História Layers of blood - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Lu Han, Sehun
Tags Baekyeol, Chanbaek, Sebaek
Visualizações 34
Palavras 1.321
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OOOOOOOOOOLÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ!
COMO VOCÊS ESTÃO MINHAS CRIANÇAS?
Então, estou dois dias atrasada, mas nada demais. /foge das pedrada
Aqui está mais um capítulo para vocês, fresquinho.
Ó, eu num li nem corrigi erro não, do jeito que escrevi vou postar. Tô com preguiça mesmo, hoje é domingo. (Tá, mas o que tem a ver, vagabunda? EU NUZEI)
Enfim, eu faço isso no próximo capítulo. E A escolha vai ficar sem capítulo sim. Não terminei de escrever ainda. Juro que vou postar logo.
AHH, mas assim, espero que gostem desse capítulo de hoje. Beijinhos, amores.

Capítulo 3 - Chapter two


Capítulo dois.

ᗘ•───∾───•ᗛ

- SeHun… - Sibilou, gravando aquele nome que pareceu adocicar seu paladar só de ser pronunciado.

Ele é muito gato., pensou o garoto, trocando alguns olhares tão profundos com as íris escurecidas e hipnotizantes.

- O sinal bateu. - O loiro finalmente pronunciou, sorrindo de canto. É, ele realmente vai ser fácil. - Você deveria entrar e ir para aula, cuidar para ter um futuro brilhante. - Começou, mas deu a entender que diria mais. - Ou apenas pular esse portão,  como fez para entrar, e me seguir para a diversão. - Cantarolou. A voz grave e funda acariciando o ouvido do moreno. Ele deveria, não deveria? Largar esse inferno em que as pessoas o olhavam torto, o ignoravam e o evitavam. Ele com certeza deveria. Estava se aproximando das barras de ferro, quando algo o deteve. A ideia de fugir e fazer sabe-se-lá-o-quê era extremamente tentadora, porém pensou em Lu Han e a forma que ele pareceu compadecido por sua situação de pular o portão e entrar no prédio. Quando o guiou para a enfermaria e enfaixou, ele próprio, o pulso do garoto. Ao entrar na sala, conversar com o professor para que ele pudesse entrar na sala de aula, mesmo que estivesse quase uma hora atrasado.

Abaixou a mão e deu alguns passos para trás, respirando fundo. Ele não iria fazer aquilo com o mais novo e único amigo até aquele momento.

- Desculpe. - Pediu, suspirando pesado. - Tenho aula, preciso ir. - Então virou-se e correu para dentro do prédio, acompanhando alguns poucos alunos desleixados que seguiam para as salas.

ᗘ•───∾───•ᗛ

Poucas semanas depois do ocorrido, Baekhyun falou com o veterano sobre o que acontecera. Estava apenas procurando uma oportunidade e a coragem de admitir o erro que quase cometera. Lu Han não pareceu enraivecido ou triste. Na verdade, foi totalmente compreensível e deu conselhos para o garoto. Afagou-lhe os cabelos e pediu para tomar mais cuidado da próxima vez. Aquele tipo de situação era extremamente perigosa.

A questão é que o moreno mais velho sabia o quanto um demônio poderia ser sedutor para os humanos, e não culpou o menor por isso. Só teria que ser mais atento a esse tipo de acontecimento, agora. Se Baekhyun fora abordado por um, ele não iria desistir tão cedo. Ainda estaria aos arredores por um bom tempo.

Enquanto isso, o Byun se sentira mais leve ao desabafar com o amigo. Como tinha imaginado, o terceiranista era gentil, calmo e amável. Por isso entendia a forma que todos pareciam amá-lo. Por vezes o comparava com um anjo. A beleza quase celestial, que chamava a atenção em qualquer lugar que estivesse. Ele parecia brilhar. Não tirava razão das garotas e até garotos que se declaravam para ele.

Baekhyun gostava de estar com ele. Gostava dele.

- Lu! - Disse, alegre, quando notou o amigo encostado na parede oposta à porta da sala que frequentava.

- Bom dia, Baek. - O mais velho sorriu, bagunçando-lhe os cabelos alheios e recebendo uma baixa e falsa reclamação. Ambos os garotos seguiram para o refeitório.

Enquanto procuravam uma mesa com as bandejas em mãos, Baekhyun sentiu-se ser observado e procurou com os olhos de onde vinha aquela queimação. Encontrou o mesmo loiro de semanas atrás sentado nas mesas dos “populares’, aquela coisa típica de filmes e livros, o olhando fixamente, ostentando um repuxar quase imperceptível nos lábios.

- Oh, céus, não… - Sussurrou para si próprio, estremecendo. Parado, sentiu fios de desespero subirem e amarrarem fortemente seu corpo. Mas como na primeira vez que vira o estranho, ele se sentiu tentado a caminhar em sua direção e descobrir o que ele poderia oferecer.

- Baekhyun? Ei, está tudo bem? - A voz doce de Lu Han capturou sua atenção. O ser celestial seguiu a atenção do amigo e travou, assim como o garoto ao seu lado. Então, ele estava ali. Exalando aquele cheiro  pútrido de enxofre e carne em decomposição. Engraçado como, para os humanos, aquele fedor se transformava num perfume extremamente chamativo, gostoso e luxurioso, mas para os anjos e arcanjos, causava náuseas, quase insuportável.

Lu Han se empertigou. Os pelos se eriçaram e a coluna ficou ereta. - Venha, Baek. Vamos sair daqui. - Seu andar, agora, era duro e rápido. Antes de se virar, notou um sorriso zombeteiro enrolar a boca fina do loiro. Recebendo uma confirmação do mais novo, ambos seguiram para o pátio da escola.

- Lu? Lu, o que foi? - Baekhyun chamou, mas não recebeu resposta alguma. As pernas mal conseguiam seguir o ritmo do veterano. Ele estava estranho desde que notara o estranho que abordou o moreno nas grades do colégio. - Lu Han! - Tentou mais uma vez. O aperto em seu braço começando a doer. Balançou o braço para tentar se livrar, mas Lu Han parecia perdido em alguma linha de raciocínio. A expressão não mudou em nenhum segundo desde que começara a puxar o amigo. - Ei, está me machucando, por favor. - Insistiu e, num súbito, o mais velho parou. O semblante vacilou um pouco ao soltar o garoto, que parecia assustado e agora massageava o local apertado.

Porém, algo voltou para si e então focou nos olhos do calouro.

- Quem era aquele? Foi o mesmo que chamou sua atenção enquanto almoçava? Você foi muito evasivo e eu fiquei preocupado, mas não forcei você a falar. Agora quero cada detalhe. - Deveria ter pressionado o Byun. Ele pensara que realmente havia sido um demônio, mas como as respostas foram supérfluas, acalmou um pouco sua agitação, tentando não imaginar o pior.

Baekhyun fechou os olhos e tentou se lembrar do nome do loiro. Buscou no fundo da memória. Tinha conseguido esquecer dele quando falara com Lu Han e este conseguiu o consolar da melhor forma, dando conselhos e se aproximando. Lembrou-se do gosto bom que tomou a língua quando pronunciara o nome do estranho.

- Sehun! O nome dele era Sehun!

- Quero que fique longe dele. - Os ombros tensos do terceiranista deixavam o Byun com medo. A mandíbula estava travada, a coluna reta, fazendo-o parecer mais e mais imponente.

- Lu…? - Sibilou, procurando uma última vez ganhar uma resposta, mas nada veio.

- Vamos terminar de comer. - E assim seguiu para um dos bancos.

O clima pesado persistiu por longos minutos.

Nenhum dos dois conseguiu dizer algo. Baekhyun ainda estava amedrontado pela reação irritada de Lu Han, este, por outro lado, estava se martirizando por ter agido da forma errada com o garoto. Deveria ter sido mais calmo e racional, porém a ideia de Sehun, como agora se chamava, fazer mais uma vítima, o deixava furioso. Estava ali para acabar com aquilo. Eles tinham uma rixa de longa data. Daquela vez ele não deixaria o loiro ganhar. Não mesmo.

Pegando uma golada profunda de ar, ele virou para o garoto, que deu um pulo de susto com a ação repentina. Ele está mesmo com medo., pensou e se bateu mentalmente por ter causado isso no pequeno. - Olha, perdão por ter agido daquela forma. Eu não queria, é só que… - Buscou algo na mente para dar uma desculpa sem ter que mentir, mas se viu aliviado quando fora interrompido.

- Tudo bem, eu entendo. - Apesar de parecer surpreso a aterrorizado, na verdade, ele faria a mesma coisa, talvez pior. Não gostava de imaginar alguma criança como ele perdida por causa de uma mente frágil e facilmente manipulada. Ele faria de tudo para impedir que alguém se perdesse daquele jeito. - Só fiquei… meio… surpreso.

- Perdão, perdão. Eu só quero… eu me preocupo, só isso. Aquele garoto é encrenca. Por favor, fique longe dele.

Olhando nos olhos escuros de Lu Han, ele viu um arrependimento sincero e uma preocupação genuína. O veterano estava certo, afinal.

- Não se preocupe, Lu. Eu vou seguir seu conselho. - E com um sorriso, assegurou para o amigo.


Notas Finais


Então, o que acharam? Esse capítulo foi meio evasivo, né? SINTO MUITO AAAAA
Mas enfim, espero que realmente tenham gostado dele. VAMO DIVULGA SA MERDA, brigada.
Até a próxima, meus bebês. Amo muito vocês.
~Chu chu!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...