - Digo logo me entregando a escuridão.



Notas Finais


Eu sei que não deve ser muito importante, mas no meu estado teve uma greve de quase 3 meses, então eu fiquei sem aula durante esse período. Agora minhas aulas só terminam no dia 12 desse mês e eu só vou ter 15 dias de férias. Então quero que me entendam caso eu não consiga postar frequentemente


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...