História Last Summer - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Drama, Jimin, Jin, Jungkook, Romance, Taehyung
Visualizações 18
Palavras 5.753
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, até que enfim um capítulo rsrs *.* quero agradecer as pessoas que comentaram e que leram o post anterior sobre eu voltar a escrever. Obrigado mesmo!
Espero que gostem e boa leitura ♥ ♥ ♥

Capítulo 7 - Qual é a sua?


Fanfic / Fanfiction Last Summer - Capítulo 7 - Qual é a sua?

Ceguei em casa e vi que minha mãe não tinha chegado. Eu estava tão cansada que nem queria tomar banho, só queria deitar e dormirFui tirando minhas roupas e deixando pelo caminho. Entrei no banheiro, me olhei no espelho e vi que minhas olheiras estavam bem aparente. Fui para baixo do chuveiro já o ligando, a água estava na temperatura exata.

— Até que o Jin é legal, confesso que gostei que ele me trouxe até em casa...mas o que estou falando?

Terminei meu banho, coloquei um pijama e fui direto pra cama.

 

[ ... ]

 

Não vi quando minha mãe chegou, mas olhei no seu quarto e ela ainda estava dormindo. Eu ainda estava na fase de aceitar que em pleno sábado eu tenho que ir para faculdade. Saí chutando tudo até chegar ao banheiro e comecei a me arrumar. Coloquei um short jeans claro, uma camiseta branca, um All star vermelho e resolvir ir de cabelo preso.

Fui até a geladeira pegar qualquer coisa para comer porque eu tinha que chegar lá às 08:30h. Depois de comer fui para o quarto da minha mãe, eu tinha que pedir para ela me levar e espero que me leve.

Abri a porta novamente, cheguei perto dela e me abaixei.

— Mãe? Mãenheee? — Sacudi o seu braço.

— O que é Elizabeth? — falou com uma voz sonolenta e com os olhos semiabertos.

— Sabe o que é, é que eu tenho aula hoje e eu preciso que a senhora me leve para faculdade.

Minha mãe que estava com os olhos semiabertos agora estava com um olhar mortal.

— Não acredito, logo hoje que é minha folga. O que essa universidade tá pensando? E por que eu não fui avisada disso?

— Porque avisaram ontem. Lembra do evento beneficente que eu falei? Todo sábado até o evento vai ser usado para organização.

— E que horas você tem que chegar lá?

— 08:30h.

— E que horas são agora?

— 07:35h.

Minha mãe me olhou nada feliz, mas eu não tinha culpa de nada. Ela se levantou empurrando o edredom para os lados, mas parecia que estava agarrado em sua perna e isso parece ter a irritado, no meio dessa irritação toda eu acabei por cair de bunda no chão.

— Ai mãe.

— O que foi? Por acaso tenho culpa de você ter caído? Porque você tem culpa de eu ter que levantar.

— Não mãe, não tem culpa não. — acabei rindo com toda essa situação e ela foi para o banheiro. Eu também não queria ter que sair agora.

Eu estava sentada no sofá e ela veio em minha direção com a chave do carro na mão.

— Vamos!

Me levantei em um pulo e fui atrás dela que já estava na porta.

Já dentro do carro eu liguei o rádio e estava tocando rocking do Teen Top.

— Ah não, pode trocar, não vem ouvir essas músicas agora não.

— Mas mãe, é quase impossível não ouvir k-pop nas rádios coreanas — dei uma risada.

— Então coloca alguma música aí.

Coloquei o pen drive de músicas aleatórias. Um milagre parece ter acontecido porque o fluxo dos carros estava bom, não tinha trânsito, Isso ajudou muito e vamos chegar rapidinho na faculdade.

— Vai voltar que horas?

— Acho que às 17:00h.

— Você tem algum dinheiro para comer? Pega na minha bolsa ali atrás.

— Não precisa, o refeitório vai estar funcionando e eu trouxe meu cartão.

— Mesmo assim, pega algum dinheiro.

— Eu tenho mãe, relaxa.

— Relaxa? A sim.

— Desculpa mãe — soltei outra risada.

— Ainda rir, então é assim.

O som no carro estava ótimo e era impossível não tentar cantar. Estava tocando MPB, eu balancei cabeça sentido toda nostalgia que

as músicas me causavam, eu realmente amo música e fico triste por ter ido poucas vezes para o Brasil.

Senti o carro subir uma ladeira e percebi que já estávamos na universidade.

Tinham algumas pessoas subindo à pé e tinham outros carros também.

Minha mãe deu a volta pelo estacionamento e vi que Já tinha chegado muita gente.

— Nossa, tem bastante gente. São os três turnos?

— Parece que sim.

— Mas deve ter uma organização de dia exato para cada coisa, não?

— Realmente não sei, mas pode até ser que façam isso. É... Vou lá pro meu dia feliz.

— “Relaxa” filha.

A olhei com uma cara de (o que você está fazendo?)

— Não combinou — falei fazendo uma cara de deboche — Já vou mãe, obrigadão por me trazer.

— Calma! E o beijo da mamãe?

Dei um beijo em sua bochecha e abri a porta do carro.

— Cuidado e me liga na hora que você for embora, eu venho te buscar.

— Tudo bem.

Fechei a porta do carro e fui andando para a quadra que parecia ser o local que todos estavam indo.

Vi minha mãe descer com o carro para ir embora.

Estava andando ainda no estacionamento quando ouvi umas risadas e barulhos de meninos conversando. Ouvi alguém falando que uma menina era até gostosa e que ele pegaria, mas que não fazia o seu tipo. Eu gelei, eu sabia de quem era essa voz.  Andei para o meio dos carros e me abaixei rapidamente entre dois carros que estavam estacionados. Não podia deixar que eles me vissem.

— Mas que escroto esse Jungkook, quem ele pensa que é para falar assim de uma garota? Que ela é gostosa, que até pegaria, mas que não é seu tipo? Se acha esse menino. — falei baixo.

Levantei minha cabeça um pouco para olhar pelo vidro onde exatamente eles estavam e vi que estavam a uns 4 carros à frente do que eu estava abaixada. Eles conversavam coisas aleatórias e eu queria entrar logo, minhas pernas já estavam doloridas por ficar agachada e o sol estava forte, o carro até fazia uma sombra, mas o calor não tinha jeito.

Vi que eles estavam indo em direção a quadra, Jimin, Namjoon, Taehyung e Hoseok foram na frente, mas Yoongi e Junkook ficaram. Jungkook estava procurando alguma coisa no carro. Eu estava com as duas mãos apoiadas no vidro da janela do carro e estava tudo um silêncio até que meu celular começou a tocar bang bang bang do bigbang alto me dando um susto e com isso me bateu um desespero. Peguei meu celular que estava no meu bolso e tentei desligá-lo, mas minha mão estava soando e com o nervosismo acabei o derrubando no chão, foi bateria para um lado, capa para o outro e eu acabei gritando NÃOOO e ao mesmo tempo levei a mão na boca com a intenção de abafar o som.

Sentei no chão e olhei por baixo do carro para ver se Jungkook e Yoongi ainda estavam lá.

— Ah que bom, eles já entraram. — comecei a pegar as partes do meu celular que estavam no chão quando ouvi uma pessoa atrás de mim.

— O que você está fazendo?

 Me virei para Jungkook ainda sentada com uma mão apoiada no chão e a outra à frente pegando a bateria do celular.

— É...é...que...que eu estava pegando meu celular que caiu.

— Deu para ouvir a conversa dos outros agora?

— Eu não estava ouvindo nada, eu já disse que só foi meu celular que caiu, eu nem vi vocês ali.

— Mas então aonde você "nos" viu? Porque todo mundo já entrou, eu estou sozinho aqui. — Jungkook estava com um sorriso debochado.

Nem percebi que o Yoongi não estava mais com ele.

— Ah, não importa! — peguei meu celular com o resto da dignidade que me sobrou, me levantei batendo a mão no meu short na esperança de não ter sujado e comecei a andar, mas Jungkook praticamente se jogou na minha frente me fazendo dar dois passos para trás e eu acabei encostada no carro e ele na minha frente me prendendo.

 — Você é bastante curiosa — falou se aproximando.

— Eu não estava ouvindo a conversa de vocês, eu só estava pegando meu celular.

Jungkook estava com uma mão de cada lado do meu corpo, elas estavam apoiadas em cima do carro. Ele foi se aproximando até seu rosto ficar bem próximo do meu, seus olhos estavam fixados no meu e eu podia sentir o calor que saia da sua boca.

— Você não acha estranho seu celular cair bem aqui, em um lugar tão escondido? A não ser que você me diga que esse carro é seu, porque aí eu vou entender.

— Dá para se afastar de mim — falei baixo colocando uma mão em cima de seu braço para abaixa-lo.

— Não — falou baixo.

Jungkook se aproximou mais e tombou a cabeça para o lado direito do meu rosto fazendo o seus lábios tocarem de leve minha bochecha, bem de leve, como se ele estivesse se segurando e isso me causou arrepios...

— Qual é a sua? —  perguntou quase como um sussurro.

— Hum? —  eu não sabia o que dizer, eu estava me deixando levar por aquele clima estranho.

Jungkook deu um leve sorriso e continuou

— Você ainda não mudou de perfume? Ele continua com esse cheiro doce enjoativo — falou próximo ao meu ouvido.

Ele estava se referindo a um perfume que eu uso há muito tempo e não o troco porque eu gosto muito do cheiro adocicado, mas o que me surpreendeu foi que ele ainda se lembra desse cheiro.

— Eu gosto dele! E você não o achava enjoativo — minha voz estava baixa, quase sôfrega. Eu não sei o que eu estava pensando.

Jungkook levantou a cabeça, mas ainda estava perto, seus lábios estavam perto demais e os meus estavam na direção do seu queixo. Ele abaixou um pouco a cabeça de modo que nossa respiração se encontrasse. Vi quando ele fechou os olhos e mordeu o lábio inferior e começou a se afastar. O calor deu espaço para o frio que invadiu meu corpo, ele se virou de costas para mim e passou uma mão no cabelo.

— Você não vai entrar?

— Era o que ia fazer se você não tivesse me parado e me segurado aqui.

— Mas agora já não estou te segurando mais.

Ele ainda estava de costas, sua voz estava meio falha.

Eu comecei a andar.

— Dá próxima vez tente se controlar — Falei de costas enquanto andava e não olhei para trás nenhuma vez, mas não precisava porque eu sabia que ele ainda estava lá parado.

O que eu estava pensando? O que ele estava pensando? Será que ele tá usando alguma coisa? Claro que não, de onde tirei isso? Ah...estou pensando coisa com coisa.

Meu coração ainda está acelerado pelo o que acabou de acontecer. Eu nem vi quem havia me ligado e nem senti que eu estava apertando meu celular em uma de minhas mãos. Apertei o botão para ligá-lo torcendo para que não tenha danificado nada.

Tinha muitas pessoas na faculdade, estava realmente lotado. Andei mais um pouco até ver a entrada da quadra que parecia cheia de onde eu estava, tinha muita gente conversando, se abraçando, tinha umas pessoas saindo com papeis, cartolina e outras coisas que eu não consegui identificar. Meu celular já estava ligado e vi que Soyou quem tinha me ligado, ela deve tá querendo saber se eu vim. Resolvi retorna para ela, não quero ficar sozinha aqui.

— Oi Soyou.

—Onde você está? Eu te liguei, mas você não atendeu.

— Eu estou aqui fora.

— Entra aí.

— Eu vou, mas é que tá tão cheio. Você está  em quem lugar exatamente?

— A nossa turma tá na arquibancada esquerda, mas eu vou na porta te encontrar se quiser.

— Quero! Quero sim — eu estava esperando ela dizer isso.

— Então vem que eu já estou indo.

— Ok, beijo.

Desliguei e comecei a andar para a quadra. Eu não queria chegar lá sozinha, me dá uma sensação de que todos estão me olhando quando na verdade nem devem perceber minha presença, mas não gosto disso.

Eu estava um pouco afastada da entrada esperando Soyou quando a vi acenar para mim e fui em sua direção.

— Vamos entrar, teremos muito trabalho pela frente — falou me puxando pelo braço.

— Vamos.

A quadra estava muito cheia e isso estava me dando agonia, parecia que estavam divididos em grupos.

— A quadra vai ficar cheia assim? — perguntei para Soyou.

— Não. Isso é só para organizar, mas depois vamos nos dividir pela escola. Alguns vão para sala de dança ensaiar, outros para sua sala fazer os projetos e aí vai.

— A sim.

— Nós estamos ali — falou apontando para um espaço da quadra que estava cheia de gente.

— Nossa, mas tem muita gente lá.

— Não achou que era só a nossa turma, né? São estudantes de música de outras turmas.

— Eliza?

Me virei olhando para trás e vi quem me chamava. Era a menina que eu conheci no meu primeiro dia de aula, eu não tinha a encontrado pela universidade ainda.

— Você é a Julie, certo?

— Sim, sou eu mesmo. Tudo bem com você? Agora encontra a secretaria direitinho? — Ela abriu um sorriso.

— Agora sim, graças a você. — devolvi o sorriso. — Estou bem sim, e você?

— Estou bem.

— Ah, deixe-me te apresentar. Essa aqui é minha amiga Soyou, estudamos na mesma sala e Soyou, esta é Julie, a menina que salvou minha vida no primeiro dia de aula.

— Não é para tanto — Julie falou abanando as mãos.

— Prazer em conhecê-la Julie.

— Igualmente.

As duas se cumprimentaram.

— Você estuda aqui em que horário? — perguntei para Julie.

— De manhã, mas tem dia que é integral.

— É que eu não te vi ainda pelos corredores, me fez ficar curiosa.

— Sem problemas. É que essa semana estava corrida.

Senti Soyou tocar minha cintura com o cotovelo, ela estava querendo dizer que era hora de ir.

— Que pena que não dar para gente conversar agora porque estamos no meio desse caos, mas depois a gente conversa. Vê se não some.

—Sim, e a gente sempre se encontrando na correria — Ela sorriu — Pode deixar que eu não vou sumir.

 — Até mais.

Ela acenou com a cabeça e saiu andando. Soyou estava me puxando pelo braço me fazendo ir de pressa.

 — Calma Soyou!

— Vamos logo.

Chegamos perto do pessoal e vi que estava todo mundo ocupado demais para prestar atenção em mim. Jimin estava sentado conversando com um menino.

— Ela chegou professora Sun Young — Soyou disse me soltando e pegando um papel que estava em cima de uma pasta aleatória na arquibancada.

— Que bom! Vou falar o nome de cada um e para onde devem ir. Responsáveis pelo som: Park Shin, Chung hee, Lee...

A professora falou para onde cada um iria, Soyou ficou responsável por ajudar no figurino e também ajudar os estudantes de arquitetura e artes a fazer as decorações para o evento.

— Bom, agora só falta vocês que irão se apresentar.

Eu gelei no momento em que ela disse isso, eu me esqueci completamente de falar que não iria mais me apresentar, como eu poderia esquecer isso.

— Soyou — escorei meu cotovelo em seu ombro e falei baixo no seu ouvido — eu esqueci de falar para Sun Young que não quero me apresentar. O que eu faço agora?

— Simplesmente se apresenta.

Olhei para o lado mordendo o lábio inferior em uma tentativa de pensar no que fazer quando vi Jungkook vindo em direção a um grupo de estudantes de engenharia, provavelmente.

Ele estava segurando um tubo telescópico. Ouvi quando ele falou "pronto, aqui está" e o colocou em cima de uma mesa improvisada. Ele abriu um papel grande e começou a desenhar ou escrever algo com o lápis, não dava para ver. Todos estavam olhando para ele e para o que escrevia como se fosse algo muito importante e isso era interessante de se olhar. Ele estava tão sério e concentrado no que escrevia que me fazia querer observar mais, parecia algo como um...líder.

Eles devem ter ficado com a armação do palco, projeto, construção, sei lá. Reparei que Julie estava no meio do grupo, ela deve fazer engenharia. Será que ela é da turma do Jungkook? Ela estava escrevendo algo em uma agenda e olhava para ele ao mesmo tempo. Suas bochechas estavam coradas e ela olhava de um jeito diferente dos outros, ela olhava como...como eu olhava Para o Thomas quando fazíamos algo juntos.

— Deus! Ela gosta dele. — falei tirando os braços de cima da Soyou que olhou pra mim.

— Quê?

— Nada, é que eu estou pensando na letra de uma música.

Continuei olhando para eles e nem percebi que estava com uma sobrancelha levantada pensando na coincidência de Julie estudar com ele.

Jungkook apoiou as duas mãos em cima da mesa olhando em minha direção fazendo nossos olhos se encontrarem, ele fez uma cara de “perdeu alguma coisa aqui?” eu só desviei o olhar. Parece que ele tinha voltado ao normal. Me assustei com Sun Young chamando meu nome.

— Elizabeth Kim Miller turma 25-B vai ficar na sala de dança 2. Vocês que vão ficar na sala de dança dois precisam se organizar para um não atrapalhar o outro. Organizem o tempo de cada um direitinho.

Olhei em volta vi que Soyou já não estava mais ali, na verdade vi que a quadra estava com menos gente do que antes. Por quanto tempo em tive esses devaneios? Não acredito que Soyou me deixou sozinha aqui.

— O que foi carpe diem? Parece perdida.

Será que estava tão visível assim meu desespero que até Jimin reparou?

— Não, eu só estou procurando pela Soyou.

 — Jimin, onde estão seus colegas para ensaiar? — Sun Young falou nos interrompendo.

— Eles não poderão agora porque estão ocupados, mas nós vamos ensaiar em casa, não se preocupe professora.

Os colegas que Jimin falava era a sua gangue? Jungkook também iria dançar?

— Isso eu quero ver — falei rindo batendo uma palma.

— O que você quer ver?

— Ah, eu só estou pensando alto, foi mal — falei cruzando os braços.

Eu estava tentando conter o riso, fiquei imaginando eles dançando e me pareceu engraçado, não quero perder isso.

— Já que estou na mesma sala que você eu posso te ajudar a fazer uma coreografia — Jimin me jogou um olhar um tanto malicioso.

— Não — o olhei mexendo a cabeça em forma de negação

— Por que não? Saiba que eu sou um ótimo dançarino. Já escolheu a música?

— Sei, ótimo dançarino. Agradeço muito, mas eu estou bem sozinha.

Eu nem tinha parado para pensar em uma música ou qualquer coisa que seja. Olhei para o lado para ver se via alguém conhecido e não vi ninguém, até porque eu não conhecia quase ninguém ali.

Eu preciso ir para essa sala, mas antes vou passar na sala de informática e procurar uma música, não pretendo dançar e sim cantar e pelo que vi todo mundo vai cantar e dançar, parece um costume daqui. Queria muito que Soyou me ajudasse a escolher uma música, mas ela saiu que nem vi.

Peguei meu celular no bolso, coitadinho trincou a tela. Procurei pelo número de Soyou, espero que ela atenda.

— Aló!

— Aonde você tá?

— Estou no edifício dois sala 10, vem pra cá

— Vou mesmo, eu quero que você me ajude com uma coisa, tchau.

Eu vou ajudar Soyou, não tenho muito o que fazer agora mesmo e depois ela vai ter que me ajudar a procurar uma música. Olhei de soslaio para onde o jungkook estava, mas ele não estava mais lá e a quadra estava bem vazia.

À medida que fui me aproximando da sala que Soyou estava pude ouvir sua risada inconfundível.

— Cheguei!

— Você está aí, muito bem, chegou na hora certa.

— Posso ajudar com o quê?

— Você pode me ajudar a cortar esses papeis para fazer bandeirinhas.

— Achei que isso era para o pessoal de arquitetura.

— Pois é, mas vamos fazer bandeirinhas para decorar as barracas de comida e...

— Gente! Vocês por acaso sabem o número do cara que ficou responsável por alugar as luzes pra gente? — Park Shin entrou na sala com o celular nas mãos.

— Não! — respondemos em uníssono.

Ver Park Shin assim me deu uma ideia, eu nunca conversei com ele, mas eu preciso de ajuda para escolher uma música boa e ver o som entre outras coisas.

— Vou ver com outra pessoa então.

— Hey! — falei chamando sua atenção. — você pode me ajudar com uma coisa depois? É que como você ficou responsável pelo som eu achei que você poderia me auxiliar um pouco, é que eu vou cantar no dia e talz.

Ele me olhou com uma certa dúvida, talvez estranheza por eu nunca ter falado com ele.

— Tudo bem, eu estou lá em cima na sala de informática, mas se quando você for e eu não estiver lá, me procura na rádio da universidade que provavelmente vou estar lá.

— Ok! Obrigado.

E ele saiu.

— Não sabia que vocês conversavam e tudo.

Soyou me passou um papel enorme azul anil, ele era meio brilhante.

— E não conversamos, quer dizer, agora conversamos. Eu só queria a ajuda de alguém que entenda de música e quem melhor que ele que é da nossa sala e tá responsável pelo som?

Soyou me passou um molde de bandeirinhas.

— Entendi, ele é muito bom com essas coisas, mas eu também faço música, sabeeee e eu vou te ajudar. Agora pode começar a cortar essas bandeirinhas.

— Hum, não é ciúmes não, né? — soltei uma risada. — vão ser só azuis?

— Hahaha! — e fez uma careta. — Azul, prata e branco. O tema da decoração vai ser uma coisa meio mar, oceano, mas...com estilo e sofisticação...

— Hummm, sofisticado — fiz a cara que Soyou fez quando falou.

— Para — falou rindo sem graça.

De repente a porta se abre novamente nos dando um susto

— Por acaso vocês viram o Jimin?

Soyou parecia nervosa e sem graça em relação ao Yoongi. Não sei se estou vendo coisas, mas será que Soyou gosta ou já teve algo com ele?

— Não, vi não. — falou colocando uma mexa de cabelo atrás da orelha e voltou a recortar as bandeirinhas.

Yoongi me olhou como se tivesse percebido minha presença só agora. Ele apenas saiu da sala sem dizer mais nada.

— Todo mundo resolveu entrar nessa sala agora.

— Soyou o que foi isso?

— Isso o quê? É que talvez eles pensam que sabemos onde tá todo mundo ou algo assim — e deu uma risada.

— Não foi sobre isso que eu perguntei — me aproximei mais dela. — eu vi que você ficou um pouco nervosa quando o Yoongi entrou na sala.

— Eu? nervosa? É impressão sua.

— Não é não. Vocês por acaso se conhecem de outros lugares? — a olhei esperando uma resposta.

— Não. Você tá vendo coisas realmente.

— Ah, para Soyou! — Coloquei uma mão no ombro dela.

— Ah, é que eu conheço o Yoongi há muito tempo e só acho ele bonitinho.

— Bonitinho? Ele é lindo e gostoso — falei rindo e ela riu também.

— Tá, ele é lindo mesmo e gostoso também, mas isso não importa.

— Importa sim, você tá afim dele, não acredito. Eu vou te ajudar com ele porque nisso sou boa.

— Não fala isso nem brincando, nunca que o Yoongi ficaria comigo e eu nem falei nada de estar afim.

— Por que não ficaria? Soyou, você é linda e eu sei que tem muitos meninos nessa universidade que adoraria sair com você, quando você passa, todos te olham.

— Eles estão olhando para você querida. Não sei se você sabe, mas é o assunto da universidade atualmente — disse rindo.

— Eu vejo nos seus olhos que está afim Yoongi.

— Você vê coisas e vamos cortar logo essas bandeirinhas.

Começamos a cortar as bandeirinhas. Eu lembrei das minhas amigas, de quando elas estavam afim de alguém e eu tentava ajudar e por consequência me lembrei do dia que conheci o Jungkook, o dia em que a Lesley se apaixonou pelo Taehyung e me fez ir puxar papo com ele e seus amigos. O maldito dia que eu resolvi esquecer meus problemas e aproveitar a vida como uma louca. Aquele dia ainda me tira do sério. Pra que eu fui na ideia delas de fazer uma aposta?

O tempo foi passando e eu e Soyou ficamos conversando sobre coisas aleatórias e nem percebemos que já eram 12:30h e que seria o intervalo.

— Aaahh, estou morrendo de fome — Disse Soyou.

Eu não estava com tanta fome, mas comer não seria uma má ideia.

— Então vamos comer, mas a fila já deve estar gigante.

Fui andando na frente meio pensativa enquanto Soyou estava atrás mexendo no celular. Parei para espera-la.

Estávamos já no meio do corredor que levava ao refeitório quando olhei para ela e resolvi fazer uma pergunta.

— Soyou, o que você faria se tivesse feito algo muito errado, mas muito errado mesmo só que sem saber que estava errando?

— Ah, eu tentaria consertar esse erro mesmo que eu ficasse sabendo q errei só depois, mas por que está me perguntando isso?

— É uma dúvida que eu tinha. E se você tivesse gostado desse erro e não se sentisse nem um pouco culpada? Mesmo que às vezes você se sinta culpada é algo passageiro?

— Por que dessas perguntas estranhas? Aconteceu alguma coisa?

— Não, é que eu estava vendo uns livros ontem na biblioteca e uma pessoa me perguntou isso e fiquei curiosa tentando achar uma resposta — disse meio sem graça.

Percebi que até Soyou não poderia me ajudar com isso. Acho que deveria esquecer mesmo e fingir que nada aconteceu e mesmo que no futuro isso acabe me tornando uma pessoa frustrada é melhor do que fazer algo agora. Mas e aquilo que o Jungkook fez no estacionamento? Ele é estranho ou o quê?

— Soyou, mas uma coisa. E se o erro ficasse atrás de você?

— Eu deixava — e começou a rir.

Quando estávamos perto da entrada da cantina vi três pessoas conversando, dois meninos e uma menina. Quando cheguei mais perto eu vi que conhecia um dos meninos.

— Jin! 

Ele se virou um pouco surpreso.

— Oi!

— Oi — falei meio desconcertada. Na verdade eu nem sabia o que iria falar com ele, mas foi algo involuntário.

— Não sabia que você estava aqui

— É, eu estava no edifício dois com minha amiga. Ah, me desculpe, esqueci de te apresentar, essa aqui é a Soyou, Soyou esse aqui é o Jin

— Eu já o conheço, quer dizer, nós nunca conversamos, mas você estudava de manhã no ano passado, né? — falou se direcionado a Jin.

— Sim, eu estudava.

— Ah, que legal, legal que vocês já se conhecem — só eu para fazer uma coisa dessa mesmo, eu poderia ter pensado na possibilidade deles se conhecerem.

 — É... — eu e Jin falamos juntos.

— Pode falar

—Não, pode falar você — disse ele.

Começamos a rir juntos e parecia que só estava engraçado para nós dois já que a Soyou estava com uma cara de tédio e as pessoas que estavam conversando com ele estavam esperando ele voltar para a conversa.

— Então, é que nós estávamos indo para o refeitório agora — ouvi Soyou soltar um "até que enfim" baixo. — Você quer vir com a gente?

— Eu não posso agora, mas mesmo assim obrigado.

— Ah, não há de quê — meu Deus, que conversa era essa?

— Você vai ficar aqui até mais tarde?

—Sim, provavelmente até o final da tarde.

— Se você quiser a gente pode se encontrar lá fora depois.

— Claro! Eu te espero na escada da entrada do prédio principal.

— Então a gente se vê mais tarde.

— Tudo bem, até mais tarde.

 Soyou foi logo me puxando pelo braço.

—Socorro, achei que vocês não iriam parar de falar e ainda assim nem conversaram direito, mas como você conheceu o Jin?

— Ontem na biblioteca. Ele me ofereceu uma carona e eu aceitei.

— Hummm, ele te ofereceu uma carona, sei.

— Hummm o quê? Foi só uma carona.

— Anham.

Chegamos ao refeitório e eu não sei se foi pelo o que a Soyou falou mais cedo, mas eu resolvi reparar nas pessoas e realmente algumas estavam me olhando, não todos, mas alguns. Ou talvez seja só impressão minha.

 Passamos por uma mesa que estava Seo yun e seu grupinho que pararam de falar e começaram a encarar enquanto passávamos. Não entendo o porquê disso, eu nunca nem falei com ela.

— Vem, vamos comer — Soyou falou me puxando.

 

[ ... ]

 

Já eram 15:00 e eu precisava procurar o Shin pra resolver o lance da música que eu vou cantar.

— Acho que por hoje já deu, não? — perguntei Soyou. — É que eu tenho que procurar o Shin.

— Eu vou com você, só vou guardar essas coisas.

 

[ ... ]

 

Bati duas vezes na porta da rádio e ouvi alguém gritar lá de dentro que podia entrar.

— Ei, sou eu — falei entrando e a Soyou veio logo atrás.

Tinham mais três meninos com ele na sala, eu não os conhecia.

— Podem se sentar aqui se quiserem — falou apontando para umas cadeiras próxima a eles. Soyou parecia conhecer os outros meninos porque começou a conversar com eles. Eu me sentei na cadeira à sua frente e comecei a falar.

— É que eu tenho que escolher uma música para apresentar, mas também preciso ver o som, melodias e arranjos e acho que não conseguiria sozinha.

— Você não tem nem ideia de qual música?

— Na verdade sim. Eu pensei em dangerous woman da Ariana Grande — Era uma música que eu conhecia bem.

— Deixa eu ver — ele colocou o vídeo clipe e depois colocou uma live e continuo — Eu posso te ajudar com o som, fazer um arranjo na melodia e também posso te ajudar com os instrumentos, eu consigo um baixista, um guitarrista e uma baterista super daora.

— Ótimo! — agora eu estava até otimista. — mas como você vai conseguir isso?

— Tem alguns membros da banda da faculdade que irão fazer a parte instrumental para outras pessoas e podem fazer pra você. — ele fazia uma cara como se fosse algo simples

— Mas será que eles irão aceitar?

— Claro que sim! Vou até ligar pra um deles agora.

Ele se levantou, pegou o celular e foi para um canto ligar. Alguns minutos levantando as sobrancelhas com um sorriso maroto e engraçado que me fez sorrir também.

— Não disse que eles iriam aceitar? Então, aceitaram de boa e disse que vocês já podem começar a passar o som. Vou mandar o seu número para eles e vocês marcam porque só temos mais três sábados, então vai ter que ser dia de semana.

— Por mim tudo bem e muito obrigado Shin, se eu puder retribuir de alguma forma, te ajudando em alguma coisa me fala.

— Pode deixar, um dia eu cobro.

O tempo passou rápido enquanto conversávamos e quando vi já eram 17:05h.

— Gente, eu tenho que ir — falei alto lembrando que tinha que encontrar o Jin na entrada.

— Mas já? — perguntou Shin

Antes mesmo de eu responder a Soyou fez esse favor.

— É que ela tem compromisso — falou fazendo uma cara de como se eu fosse aprontar algo e todos os meninos falaram humm juntos.

— Não é isso gente. Eu realmente marquei com um amigo, mas ele é só..amigo — falei em baixo tom a última palavra.

— Mas ninguém aqui falou que era outra coisas — falou Soyou e todos riram baixo.

 — Tá bom, mas tenho que ir. Vem comigo Soyou?

— Vou. Tchau meninos!

— Tchau, até mais — falei também.

— Até mais — falaram juntos.

 

[ ... ]

 

Já estávamos na escada e eu pude ver Jin de costas me esperando. Parei um pouco e Soyou também.

— Ele é bonito, né — falou Soyou enquanto o olhava também.

— Ele é, mas você não me explicou aquele lance lá de que vocês já o conheciam — eu estava realmente intrigada, mas havia me esquecido de perguntar.

— Ah, relaxa, não precisa ficar com ciúmes — disse rindo.

— Não estou com ciúmes, só...curiosa — ou será que eu estava com ciúmes?

— Ele era namorado de uma menina super popular que estudava na mesma sala que eu ano passado e coincidentemente fiz o ensino médio na mesma escola que eles, mas claro que eu era invisível para eles. Ela era o tipo de menina que todo mundo queria ser igual ou ficar, eles eram o casalzão da faculdade e estavam juntos desde a época do ensino médio, era realmente aquele namoro de altas fotos juntos no Instagram e tudo mais, eu sigo os dois, mas de repente algo aconteceu e eles se separaram. Ela trocou de horário e ele também como você pode ver. E não adianta me perguntar o que aconteceu porque eu não sei, mas sabe, no fundo sempre desconfie que ela não era flor de ser  cheirar.  Ah! E uma coisa engraçada é que ele era amigo dos meninos também — falou colocando o dedo indicador no canto da boca como se estivesse pensando em algo.

— Que meninos?

— Os meninos, Jimin, Namjoon, seu irmão Jungkook...

Era só o que me faltava, Jungkook ser amigo do Jin.

— Você não sabe mesmo o que aconteceu? Agora fiquei ainda mais curiosa.

— Eu não, mas nós podemos descobrir se você o perguntar.

— Pode tirar essa cara de interesse, eu não vou perguntar nada e nem vou falar que sou irmã daquele idiota.

— Você é tão estranha.

— Queria ver se você tivesse um irmão igual a ele.

— Olha, ele te viu!

Jin estava virado para nossa direção e eu dei um tchauzinho pra ele

— Vou lá — falei me despedindo.

— Ei, vamos sair hoje à noite se você e Jin não tiverem nada para fazer, chama ele também. Você precisa conhecer pessoas e a noite em Seul.

— Tá, me manda uma mensagem depois.

— Beleza.

Fui ao encontro do Jin quase que correndo.

Por que estou correndo? Ele vai me achar uma desesperada desse jeito. — Ahh como pode ser tão lindo — eu estava ali admirando sua beleza feito uma boba.

— Oi — falei colocando uma mexa de cabelo atrás da orelha.

— Oi — falou com um sorrisinho no rosto que o deixava sexy.

— Eu quero agradecer por ontem novamente...

— Não precisa me agradecer de novo, foi um prazer poder te levar em casa e também não precisa ficar com vergonha perto de mim — seus olhos fixaram nos meus e eu senti um frio na barriga.

— Pareço estar com vergonha? Mas não estou — falei rindo tentando descontrair esse clima estranho. Normalmente eu não sou assim.

— Ah, claro. Você está vermelha por que estar com calor, acertei?

— Exatamente. Eu estou vermelha porque corri até aqui — ele começou a rir e eu coloquei uma mão no seu braço esquerdo pra descontrair.

Ouvi um barulho de vozes vindo atrás, parecia um grupo de garotos rindo à toa e quando olhei vi que era o Jungkook e os seus amigos querendo ser o centro das atenções. Eles pareciam estar brincando uns com outros e riam como se fosse a coisa mais engraçada do mundo, mas quando me viram ou viram Jin, não sei, param de rir, menos Taehyung e Hoseok que continuaram rindo sem entender o porquê de os outros terem parado.

Jin ficou sério de repente. Seus olhos fuzilaram os meninos que claro, o olharam de volta.

 


Notas Finais


Bom, espero que tenham gostado. Um grande beijo e um ótimo dia pra vocês ♥

P.S. Comentem, vou amar responder *-------*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...