1. Spirit Fanfics >
  2. Latitudes (Yeo Hwanwoong) >
  3. 1 O garoto na primeira carteira

História Latitudes (Yeo Hwanwoong) - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - 1 O garoto na primeira carteira


Fanfic / Fanfiction Latitudes (Yeo Hwanwoong) - Capítulo 1 - 1 O garoto na primeira carteira

✧══════•❁❀❁•══════✧

Tudo começou no meu primeiro dia na universidade. Eu estava animada, conhecer um ambiente em que nunca estive era como uma grande aventura.

Era tão bonito, aberto e com uma bela paisagem de árvores, flores, pessoas sorridentes, animais curiosos e prédios altos. Minha mãe ficaria tão orgulhosa de ver o belo local onde eu passaria meus dias, eu mau podia esperar para contar tudo a ela.

Desci na parada de ônibus e logo corri procurando o meu bloco, queria conhecer minha sala de aula, meus colegas, e acabei até me perdendo no meio de tantas pessoas. Os veteranos me ajudaram a encontrar minha sala, e disseram que eu devia tomar cuidado, era fácil se perder naquela universidade.

Porém, eu me perdi dentro de mim mesma ao invés de naqueles corredores. Quem me dera eu não tivesse sido tão idiota a ponto de me apaixonar logo no primeiro dia, não estava no meu roteiro aquilo acontecer.

Foi como nas novelas, ou como se o céu iluminasse aquele radiante sorriso, o garoto tinha o cabelo perfeitamente arrumado, seu nariz era como um desenho, usava uma camisa branca e mantinha um sorriso muito lindo nos lábios finos e vermelhos. Era como magia, ele se destacava de todas as outras pessoas ali, conversava com outros garotos e todos pareciam adorar ouvi-lo.

Até atrapalhei a entrada da sala, não conseguia parar de olhar para ele, e piorou quando ele olhou para mim, ali o encarando, mas na verdade me dei conta de que olhava para o rapaz atrás de mim que gritou para eu sair da frente.

Precisei voltar ao normal, balançando a cabeça e caminhando rápido para o fundo da sala, os únicos lugares livres eram lá. Um problema, pois eu tinha miopia.

Me sentei observando de longe aquele anjo, ainda não conseguia olhá-lo sem imaginar toda aquela luz ao redor dele. Porém não demorou muito para que um professor entrasse na sala, roubando a atenção de todos, que ficaram quietos.

— Hm, não, não. Senhorita, o que faz aí atrás? — ele disse falando com alguém, e eu ajeitava meu óculos sem percebê-lo falar — Você, de óculos, não pode ficar aí atrás.

Era comigo, olhei ao redor e não vi outra pessoa de óculos, a não ser dois garotos nas carteiras da frente da turma.

— Rapaz, troque de lugar com ela, por favor.

O professor apontou para o rapaz atrás daquele anjo, eu não podia ficar atrás dele ou surtaria, porém não queria causar confusão já no primeiro dia de aula.

Me levantei e obedecemos, eu e o rapaz trocamos os lugares, e pude ter uma das melhores sensações do mundo. Um arrepio correu pelo meu corpo, aquele garoto na minha frente tinha um perfume forte, cheiro de amaciante de roupas e um perfume amadeirado. Sua roupa parecia bem passada, sem nenhum amassado, e seu cabelo bem cortado parecia tão sedoso que eu controlei minha mão para não querer tocá-lo.

Quase até não ouvi o professor comentando o programa da disciplina, algo sobre cartografia, eu até gostava daquele assunto, mas tinha um bem mais interessante na minha frente.

Tentei me concentrar por um tempo, e anotar as informações que estava sendo passadas no quadro, tópicos, para sabermos o que tínhamos que estudar. E sem querer me peguei rabiscando corações na borda da folha.

Isso era um problema sério. Quando começava a desenhar isso, não tinha volta, mesmo não conhecendo aquele garoto, eu tinha ficado perdidamente apaixonada por ele. Briguei comigo mesma e rasguei a folha num momento de desespero, não podia parecer uma criança boba, contudo, fiz a turma toda olhar para mim.

Disfarcei, voltando a escrever apressada. E fiquei sem olhar para mais ninguém o resto do tempo, até dar o horário para trocar a aula. Não precisamos sair da sala, a universidade era grande, porém não o suficiente para ter uma sala para cada aula. As turmas sempre ficariam na mesma sala.

Esperei, nervosa, a próxima matéria, implorando para mim mesma para não pagar outro mico. Mas, era eu, isso fazia parte de mim.

— Oi. — disse o garoto da frente.

Eu olhei um pouco com medo de não ser comigo, mas ele estava olhando para mim. Por que estava? Eu entrei internamente em pânico, sem saber o que fazia.

— Oi. — eu disse sem olhar para ele, ou ficaria idiota, pois ele estava sorrindo.

— Se quiser ficar na minha carteira é só falar, tudo bem? — ele disse gentilmente, e então eu olhei para ele, não resisti.

— Estou bem aqui. Não se preocupe. — eu respondi apoiando a cabeça no braço, foi um movimento involuntário, mas que com certeza me fez parecer estranha.

O garoto deu de ombros e se virou novamente para frente. Ponto a menos, eu não conseguia chamar a atenção dele.

Baixei a cabeça, e fiquei pensando, talvez não fosse realmente certo aquele garoto ser a primeira pessoa que eu gostaria na universidade. Porém ele era tão bonito, e de repente o vi saindo da sala com outros dois amigos.

O professor não chegava nunca, talvez a aula fosse vaga. Não tinha muita coisa para fazer numa aula vaga, já tinham os grupinhos de amigos ali, cheguei atrasada para participar de algum grupo, então não teria muitos amigos.

E para minha sorte, um sorridente garoto ao lado me cutucou, puxando assunto.

— Quantos graus você tem? — ele perguntava apontando para o meu óculos.

— Ah, 3.5 no olho direito e 2 no esquerdo. — respondi sem graça.

— Nossa, você vai ficar cega. — ele riu e me estendeu a mão, se apresentando — Son Dongju!

— Cho Hyunwoon, e obrigada por me motivar. — eu brinquei, fazendo ele continuar rindo — Sabe o nome do...

Eu apontei para a carteira da frente, onde ficava aquele garoto bonito. Era estranho querer saber tanto sobre ele, mas ele era interessante.

— Yeo Hwanwoong. Não se mete com ele, é super cobiçado. — Dongju respondeu dando de ombros.

— Mas é só o primeiro dia ainda. — eu comentei indignada.

— Você devia saber que para as garotas isso não importa muito. — ele respondeu batendo a caneta na mesa e me encarando, porque eu não dei resposta — Você não tem muitos amigos, não é?

— Não, eu sou chata. — comentei não dando muita atenção e me distraindo com os adesivos do caderno.

— Então eu sou seu amigo agora. Me dá um adesivo. — ele levantou pegando meu caderno, e correndo dali.

Tive que correr atrás dele, ou ficaria sem nenhum com certeza. Dongju era engraçado e brincalhão, gostei de seu jeito extrovertido, poderia ser um ótimo amigo.

Depois de cansar de correr, voltamos para a aula e ele se tornou minha dupla o tempo todo, era um garoto gentil. E me fazia voltar à realidade quando Hwanwoong estava na sala, eu ficava olhando para ele como se fosse a oitava maravilha do mundo.

[...]

✧══════•❁❀❁•══════✧



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...