História Lauren e Camila - O preço de uma mentira - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Cameron Dallas, Camila Cabello, Fifth Harmony, One Direction, Troye Sivan
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Cameron Dallas, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Normani Hamilton, Troye Sivan, Zayn Malik
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Conto, Dinah Jane, Fifth Harmony, Fluffy, Larry, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Norminah, One Direction, Romance, Suspense, Ziam
Visualizações 93
Palavras 1.289
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 38 - Parte 33


Lauren

**

Durante todo o almoço com o Troye fiquei pensando em como seria falar essa notícia bombástica para Camila. Se eu não estava conseguindo digerir tais informações, imagino el, quanto mais as horas passavam, mais eu temia o dia seguinte.

Aquele almoço parecia super comemorativo, se comparado a um velório, a verdade é que eu não conseguia pensar em outra coisa, meus pensamentos me assombravam.

Quase não toquei na comida.

-Está sem fome Laur?.

-Por que?.

-Tu não tocou na comida, ainda tá preocupada sobre como vai dar a notícia para a Camila?. -Falou Troye repousando os talheres no prato e me olhando.

-Exatamente. Não sei bem como ela vai reagir. -Soltei meus talheres desistindo de disfarçar que estava interessada na comida, me largando no encosto da cadeira que estava sentada.

-Amiga, calma, talvez vocês estejam fazendo uma tempestade em copo de água, ele vai voltar para a Alemanha, não para seu apartamento, vai ficar hospedado na minha casa e não no quarto de vocês, ele não vai se oferecer para dormir no meio das duas, quer dizer, eu espero que não. -Falou Troye rindo do seu próprio sarcasmo.

Sorri sem humor nem com tranquilidade nenhuma.

-Talvez eu esteja mesmo me preocupando exageradamente. -Falei suspirando voltando ao prato inutilmente, já perdera a fome.

-Devia se preocupar menos para não criar rugas, seis meses é muito tempo, do jeito que o primo é, talvez ele já esteja casado com uma dessas "mulher fruta" da vida e nem lembra das tretas passadas entre vocês.

-Tomara T, tomara.

Terminamos nosso horário de almoço e voltamos para o jornal. Todos os dias eu rezava para que as horas passassem voando para chegar logo em casa e ver meu amor, mas enquanto eu não descobrisse um método inteligente de contar a notícia sem causar a terceira guerra mundial, eu não me importaria se as horas passassem rastejando.

Faltando menos de uma hora para o fim do meu expediente, recebo uma ligação, era a Camila avisando que iria vir me pegar para um passeio de carro após o trabalho. Ela dizia estar tão ansiosa para me ver que não sei por quê, senti a consciência pesar em ter que comunicá-la sobre o retorno do Alex.

Eu não tinha motivos para isso, afinal não planejava nada e pretendia inclusive evitar qualquer encontro, mas conheço as paranóias da Camila e o ciúme, e ainda tinha a questão delas terem saído no tapa em seu último encontro - que se bem me lembro, deixou a Camila com sede de vingança por "não ter tido a oportunidade de revidar".

Puts, a cada segundo fico mais nervosa, mas dane-se, o destino é dono da razão, deixarei as coisas acontecerem como devem ser, preocupar com o futuro é sofrer por antecipação.

Adianto meus passos até a saída do jornal, enquanto espero Camila chegar. Alguns minutos de espera e ela logo aparece com um largo sorriso receptivo, baixa os vidros do carro e diz animada.

-Minha princesa, queira por favor adentrar sua carruagem real.

Entrei no carro sem falar uma só palavra. Ela agia com toda a meiguice que já era comum quando se tratava da Camila.

-Amor?Faz tempo que não como sorvete de chocolate, que tal se a gente passasse na sorveteria antes de irmos ao seu apartamento?. -Disse ela para a moça de olhar distante no banco a seu lado no carro, eu.

-Oi?Hã?Falou alguma coisa, Camila?. -Eu estava tensa e com a cabeça longe, ela logo percebeu.

-Aff, amor, onde anda com a cabeça hein?Se eu não te conhecesse bem, chegaria a duvidar da sua fidelidade. -Olhou-me como se observasse minha reação e continuou. -Mas como não largo do teu pé, arrisco que, talvez esteja preocupada com coisas do trabalho.

-Quem dera fosse mesmo coisa de trabalho. -Disse tristemente.

-Então o que é, amor?. -Falou ela enquanto estacionava o carro, chegamos na sorveteria.

-Tenho uma notícia não tão boa para te dar Camila. -Falei virando-me para encará-la.

-Espera. -Me interrompeu. -Se vai me dar notícia ruim, me dê enquanto tomo meu sorvete. -Não aguentei e comecei a rir, não existe clima tenso em sua presença. -Dois motivos querida. -Falou enumerando nos dedos. -Eu não quero ter uma raiva e deixar de tomar meu sorvete, e se a notícia é ruim, agora PRECISO do meu sorvete de chocolate, já viu alguém triste tomando sorvete de chocolate?.

Rimos juntas, ela puxou meu queixo para um beijo, sorriu, e saímos do carro. Entramos na sorveteria de mãos dadas.

Agora que percebia o quanto ela estava fofinha e discretamente arrumada - ela pensa que eu não percebo quando ela se produz pra mim, estava com um shortinho curto que sabia que eu adorava - mas morria de ciúme quando ela usava pra sair -, uma camiseta de alcinhas com uma estampa linda "de universo", que eu não conhecia, e uma sandália também desconhecida. Estávamos próximas aos congeladores nos servindo de sorvete.

-A senhora andou fazendo compras sem mim, Camila?. -Falei puxando-à pela cintura.

-Ah tu percebeu agora, lindeza?. -Falou sarcástica. -Fui sozinha pra te fazer surpresa, gostou da minha blusa nova?.

-Adorei amor. -Falei beijando-a ignorando os olhares a nosso redor.

Sentamos na mesa, ela tomando seu adorado sorvete de chocolate, até que eu disse.

-Amor, ainda tenho a coisa desagradável para te contar. -Falei com medo.

-Qual a notícia que tens a me dizer?Fala logo por favor, você foi demitida?Brigou com alguém?Eu posso aju...

-Se você calar a boca, fica mais fácil descobrir do que ficar "atirando no escuro". -Falei irritada, ela pareceu chateada com o tom, mas se calou.

Quando ia falar, miseravelmente sou interrompida pelo som do meu celular, era o Troye.

♫ ♪ ♫ ♪

-Oi T. -Atendo sem paciência.

-Amiga, eu esqueci de te convidar pessoalmente. -Não Guilherme, por favor, não faz isso, agora não. -Vou fazer um jantarzinho aqui em casa de recepção para o primo, você devia vir, ele ia gostar de te ver. -Engoli em seco sentindo o olhar fulminante da Camila sobre meu olhar agora desesperado.

-Tá bom, te aviso qualquer coisa, preciso desligar. -Falo já desligando.

Camila estava jogando o guardanapo, amassado, na mesa e me encarava com fúria.

-Você sabia e não ia me contar, Lauren Michelle?. -Puta que pariu, ela falou o nome composto.

-Eu ia contar, era essa a notícia. -Falei tentando tocar sua mão.

Ela desviou, passou as mãos no cabelo, fechou os olhos, e os abriu me encarando. Camila não era de briga, apenas a tinha visto se defender uma vez, ainda assim, ela tinha um olhar que me causava calafrios.

-Eu não vou am...

-Vai sim!Ah você vai!. -Falou ainda me olhando, eu apenas calei. -E eu vou com você, me ouviu?.

-Sim amor, como quiser, mas sabe que eu me sentiria mais à vontade não indo, não é?.

-Mas vamos, se ele voltou, tem que saber que as coisas mudaram, que agora você é minha e não quero mais falar nisso. -Voltou a tomar seu sorvete, agora de cara fechada.

Houve silêncio por um tempo e eu respeitei seu momento, mas depois retomamos a conversa e tudo ficou bem. Saímos da sorveteria e fomos para meu apartamento.

Inexplicavelmente, tive que insistir para que ela ficasse para dormir, mas acabou aceitando. Camila era perfeita, nunca perdia o encanto, desde que começamos a namorar, nunca tivemos uma rotina chata, sempre dormíamos juntas, mas nunca era apenas dormir ou apenas sexo, sempre tinha algo para apimentar, era sempre mágico e com a mesma emoção da primeira vez.

Ela sempre me buscava no trabalho, mas jamais, após isso, fazíamos a mesma coisa dois dias seguidos. Minha namorada jamais foi sinônimo de rotina, e eu adorava aquilo.

No dia seguinte, não acordo ao lado da Camila. "Puta com a vida", ligo para seu celular buscando informações de seu paradeiro, ela me vem com um "bom dia" doce e explica que teve que resolver umas coisas.

Pede para que ligue dizendo o horário que ela deveria me buscar, mas pede antecedência no aviso. Sem tempo para interrogações, digo que preciso ir para o jornal logo.


Notas Finais


Tenso kk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...