1. Spirit Fanfics >
  2. Last Mission- Destiel >
  3. All of The Stars

História Last Mission- Destiel - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Vai ser Flex pq eu quero 🌚
Espero que não se incomodem, se não gostarem é so pular quando chegar o rala e rola.

Capítulo 9 - All of The Stars


Dean respirava pesado no Jardim enquanto a lua parecia olhar diretamente pra ele.

- Dean- Sam chamou chegando perto.

- Mas que merda Sammy- O loiro começou irritado- Quem aquele cara pensa que é?

O mais alto suspirou.

- Ele só quer ajudar Dean..

- Por que você está do lado dele?- O irmão perguntou enfurecido.

- Porque ele está certo! - Sam defendeu- E você não está. Mas você nunca consegue aceitar quando está errado, acha mais fácil afastar as pessoas por pensar que elas nujca vão te perdoar mas não é assim que funciona.

- Ah muito obrigado doutor Phill.

Os Winchesters suspiraram.

- Ele só está Machucado. E preocupado com Jack.

- É, bem eu também estava preocupado com você. - Dean disse desolado - Você sabe que eu procurei por você não sabe? Sabe que eu nunca te abandonei.

O mais novo baixou o olhar e os olhos verdes queimaram com as lágrimas que o loiro não deixaria cair.

- Por Deus Sammy- Ele bufou triste e passou a mão pelos olhos- Que merda, você me conhece! Sabe que eu nunca deixaria você. Anda, concorda comigo- Ele pediu desesperado, agarrando a camisa do seu irmão, forçando os olhos a se encontrarem- Diz que você me conhece e que sabe que eu nunca te deixaria.

Sam segurava a mão do mais velho que estava fechada em um punho na sua camisa.

- Eu sinto muito Dean.. Mas se eu mudei o tanto que mudei em três anos, eu não sou capaz de imaginar o quanto você mudou. - o capitão fechou os olhos com força e se afastou do moreno, suas mãos esfregando seu rosto, subindo até os fios cor de areia e puxando- Eu te amo Dean. E eu confio em você, mas não me peça para dizer que te conheço, porque não conheço. Nem Cass.

Eles ficaram em silêncio e Dean bufou uma risada sem graça.

- Ele é um babaca...eu salvei o filho dele e nem um "obrigado " O filha da puta me disse.

- É difícil pra você acreditar nas pessoas, eu entendo. Mas Cass....ele É um cara bom, é um dos mocinhos nesse cenário. - Sam respirou - Mas ele também passou por maus bocados, ele confia em você tanto quanto você confia nele. Então você precisa mostrar que também está do lado certo desse jogo de xadrez.

- E qual é o lado certo Sammy?- Ele perguntou retórico- O de vocês? A porra do garoto provavelmente é o motivo da guerra inteira e você ainda acha que o desgraçado lá dentro é o mocinho?

- Eu não sei- Sam gesticulava exasperado- Mas se voltarmos lá pra dentro e contarmos o que aconteceu-

- Eu Não vou ficar de quatro para aquele idiota me comer de boa vontade!- Dean disse indignado.

- Péssima escolha de palavras- Benny disse sentado na escadaria da casa.

- Não é sobre ficar de quatro Dean! Será que dá pra você ser mais inseguro?

A frase saiu e O punho do mais velho encontrou o maxilar de Sam, que cuspiu Sangue mais não revidou.

Dean ainda tinha raiva no olhar, mas o moreno continuou falando.

- Eles me encontraram, me salvaram e me deram uma nova família-

- EU SOU SUA FAMILIA!- O loiro gritou derramando lágrimas raivosas.

- MAS VOCE NAO ESTAVA LA!

Os dois se calaram, a dor estampada nas feições de ambos.

- Você não estava lá. E eu não culpo mais você. - Sam disse cansado - Mas voce não estava lá.

Dean soltou um soluço e fungou.

- Vamos voltar...contamos A nossa história, ele conta a dele e então vamos conseguir ter uma visão melhor do que fazer..- O loiro continuava calado- Ele só quer saber o que aconteceu com Jack...voce Não quer saber o que aconteceu comigo?

- Eu Não confio nele.

- Então não confie- Sam assentiu- Mas confie em mim.

Relutantemente Dean assentiu e o mais novo abraçou o irmão.

- Eu te amo Dean. - Ele sussurrou e por um momento ele parecia tão pequeno quanto estava naquela noite de 4 de julho.

O Winchester mais velho fungou e apertou o de olhos caleidoscópio em seus braços.

- Eu te amo Sammy...

Os irmãos se separaram e Dean respirou fundo.

- Podemos voltar?- Sam perguntou.

- É isso que você quer?- O mais velho perguntou e o moreno assentiu- Então tudo bem....hora da história..

Eles entraram de novo na casa, dessa vez os presentes nem mesmo se importavam com a presença.

Genevieve olhava preocupada para o namorado, mas não se intrometeria em assunto de família.

Os Winchesters voltaram para a mesma sala de antes e todos ainda estavam lá, todos sentados, menos Castiel, que estava na janela bebendo.

Com sua presença reconhecida e sendo alvo dos olhos azuis, Dean suspirou.

- Se eu vou contar essa história vou precisar de um desses- Ele disse referente à bebida alcoólica no copo do Novak mais velho que assentiu com um meio sorriso que sumiu no segundo seguinte.

Amara sorriu e colocou o conteúdo em um novo copo, empurrando por cima da mesa, fazendo o vidro deslizar até as mãos do Winchester já sentado.

- O que você quer saber?- Dean perguntou

- Nós- Balthazar começou mas o loiro o cortou.

- Estou falando com o seu chefe- Ele disse ardiloso.

- Dean- Sam repreendeu mas Balthazar disse para o moreno esquecer com um olhar.

Cass respirou fundo e se sentou de novo na cabeceira da mesa, olhando intensamente para os olhos verdes.

- Tudo.

O soldado olhou para o irmão, que assentiu com a cabeça.

Antes de começar, Dean olhou para Jack que deu um pequeno sorriso na sua direção, o incentivando.

- Em 1979 um casal do Kansas estava tendo o seu primeiro filho. Eu. - Ele suspirou com a lembrança de seus pais- Eu tive uma infância incrível, sempre tive tudo o que precisava, meus pais eram os melhores...quando Eu tinha 13 anos minha mãe ficou grávida de novo. - Ele olhou para o irmão ao seu lado- Sammy nasceu 8 meses depois.

Quando voltou a olhar para o Novak, os olhos azuis estavam focados em si.

- 6 meses depois do nascimento dele...houve um incêndio.

Era a primeira vez que o próprio Sam estava ouvindo a história, por isso prestava atenção em tudo que o irmão relatava.

- Nosso pai estava no turno da noite e nossa Mãe estava testando uma receita de...qualquer coisa. Deu errado. Quando eu acordei a casa já estava em chamas e cheia de fumaça...Eu corri até o quarto do Sam e o tirei de lá..tentei encontrar minha mãe mas eu acho que ela já estava morta..

Sam fungou, espantando as lágrimas e todos na sala pareceram se comparecer do Winchester.

O que o irritou.

Ele não precisava da pena de nenhum daqueles bastardos.

- Os bombeiros chegaram mais ou menos 30 minutos depois que eu saí e nos levaram para a delegacia pra esperar pelo nosso pai...Quando Ele chegou ele...estava destruído.

O loiro respirou fundo, se lembrando claramente do rosto do pai.

- Eu nunca o vi daquele jeito - Deu um grande gole no líquido e o sentiu queimar na garganta- Tão sem esperança.. então depois do funeral começamos a nos mudar, era difícil mas o pai estava sempre lá me ensinando a atirar, educando Sammy em casa... claro, o garoto era um bebê de 3 anos, mas mais inteligente do que eu nunca fui..- ele riu e olhou para o irmão e de volta para a mesa- quando fiz 17 meu pai disse que havia se alistado. Eu fiquei com raiva é claro..Mas Não havia o que fazer. Ele ingressou no exército e voltava nos fins de semana sendo o pai incrível que ele costumava ser.

- O que aconteceu?- Cass perguntou com um olhar preocupado.

- 1 ano depois eu recebi um telegrama..O pai tinha morrido no campo de batalha. - Dean terminou o conteúdo do copo e olhou para Amara, apontando para o objeto vazio.

Ela sorriu fraco e encheu de novo.

Dean tomou ouro gole grande - Sammy tinha cinco anos e eu precisava cuidar dele. Tentei arrumar um emprego mas em tempos de guerra....ninguém estava contratando e eu precisava alimentar meu irmãozinho.

- Você começou a roubar- Castiel constatou e Dean assentiu com uma careta bebendo mais.

Benny observava em silêncio, assim como todos ali, não sabia dessa história.

Não completa pelo menos.

- Eu roubei por 6 anos. Coisas pequenas...comida, roupas pra Sam..acho que podemos adicionar invasão de propriedades também. Algumas casas abandonadas que usávamos como abrigo as vezes.

Sam tinha seu olhar concentrado na mesa de madeira escura, se lembrava bem daqueles dias.

- Um dia infelizmente eu fui pego e indiciado. As acusações eram bem sérias e extensas. Eu bati em um policial, tentei fugir.. digamos que meus antecedentes eram feios. Manda a garrafa pra cá.

Ele pediu -mandou- e Amara deslizou a garrafa pela superfície, o loiro encheu até a boca e deu mais um gole.

Provavelmente não chegaria até o fim daquela conversa sóbrio.

- Eu lembro de estar sentado na sala de interrogatório algemado e esse cara, meio careca entrou. Meu primeiro instinto foi o mandar a merda. - Ele riu olhando o líquido amarronzado - Isso foi antes de ele sentar e me chamar de idiota. Então quando ele me perguntou o que aconteceu eu contei a ele. Contei sobre Sammy....Ele tentou fazer o promotor retirar as acusações mas não colou. Então ele chamou um advogado e propôs um acordo. Eu seria solto mas teria que me alistar. - Ele bufou- Depois de estabelecer que Sam ficaria com Bobby e que ficaria bem, eu aceitei. Com o dinheiro que receberia eu poderia finalmente mandar Sammy pra alguma escola, dar a ele a chance de uma vida normal.. Eu não imaginei que fosse me sair tão bem lá dentro. Parece que eu tinha jeito pra coisa.

Ele suspirou virando todo o copo de novo, já estava com o riso meio frouxo quando tornou a encher.

Todos os olhares acompanhando seus movimentos e se perguntando se não seria a hora de o mandar parar.

Contudo todos sabiam no fundo de si mesmos que não era a primeira vez do Winchester se afogando em Álcool.

- O tempo passou e tudo estava como arco íris. - Ele riu sem graça e depois fez uma careta- Exceto pelas milhões de pessoas morrendo todos os dias. Quando eu tinha 30, 31..me foi oferecida a chance de participar de uma missão. A minha primeira fora do país.

Ele negou com a cabeça amargurado e bebeu mais, um vento fraco corria dentro da casa.

- Era um capitão famoso, uma missão importante e aparentemente fácil com a promessa de medalhas, títulos e honrarias...disseram que teríamos que reaver uma arma que poderia acabar com a guerra..eu aceitei sem nem piscar e deixei Sammy pra trás. - Ele riu sarcástico- Três semanas no máximo eles disseram......

Castiel alternativa seu olhar entre os irmãos e a garrafa. Queria tirar aquela coisa da mão do soldado, mas sabia que provavelmente levaria um soco se chegasse perto.

Seu rosto ainda doía dos golpes recebidos dois dias atrás.

- Eu tinha esse cara. Meu melhor amigo. Benny. Você teria o achado insuportável- Ele disse rindo levemente na direção se Sam que deu um sorriso fraco - Mas ele era ótimo. Ainda é o desgraçado, não sabe calar a boca. Enfim. Ele era o meu parceiro. Nós éramos como Batman e Robin, Capitão América e Soldado Invernal, dia e noite, arroz e....Enfim...- a fala estava um pouco enrolada mas ele estava perfeitamente consciente do que fazia e dizia.

- Acho que já chega de bebida pra voce- Cass tentou em um tom beirando o gentil mas Dean bateu com força na mesa, fazendo a garra e o copo balançarem.

- Você queria que eu contasse a merda da história, agora cala essa sua boca e escuta.

- Dean- O irmão tentou mas o loiro já estava irritado.

- Vale o mesmo pra você Sammy. E pra qualquer outro babaca nessa sala.

- Me chame de Babaca de novo e eu atiro em você. Diferente de Castiel, eu não vou errar- Gabriel ameaçou claramente irritado.

- Ui que medo, o que o anão da branca de neve vai fazer? Chamar os animais da floresta e jogar uma maldição em mim?

Gabriel se levantou mas Castiel chamou a sua atenção.

- Gabriel, senta. Agora- Castiel ordenou e o irmão, embora puto, obedeceu. - Por favor continue Dean.

- Quando chegamos na base, não tinha nada lá. Vasculhando tudo e então alguém pisou na primeira mina. A partir daí tudo foi pro inferno e um monte delas começaram a explodir ao mesmo tempo.

Ele olhou para Benny que negou triste.

- Não faça isso Dean....

- Se eu fechar os olhos ainda consigo ouvir os gritos dos soldados...aquela noite ainda é uma confusão na minha mente...Eu só me lembro do cheiro de carne podre e queimada, dos gritos...Eu lembro de quando pisei em uma mina. Eu lembro do suor escorrendo enquanto eu pensava que ia morrer...Benny estava na minha frente e eu sabia que aquele era o fim...havia uma vala atrás de mim Mas por mais que eu tivesse calculado a distância e o meu peso..não daria tempo sem algo pressionando o gatilho. - Dean narrava aquela noite com os olhos vidrados no melhor amigo - Benny sabia disso. Então ele se aproximou...eu tentei o mandar se afastar mas...- os olhos verdes se encheram de água- "Até o fim, irmão " Ele me disse....e aí me empurrou e a próxima coisa que eu ouvi foi uma explosão que deixou um zumbido do meu ouvido...

Todos na sala estavam horrorizados.

- Não sobrou nada dele...nada...

Ele fungou e virou o conteúdo do copo de novo.

- O resto dos que sobraram voltaram para o avião, alguém o havia sabotado entretanto..não levantou mais que 8 metros antes de cair e todos os que sobraram morrerem.

- Exceto você- Castiel pontuou e Dean concordou desolado.

Sam se levantou passando a mão pelo rosto, não imaginava que seu irmão tivesse passado por coisas tão horríveis.

- Claro que os filhas da puta me encontraram e me prenderam...1 mês no inferno...queriam saber onde havíamos escondido a arma deles..claramente estavam tão mal informados como nós...eu Não disse nada a eles, mas algumas coisas eles arrancaram de mim e eu não pude fazer nada- Dean alcançou seu próprio pescoço e arrancou a corrente, lançando em cima da mesa na direção de Castiel que pegou analisando.- As correntes que cada soldado tem, com informações básicas em caso de morrer em campo de batalha, assim os companheiros ou qualquer pessoa vao saber para quem dar as notícias...

Castiel lia as informações.

WINCHESTER, DEAN

1979

KANSAS

FAMÍLIA: SAMUEL WINCHESTER

NÚMERO: 0- 140221

- Foi o máximo que arrancaram de mim..depois de perceberem que eu Não ia falar nada passaram a me espancar apenas por diversão. Até que eu consegui sequestrar uma fuga e cada um daqueles desgraçados pagaram com sangue.

Ele colocou a última porção do líquido no copo e Castiel rodava a corrente entre os dedos.

- Voltei pra casa, crente de que encontraria meu irmãozinho e tudo ficaria bem...Quando cheguei em casa...Bobby me disse que ele estava sumido há 4 semanas..fiquei louco..o procurei pelo país inteiro por um ano..pelos países ao redor....perdi as esperanças.. afinal Sammy era só um garoto de 17 anos em um mundo consumido pela guerra..não pensei que ele poderia sobreviver mas continuei procurando..

Ele dava goles pequenos.

- Três anos depois, depois de ter conseguido todas as malditas honrarias daquela missão, Bobby entrou no meu escritório me recrutando de novo...O mesmo lugar, o mesmo objetivo. Uma pessoa me convenceu - Ele olhou para Benny rapidamente e apenas Jack sabia o que estava acontecendo entre os dois- Convenci o Conselho a me mandar sozinho e quando cheguei encontrei Jack em um laboratório, amarrado a uma mesa cheia de agulhas...

Cass trancou a mandíbula e apertou a mão do filho, querendo expulsar a imagem que se formou em sua mente.

- Eu...- Dean respirou fundo - Estava pronto pra levá-lo e apenas terminar a minha missão... minha última missão, mas...Ele só tem 17 anos..- ele disse olhando para o Novak mais jovem- Sammy tinha 17...eu não podia deixar outra criança se fuder por minha causa.. Então eu disse Que ajudaria ele a voltar pra você...soldados invadiram, ele impediu balas de me acertarem, o prédio pegou fogo etc etc...atravessamos a fronteira para a Suíça, roubamos 2 carros pegamos 1 avião e aqui estamos...Ele estava com fome então eu parei meu carro- ele parou no meio da frase e arregalou os olhos para Castiel - Cadê o meu carro?

Cass deitou a cabeça no ombro- No mesmo lugar onde nos conhecemos.. Eu acho..

Dean suspirou pesado- Eu preciso pegá-la de volta. - Ele bebeu o resto da bebida- Enfim, entramos na loja , seus rapazes apareceram, tiros vão tiros vêm, saí da loja e a partir daí já sabe o que aconteceu...

Dean terminou a bebida e finalmente olhou em volta para as expressões que se reuniram basicamente em pena.

Cass assentiu e pressionou os lábios em uma linha fina.

Sam tinha as bochechas molhadas de lágrimas.

- Essa é a minha triste historinha. Satisfeito agente?

Castiel engoliu em seco.

- Embora você não acredite Dean, eu sinto muito Pelo que aconteceu com voce.

- Você e eu, ambos. Vocês Não tem mais disso não seu estoque não é?- Ele perguntou apontando para a garrafa vazia.

- Não e mesmo se tivéssemos, não daríamos à você. - Caim disse rindo levemente.

- Acho que é a minha vez, uh? - Cass disse suspirando.


Notas Finais


Eu juro que não Tô adiando de propósito a parte do Cass kskskskks É que ficou maior do que eu planejava ent..

Hoje Save Me If You Can sai e amanhã o próximo cap com o Cass

Já aviso que há um coito se aproximando.

Para aqueles que não se sentem confortáveis, o primeiro coito que deve aparecer dentro de 2,3 capítulos, será Dean bottom então se não se sentirem confortáveis, por favor não leiam..


Obrigada por lerem raios de sol


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...