1. Spirit Fanfics >
  2. Last Kings >
  3. O plano (Parte 2)

História Last Kings - Capítulo 31


Escrita por:


Notas do Autor


E eu que estou postando um capítulo de Last Kings de novo em plena madrugada após meses sem aparecer!

Oiiiiiiiii, voltei com mais um meus Kings, nossa! Como eu estava com saudades de escrever isso de novo, saudade de vocês! E então, sentiram minha falta? Espero que sim e espero mais ainda que gostem do capítulo.

Leiam as notas finais.

Capítulo 31 - O plano (Parte 2)


Fanfic / Fanfiction Last Kings - Capítulo 31 - O plano (Parte 2)

 

                       P.o.v. Agnez 

Sigo rápido pelas ruas da cidade, olho brevemente no retrovisor e logo identifico o carro que trás Tyga e Chris. Sim, eu estou um pouco nervosa, não sei exatamente como me comportar nessa situação, eu nunca fui uma isca antes, creio que ter a virgindade leiloada não se enquadra no perfil de iscas, e também, o que o Alan pode fazer de mal comigo não é mesmo?

Cerca de mais treze minutos de estrada e logo avisto o tal motel.

-Emotions. (Leio a enorme placa).

Antes de tentar fazer qualquer coisa, paro e carro e espero os meninos chegarem até mim.

-O que eu faço agora? (Pergunto assim que Chris e Tyga descem do veículo).

-Bom, provavelmente o idiota já avisou na recepção que estaria te esperando. (Chris responde analisando o local).

-Que motel feio da porra, rapaz, Alan tem tanta grana e nem pra pagar um motel serve, Lúcifer que o aguarde. (Tyga ironiza).

-Que se fôda o motel, é o seguinte Agnez, como não tivemos tempo para preparar um plano muito elaborado teremos que improvisar, você vai entrar lá e em quinze minutos eu invado esse lugar. (Chris responde rápido).

-Teu cú! Uma porra que isso vai dar certo desse jeito, tu deve tá com água no cérebro, não é possível. (Tyga diz).

-Não mesmo Chris, vocês chamariam muita atenção para nós, e aquele papo de não se expor? (Pergunto um pouco indignada).

Confesso que até eu achei esse plano muito ridículo, Chris não está pensando direito, o ódio o cegou, mas pensando bem, se tudo for reorganizado, pode dar certo sim.

-O que foi? (Chris pergunta).

-O que foi? Tu não está vendo a burrice que irás fazer não? (Tyga pergunta revirando os olhos).

Neste momento seguro o riso com todas as minhas forças, Tyga irônico é muito engraçado.

-Faça melhor então. (Chris rebate).

-Agora que me livrei do sono posso ver com clareza, isso não vai dar certo, Chris caralho, a tua namorada está desprotegida irmão, nós pelo menos estamos com armas, mas e os equipamentos de proteção para a Agnez? Ela vai mesmo entrar sem um ponto eletrônico? Sem comunicação com a gente? Isso é loucura, liga pra ele e diz que não vai mais, marca outra hora, simples. (Tyga fala rapidamente).

Uma análise profunda, mas não temos tempo para isso.

-Desmarcar em cima da hora? O Alan vai achar estranho e perceber que tem algo errado, vamos ter que improvisar mesmo, não tem jeito, ela pode entrar com a minha arma, Agnez aprendeu a atirar com o Justin, esqueceu? (Chris argumenta).

-Oh desgraça, usa a cabeça, infeliz! Se você marca um encontro com a mulher de um gângster, qual a primeira coisa que você faz ao chegar perto dela? (Tyga pergunta demonstrando insatisfação e fazendo gestos como se a resposta fosse óbvia).

-Porra, provavelmente ele vai revistar ela, mas como podemos deixar a Agnez sem nenhuma proteção? E se ele estiver com outros caras no quarto? Tem razão Tyga, isso é loucura. (Chris parece frustrado).

-Finalmente me ouviu, pelo menos o amor é cego e não surdo. (Tyga ironiza mais uma vez).

Enquanto os dois debatem igual duas adolescentes mimadas, eu fico pensando em como posso ajudar sem me colocar em risco, ou melhor, como não colocar eles em risco? Afinal, o que realmente importa aqui são eles. Vamos Agnez, pensa! Você não é tão burra assim.

-Gente. (Os chamo).

-Pode falar. (Ambos respondem).

-Bom eu acho que pode dar certo esse plano do Chris, nosso foco não será eu, mas sim como não chamar tanta atenção para nós, faremos assim, eu vou até a recepção e pergunto o quarto, assim que o atendente me responder eu mando mensagem os avisando, daí vocês pedem o quarto ao lado, me dêem um tempinho, vou tentar enrolar ele para descobrir algo, mas se alguma coisa sair do controle, eu grito por vocês. (Digo).

Eu sei que não é um ótimo plano, mas foi a única coisa que pude pensar, sem ser 'Entrar como loucos invadindo o lugar'.

-A que ponto chegamos, nos confiar em 'Qualquer coisa eu grito' rapaz isso é uma loucura do caralho meu amigo, os reis da Last Kings, se alguém nos vê assim a gente perde nossa reputação de bandidos maus num piscar de olhos, só ladeira abaixo, meu pai. (Tyga resmunga).

-Para de reclamar porra, tu é mulher, inferno? (Chris o repreende).

-Só experimenta. (Tyga diz sorrindo).

-Olha o tempo meninos, foco total! (Digo autoritária).

-Ok, pode ir, faremos como você quer. (Tyga diz).

-Qualquer movimento estranho daquele desgraçado pode gritar por mim, te dou dez minutos, após isso entraremos. (Chris me diz seriamente).

-Você não acha que é pouco tempo? (Indago).

-O suficiente, não vou te deixar sob o domínio dele mais tempo que isso nem fudendo. (Chris me responde).

Não digo nada, apenas faço um sinal positivo e novamente entro no carro, ok Agnez, vamos lá.

Rapidamente adentro o motel e logo posso ver uma moça na guarita do mesmo.

-Boa noite moça, eu estou aqui para acompanhar o Alan. (Sou o mais direta possível).

-Olá, você é a Agnez? (A morena atrás do balcão pergunta gentilmente).

-Sim.

-Ele a aguardar na suíte quinze.

-Obrigada. (Respondo simples).

~Estou indo para a suíte quinze, por favor, vão para a do lado e tentem ser discretos. Sem matar ninguém.~

Mando uma mensagem para os meninos os avisando, agora preciso ir, tenho que manter a calma para não por tudo a perder. Com passos vacilantes, vou caminhando até o quarto em questão, logo me deparo com o bendito. Ah Chris, vê se não demora.

Neste momento dou três batidas na porta, para minha surpresa, Alan abre usando apenas uma toalha branca, olho para seu rosto e noto um machucado lá, mas o que foi isso?

-Ora, ora... Eu não estava tão crente que você viria, me surpreendeu hein. (Ele diz olhando para os dois lados do corredor).

-Não se preocupe, eu vim sozinha, assim como eu disse que faria. (Digo com um sorriso forçado).

-Com licença. (Ele diz).

Fico um pouco confusa, mas logo percebo que ele está prestes a me revistar, não ofereço resistência e deixo que ele faça, afinal se ele ficar prolongando assunto aqui na porta tem uma grande chance dele ver os meninos chegando.

-Entre. (Ele abre passagem para mim após passar suas mãos nojentas em meu corpo).

Passo por ele um pouco tímida, olho em volta e as luzes vermelhas aguçam minha visão, ai que droga! Para minha surpresa não sou a única mulher neste quarto, observo duas moças em situações íntimas na cama, ambas são loiras, estão nuas, o assunto entre elas parece quente. Droga, elas não deviam estar aqui, isso pode atrapalhar os meninos.

-Gostou das outras acompanhantes? (Ele pergunta chegando por trás).

Alan me agarra sem me dar chance de movimento, infelizmente sinto a pressão do seu membro em minhas costas, logo uma vontade de vomitar cresce em mim.

-Elas são lindas. (Respondo simples).

-Assim como você também é. (Ele diz é beija meu pescoço).

-Obrigada. (Viro-me para ele na esperança dele manter sua boca longe da minha pele).

-O que acha de nos juntarmos a elas? (Ele pergunta passando a mão em meus lábios).

Chris, será que você já está aqui do lado? Ah meu Deus, o que eu faço agora?

            P.o.v. Chris Brown

Assim que recebemos a mensagem da Agnez entramos no motel, traçamos o mesmo caminho que ela, paramos em frente a uma moça. A atendente morena nos olha confusa, mas tenta disfarçar.

-Um quarto, por favor. (Digo).

-Casal? (A moça pergunta).

Olho discretamente para o Tyga, mano que vontade de rir, casal? Eu e essa peste? Ah, não fode.

-Claro meu amor, um lindo casal que se ama. (Tyga responde me abraçando).

A cara da moça é inacreditável, juro, eu não vou conseguir ficar sério por muito tempo não.

-Temos algumas suítes, a 20 pode ser? (Ela pergunta).

-Não, vinte não é um bom número, queremos a 14, não é anjo? (Digo e dou um beijo na bochecha do meu primo).

Resolvo entrar na brincadeira, Tyga me olha com a cara de retardado, quando tudo isso passar, vai render boas risadas.

-Claro, a suíte 14, tenham um bom momento. (Ela diz com um pequeno sorriso).

-Obrigado, linda. (Tyga responde).

Pegamos as chaves da tal suíte e logo seguimos.

-Não faz nada por impulso. (Tyga me alerta antes mesmo de eu pensar em fazer algo).

-Relaxa, eu não vou fazer nada. (Digo).

Damos mais alguns passos e logo estamos dentro daquele quarto ridículo, para nossa sorte, a suíte é colada na quinze.

-Dá pra ouvir alguma coisa? (Tyga pergunta).

-Pior que não, o som não deixa. (Respondo).

-O que faremos agora? (Ele novamente pergunta).

-Faremos o combinado, vamos esperar um tempo, acho que ela está indo bem, mas daqui a pouco vamos fazer uma surpresa pra aquele filho da puta, deixa ele achar que venceu. (Digo).

Tyga não responde com palavras, apenas faz um gesto positivo com a cabeça.

                          P.o.v. Agnez

-E então, vamos nos juntar a elas? (Alan torna a perguntar).

-Sinto muito, eu não gosto desse tipo de festa. (Respondo dando dois passos para trás).

-Mas eu gosto. (Ele diz).

-Aí o problema é seu, o combinado foi uma noite comigo e não uma noite com três mulheres. (Digo).

Ai meu Deus, eu preciso que essas mulheres saiam daqui o mais rápido possível, elas não devem presenciar nada.

-Justo, eu só achei que seria legal dar uma apimentada nas coisas. (Ele diz).

-Manda elas embora. (Digo).

-Meninas infelizmente nossa brincadeira fica para outra hora, precisamos do quarto só para nós. (Ele fala diretamente para as moças).

Elas não protestam, apenas vestem suas roupas.

-Entra em contato com a gente, gato. (Uma delas diz).

-É, você sabe exatamente como fazer isso. (A outra completa).

-Podem deixar comigo. (Ele responde dando um beijo em cada uma).

Alan entrega umas notas para as moças, claro, agora sei exatamente o que elas são, feito isso, elas deixam o quarto. Graças a Deus.

-E nós, como você quer que eu comece? (Ele pergunta caminhando em minha direção).

-Uma pergunta respondida, é uma peça de roupa minha no chão. (Digo o fazendo parar a um passo de mim).

-Quem me garante que você irá cumprir sua parte do acordo depois? (Ele pergunta com um sorriso ridículo).

-E quem me garante que você também irá cumprir sua parte? Esse é o lance, você decide. (Digo).

-Certo, pode começar. (Ele diz).

-Como sabe da Last Kings?

-Bom, eu conheço muito bem a Lisa, naturalmente uma mulher com ódio fala muitas coisas e para vingar alguém da família pronto, ela deixou escapar que a irmã fazia parte da gangue e me contou algumas coisas, agora tira. (Ele responde).

-Quem mais sabe? (Pergunto após tirar o casaco).

-Que eu saiba, mais ninguém. Eu não gosto do Chris, mas eu não seria idiota ao ponto de sair falando sobre isso com qualquer um, eu amo viver. Mais uma peça. (Ele diz e senta na cama).

-O que sabe do Dylan? (Pergunto após tirar meu short).

-Apenas que ele é o delegado da cidade, e que por você, ele chegaria ao Chris, não me disseram exatamente como. (Ele responde sorrindo).

Esse idiota acha que vou tirar mais alguma coisa? Sinto muito, pelo tempo sei que o Chris vai entrar neste quarto a qualquer segundo.

-O que está esperando, vamos, tire mais uma peça. (Ela fala demonstrando irritação na voz).

-Me desculpe, mas não vou tirar mais nada. (Digo).

-E o nosso combinado? (Ele pergunta ficando em pé).

-O combinado é o seguinte, você vai dar três passos para longe dela, e vai responder todas as nossas perguntas. (Chris entra falando seguido por Tyga).

Ambos estão com suas armas apontadas para o Alan.

-Eu deveria ter desconfiado que vocês viriam junto. (Alan responde irônico).

-É, mas não temos culpa se você é burro, tem mais alguém aqui? (Tyga pergunta olhando o quarto).

-E então? (Chris pergunta também).

-Não, tudo limpo. (Tyga responde após examinar o local).

Completamente sem jeito, visto minhas peças de roupa antes jogadas no chão.

-Você está bem? (Chris pergunta me olhando sério).

-Sim. (Respondo simples).

-Será que a gente conversa com você aqui mesmo ou te leva para outro canto? (Tyga pergunta para o Alan).

-Vocês sabem que sou milionário, sou influente. (Alan parece nervoso).

-Não diga, que comovente. (Tyga diz).

Chris pega uma das cadeiras do quarto e trás para perto do Alan, sem delicadeza alguma, ele puxa o louro e o faz sentar no objeto de madeira, feito isso, Chris usa seu próprio cinto para amarrar as mãos do Alan para trás, e faz o mesmo com seus pés, mas desta vez usa o cinto do Tyga e o do próprio Alan que estava jogado no em algum lugar do chão. Curiosamente noto que tanto o Chris quanto o Tyga usam luvas prestas em suas mãos.

-Quero ver você se soltar daí, bonitão. (Chris diz sério).

-O que vocês vão fazer comigo? (Alan pergunta apreensivo).

-Você não fez questão de tentar dar uma de esperto pra cima de nós, então agora vamos jogar contigo também, uma troca justa. (Chris responde sereno).

Temo um pouco o que realmente seja esse jogo, mas pelo que estou vendo, alguém está prestes a ser torturado em minha frente, não sei se gosto dessa ideia, afinal violência nunca foi o meu forte.

                        Continua...


Notas Finais


E esse foi o capítulo de hoje, gostaram? Me contem, o que será que vai rolar? COMEEEENTEM! Preciso saber da opinião de vocês.

Até os próximos capítulos meus Kings. ❤️❤️

Obs: Caso hajam erros ortográficos, peço que me perdoem.


Leiam: Toque de Anjo.
https://www.spiritfanfiction.com/historia/toque-de-anjo-hiatus-18578615


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...